março, 2021 - Informativo Atitude - Page 3

Arquivos

Ao realizar uma abordagem em um estabelecimento onde almoçava um grupo de caminhoneiros, um policial militar chamou o local de “merda”.

“Estão quebrando esse decreto”, diz o agente, referindo-se ao decreto do Governo do RN, afirmando que foi ao local após receber uma denúncia. “A gente veio orientar os senhores para não prejudicar o estabelecimento da senhora aqui, porque se não a gente vai fechar essa merda”, disse.

Logo em seguida, os clientes, a maioria caminhoneiros, se revoltam e começam a questionar o policial sobre a afirmação feita.

O blog ainda não conseguiu confirmar o nome e a cidade que funciona o estabelecimento.

 

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RN) produziu mais um boletim com a avaliação dos impactos da pandemia do coronavírus nas finanças do Rio Grande do Norte. O Boletim Extraordinário 01/2021, elaborado por Auditores de Controle Externo da Diretoria de Administração Direta – DAD, traz os dados consolidados sobre as transferências federais feitas para o Estado em 2020, com o intuito de enfrentar os efeitos da Covid-19, assim como os dados das despesas realizadas pelo Governo do Estado na área da saúde pública.

Segundo os dados publicados, o Estado recebeu do Governo Federal R$ 1,1 bilhão em recursos extraordinários em 2020, destinados às ações de saúde, assistência social e compensação financeira em razão da queda na arrecadação. Além disso, o boletim apresenta o panorama das despesas realizadas pelo Governo do Estado relativas a estas áreas. Clique aqui e confira o relatório completo.

Do total de recursos disponibilizados ao Estado, a maior parte é de livre alocação, ou seja, podem ser usados livremente pelo Governo. Foram R$ 750,9 milhões. Esse valor é incorporado à Fonte 100, que congrega os recursos ordinários do Estado, incluindo a arrecadação própria, e foi transferido por força da Lei Complementar 173/2020, que estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, bem assim, pela Medida Provisória nº. 938/2020, que dispôs sobre o apoio financeiro para compensar a queda no repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

O Governo do Estado também recebeu transferência extraordinária de recursos via SUS, na ordem de R$ 172,2 milhões e auxílio financeiro para saúde e assistência social, no valor de R$ 145,2 milhões. Por fim, foram enviados mais de R$ 33 milhões via Lei Aldir Blanc, que prevê auxílio ao setor cultural.

A Lei Complementar 173/2020 também permitiu que o Estado suspendesse, durante os meses de março a dezembro de 2020, o pagamento de dívidas com a União, o que possibilitou o remanejamento de R$ 162 milhões para despesas com ações de enfrentamento da calamidade pública decorrente da pandemia. Os valores investidos na área da saúde ainda contam com transferências legais obrigatórias para o SUS, de caráter ordinário, na ordem de R$ 317 milhões.

Das despesas

O Governo do Estado realizou despesas na ordem de R$ 1,9 bilhão com ações e serviços públicos de saúde, assistência social dentre outras destinadas ao enfrentamento à pandemia e mitigação de seus efeitos. Como foi apurado, a maior parte das despesas foi executada utilizando a Fonte 100 (R$ 1,3 bilhão). A referida fonte de recursos, no caso, contempla além das receitas de arrecadação própria, parte das transferências extraordinárias da União, como o auxílio financeiro do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus (LC 173/2020) e o apoio financeiro em razão da queda no FPE (MP 938/2020).

Fonte: Portal Grande Ponto

A governadora Fátima Bezerra e mais oito governadores ainda não responderam ao pedido de informações feito pela Procuradoria-Geral da República sobre a instalação dos hospitais de campanha para tratamento da Covid-19.

Além dela, estão devendo informações à PGR: Waldez Góes (PDT), do Amapá; Camilo Santana (PT), do Ceará; Renato Casagrande (PSB), do Espírito Santo; Ratinho Júnior (PSD), do Paraná; Wellington Dias (PT), do Piauí; Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande do Sul; Coronel Marcos Rocha (PSL), de Rondônia; e Antonio Denarium (PSL), de Roraima.

