Arquivos

Morre aos 41 anos José Augusto, mas conhecido em Macaíba como Zé Filho. José Augusto trabalhava como vigilante do INSS em Macaíba. Era mais um, em uma fila de espera em busca de um leito de UTI. Hoje, quando conseguiram o leito ele não resistiu e veio a óbito.

DRAMA NA UPA DE MACAÍBA

Talvez você não saiba, mas a UPA está atendo hoje: Vera Cruz, Bom Jesus, Ielmo Marinho e São Gonçalo do Amarante. Além desses munícios não repassarem para Macaíba a despesa com seus pacientes, o governo do estado está dando um calote no município de mais de 5 milhões.  Então, é mentira que a governadora Fátima fez algum repasse para o município como estão dizendo.

SUPERLOTAÇÃO

Outro fator que é dramático, é a superlotação com pessoas muitas vezes de outras cidades, que não tem para onde ir e vem para Macaíba, pois é o único lugar que encontram apoio em meio à crise que se alastra por todo o RN.

NA LINHA DE FRETE

Os profissionais que estão na linha de frente não usam uniformes coloridos, mas são verdadeiros heróis que arriscam a vida pelo próximo. Alguns desses heróis tombaram, outros estão se recuperando.

GOVERNO FÁTIMA DÁ AS COSTAS PARA MACAÍBA

Além de dever a UPA mais de 5 milhões, o governo Fátima levou dez leitos de UTI que estavam no Hospital Regional de Macaíba. Além disso, o governo do estado não é transparente nos gastos dos recursos que vem do governo Federal.  Sem ajuda do estado e com a sobre carga de pessoas que vêm de outros municípios, a UPA sente o maior drama de sua história.

Chamado de “puxadinho do PT e do PSDB” por Roberto Jefferson, presidente do PTB, o Supremo Tribunal Federal tem composição que poderia dar razão ao ex-deputado não fosse a atitude de independência dos ministros. Presidentes do PT indicaram sete dos onze ministros do STF, mas eles não agradeceram a nomeação com a toga, condenando corruptos ligados a Lula, por exemplo, que indicou três ministros e Dilma cinco. FHC escolheu apenas Gilmar Mendes, entre os atuais ministros. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Dilma nomeou Luiz Fux, Rosa Weber, Luis Roberto Barroso (que assumiu a presidência do TSE) e Edson Fachin, relator da Lava Jato.

Foram nomeados por Lula o atual presidente do STF, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia.

O presidente Jair Bolsonaro mencionou uma postagem Fernando Haddad para afirmar que se trata de uma “fake news”.

Haddad fez menção ao fato de o presidente ter consumido leite na última live que o presidente realizou na última quinta-feira (28). O adversário de Bolsonaro nas eleições de 2018 afirmou que o consumo da bebida teria relação com um ato racista “para brindar supremacistas brancos”, escreveu Haddad.

Em resposta, Bolsonaro explicou que o consumo de leite tem a ver com o ‘Desafio do Leite’, proposto pela Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), cujo objetivo é valorizar o setor, apoiando o consumo de leite e derivados.

O Brasil ultrapassou a França no número de mortos por Covid-19 neste sábado (30). O balanço mais recente do Ministério da Saúde mostrou que o país totaliza 28.834 óbitos por coronavírus. Já a França registra até o momento 28.774 mortes.

Com isso, o Brasil se tornou o quarto país com o maior número de mortes, atrás somente dos Estados Unidos (103.685), Reino Unido (38.458) e Itália (33.340), segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins às 20h deste sábado.

Por Bethânia Nunes

Um encontro emocionante ocorrido em um hospital do Distrito Federal enche de esperanças todos os que estão passando por dificuldades durante este momento de pandemia mundial.
A paciente do Hospital Santa Helena Patrícia Pereira, de 37 anos, conheceu o filho recém-nascido, Pierre, por meio de uma videochamada, seis dias depois de ter sido submetida a uma cesariana de emergência.

Moradora do Pará, Patrícia veio a Brasília em uma UTI aérea por conta de um quadro grave de Covid-19. Ela estava grávida de oito meses e, aqui, foi submetida a uma cesariana de emergência para que ela e o bebê conseguissem sobreviver.

Leia a reportagem completa e veja o vídeo no Metrópoles, parceiro do BHAZ.

Um casal foi baleado por bandidos e morreu em Parnamirim nesta sexta-feira (29). Segundo informações da Polícia Militar, testemunhas relataram ter visto quatro homens em bicicleta abordarem Iranilson Aldo da Costa, de 27 anos, e Thais Kelly Dantas Costa, de idade não informada. Eles efetuaram os tiros e fugiram. Iranilson morreu no local. Já Thais foi levada ao hospital para realização de cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos e chegou a óbito.
Segundo informações da PM, a mulher teria chegado de moto no local e seu marido de carro. Neste momento, o grupo de atiradores teria chegado em bicicletas, segundo testemunhas. Após efetuar os disparos, eles fugiram do local.

O homem chegou a óbito no local. A mulher foi encaminhada para o hospital, passou por uma cirurgia e ficou internada em UTI, mas acabou não resistindo e morreu.

A motivação ou os autores do crime ainda não estão esclarecidos. Caso segue em investigação.

Por Redação

Em 2018, a agente Flaviana Bezerra da Divisão de Homicídios foi chamada após assassinato de um homem em Parnamirim. Ela acabou adotando cinco filhos da vítima, que presenciaram o crime.

5 de abril de 2018. O que parecia ser mais um dia comum de plantão na Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) em Natal acabou se tornando um divisor de águas na vida da policial civil Flaviana Bezerra. Foi neste dia, durante as primeiras investigações de um crime, que, mesmo sem saber, ela começava a adotar seus cinco filhos.

