Em discurso franco Biden busca reforçar ideia de Rússia isolada - Informativo Atitude

Em discurso franco Biden busca reforçar ideia de Rússia isolada

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou, nesta terça-feira (1º), em seu primeiro discurso sobre o Estado da União, o fechamento do espaço aéreo do país para a Rússia.

“Esta noite estou anunciando que nos juntaremos aos nossos aliados para fechar o espaço aéreo americano para todos os voos russos – isolando ainda mais a Rússia – e adicionando um aperto adicional – em sua economia. O rublo perdeu 30% de seu valor”, afirmou Biden.

Segundo Biden, as forças dos EUA não estão indo à Europa para lutar na guerra da Ucrânia, mas sim defender os aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), caso o presidente russo, Vladimir Putin, decida avançar para o Oeste.

“Para esse fim, mobilizamos forças terrestres americanas, esquadrões aéreos e desdobramentos de navios para proteger os países da Otan, incluindo Polônia, Romênia, Letônia, Lituânia e Estônia”, declarou.

É destacado pelo presidente norte-americano a união de líderes e a unificação da Europa e do Ocidente em torno da questão. “Na batalha entre democracia e autocracia, as democracias estão crescendo até o momento, e o mundo está claramente escolhendo o lado da paz e da segurança.”

Em novo vídeo, o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky afirmou que “a Rússia quer acabar com nosso país e nossa história”. “O Kremlin não vai tomar nosso país com bombas e ataque aéreos”, declarou Zelesnky. Ainda segundo o líder ucraniano, cerca de 6 mil soldados russos foram mortos desde o início da invasão.

O Ministério da Defesa da Rússia afirmou nesta quarta-feira (2) que as forças russas capturaram a cidade de Kherson, no sul da Ucrânia. Na terça-feira (1º), veículos militares russos foram vistos no lado leste da cidade após dias de bombardeios e intensos combates.

Segundo a Organização das Nações Unidas, pelo menos 136 pessoas, entre elas 13 crianças, já morrerram na ucrânia desde a última quinta-feira (24/2). Além disso, outros 400 civis já ficaram feridos em meio ao conflito.

“Estes são os dados que conseguimos checar, mas o número real deve ser muito maior”, disse a porta-voz da Comissão de Direitos Humanos da ONU.

Segundo o governador da região de Kharkiv, no leste da Ucrânia, pelo menos 21 pessoas morreram e 112 ficaram feridas em um bombardeio nesta quarta. As autoridades ucranianas afirmaram que mísseis russos atingiram áreas residenciais e prédios da admnistração no centro da cidade.

O vice-ministro do Interior da Polônia disse que mais de 450 mil pessoas vindas da Ucrânia já entraram no país desde que a invasão russa começou.

CNN Brasil