Vale lembrar que dia 12 de março a subprocuradora-geral Lindôra Araújo enviou ofícios a todos os govenadores questionando quantos hospitais foram instalados em cada local, quantos foram construídos e não entraram em funcionamento e as unidades ativas atualmente.

Ainda dentro dos questionamentos a data e motivo do fechamento dos hospitais desativados, destinação de insumos e equipamentos.

O prazo inicial para a resposta venceu no dia 19, mas vários governadores pediram uma prorrogação, que foi concedida.

Com informações d’O Antagonista.

Fonte: Blog do Gustavo Negreiros

Mais 20 doses de vacinas contra a covid-19 sumiram da unidade basica de saúde do bairro de Belo Horizonte, em Mossoró. A informação é de Agenor Melo.

Mais 20 doses de vacinas contra a covid-19 sumiram da unidade basica de saúde do bairro de Belo Horizonte, em Mossoró. A informação é de Agenor Melo.

Fonte: Blog do Gustavo Negreiros

Relatos de formas pouco comuns de coágulos sanguíneos na cabeça, conhecidos como trombose da veia sinusal, levaram vários países europeus a suspender temporariamente o uso da vacina da AstraZeneca, no início deste mês

© Lusa

As autoridades alemãs detectaram 31 casos de trombose em pessoas que receberam a vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca, das quais nove morreram, e o estado alemão de Berlim voltou a suspender a vacina para maiores de 60 anos.

O Instituto Paul-Ehrlich, centro de referência em vacinação na Alemanha, constatou que em 19 casos foi detectada uma deficiência de plaquetas no sangue, indicando que dos nove mortos apenas dois eram homens, com 36 e 57 anos, e todos os outros casos de trombose venosa sinusal surgiram em mulheres com idades entre os 20 e os 63 anos, de acordo com a peça da Der Spiegel.

Perante estes dados, o estado alemão de Berlim suspendeu de novo o uso da vacina com o produto da AstraZeneca para maiores de 60 anos, e Dilek Kalayci, principal responsável do departamento de saúde da região, explicou que se tratava de uma medida de precaução, antes de uma reunião de todos os 16 estados da Alemanha onde o tema será discutido.

Relatos de formas pouco comuns de coágulos sanguíneos na cabeça, conhecidos como trombose da veia sinusal, levaram vários países europeus a suspender temporariamente o uso da vacina da AstraZeneca, no início deste mês.

Após uma revisão do fármaco por parte de especialistas da Agência Europeia de Medicamentos, foi concluído que os benefícios da vacina superavam os riscos, embora tenha sido recomendado que médicos e pacientes deviam ser alertados para possíveis efeitos colaterais raros.

De acordo com o instituto de virologia Robert Koch, na Alemanha, um total de 2,7 milhões de pessoas já receberam doses dessa vacina.

Na Alemanha, 3.877.914 pessoas receberam as duas doses de qualquer vacina contra a covid-19, 4,7% da população, e 9.001.925 (10,8%), pelo menos uma.

Nas últimas 24 horas, 123.170 pessoas na Alemanha receberam a primeira dose da vacina e outras 44.522, a segunda.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.792.586 mortos no mundo, resultantes de mais de 127 milhões de casos de infecção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Fonte: Notícias ao Minuto

Saiba como um invasor pode conseguir acesso aos sensores de imagem do smartphone, e como você deve se precaver contra ataques

iPhone 11, versão de entrada do smartphone da Apple ganhou uma câmera extra. Foto: Fabio Tito/G1

Hackers podem invadir a câmera de um celular sem ter que instalar aplicativos espião? – Gabriel Praticamente qualquer invasão de um dispositivo requer a chamada “execução de código”. Computadores e celulares dependem de instruções de programação e, portanto, um hacker não poderá receber a imagem da câmera sem que o celular seja instruído a enviar a imagem.