Flaviana lembra com clareza daquele 5 de agosto de 2018. Era domingo e a agente acabara de voltar das férias para o trabalho. “Esse foi um dia muito difícil porque meu pai teve uma suspeita de infarto e por causa disso meu irmão também passou mal. Meus colegas queriam que eu não fosse trabalhar para ficar com ele, mas meu pai melhorou e eu fui para o plantão”, conta.

Às 22h, Flaviana e uma equipe da DHPP foram acionadas para uma ocorrência em Parnamirim, na Região Metropolitana de Natal. Um homem havia sido assassinado a tiros na frente dos filhos. Eram três crianças, dois adolescentes e um bebê de 11 meses.

“Quando estávamos na cena do crime apareceu uma mulher dizendo que seis crianças estavam chorando por causa do pai numa casa próxima. Fui até eles com minha equipe e eles estavam com medo, diziam que a gente era do Conselho Tutelar e que iria separá-los”, conta. As crianças e adolescentes que viram o pai ser assassinado também perderam a mãe, três anos antes, em 2015. Ela morreu durante uma cirurgia.

Nesse momento, Flaviana começava a se tornar mãe, algo que nunca planejou. Ainda na noite do crime, em agosto de 2018, a policial foi até a casa onde as crianças moravam e se impressionou com o que viu. “Tinha muito lixo na casa e não tinha um grão de comida. Eles trabalhavam catando lixo na rua e estavam passando fome”, conta.

Comovidos com a situação, os policiais da DHPP levaram as crianças para a casa de uma tia, que não as recebeu muito bem, segundo Flaviana. “Eles também não poderiam ficar lá porque a tia não tinha condições e por outros motivos. Também não podiam ficar na casa onde moravam porque o assassino do pai poderia morar na região”, explica.

Dos seis, cinco são irmãos. O mais novo do grupo tinha 11 meses e era filho da mais velha, que tinha 15 à época. Eles permaneceram na casa da tia por algumas semanas. Flaviana escreveu um texto pedindo doações e divulgou no grupo interno de WhatsApp da Polícia Civil. Com o dinheiro arrecado, a agente comprou alimentos e deixou na casa da tia das crianças.

No entanto, o texto que Flaviana havia compartilhado entre os colegas de profissão vazou do grupo da corporação e as doações aumentaram consideravelmente. O recurso arrecadado daria para pagar o aluguel de uma casa para os seis durante um ano. Flaviana consultou um promotor para tratar juridicamente da possibilidade.

“Eu fiquei com medo quando vi o dinheiro porque ele estava na minha conta pessoal. Por isso consultei o promotor para abrir uma conta para eles, mas ninguém era responsável por eles. Com tudo ok, aluguei a casa para eles e fiz umas compras. Isso tudo com meus amigos da DHPP. Também pedi ajuda do Estado para matricular eles na escola. Uma parente deles veio para morar com eles na casa alugada”, diz a policial civil.

Por Bruno Vital, G1 RN

Policiais do destacamento militar de Governador Dix Sept Rosado, na região Oeste Potiguar, prenderam na tarde desta sexta feira 29 de maio de 2020, um jovem, após o mesmo esfaquear sua própria mãe naquela cidade. Após tomarem ciência do fato criminoso, os policiais miliatres saíram em diligências e conseguiram localizar e prender o acusado.

Matheus Bezerra de Oliveira após ser preso foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil da cidade, onde foi autuado em flagrante por crime de tentativa de homicídio. Durante o depoimento ao  DPC Rafael Arraes de Alencar, delegado da DEFUR de Mossoró e que responde pela delegacia de Governador Dix Sept Rosado, o jovem confessou que esfaqueou sua mãe, mas disse que não tinha a intenção de matá-la.

O mesmo afirmou que sempre entra em conflito com sua genitora. Após os procedimentos realizados na Polícia Civil, Matheus Bezerra foi encaminhado ao ITEP onde se submeteu a exame de corpo de delito e depois conduzido à Cadeia Pública de Mossoró, onde ficará a disposição da justiça.

A compra de respiradores pulmonares pelos nove Estados do Nordeste à empresa paulista Hempcare Pharma ganhou contornos de caso judicial após o dinheiro empregado na transação, R$ 48,7 milhões, ter sido antecipado, mas os equipamentos não terem sido entregues. A compra foi cancelada, e o Consórcio Nordeste foi à Justiça com medidas para reaver a quantia repassada.

Ao longo dos últimos dias, a Justiça Federal da Bahia determinou o bloqueio das contas da empresa Hempcare Pharma e de seus dois sócios, além de outras empresas que estejam em seu nome. O processo está em segredo de Justiça e foi movido pelo Estado que preside o Consórcio Nordeste, a Bahia. A determinação foi confirmada por fontes da Tribuna do Norte com acesso ao caso. Os bloqueios foram solicitados no valor total da transação entre os Estados e a empresa, que foi de R$ 48.748.575,82.

A Hempcare Pharma se posicionou revelando surpresa já que explicou haver acordo com os Estados do Nordeste para devolução do dinheiro até 10 de junho. Acrescentou também que quando a compra dos equipamentos à China se mostrou inviabilizada, ofereceu aos governadores do Nordeste a opção por equipamentos na indústria nacional, mas que eles negaram essa alternativa.

O Governo do Rio Grande do Norte, que fez parte do rateio dos recursos, antecipando R$ 4.947.535,90, informou que enviou ao Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte (MPRN) toda a documentação da transação para que tome as providências que achar oportunas.

Com informações da Tribuna do Norte

Fonte: Portal Grande Ponto