Criminalidade - Informativo Atitude

Categoria: Criminalidade

Mais um homicídio em uma comunidade humilde de Natal: foi assassinado a tiros um homem com passagem pelo sistema prisional. O crime aconteceu no Paço da Patria, zona Leste da Capital. A vítima usava tornozeleira eletrônica.

Em entrevista ao repórter Jeferson Nascimento, da 96 FM/SOS Policial, um policial militar desabafou e questionou os moradores da comunidade sobre o crime. “Pessoal aqui quando a PM faz operação, protesta, queima pneus. Aí quando tem uma morto, ninguém diz nada”, afirmou.

A cobertura completa desse caso vai ao ar as 17h, no Rádio Patrulha, com Jeferson Nascimento e Silvio Henrique.

Um crime brutal ocorreu contra uma família do bairro Parque Vitória, em Teresina (PI). Um pai e uma filha foram mortos a tiros dentro da própria casa na noite dessa quinta-feira (11/4). No momento do crime, a menina fazia a tarefa escolar.

As vítimas, identificadas como Francisco Eduardo Guimarães, mais conhecido como “Índio”, de 23 anos, e Ana Eloíse, de 4 anos, foram alvejadas por seis homens encapuzados.

A Polícia Militar do Piauí (PMPI) informou que os suspeitos invadiram a casa e atiraram diversas vezes contra o pai e a filha. Logo após o crime, os criminosos fugiram do local.

Até o momento, os suspeitos não foram identificados e seguem foragidos. A polícia tenta localizá-los. Após o ataque a tiros, a menina foi levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com os policiais do 22º Batalhão de Polícia Militar (BPM), ainda não há provas que confirmem que Guimarães era alvo do grupo de assassinos. O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil do Piauí (PCPI), ficou responsável pelas investigações do crime.

METRÓPOLES

A psiquiatra Natália Schincariol reclamou do silêncio do PT após a denúncia de agressão feita por ela contra o ex-namorado, o empresário Luis Cláudio Lula da Silva, filho do presidente Lula. Em suas redes sociais, Natália compartilhou uma nota de repúdio do grupo Criadores da Esquerda, que lamenta a falta de posicionamento do partido, ao qual a médica é filiada.

“Nós, Criadores da Esquerda, expressamos nossa profunda preocupação e solidariedade à companheira Natália Schincariol, vítima de misoginia e violência por parte de Luís Cláudio Lula da Silva. Natália, filiada ao PT, merece nosso apoio e proteção contra essa cultura machista”, diz a nota.

“Lamentamos que, até agora, nenhuma mulher da Secretaria Nacional de Mulheres do PT tenha se posicionado. Todos nós devemos nos posicionar e cobrar justiça, independentemente de quem seja o agressor. Reafirmamos nosso compromisso com a luta contra a violência de gênero e o apoio às vítimas, seguindo o exemplo da Lei Maria da Penha”, afirma a publicação compartilhada por Natália.

A médica registrou boletim de ocorrência contra Luís Cláudio Lula da Silva no dia 2 de abril. “Relato que estou sofrendo violência doméstica por parte de Luís Cláudio Lula da Silva. As agressões são de natureza física (oportunidade em que me deu uma cotovelada na barriga em uma das brigas no final de janeiro deste ano), verbal, psicológica e moral, e têm se intensificado ao longo do tempo, colocando em risco a minha integridade física e mental”, disse Natália à polícia.

Por meio de nota enviada à coluna e assinada por sua advogada, o empresário negou as acusações e disse que tomará medidas judiciais contra a ex-namorada. “Tomamos conhecimento das fantasiosas declarações que teriam sido proferidas pela médica, atribuindo ao nosso cliente inverídicas e fantasiosas agressões, cujas mentiras são enquadráveis nos tipos dos delitos de calúnia, injúria e difamação, além de responder por reparação por danos morais, motivos pelos quais serão tomadas as medidas legais pertinentes”, afirmou a defesa de Luís Cláudio.

Paulo Cappelli – Metrópoles

Amigos de Simone Nascimento vivem misto de tristeza e angústia pela morte da psicóloga, encontrada morta na porta da casa dos pais, em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. Mensagens de homenagem mostram o quanto ela era doce, querida e deixou legado de “psicoamiga”.