Como os “códigos” executados pelo celular são representados pelos aplicativos, temos aí uma relação bastante clara: se o hacker precisa de um código no seu celular para transmitir o sinal da câmera, e os códigos estão em aplicativos, o hacker terá de usar um aplicativo espião para essa tarefa.

A resposta tecnicamente correta para sua pergunta é “não” – não há como invadir a câmera sem um aplicativo, porque o hacker precisa de um código que programe o celular para essa finalidade.

O que causa confusão é que esse aplicativo de espionagem nem sempre precisa ser instalado da forma tradicional e que fotos podem ser acessadas sem acesso à câmera.

Você normalmente deve instalar um aplicativo por meio das lojas oficiais, como a Play Store do Google e a App Store da Apple. Mas um hacker não precisa adotar esse caminho.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Se o invasor souber de alguma vulnerabilidade no seu smartphone, ele pode explorar essa brecha para “forçar” o aparelho a executar códigos. Em alguns casos, esses códigos podem até ser integrados a outros aplicativos.

Em 2020, um pesquisador do Google demonstrou um ataque para executar códigos (ou seja, “instalar aplicativos”) em aparelhos iPhone, da Apple, que estivessem ao alcance dos sinais de Wi-Fi e Bluetooth.

O ataque, embora não tenha controlado diretamente a câmera do aparelho na demonstração, permitia a cópia das fotos previamente capturadas pelo celular. E existe mais um caminho que pode dar acesso às suas fotos: os serviços de armazenamento em nuvem.

Quais são os riscos na prática?

Se você mantém o sistema do seu smartphone e demais aplicativos atualizados, praticamente não haverá brechas para que um invasor explore para executar códigos ou instalar apps sem a sua autorização.

É claro que existe a remota possibilidade de que algum hacker muito sofisticado ataque aparelhos protegidos, como aconteceu com o bilionário Jeff Bezos, mas isso é raro.

A não ser que você também seja um bilionário, esse cenário não deve estar na sua lista de preocupações.

Em geral, quem deseja espionar um celular (principalmente de familiares e amigos) normalmente consegue fazer isso após pegar o aparelho desbloqueado. Isso pode acontecer facilmente se você não utiliza o bloqueio automático.

As imagens armazenadas na nuvem, em serviços como Google Drive ou iCloud, não dependem de acesso ao seu celular. Quem tiver acesso à sua conta poderá acessar sua “câmera” – ou seja, as fotos que você está tirando – depois que elas forem enviadas ao serviço.

As contas podem ser acessadas caso os criminosos roubem sua senha. Isso pode ser feito com uma página falsa, por exemplo.

Sincronização de imagens com serviços em nuvem é conveniente para evitar a perda de dados, mas exige cuidados com a conta para evitar acesso indevido às fotos. — Foto: Reprodução

Dependendo do caso, aparelhos mais antigos também podem ser mais vulneráveis a desbloqueios forçados, sem o uso da senha correta. Se o fabricante não disponibiliza mais atualizações para o sistema do seu smartphone, pode ser necessário trocá-lo por um modelo mais novo.

Infelizmente, são esses “espiões” mais próximos que normalmente teriam interesse em obter imagens da sua câmera.

Os ataques de hackers e criminosos normalmente acontecem por meio de apps falsos. Esses aplicativos são frequentemente listados na Play Store do Google, mas os programas maliciosos mais agressivos aparecem apenas em lojas “alternativas”.

Esses programas mais agressivos em lojas alternativas são aqueles que podem roubar suas senhas, por exemplo.

Dificilmente um hacker ou criminoso terá interesse na sua câmera, porque a transmissão de imagens é muito trabalhosa e não traz ganhos financeiros para os golpistas.

Na Play Store, a maioria dos apps falsos realiza apenas fraude publicitária, o que é causa muito menos prejuízo para você do que o roubo de senhas. Além disso, o Google remove apps após identificar qualquer conduta indevida.

