Segurança - Informativo Atitude

Categoria: Segurança

Foto: Lara Carvalho/ Tv Ponta Negra

Ação conjunta da Polícia Civil e Ministério da Justiça evitou ataque em escola de Natal e solicitou divulgação do caso para alertar os pais.

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte já ouviu mais de 40 crianças e adolescentes que planejavam ataques em escolas do estado, tanto em Natal, capital potiguar, quanto em municípios do interior do RN. Os dados foram passados pela delegada Paoulla Maues em coletiva realizada na tarde desta terça-feira (31), após ser divulgado que uma criança de 11 anos estaria planejando um ataque em uma escola de Natal.

Segundo o delegado Ricardo Eduardo, além de planejar o ataque, o menino de 11 anos também estaria aliciando um adolescente para participar junto.

O Laboratório de Operações Cibernéticas (Ciberlab), do ministério da justiça, foi quem emitiu o alerta para a polícia do Rio Grande do Norte. O órgão, com atuação nacional, já conseguiu identificar outros crimes no país. O coordenador do ciberlab parabenizou a polícia do RN pela rapidez das ações para evitar o pior.

O nome da escola e se é pública ou privada não foi revelado por orientação do Ministério da Justiça. Os materiais apreendidos pelos agentes também não podem ser divulgados.

A delegada em vídeo feito na coletiva ressalta que os pais e a sociedade deve voltar os olhos para as crianças e reforçar o cuidado com o uso do celular.

Uma ação conjunta entre a Polícia Civil do Rio Grande do Norte e o Ministério da Justiça e Segurança Pública resultou na identificação de uma criança de 11 anos de idade, suspeita de planejar um ataque a uma escola localizada em Natal. A informação foi confirmada pela própria Polícia Civil.

Em menos de 24 horas, após identificação de informações críticas que apontavam à iminência de concretização de um possível ataque, as autoridades conseguiram uma representação de busca e apreensão através do Poder Judiciário.

Durante a operação, as autoridades apreenderam materiais que comprovam o planejamento da ação, e as investigações apontam para o envolvimento de outro adolescente da mesma escola. Este adolescente foi ouvido, nessa segunda-feira (30), através da Delegacia de Proteção a Criança e Adolescente (DPCA/NATAL).

A rápida ação das forças de segurança pública estaduais e federais foi crucial para garantir a integridade dos alunos e funcionários da instituição de ensino identificada.

A Polícia Civil orienta a todos os pais que sejam vigilantes quanto às crianças e adolescentes, em especial no que se refere ao uso de aplicativos de jogos que, em muitas ocasiões, estão sendo utilizados para fins criminosos.

Atuaram na operação de investigação e agentes de segurança pública da Delegacia de Proteção a Criança e Adolescente (DPCA/NATAL), da Delegacia Especializada no Atendimento a Adolescente (DEA), com o Laboratório de Operações Cibernéticas (Ciberlab), e a Diretoria de Operações Integradas e Inteligência (Diopi) do Ministério da Justiça.

Fonte: Blog do Gustavo Negreiros

A eleição para os novos conselheiros tutelares de Natal foi realizada neste domingo (29), sendo eleitos cinco conselheiros para cada conselho tutelar correspondente às quatro regiões administrativas da capital. O mandato de cada conselheiro tem a duração de quatro anos (2024/2027). A posse está marcada para o dia 10 de janeiro de 2024.

Confira abaixo o resultado:

Zona Sul

  • 1° Edbegna Aquino – 1134 Votos
  • 2° Cindy – 1097 Votos
  • 3° Claudiane Monteiro – 629 Votos
  • 4° Francisca – 552 Votos
  • 5° Veve – 544 Votos

Zona Leste

  • 1° Pastor William – 921 Votos
  • 2° Cristina Torres – 833 Votos
  • 3° Neto Ramos – 648 Votos
  • 4° Waguinho – 555 Votos
  • 5° Célia Ramos – 392 Votos

Zona Oeste

  • 1° Max Maciel – 1480 Votos
  • 2° Sanzia Aparecida – 1207 Votos
  • 3° Regis Marcolino – 1099 Votos
  • 4° Washington – 944 Votos
  • 5° Serginho – 911 Votos

Zona Norte

  • 1° Jailson Santos – 1251 Votos
  • 2° Renan Oliveira – 1054 Votos
  • 3° Vasconcelos – 887 Votos
  • 4° Mariana Oliveira – 851 Votos
  • 5° Jane Cleide – 825 Votos

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) disse neste domingo (29) que o “crime organizado agradece” em resposta ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ter descartado decretar uma GLO (Garantia da Lei e da Ordem) no Estado do Rio de Janeiro.

Em 23 de outubro, 35 ônibus e 1 trem foram queimados após uma operação policial que acabou com a morte de um miliciano. Foi um dos piores episódios de conflito com milícias na capital fluminense.

Na 6ª feira (27.out), em café com jornalistas no Palácio do Planalto, Lula disse que não decretará a intervenção no Rio de Janeiro “enquanto for presidente”. Declarou que não cabe a militares das Forças Armadas ficar nas favelas “brigando com bandido”.

Na 4ª (25.out), o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, que é do PL –mesmo partido de Bolsonaro– também negou a necessidade de um decreto de GLO para o Estado e disse esperar o uso de militares no reforço da segurança do Rio.

Poder 360

O governador Cláudio Castro (PL) visitou várias autoridades de Brasília, em busca de socorro e parceria para o combate ao crime que atormenta o Rio de Janeiro, mas deveria ter centrado suas cobranças no presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, cuja gaveta acumula, somente na área de segurança pública, 817 leis aprovadas na Câmara dos Deputados desde 1993, mas pendentes de votação dos senadores. Propostas como o fim de “saidinhas” ou “saidões” e a extinção de medidas que reduzem a permanência de bandidos na cadeia, a título de “progressão de regime”.

PEDALA, PACHECO

Pacheco tampouco permite que os senadores avaliem e votem, por exemplo, o fim da maioridade penal, aprovada na Câmara desde 2015.

BANDIDO JÁ NÃO TEME A LEI

Muitos crimes poderiam ter sido evitados com o endurecimento das penas e o restabelecimento do temor dos bandidos à lei e à Justiça.

FRONTEIRAS ABERTAS

Cláudio Castro pode ter pregado no deserto, ao cobrar de Lula ações contra o ingresso de armas e drogas nas fronteiras desguarnecidas.

EXUMAÇÃO NECESSÁRIA

Responsável pelo levantamento, o deputado Alberto Fraga (PL-DF) agora estuda cada proposta que dormita na gaveta de Pacheco.