Ainda tentando enveredar pelo socialismo


“Nós lutamos no plano nacional contra a reforma da maneira como foi concebida e aprovada. Mas perdemos no Congresso, fomos derrotados. A função que ocupo hoje com muito orgulho, de governadora de todos os potiguares, não me permite escolhas.

Eu sou obrigada a cumprir a lei. Há muita desinformação em torno desse assunto, mas precisamos esclarecer as pessoas: a reforma é obrigatória, é necessária. O que está ao nosso alcance para amenizá-la (como diminuir o impacto nos salários menores de ativos e inativos) nosso Governo está fazendo”, acrescentou a governadora.

Fátima só  se esqueceu de falar que o estado está falido, e que o modelo atual de previdência não funciona, pois ele não se sustenta. A governadora se esqueceu também de frisar que dentro de poucos anos o estado teria que para tudo, apenas para pagar a folha.