A polícia encontrou o veículo de Alex Moura de Oliveira, de 30 anos, desaparecido desde terça-feira (15), quando foi levado por homens encapuzados em Mossoró, região Oeste do Rio Grande do Norte. O carro foi encontrado carbonizado. 
O veículo foi encontrado na manhã desta quinta-feira (17), em um matagal na zona rural do município. Ainda não há informações sobre o paradeiro de Alex Moura. 
Segundo familiares, Alex trabalhava como motorista de aplicativo. Por volta das 2h30 da madrugada da última terça-feira, cerca de quatro homens encapuzados invadiram a residência da vítima no Conjunto Odete Rosado, e o levaram junto com o veículo e outros pertences.
 
O caso está sendo investigado pela Delegacia de Furtos e Roubos. 
MOSSORÓ NOTICIAS
Uma adolescente de 17 anos foi apreendida na noite desta quarta-feira (16), com 500 gramas de crack na BR-304, em Mossoró, região Oeste do Rio Grande do Norte. 
Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a apreensão ocorreu durante uma abordagem no Km 57 da rodovia. A droga apreendida estava em posse de uma adolescente que apresentou nervosismo durante a abordagem. Após uma revista, a polícia localizou o material ilícito.
 
A jovem que é residente em Baraúna, não informou a origem da droga. A droga e a adolescente foram apresentadas na Delegacia de Plantão, para os procedimentos cabíveis.
MOSSORÓ NOTICIAS
Imagens divulgadas nos últimos dias mostram as difíceis condições enfrentadas por pacientes internados no Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), em Mossoró. As imagens mostram pacientes alojados nos corredores. Veja vídeo abaixo.
 
Os registros foram feitos e divulgados pelo coordenador estadual do Sindsaúde e funcionário do hospital, João Morais. Segundo o sindicalista, o hospital voltou a ter pacientes nos corredores após a implantação da “porta reguladora”. 
No mês passado, a diretora do HRTM, Herbênia Ferreira, chegou a comemorar o fim do problema das superlotações nos corredores da unidade, com a criação da porta reguladora, que encaminha pacientes para as UPAs e UBSs quando não se encaixam com a classificação de risco.
 
A superlotação denunciada pelo sindicalista teve início no último domingo (13). Segundo Herbência Ferreira, entre o domingo e hoje (17), houve uma grande entrada de pacientes que se encaixam dentro do atendimento de “risco” da unidade, como vítimas de acidentes, baleados e traumas graves. 
 
A falta de materiais também é uma das causas da superlotação. De acordo com Herbênia, alguns pacientes estão aguardando a chegada desses materiais para passar por cirurgias. A previsão é que esses materiais cheguem até a próxima semana. 
MOSSORÓ NOTICIAS

Duas jovens, uma de 19 e outra de 20 anos, foram presas na manhã desta quinta-feira, 17, suspeitas de assaltos na cidade de Macaíba, na Grande Natal. As duas, segundo a Polícia Civil, também são suspeitas de integrar um grupo intitulado “Bonde das Garotas do Crime”, do qual fazem parte namoradas e companheiras de bandidos que pertencem a uma facção criminosa.

Delegado de Macaíba, Cidórgeton Pinheiro disse ao Agora RN que as duas jovens foram presas preventivamente por força de ordens judiciais. “Elas são investigadas por pelo menos cinco assaltos cometidos aqui na cidade”, revelou o delegado.

Cidórgeton contou que os crimes foram cometidos com características semelhantes. “De moto, com a cara limpa, e sempre de armas em punho”, afirmou.

Os mandados foram cumpridos nas casas das duas suspeitas, que ficam no Centro e no bairro Alto da Raiz. Na primeira residência, os policiais se depararam com um rapaz que estava traficando drogas. Ele recebeu voz de prisão e também foi levado para a delegacia.

Já no segundo imóvel, os policiais também encontraram drogas e celulares. Os entorpecentes e os aparelhos foram apreendidos.

O delegado disse que outras jovens que também fazem parte do grupo já foram identificadas e que novas prisões devem acontecer em breve.

Pela quarta vez no ano, o Rio Grande do Norte encerrou um mês com saldo positivo na geração de empregos no mercado formal. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira, 17, pelo Ministério da Economia, o Estado registrou em setembro um saldo positivo de mais de 2,4 mil vagas de trabalho.

No mês passado, de acordo com o Caged, foram 13.344 admissões contra 10.859 demissões, totalizando um saldo de 2.485 empregos.

No Rio Grande do Norte, o saldo positivo foi puxado principalmente pela agricultura. O setor foi responsável pela expansão de 1.637 vagas no mercado formal, seguido pelo setor de serviços, que apresentou um saldo de 381 postos.

Em todo o País, o Brasil gerou 157.213 vagas de empregos formais em setembro. É o melhor setembro desde 2013, quando foi registrado resultado positivo de 211.068 vagas.

Pela primeira vez no ano, todas as 27 unidades da federação apresentaram resultado positivo na oferta de vagas formais de trabalho. Com o resultado de setembro, o Rio Grande do Norte tem, pela primeira vez, saldo positivo no ano. Com as novas contratações, agora o saldo é de 2.040 vagas abertas.

AGORA RN

Uma mulher de 36 anos foi encontrada morta dentro de casa na noite desta quarta-feira (16) em Angicos, na região Central potiguar. No local, policiais também acharam o companheiro dela, que estava inconsciente e foi socorrido ao hospital. O caso é investigado pela Polícia Civil.