“Bondosa, sempre com palavras doce, preenchendo o dia.” Essas e tantas outras palavras foram escritas para descrever a mulher incrível que ela era.

“Deixou um legado de mão amiga e que podemos sim ser alguem na vida de alguém, como vc é , foi e sempre sera pra mim, me deu a mão em um momento tao terrivel da minha vida, te conheci num dia mal da minha vida, mas descobri um algo nesse mesmo dia e que foram dias de abraços conversas e uma amizade de paz e harmonia”, escreve a amiga.

A polícia civil de Três Lagoas e de Andradina, em São Paulo, investigam a morte da psicóloga ocorrida neste domingo (7). Segundo o filho, que a levou até a casa da avó materna em Andradina, ela teria pulado do carro e morrido em consequência dos ferimentos da queda.

A avó tentou ainda reanimar a filha ao ver o corpo de Simone sem vida no carro. Neste momento, o neto tentou fugir do local, mas foi impedido pelo avô, que chamou a polícia.

Ele foi detido pela polícia e está preso preventivamente na delegacia do município paulista. Segundo informações obtidas pelo site Fatos MS, com os familiares da vítima, o rapaz já teria apresentado três versões da morte da mãe, pois ele estaria com ela no momento da queda.

O fato pode ter ocorrido às 16 horas, mas ele só chegou com o corpo às 20 horas na casa da avó. Ele não pediu ajuda ao Samu (Serviço de Atendimento Médico Urgente) ou Corpo de Bombeiros, nem mesmo levado a mãe para tentar atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Três Lagoas ou mesmo em um dos hospitais do município.

A morte da psicóloga repercutiu nas redes sociais dos dois municípios. Ela trabalhava no hospital Cassems, em Três Lagoas, e a família é de Andradina.

Simone completaria 47 anos no próximo dia 11 de abril.

METRÓPOLES

Imagens: reprodução/Polícia Civil

Policiais civis da 57ª Delegacia de Polícia de Apodi (57ª DP de Apodi) deram cumprimento, nesta segunda-feira (08), a um mandado de prisão por regressão de regime contra Iranildo de Sousa Oliveira, de 31 anos, no município de Apodi, região do Oeste potiguar.

No último sábado (06), um vídeo do homem preso cortando a tornozeleira eletrônica e fazendo ameaças circulou nas redes sociais.

VEJA MAIS: VÍDEOS: Homem rompe tornozeleira eletrônica, faz várias ameaças e no dia seguinte se arrepende e pede desculpas

Iranildo é conhecido pela Polícia Civil e possui passagens por porte ilegal de arma de fogo, homicídio e outros crimes. Após a exposição do vídeo e o rompimento da tornozeleira eletrônica, a equipe da 57ª DP de Apodi/RN passou a monitorar a situação e, em decorrência de um mandado de prisão, localizou e prendeu o foragido, que teve prisão preventiva decretada pela Comarca de Mossoró.

O homem foi encaminhado ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça.

O Padre Bianor, pároco da antiga Catedral de Natal, viveu momentos de terror na noite deste domingo (7), na Grande Natal, ao ser assaltado e agredido com um facão.

De acordo com o Blog do Gustavo Negreiros, o Padre Bianor celebrou uma missa numa capela em Ceará-Mirim. Depois, teve um jantar com fieis e, no retorno para Natal, por volta das 21h30, se aproximando de Massaranduba, levou uma fechada e o condutor do outro veículo desceu anunciando o assalto.

O suspeito, que estava armado com um facão, fez o padre descer do carro e ficar deitado. O criminoso levou celular, dinheiro e itens pessoais do padre.

Ainda de acordo com o Blog do Gustavo Negreiros, ao tentar se levantar, o padre foi golpeado na mão com o facão. Em determinado momento, alguns carros passaram pelo local, e o criminoso se assustou e fugiu para uma área de mata.

O padre dirigiu até a casa da irmã, onde foi socorrido e levado para o hospital, onde passa por cirurgia para não perder os dedos.

