Fátima tenta evitar sua queda livre e antecipa 13º de forma inesperada

A 45 dias da realização das eleições municipais, a governadora Fátima Bezerra anuncia, de forma surpreendente e inesperada, que vai pagar um adiantamento de 40 por cento do décimo-terceiro salário e que determinou à equipe econômica que estude forma de pagar as últimas duas folhas deixadas pelo governo do seu antecessor.

As medidas, apesar de atrativas e necessárias, tem forte conotação eleitoral.

O governo de Fátima Bezerra anda mal das pernas e os altos índices de rejeição ameaçam se cristalizar.

Nos últimos 70 dias, o Blog do BG publicou 22 pesquisas eleitorais, realizadas com parceiros em 21 municípios de todas as regiões do estado.

Em apenas uma delas, feita em São Gonçalo do Amarante, os índices de aprovação superam os de desaprovação e, mesmo assim, em situação de empate técnico. Nas demais pesquisas, a surra é grande.

Os candidatos que tem o apoio da governadora estão mal posicionados, principalmente nas três maiores cidades do estado. Em Natal, onde o PT de Fátima Bezerra lançou o nome do senador Jean Paul Prates, agora só JEAN, suplente de Fátima até o fim de 2018, o petismo pode vir a sofrer um revés muito grande, o fiasco é proeminente.

A decisão da governadora de antecipar parte do décimo-terceiro em outubro e tentar viabilizar o pagamento das últimas duas folhas deixadas por Robinson Faria é louvável. Afinal, com as medidas que anunciou, Fátima vai agradar aos servidores públicos, onde está parte de sua base eleitoral e faz esses próprios servidores esqueceram a pancada das alicotas da reforma da previdência estadual. A decisão obviamente terá retorno positivo de mídia, mas o segmento dos servidores por si só não vai alterar o atual cenário eleitoral bastante negativo para a governadora, só solidifica cada vez mais a governadora governando para os seus.

BG