Emater-RN prorroga inscrições para o Programa de Aquisição de Alimentos

O Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Norte (Emater-RN) prorrogou as inscrições para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA Leite). O novo prazo – que agora se estende até o dia 11 de outubro – foi publicado na edição desta sexta-feira (27) no Diário Oficial do Estado. Os editais estão disponíveis no site da Emater (clique AQUI).

O PAA Leite é fruto de um convênio celebrado entre a Emater e o Governo Federal. O objetivo é promover a agricultura familiar, a agropecuária e a política de assistência social do Rio Grande do Norte por meio do desenvolvimento da cadeia produtiva do leite bovino.

Informações do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA Leite) executado em 2018

  • Investimento do programa R$ 4.644.651,51
  • Litros de leite adquiridos: 2.243.793
  • Entidades que participaram: 639
  • Agricultores familiares cadastrados: 308
  • Empresas de laticínios cadastradas: 7

Diretor-geral da Emater-RN, Cesar Oliveira destaca que a ação atua fortemente para recuperar e fortalecer a atividade pecuária no estado, integrando os pequenos produtores. “Além disso, quanto mais o agricultor diversificar suas fontes de renda, melhor será para ele e sua família”, acrescenta.

Os agricultores familiares portadores da Declaração de Aptidão ao PRONAF (DAP) interessados em participar da seleção, podem obter informações pelo telefone (84) 3232-2210, ou diretamente nos escritórios locais ou regionais da instituição, das 8h às 12h (exceto sábados, domingos e feriados), e apresentar os documentos abaixo relacionados:

  • Cópia da Declaração de Aptidão ao PRONAF – DAP – válida
  • Cópia do RG e CPF do produtor
  • Proposta de Comercialização
  • Ficha sanitária do IDIARN

PAA Leite

O PAA Leite é a modalidade por meio do qual o Governo Federal compra o leite produzido por cooperativas ou associações da agricultura familiar e/ou de agricultores individuais que, após beneficiamento, é doado gratuitamente a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e àquelas atendidas pela rede socioassistencial, como os centro de referência de assistência social (CRAS), e pelos equipamentos de alimentação e nutrição, como os restaurantes populares, bancos de alimentos e cozinhas comunitárias.