Em São Gonçalo do Amarante, homens ligados a mortes de PMs são executados

Dois homens foram retirados de suas casas e executados, na madrugada desta sexta-feira, 15/11, na cidade de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal. Eles foram identificados como Fábio Campos do Nascimento, 21 anos; e Ezequiel de Souza da Cruz, 23 anos. Os dois foram mortos na esquina que liga as ruas João Ângelo com Francisca Lins Rodrigues, no bairro Novo Santo Antônio. De acordo com informações colhidas na área, os autores dos assassinatos chegaram usando um veículo escuro. Fábio e Ezequiel foram mortos com tiros na cabeça. As duas vítimas haviam sido pressas em flagrante em abril deste ano, apresentados juntamente com um adolescente que teria confessado a morte de dois policiais. Na época, foi informado que um desses PMs seria João Maria Figueiredo da Silva, integrante do Policiais Antifascismo e segurança da governadora Fátima Bezerra (PT). A outra vítima seria Helton Cabral da Silva, sargento reformado em 2018. Figueiredo, como era conhecido, foi morto em 21 de dezembro de 2018 quando passava de moto por uma estrada de terra que fica por trás de um motel, praticamente no limite entre Natal e São Gonçalo. Figueiredo foi morto na sexta-feira (21) quando passava por uma estrada carroçável que fica próxima à BR-101, por trás de um motel. Ele foi atingido por pelo menos cinco tiros. O cabo da Polícia Militar foi o 26º agente de segurança morto no Rio Grande do Norte em 2018.

Já o sargento da reserva Helton Cabral da Silva, de 42 anos, foi morto a tiros em São Gonçalo do Amarante, dia 8 de abril de 2018. Ele estava numa cigarreira quando foi executado juntamente com o comerciante Flaviano Martins da Silva, de 32 anos.

PM Figueiredo, que fez parte da segurança de Fátima Bezerra, atual governadora do RN, foi assassinado em 21 de dezembro de 2018

Dupla foi denunciada por crime “impossível”, registrou juiz

Os dois homens executados nesta sexta-feira, 15/11, foram denunciados em maio de 2019 pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo; formação de quadrilha e corrupção de menores. O caso ficou concluso para sentença dia 20 de setembro deste ano.

Dia 30 de setembro o juiz Odinei Draeger absolveu eles de todas as acusações e determinou a expedição do alvará de soltura para ambos. A decisão foi dada com base em depoimentos dos dois adultos e dois adolescentes que foram apreendidos em abril de 2019.

“As armas encontradas ao serem submetidas a perícia técnica demonstraram-se ineficazes para a produção de disparos, sem qualquer potencial lesivo, desta forma não podendo ser enquadrada no conceito técnico de arma de fogo, portanto tratando-se de crime impossível”, explicou o juiz, com relação ao crime de porte ilegal.