Brasil cria 131.010 empregos em julho e quebra série de 4 meses negativos. RN tem o segundo mês seguido de saldo positivo

O Brasil em julho a contratação líquida de 131.010 trabalhadores com carteira assinada. Foram 1.043.650 admissões contra 912.640 desligamentos no período. Os dados constam do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e foram divulgados nesta 6ª feira (21.ago.2020) pelo Ministério da Economia.

Houve saldo positivo de contratações em 24 das 27 unidades da Federação. Julho interrompe uma sequência de 4 meses consecutivos de queda nos postos de trabalho com carteira assinada.

Os dados oficiais também apontam que esse foi o melhor resultado para o mês desde 2012, quando foi registrado a contratação de 142.496 trabalhadores com carteira assinada.

O resultado veio acima das estimadas dos operadores de mercado consultados pelo Poder360.

Setores

A criação de novos empregos foi maior no setor industrial, seguido pelo de construção. Já a categoria de serviços foi a que apresentou menor saldo na comparação com o mês anterior. O saldo é calculado pela quantidade de contratações subtraídas do total de número de demissões.

Eis os saldos registrados em cada categoria:

  • Indústria: 53.590 empregos;
  • Construção: 41.986 empregos;
  • Comércio: 28.383 empregos;
  • Agropecuário: 23.087 empregos;
  • Serviços: -15.948. Em junho, esse número foi de -50.345.

A região Sudeste foi a que mais abriu vagas em julho, com 34.157 pessoas contratadas. Em seguida, as regiões Nordeste (22.664), Sul (20.128), Centro-Oeste (14.084) e Norte (13.297).

O ministro Paulo Guedes (Economia) comentou os resultados durante live realizada nesta 6ª feira. “Temos uma notícia extraordinária. Criamos liquidamente 130 mil empregos”, afirmou.

O RN teve o segundo mês seguido de saldo, em junho tivemos um saldo posivito de 1.550 contratações a mais e em julho de 1.161.