Se você baixar seus apps apenas na Play Store e não usar outras lojas nem fontes diretas (como sites), você terá muito mais segurança.

Sendo assim, lembre-se de manter uma senha de bloqueio de tela configurada, preferencialmente com bloqueio automático, tome cuidado com os apps que você baixa e proteja suas contas.

Com isso, você vai evitar praticamente todos os ataques que poderiam comprometer seu celular e seus dados.

Fonte: Agora RN

De acordo com a PF, o suspeito trabalha como balconista de farmácia há sete anos e disse que encomendaria as medicações de Manaus

Homem foi preso pela prática do crime de venda de medicamento com procedência ignorada. Foto: Reprodução

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Roraima prendeu na manhã desta segunda, 29, em flagrante, um balconista de farmácia que tentou vender um remédio usado para intubação de pacientes – de uso hospitalar, comercialização restrita e em escassez em diferentes regiões do País – a familiares de pessoas internadas no aguardo de procedimentos.

Segundo o próprio preso, em razão da falta do medicamento na rede pública, as famílias pagariam até R$ 3,5 mil por uma caixa com 25 ampolas. Uma caixa seria suficiente para apenas dois dias de uso para um paciente, indicou ainda o balconista à Polícia Federal.

O remédio que o homem tentou vender é chamado besilato de atracúrio e é utilizado para relaxar os músculos dos pacientes durante cirurgias e internações em unidade de terapia intensiva (UTI). De acordo com a PF, o suspeito trabalha como balconista de farmácia há sete anos e disse que encomendaria as medicações de Manaus. O homem foi preso pela prática do crime de venda de medicamento com procedência ignorada, cuja pena pode chegar a 15 anos, informou a corporação. A ação Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Roraima é coordenada pela Polícia Federal e tem participação das polícias Civil e Militar e das secretarias da Justiça e Cidadania e da Segurança Pública do Estado.

Fonte: Agora RN

 

CRUELDADE

A crueldade do governo Fátima faz várias vítimas em todo Rio Grande do Norte. São empresários que assistem sem poder fazer nada vendo suas empresas definharem, são famílias desempregadas, são criança que pedem comida e seus pais não tem como ofertar, pois, seu sustento vinha das ruas e todos estão impedidos de vender e trabalhar.

OS DANOS PODEM SER IRREVERSÍVEIS   

Os danos a economia do RN podem ser irreversíveis. A população pode até escapar do Coronavírus, mas dificilmente poderão escapar dos efeitos do governo Fátima, pois os números de desempregados e de empresas quebradas impulsionam o RN para uma tragédia humana jamais vista no nosso Estado.

INCESSÍVEL

O governo Fátima é incessível ao sofrimento de várias famílias, não se ver nenhuma ação para os mais pobres que passam fome sem ter a quem pedir socorro, esse grito de agonia que ecoa em todo o Rio Grande do Norte, é simplesmente ignorado pela governadora, que tem um discurso bonito. Quando alguém ouve o nome pomposo como “Pacto Pela Vida” parece que é uma megaoperação que vem cuidar e socorrer o nosso RN, mas o que se ver nada mais é do que perseguição a empresários que não podem abrir seus comércios para honrar suas dívidas, ou pior, como foi visto essa semana um vendedor de rua sendo impedido de trabalhar para levar comida para sua mesa.

FALTA TRANSPARÊNCIA

A falta de transparência do governo Fátima é algo assustador. Sabemos que o Governo Federal despejou dinheiro em 2020 para estruturar hospitais e montar os famosos hospitais de campanha, pois bem, semana passada o ministro Rogério Marinho, afirmou que o dinheiro mandado pelo governo Bolsonaro dava para abrir 4.500 leitos de UTI. Agora a pergunta é: aonde estão esses leitos?

EXEMPLO A SER SEGUINDO

Na Paraíba, a espera de leitos de UTIs foram zeradas, pois novos leitos foram implantados. Uma medida simples, mas que não é adotado pelo governo Fátima, que agride a dignidade humana, fazendo com que as pessoas se humilhem atrás de eleitos de UTI.

