Por mais dura a reforma, será paliativa

 

Aumentar a alíquota da contribuição previdenciária de 11% para 14% só diminui o déficit previdenciária em 35%. Hoje, o rombo nas contas do governo é de R$ 130 milhões mês, com a reforma cai para uns R$ 85 milhões. Ou seja, a reforma será paliativa, pode durar uns 6 a 8 anos até a necessidade de outra reforma. Na nacional, isso ocorre em 10 anos.
Tudo por causa de um sistema viciado que aposenta servidores com 47/50 anos. O que é um absurdo.
No Brasil não fizeram a reforma necessária, aqui não será diferente. Vão só empurrar com a barriga algo que já entrou em colapso. O pior, os servidores que são contra hoje, serão as vítimas de amanhã, porque o Estado ficará inadimplentes com eles. Na verdade, o Estado já deve três meses de salários, a tendência é aumentar.
Ser contra a reforma de Fátima é dar um tiro no pé.
Antes que digam que me vendi, Fátima não tem preparo para administrar um carrinho de pipoca, vai fazer isso por pura necessidade de sobrevivência financeira do Estado e vai gastar o seu capital político. O erro dela foi ter mentido um ano, era para ter feito no 1° dia de governo.