Copa Quilombola: Quem conquistará o título inédito?

No próximo sábado (14), a resposta será dada a partir das 15h, no campo do Bangu, na comunidade negra de Capoeiras. Representando Macaíba e a própria Capoeiras está o Boca Juniors que venceu o São Paulo, no último sábado (07), pelo placar de 2 a 0 e garantiu vaga na finalíssima. O time é formado basicamente por jovens da maior comunidade de remanescentes do RN e quer o título para fazer a festa diante de sua torcida e em sua localidade. O Boca foi a única equipe a chegar à final da competição ganhando os adversários nos 90 minutos.

Do outro lado está o Cruzeiro representando o município de Vera Cruz. O time do distrito do Sítio Santa Cruz, ao longo da Copa, despachou adversários favoritos e quer levar o título para a “Terra da Farinha”. Duelo de culturas. A final da Copa vai além do futebol raiz, ela coloca em campo duas comunidades reconhecidas por sua importância histórica, cultural e econômica para suas respetivas regiões. Capoeiras tem suas raízes fincadas diretamente nas tradições africanas com sua arte, a dança, a culinária e os costumes de sua gente.

A localidade do Sítio Santa Cruz, de onde vem o Cruzeiro, além de ser reconhecida por sua forte economia baseada na produção de mandioca e seus derivados, tem uma relação fortíssima com a cultura popular nordestina. O Sitio Santa Cruz é detentor de um dos mais famosos grupos de Bois de Reis do RN. Comandado pelo mestre Zé de Moura (in memoriam), o grupo foi responsável por manter viva, por décadas, a identidade e a cultura popular nordestina pela região agreste potiguar. Por estas razões, no próximo sábado (14), a decisão da 1ª Copa Quilombola vai muito além de uma partida de futebol, o que sempre foi o objetivo principal da organização do certame.