Portal Grande Ponto

Mossoró viveu uma madrugada sangrenta, nas primeiras horas desta segunda-feira (8). Dois homens foram mortos a tiros em uma comunidade. As vítimas foram identificadas como José Pereira de Lima e Francisco Dutra Filho.

De acordo com informações da polícia, o primeiro crime aconteceu na rua Genésio Filgueira, onde Francisco Dutra Filho foi morto dentro de casa. O autor do crime, segundo a polícia teria sido José Pereira de Lima, que após o delito foi pra casa.

O segundo homicídio aconteceu minutos depois do primeiro, na rua Pedro Cialini, e José Pereira de Lima, que tinha acabado de matar Francisco Dutra, foi assassinado. Ele foi morto na calçada de casa e a polícia suspeita de que membros de sua própria facção criminosa tenham o eliminado por indisciplina.

Ainda segundo a polícia, a primeira vítima, não tinha registros de antecedentes criminais e não se sabe qual teria sido a motivação de seu assassinato. Já José Pereira era investigado em uma série de crimes de roubos, inclusive tinha sido reconhecido por imagens de câmeras de monitoramento em um assalto a uma loja de celulares, na semana passada no estado da Paraíba.

A Polícia Civil acompanhou o trabalho pericial e deu início às investigações dos casos.

PORTAL 96 FM

Na madrugada desta segunda-feira (8), um bebê com um mês de vida deu entrada no hospital de Arez já sem vida e com marcas de violência. A Polícia Militar foi chamada e deteve o pai da criança como suspeito do crime.

A equipe do Pelotão da PM em Arez foi acionada por volta de 1h40 ao hospital do município e recebeu a informação de que o bebê deu entrada na unidade já em óbito e com marcas de violência. No local, os militares também encontraram a mãe da criança, com escoriações no rosto.

Ainda de acordo com a polícia, a princípio, a mãe da criança não conseguiu passar informações sobre a causa dos machucados, porém, a dona da casa onde o fato aconteceu, que é amiga da vítima, informou que houve uma briga entre os pais do bebê, dentro de um quarto do imóvel, por volta das 23h.

A testemunha ainda afirmou à polícia que sua filha olhou pela janela do quarto e viu a criança vermelha e com sangue escorrendo pelo nariz. Os moradores da casa bateram na porta do cômodo para socorrer a criança. À polícia, a mulher disse que o pai “sequer levantou da cama”.

A mãe e a criança foram levadas à unidade de saúde, porém, o bebê já deu entrada na unidade sem vida, com marcas de violência no rosto e nas costas.

A mãe do bebê afirmou aos policiais que durante a briga com o marido ela foi agredida com socos e alguns dos golpes acertaram a criança.

“Diante dessas informações todos foram conduzidos para a delegacia de plantão e o corpo posteriormente encaminhado para o Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep)”, informou a PM.

A corporação informou que a delegacia do município realiza diligência sobre o caso.

*Com informações do G1/RN

 

Vou falar da acusação contra o filho caçula do presidente da República, Luis Claudio Lula da Silva, revelada pela sucursal paulista do Metrópoles.

Os petistas costumam associar violência e preconceito a bolsonaristas, como se fossem exclusividade dos apoiadores do ex-presidente. Tomar o todo pelo parte é uma operação ideológica banal e, geralmente, eficaz, porque mesmo os eleitores eventuais de Jair Bolsonaro se sentem constrangidos ao se ver associados a uma porção repulsiva da sociedade.

O caso de Luis Claudio Lula da Silva é exemplo de como essa operação ideológica é lorota pura. Ele supostamente teria agredido a mulher com quem vivia em uma relação estável de dois anos. De acordo com a médica Natália Schincariol, o filho de Lula a atacava física, verbal, psicológica e moralmente.

O pacote completo está no boletim de ocorrência que ela registrou na Delegacia da Mulher em São Paulo. Luis Claudio da Silva teria chegado a lhe dar uma cotovelada na barriga, em uma das brigas que aconteceram no final de janeiro.

Natália Schincariol afirma que foi chamada pelo filho de Lula de “doente mental”, “vagabunda”, “louca” e “gorda”. Traumatizada, teria ficado afastada do trabalho durante um mês. Também teria contraído uma infecção porque ele manteria relações sexuais com outras mulheres sem usar proteção.