TRATADOS COMO CRIMINOSOS

Várias lojas estão decretando falência uma atrás da outra. Existem aqueles que por falta de opção abrem para tentar ganhar alguma coisa, para cobrir um cheque, pagar um fornecedor ou até mesmo tentar colocar a sua folha em dia, mas, são tradados como criminosos pelos agentes de segurança da governadora.

PACTO PELA VIDA 

Esse pacto pela vida é uma piada mórbida, pois o que estamos vendo é um verdadeiro pacto pela morte de empresa e de empregos. Governadora, a senhora está afundando a economia do nosso Estado, fazendo várias crianças passarem fome, a senhora está matando o sonho de muitas pessoas e transformando o RN em um caos generalizado. O nosso Estado vai superar o Coronavírus, mas dificilmente vai sobreviver ao seu governo.

Policiais civis da Delegacia Municipal de Macaíba localizaram, neste domingo (28), uma granja utilizada como desmanche e um terreno onde havia um “cemitério” de veículos, ambos na zona rural de Macaíba. Durante as diligências, nove pessoas foram presas e diversas peças de veículos com registro de roubo e suspeita de adulteração foram apreendidas.

As diligências foram iniciadas na manhã de domingo (28), após informação repassada pela Delegacia de Plantão de Caicó sobre um caminhão trator, com registro de furto, que estaria circulando em Macaíba. Após investigações, os policiais constataram que o veículo teria seguido na BR-304, sentido Mossoró, e entrado em uma estrada nas proximidades do distrito de Lagoa do Lima, na zona rural de Macaíba.

Os policiais se dirigiram à granja de Ailton de Medeiros, conhecido como “Ailton da Sucata” e  “O Rei do 4×4”, em Lagoa do Lima, em virtude da suspeita de seu envolvimento na ocorrência, por ele já ser alvo de investigação da DM de Macaíba. No imóvel, eles encontraram o veículo saindo da granja, o qual já estava desacoplado – caminhão trator e carreta.

A equipe seguiu o veículo e o encontrou no “Mercado de Joel”, momento em que foi realizada a abordagem dos ocupantes. Dentro do caminhão, estavam um irmão de Ailton, Milton de Menezes, e Luciano Fernandes do Nascimento, os quais foram presos por receptação qualificada e associação. Em seguida, Joel Carlos Nogueira chegou ao local e também foi detido, em virtude de ter sido encontrada uma espingarda irregular em seu estabelecimento.

Após solicitarem apoio de outras equipes de policiais civis, foi realizada a abordagem na granja de “Ailton da Sucata”, onde foram detidas seis pessoas e alguns suspeitos fugiram do local. Os policiais constataram que o local se tratava de um ponto de desmanche de veículos, porém, de imediato, não foram encontrados sinais identificadores em razão terem sido destruídos. Inicialmente, foram localizados o caminhão, um motor de um veículo modelo Pajero Daker, e peças de um carro do tipo SPRINTER.

A Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV), que também investigava o grupo criminoso, foi chamada ao local, e, em diligências realizadas no interior da granja e nas proximidades do imóvel, as equipes encontraram um “cemitério de veículos”, onde estava parte dos sinais identificadores retirados das peças de veículos localizados na granja.

A Polícia Militar também foi chamada ao local e efetuou o isolamento dos imóveis, para a realização da perícia pelo Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP), que junto com a DEPROV e Polícia Rodoviária Federal (PRF), identificou, até o momento, nove veículos com registro de roubo/furto, entre as peças encontradas.

Ao total, foram recuperados nove veículos e apreendidas uma espingarda calibre 22 e nove munições calibre 20. Durante a ação, 11 pessoas foram conduzidas à delegacia e nove foram autuadas em flagrante por receptação qualificada, adulteração de sinais identificadores de veículo e associação criminosa armada. Duas pessoas também foram autuadas por posse ilegal de arma de fogo.

Fonte: Portal Grande Ponto