O aposentado Raimundo Mariano Barreto, de 65 anos de idade. que tentou matar o filho na última sexta feira, 31 de janeiro na cidade de Ipanguaçu, região Oeste Potiguar, e que durante a ação criminosa, saiu baleado, morreu na tarde deste sábado (01), no hospital Tarcísio Maia em Mossoró.

Segundo informações o filho dele (nome não informado) estava em um estabelecimento comercial, quando foi surpreendido pelo pai que chegou, sacou uma arma e atirou em sua direção. Um policial que estava no local precisou efetuar disparos, numa forma de conter Raimundo e evitar uma tragédia, mas acabou acertando o idoso, que foi socorrido para o hospital da cidade e depois transferido para o HRTM em Mossoró.

Na tarde de sábado (1) o aposentado apresentou complicações no quadro clínico e acabou morrendo no hospital. O corpo de Raimundo Mariano foi examinado no Instituto Médico Legal do Itep e depois da necropsia foi liberado parado.

Não há até o momento informações sobre os motivos que levaram o pai a tentar matar o próprio filho. O delegado de Ipanguaçu, Luiz Antônio, vai conduzir as investigações.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Após cerca de uma hora de reunião com o presidente Jair Bolsonaro nesta manhã, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que o trabalho na pasta continuará normalmente. Ele descartou saída do ministério para outra função no governo e disse que a saída de Vicente Santini, ex-secretário executivo da pasta demitido por Bolsonaro à sua revelia, já é “pagina virada”. As informações são do Estadão Conteúdo.

“Tive uma reunião de trabalho com o presidente Bolsonaro e as coisas continuam no seu curso normal. Não conversamos sobre mudança na Casa Civil, falamos sobre a rotina normal no Ministério”, disse Onyx a jornalistas, ao sair do Palácio da Alvorada.

O pequeno Miguel Felipe da Silva Costa de apenas 2 anos de idade, foi vítima de uma fatalidade na tarde desta sexta feira 31 de janeiro de 2020, na cidade de Governador Dix Sept Rosado, região Oeste Potiguar.

Ele foi encontrado pelos familiares, afogado dentro de uma cisterna em sua residência, já sem vida. Desesperados os familiares levaram o garoto para o hospital da cidade, mas sem êxito

O corpo de Miguel Felipe foi encaminhado por uma funerária para o Instituto Médico Legal da unidade regional do ITEP em Mossoró, onde foi examinado pelo médico legista e liberado para os familiares. Lamentável.

Redação

O ministro da Economia, Paulo Guedes, articula o nome de Rogério Marinho para substituir Onyx Lorenzoni como ministro-chefe da Casa Civil. A informação é da revista Veja.

Com a mudança, Marinho passaria a ser responsável pela articulação política de todo o governo. O que seria bem visto por Guedes, que entende que os processos para privatizar estatais será melhor conduzido sob seu ministério — sem a influência política de Lorenzoni.

Marinho é o atual secretário da Previdência Social.

Em um dia marcado por forte volatilidade no mercado financeiro, o dólar voltou a subir e fechou no maior valor nominal desde a criação do real. O dólar comercial encerrou a sexta-feira (31) vendido a R$ 4,286, com alta de R$ 0,027 (0,63%).

Foi a terceira sessão seguida de alta da moeda norte-americana, que encerrou janeiro com valorização de 6,8% em relação ao real. Essa foi a maior alta para meses de janeiro em dez anos. A divisa sobe há cinco semanas seguidas. O euro comercial também subiu e fechou o dia em R$ 4,753, alta de 1,5%.

 

Ainda dentro da entrevista ao Meio Dia RN com BG, na 96FM, a deputada federal Natália Bonavides, do PT, criticou alguns pontos da reforma da previdência proposta pela gestão da governadora Fátima Bezerra. A parlamentar, contudo, ponderou que alguns da reforma são obrigatoriedade por exigência da legislação federal.

Entre os pontos apresentados está a taxação de inativos para que eles possam contribuir também para a previdência. Ela lembrou que a reforma não vai equacionar as contas e resolver o problema previdenciário estadual que, a cada ano, aumenta a necessidade de retirar recursos do orçamento para cobrir o rombo previdenciário.

“Taxação de inativos tem que ser revista, tem que ser debatida. Os servidores estão pagando pelos erros de outras gestões. Essa reforma não vai terminar a discussão, porque a proposta de economia que ela traz, não equaciona o problema real que é a desproporção entre inativo e ativo. Não tem nenhuma condição de ter menos gente trabalhando e contribuindo do que a quantidade de gente aposentada. Eu sou contra a retirar direitos dos trabalhadores.

Informativo Atitude:  Ela só não  respondeu como o estado vai pagar esses trabalhadores, essa é mais desorientada que cego em tiroteio, com um discurso ideológico sem eira nem beira.

Foto: Divulgação/Petrobras

A produção brasileira de petróleo e gás natural em 2019 foi de 3,559 milhões de barris equivalentes por dia, totalizando 1,299 bilhão de barris de óleo equivalente, com aumento de 8,1% em relação a 2018, informou nesta sexta-feira (31) a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Segundo a agência, o estado do Rio de Janeiro, onde estão localizados os campos de Lula e Búzios, vem crescendo sua participação na produção nacional. No ano passado, o estado foi o maior produtor de petróleo e gás natural, representando 71% do volume total produzido no país, 5,3% maior que em 2018, com uma produção de 2,528 milhões de barris equivalentes por dia.

Em seguida vem o estado de São Paulo, com participação de 11,5% na produção total: 409,77 mil barris equivalentes por dia. Segundo a ANP, o Espírito Santo foi o terceiro maior estado produtor, com uma produção de 333,68 mil barris equivalentes por dia, correspondendo a 9,4% da produção de petróleo e gás natural no país.

A produção total no pré-sal em 2019 foi de 2,183 milhões de barris equivalentes por dia, o que representa 61,3% da produção nacional. O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi o maior campo produtor e registrou média diária de 1,196 milhão de barris equivalentes por dia, sendo responsável por 33% de toda a produção nacional no ano.

De acordo com a ANP, os campos marítimos produziram 2,683 milhões de barris de petróleo por dia e 99,8 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, o que correspondeu a, respectivamente, 96,3% e 81,4% da produção nacional. Dos campos terrestres, foram extraídos 104,1 mil barris de petróleo por dia e 22,73 milhões de metros cúbicos de gás natural, o que corresponde a uma redução de 6,53% de petróleo e um aumento de 3,56% de gás natural, em relação à produção terrestre do ano anterior, informou a agência.

Dezembro

Em dezembro de 2019, a produção de petróleo foi de 3,107 milhões de barris equivalentes por dia, superando em 0,5% o recorde registrado no mês anterior e em 15,4% a produção de dezembro de 2018. Segundo a ANP, a produção de gás natural também ultrapassou o recorde do mês anterior, com aumento de 0,9% e alcançando a média de 138 milhões de metros cúbicos de gás natural. Em relação a dezembro de 2018, houve aumento de 21,2%.

Agência Brasil