O corpo de Witamara de Souza Cunha foi recolhido pelo Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep), mas a causa da morte dela ainda não foi confirmada de forma oficial. Inicialmente, a Polícia Civil afirmou que não havia marcas externas de violência no corpo dela.

Um homem foi encontrado desacordado ao lado do corpo de Witamara. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado ao hospital, onde se encontrava até a manhã desta quinta-civil (17), ainda de acordo com a Polícia Civil.

A Polícia Civil aguarda o laudo pericial para saber a causa da morte de Witamara.

G1

O corpo de um servidor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi encontrado dentro do auditório da Reitoria na manhã desta quinta-feira (17). De acordo com a assessoria de imprensa da instituição, José Aldo prestava serviço no auditório da instituição, responsável pelos eventos que acontecem no local.

Na noite desta quarta-feira (16), porém, o servidor não voltou para casa. A família entrou em contato com a UFRN e, ao abrir o auditório na manhã desta quinta, a equipe se deparou com o corpo do servidor no local de trabalho.

O Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) foi acionado e recolheu o corpo ao Hospital Giselda Trigueiro. A UFRN emitiu uma nota de pesar pelo falecimento do servidor.

“A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) informa, com pesar, o falecimento de José Aldo Correia, que prestava serviços no auditório da reitoria desde 1996. A UFRN se encontra tomando as providências devidas, ao mesmo tempo em que presta condolências e solidariedade aos familiares e amigos de José Aldo por esta perda inestimável”, diz a nota.

G1

O Corpo de Bombeiros do Ceará confirmou a quarta morte no desabamento do edifício Andréa, no Dionísio Torres, bairro nobre de Fortaleza. O corpo de um homem, ainda sem identificação, foi retirado dos escombros por volta das 6h40 desta quinta-feira (17). A queda do prédio deixou ainda sete feridos e outros sete desaparecidos.

Localizado na esquina das Ruas Tibúrcio Cavalcante e Tomás Acioli, o edifício residencial de sete andares desmoronou por volta das 10h15 de terça-feira (15). À noite, foi encontrado o primeiro corpo: do vendedor Frederick Santana dos Santos, de 30 anos, que estava em um mercado vizinho e acabou sendo atingido. Nesta quarta (16), o comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Ceará, o coronel Eduardo Holanda, confirmou mais duas mortes.

O Ministério Público do Ceará informou, em nota, que vai adotar todas as providências necessárias pra apurar as responsabilidades e evitar que casos como o do desabamento do Edifício Andréa voltem a ocorrer no Estado. Integrantes dos Núcleos de Investigação Criminal e Atendimento às Vítimas da Violência estão no local para acompanhar as investigações do desabamento e prestar apoio às pessoas resgatadas.

A Polícia Civil instaurou inquérito policial para investigar as circunstâncias do desabamento do Edifício Andrea. Testemunhas já foram ouvidas e as apurações estão em andamento. O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE), Emanuel Maia Mota, esclareceu que o edifício tinha ao menos 42 anos e as Anotações de Responsabilidade Técnica (ART) emitidas anteriormente eram, na maioria, para manutenção de elevadores.

OP9

Em apenas um ano, entre 2017 e 2018, cerca de 1,2 milhão de crianças e adolescentes desapareceram das declarações de IR (Imposto de Renda) captadas pela Receita Federal.

Levantamento feito pelo Fisco e obtido pela Folha mostra que o “sumiço” dos jovens coincide com um aumento nas exigências feitas pela Receita com o objetivo de tornar o processo mais rígido e inibir fraudes.

A inclusão de pessoas que dependem financeiramente do contribuinte na declaração anual de renda gera benefícios ao pagador de impostos.

No cálculo do ajuste anual do IR, quando a pessoa fica sabendo se tem direito a uma restituição de imposto ou se deverá pagar, pode ser deduzido um valor fixo de R$ 2.275,08 por dependente. Também são permitidas deduções adicionais de despesas médicas e de educação desses jovens.

Até 2017, a Receita exigia que as declarações incluíssem o número de CPF de dependentes com idade acima de 12 anos. Para os mais jovens, era necessário preencher apenas o nome e a idade.
Em 2018, essa exigência foi ampliada, passando a ser obrigatório o preenchimento do número do documento para os maiores de 8 anos.

Após a implementação da mudança, o total de dependentes declarados no país caiu de 25,5 milhões para 24,3 milhões, o que representa uma redução de quase 5%.

A maior parte dos jovens que deixaram de aparecer nos registros, quase 900 mil, estava exatamente na faixa entre 8 e 12 anos de idade, que passou a exigir os dados do CPF.

De acordo com o supervisor nacional do Imposto de Renda na Receita Federal, Joaquim Adir, a inclusão de dependentes de forma incorreta não significa que eventuais tentativas de fraude foram bem-sucedidas.

Segundo ele, a maior parte das informações erradas cai na malha fina e os contribuintes acabam retificando as declarações.

“O contribuinte que faz isso sabe do risco”, disse. “Claro que passa um ou outro, mas ao longo dos anos, a Receita segura o contribuinte na malha até ele ajustar. No final, [o impacto] acaba não sendo grande porque a Receita corre atrás, faz cruzamentos.”

A Receita não apresentou estimativa de perdas de arrecadação.

FOLHAPRESS