Analise: Liga Francesa aguarda imagens de ato racista, e Neymar pode ficar fora de 7 jogos

A liga francesa de futebol vai decidir hoje (16) qual será a punição do caso de racismo denunciado por Neymar no final de semana. O brasileiro do Paris Saint-Germain acusa o espanhol Álvaro González, do Olympique de Marselha, de tê-lo chamado de “macaco” no clássico entre os times. Para tomar a decisão, no entanto, o Comitê Disciplinar ainda busca imagens nas quais fique clara a ofensa racista.

O entendimento da liga francesa é que a acusação de Neymar precisa de provas. A entidade ainda não se posicionou de forma oficial, a despeito de toda a repercussão da denúncia feita pelo brasileiro. O julgamento do caso pode nem mesmo acontecer. Em um clássico marcado também por cinco expulsões, Neymar ainda será julgado pelo tapa na cabeça em Álvaro no fim do jogo.

O brasileiro tem pena mínima prevista de dois jogos, por ter recebido cartão vermelho diretamente. Ela ainda pode ser ampliada até sete partidas de suspensão caso a análise seja de comportamento violento. “Nós estamos preocupados com essa decisão [o julgamento de Neymar]. Muito preocupados, pois não sei se o contexto do jogo vai ser levado em consideração. Nós estamos nervosos sobre que decisão da liga pode tomar sobre as punições. Isso é claro”, disse o treinador do PSG, Thomas Tuchel, ontem (15). O caso de racismo denunciado por Neymar não aparece nas imagens.da transmissão oficial da partida na França, feita pelo canal Telefoot.

A discussão com Álvaro acontece em parte dela com o espanhol de costas para as câmeras. O zagueiro do Marselha diz ser inocente, sendo retrucado por Neymar. “Você não é homem de assumir teu erro, perder faz parte do esporte. Agora insultar e trazer o racismo pra nossas vidas não, eu não estou de acordo. Eu não te respeito! Você não tem caráter! Assume o que tu fala, mermão … seja homem, rapá! Racista”, comentou Neymar em um post do espanhol no Instagram.

Em uma tentativa de aliviar o cenário de punição a Neymar, o PSG contratou uma equipe de peritos em leitura labial para análise das imagens das transmissões da Bein Sports, uma das detentoras dos direitos do Campeonato Francês. O clube já saiu em defesa do brasileiro em um posicionamento oficial. “O Paris Saint-Germain apoia fortemente Neymar Jr., que revelou ter sido vítima de insultos racistas de um jogador adversário. O Paris Saint-Germain lembra que não há lugar para o racismo no futebol, na sociedade ou nas nossas vidas, e encoraja todos a se manifestar contra todas as formas de racismo no mundo inteiro”, comunicou o clube.