Coronavírus: Em carta, 300 médicos do RN defendem tratamento que “pode salvar vidas” Fonte: Portal Grande Ponto

Cerca de 300 médicos do Rio Grande do Norte assinaram uma carta à população em que recomendam a busca por atendimento aos primeiros sintomas da Covid-19, doença que já matou mais de 70 mil pessoas em todo o Brasil. Eles afirmam que o tratamento precoce “pode salvar vidas” e que “emprega medicamentos antigos e seguros”.

“Não fique em casa esperando a falta de ar! Essa doença tem alternativas terapêuticas e elas devem ser iniciadas o mais precocemente possível!”, diz trecho da carta.

Os médicos também manifestam apoio aos protocolos de tratamento precoce e prevenção da Covid-19 do Ministério da Saúde, do Conselho Regional de Medicina do RN (CREMERN) e da Prefeitura Municipal do Natal (PMN), esta que tem feito uso de medicamentos como Ivermectina e Azitromicina, entre outros, para tratamento e prevenção da doença.

A carta é assinada por médicos de diversas especialidades que trabalham em unidades básicas, ambulatórios, consultórios, enfermarias, UTIs e unidades de emergências. “Estamos convictos da necessidade de tratamento nas fases iniciais da COVID19, considerando a gravidade e a incerteza da evolução dessa doença e do seu forte impacto nos sistemas de saúde do mundo inteiro”.

Leia a carta na íntegra:

Abaixo-Assinado de Médicos do RN

Carta à população

Aos primeiros sintomas da COVID19, procure um serviço de saúde, não fique em casa esperando a falta de ar! Essa doença tem alternativas terapêuticas e elas devem ser iniciadas o mais precocemente possível!

Frente à pandemia da COVID19 e em respeito à vida dos nossos pacientes, nós médicos abaixo relacionados informamos à população do RN que apoiamos os protocolos de tratamento precoce e prevenção da COVID19 do Ministério da Saúde, do CREMERN e da PMN.

Defendemos o tratamento precoce baseado na compreensão dos fenômenos fisiopatológicos que ocorrem na doença e em vários trabalhos científicos que demonstraram melhores resultados em pacientes que usaram medicamentos nas fases iniciais da COVID19.

Somos médicos de diversas especialidades que trabalham em unidades básicas, ambulatórios, consultórios, enfermarias, UTIs e unidades de emergências. Estamos convictos da necessidade de tratamento nas fases iniciais da COVID19, considerando a gravidade e a incerteza da evolução dessa doença e do seu forte impacto nos sistemas de saúde do mundo inteiro.

Milhares de médicos têm observado que tratar a COVID19 logo no início pode evitar a necessidade de internação, de intubação e ventilação mecânica e, consequentemente, diminuir o risco de morte. Estas observações têm se repetido em países europeus, em vários estados do Brasil e aqui entre nós.

O tratamento precoce pode salvar vidas, emprega medicamentos antigos e seguros, é simples e acessível a todos! Reconhecemos a importância da medicina baseada em evidências, mas diante de uma doença aguda, pandêmica e devastadora como a COVID19, não podemos esperar os resultados de estudos científicos robustos, pois eles são demorados e complexos de realizar.

Vivemos um momento inédito na medicina moderna, que exige de nós prudência e atitudes assertivas! Portanto, nossa proposta baseia-se em estudos clínicos observacionais, no conhecimento fisiopatológico da COVID19, na farmacologia e nos estudos in vitro dos medicamentos propostos, no bom senso e nos princípios da benevolência e da não maleficência, que devem guiar sempre a boa prática médica!

Lembramos que a prescrição é um ato médico e, portanto, desestimulamos fortemente a automedicação.

Fonte: Portal Grande Ponto