Mais: ela diz que foi “manipulada” e “ameaçada” para não denunciar Luis Claudio da Silva, porque o agressor é filho do presidente e que, portanto, tem “influência para se safar das acusações”.

A defesa do suposto agressor afirma que as declarações são fantasiosas, que o seu cliente é vítima de calúnia, injúria e difamação e que serão tomadas medidas legais contra Natália Schincariol.

Seja como for, a Justiça concedeu medidas protetivas a pedido dela. Luis Claudio Lula da Silva teve de deixar o apartamento no qual vivia em relação estável e não poderá aproximar-se da ex-companheira.

No Instagram, a lavanderia pública de ex-casais que pareciam tão felizes como todos os outros que trocam juras de amor na rede social, Natália Schincariol publicou críticas a “esquerdomachos”. Ela explica o que é um esquerdomacho:

“Refere-se a um homem de ideias progressistas, com inclinações políticas de esquerda e que se diz defensor dos direitos das mulheres, mas que se contradiz em suas atitudes em relação às mulheres com quem convive.”

A definição é interessante por integrar a operação ideológica de que falei no início do artigo. Assim como todos os bolsonaristas ou direitistas seriam violentos e preconceituosos, todos os petistas ou esquerdistas seriam o seu exato contrário — e, portanto, seria um contradição quando demonstram ser semelhantes aos seus antípodas.

Mário Sabino – Metrópoles

A Justiça do Distrito Federal rejeitou um pedido feito pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e pela ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro para indenização e retratação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por falas sobre um sumiço de móveis do Palácio da Alvorada.

Na decisão, a juíza Gláucia Barbosa Rizzo da Silva encerrou o processo por questões processuais, sem analisar o mérito do pedido. Ela entendeu que a ação deveria ter sido movida contra a União, e não contra Lula.

“Assim, considerando que a suposta prática do ato diz respeito a bens públicos e que esta circunstância atrela as manifestações do requerido ao exercício do cargo reconheço, de ofício, sua ilegitimidade passiva. Eventual pretensão de indenização e retratação deverá ser exercida em desfavor do Estado (União Federal)”, afirmou.

Bolsonaro e Michele disseram na ação que Lula convocou a imprensa, em janeiro de 2023, para dizer que o casal presidencial anterior tinha “levado” e “sumido” com 83 móveis da residência oficial do chefe do Executivo.

Em março, a Comissão de Inventário Anual da Presidência da República localizou todos os bens que estavam “desaparecidos” do Alvorada.

Conforme a juíza, ao tratar sobre existência e conferência de móveis integrantes do acervo do Palácio da Alvorada, Lula está sendo demandado por “palavras proferidas na condição de mandatário de cargo eletivo federal”.

“Nem poderia ser diferente, porque só o agente público teria acesso à conferência de tais bens – também públicos – e a possibilidade de sobre eles se manifestar, o que demonstra serem as alegações necessária e intrinsicamente ligadas ao exercício do cargo”, afirmou a magistrada.

Bolsonaro e Michelle entraram com a ação na Justiça em 22 de março. O ex-chefe do Executivo disse que Lula teria incorrido em “falsa comunicação de furto”. Já Michelle citou uma “cortina de fumaça” do governo Lula.

No início do ano passado, após Lula assumir o governo, a primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja, disse que estavam faltando móveis no Alvorada. Agora, após a revelação da descoberta dos móveis, Michelle disse que a atual gestão sempre soube “que isso era uma mentira”.

O governo Lula informou no mês passado que não havia “nenhum tipo de controle” da gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro sobre os objetos. “Por isso, esses 261 itens não foram encontrados”, disse o ministro Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação do governo federal.

Segundo o ministro, o número de 261 itens não é do governo Lula, mas da gestão Bolsonaro, “quando foi realizada a transição”. O documento do governo anterior teria sido datado de 4 de janeiro de 2023. “Não é um número nosso, é um número que foi informado pelo Bolsonaro.”

Procurada, a defesa de Michelle não se manifestou sobre a decisão. A CNN não conseguiu contato com a defesa de Bolsonaro. O espaço segue aberto.

Com informações da CNN