Macaíba: Homem narra o desespero de amigos e familiares quando a casa onde estava foi invadida durante a guerra de facções

EM CONVERSA COM A EQUIPE DO ATITUDE, UM HOMEM NARROU O DESESPERO DE ESTAR NO MEIO DO FOGO CRUZADO ENTRE DUAS FACÇÕES

“Era duas horas da manhã, estávamos bebendo, eu, minha esposa, minha cunhada e um grupo de amigos, quando de repente começou a gritaria, junto com ela uma troca de tiros que parecia que não ia acabar mais. Ficamos todos deitados no chão, rezando para que tudo aquilo passasse, pois no meu pensamento todos éramos trabalhadores, então, isso era apenas uma guerra entre duas facções, que não iriam nos envolver.”

BANDIDOS FORÇAM O PORTÃO 

Em meio a intensa troca de tiros, escutamos o portão dos fundos sendo forçado. Nesse momento, o desespero foi generalizado, pois não sabíamos se permanecíamos na casa ou saímos em meio aos tiros.

O MEDO FALOU MAIS ALTO

Quando vimos que o portão não ia mais aguentar e sentimos que os tiros haviam diminuído, resolvemos sair pelo portão da frente, em meio ao desespero, saímos batendo na porta dos vizinhos, onde uma abriu o portão e acolheu minha cunhada e minha esposa.  Quando íamos correndo para essa casa para nós abrigarmos também, começou uma nova sequência de disparos, todos nós nos jogamos no chão. Enquanto isso, a casa que estávamos foi invadida e incendiada por criminosos. Não deixo de me perguntar o que teria acontecido se tivéssemos permanecido na casa.

NO MEIO DO FOGO CRUZADO

Ficamos mais de 40 minutos no meio do fogo cruzado. Dava para sentir o reboco da parede cair em cada disparo que a atingia, mas pesar de tudo estávamos calmos, mas rezando para não sermos identificados.

SALVAÇÃO

Quando já não dava para controlar o desespero, ouvimos as sirenes da salvação, eram várias viaturas que chegaram logo colocado ordem na casa. Mas até mesmo a polícia preciso de mais 20 minutos para assumir o controle da situação.

 A FICHA CAIU

Ao chegar em casa e ver minha filha, eu e minha esposa caímos no choro. Foi aí que eu percebi que a ficha tinha caído, que hoje poderíamos não estar aqui ao lado dela. Nós a abraçamos com tanta força, que ela não compreendia o que estava acontecendo. Eu só dizia a ela o quanto a amávamos e que estava tudo bem.

INSEGURANÇA

Macaíba vive um drama terrível na era da segurança. São bandidos desfilando com armas, toque de recolher em algumas comunidades e uma intensa guerra de facções em busca de território, além de vários assaltos na zona urbana e rural da cidade.