DETRAN rechaça proposta do Governo e decide continuar em greve - Informativo Atitude

DETRAN rechaça proposta do Governo e decide continuar em greve

Os trabalhadores do DETRAN-RN consideraram insuficiente a proposta apresentada pelo Governo do Estado e por isso decidiram continuar em greve. A deliberação foi tratada em Assembleia virtual na última sexta-feira (24/09). Na ocasião, foi avaliado o resultado da audiência entre o SINAI-RN e a direção da autarquia ocorrida em 22 de setembro.

Após muita discussão, a Assembleia aprovou uma contraposta que prevê o pagamento dos valores da tabela do PCCR em duas parcelas, sendo a primeira em janeiro de 2022 – quando os efeitos financeiros do PCCR serão incorporados – e a segunda em dezembro do mesmo ano. A ideia será encaminhada pelo sindicato ao Executivo.

Sobre a realização do Concurso Público, a categoria aguarda o recebimento das datas referentes ao cronograma apresentado pela direção da Autarquia.

A categoria ainda decidiu realizar uma caravana ao município de Mossoró nesta terça, 28 de setembro, tendo em vista que a cidade será sede temporária do Governo estadual entre os dias 28 e 30/09.

Proposta rejeitada

A proposta apresentada pela direção do DETRAN-RN ao SINAI e discutida durante Assembleia aponta que as perdas salariais acumuladas pela categoria – perdas avaliadas pelo Governo em 15% – serão repostas a partir da atualização do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), sem considerar a inflação do ano em curso. Todavia, os trabalhadores reivindicam a reposição das perdas acumuladas de 2016 para cá e, conforme levantamento do Sindicato, essas perdas chegam a 26%.

Governo

Nesta segunda-feira (07), o Governo do Estado soltou uma nota afirmando que continua com diálogo aberto com representantes dos servidores do Detran/RN. Segundo o governo, as cláusulas sociais já foram acordadas, ficando pendentes as econômicas. Porém, a categoria decidiu paralisar as atividades no início de setembro enquanto negociava a pauta de reivindicações.

A gestão estadual diz ainda que os servidores e o Governo já haviam chegado a acordo no que diz respeito às cláusulas sociais da pauta de reivindicações que englobava nove itens, dentre os quais: inclusão do termo “trânsito” na nomenclatura dos cargos efetivos do Detran, modelo de avaliação do servidor com objetivo de promoção na carreira e manutenção do plano de saúde.

A realização do concurso público para o órgão, que também é uma reivindicação da categoria anteriormente atendida pelo Governo, está com processo em tramitação. O certame já tem estudo de necessidade, a Secretaria de Administração apresentou impacto financeiro e agora será analisado pelo Comitê de Gestão.

A negociação com os servidores vem se dando sob a coordenação do diretor-geral do Detran, Jonielson Oliveira, da secretária de Administração, Virgínia Ferreira, sob a orientação da governadora Fátima Bezerra e acompanhada pelo secretário-chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves.

Com relação ao reajuste salarial, que o Governo considera justa, porém existe o impedimento orçamentário, os servidores comunicaram ao Governo nesta segunda-feira (27) que rejeitam a proposta de reajuste salarial linear de 15,53%, correspondente à inflação acumulada dos anos de 2017 a 2020. Eles pedem reposição de 104% para servidores de níveis fundamental e médio e 43% para os de nível superior.

Segundo Jonielson Oliveira, o Governo tem mantido o diálogo aberto com a categoria e espera que o bom senso prevaleça e que sejam mantidas as negociações por parte da categoria.

Fonte: Portal Grande Ponto