Confusão No Governo Bolsonaro: Ministro do Meio Ambiente chama Ministro de Secretaria de Governo de “banana de pijama” e “maria fofoca” - Informativo Atitude

Confusão No Governo Bolsonaro: Ministro do Meio Ambiente chama Ministro de Secretaria de Governo de “banana de pijama” e “maria fofoca”

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, usou as redes sociais para disparar críticas contra o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, chamando-o de “banana de pijama” e “maria fofoca”.

“Tenho enorme respeito pela instituição militar. Como em qualquer lugar, infelizmente, há sempre uma maçã podre a contaminar os demais. Fonte de fofoca, de intriga, de conspiração e da discórdia. O problema é a banana de pijama”, escreveu inicialmente Salles em sua conta pessoal no twitter.

Alguns minutos depois, a postagem foi apagada e substituída por outro texto em que o ministro deixou mais claro a quem endereçava os ataques. “Não estiquei a corda com ninguém. Tenho enorme respeito e apreço pela instituição militar. Atuo da forma que entendo correto. Chega dessa postura de maria fofoca”, afirmou na segunda publicação, com a marcação do nome do ministro Luiz Eduardo Ramos.

Procurado pela CNN agora à noite, Salles confirmou que chamou Ramos de banana. Já o ministro da secretaria de governo não se manifestou à coluna. Aliados dizem que ele vai ignorar as publicações e aguardar reuniões no Planalto nesta sexta-feira (23).

Os dois vivem em conflito nos bastidores do Planalto, em que Salles tem a gestão sobre as queimadas na Amazônia e no Pantanal colocada em xeque. O ministro do Meio Ambiente atribui essas críticas a Ramos.

Nesta quinta-feira (22), pegou muito mal a informação de que o Ibama determinou que as brigadas de incêndios florestais interrompessem os trabalhos em todo o país, por falta de recursos. Para aplacar a crise, o vice presidente da República, Hamilton Mourão, que é presidente do Conselho da Amazônia, anunciou a liberação de verbas.

Nesta sexta, Mourão recebe uma delegação de representantes de países europeus para tratar do panorama das questões ambientais na Amazônia.

CNN BRASIL