Arquivos

A Prefeitura de Macaíba recebeu a confirmação de uma nova emenda no valor de 702 mil reais que será destinada para o município. Nesse sentido, a gestão municipal já visa usar a verba para realizar o recapeamento asfáltico de importantes vias do centro, dentre as quais: Prudente Alecrim, Tiradentes, José Maciel, Prudente de Morais, Severino Galdino; e as travessas: Antônio Pereira dos Santos e Pedro Velho.

Fresagem e recape do pavimento asfáltico são serviços significativos para melhorar a locomoção das pessoas na cidade, dando mais segurança e qualidade de mobilidade para pedestres, ciclistas, motociclistas e condutores de veículos automotores em geral. A previsão é que as obras sejam iniciadas logo no início de 2020.

O prefeito Fernando Cunha agradeceu ao empenho do atual secretário da Previdência Social da Presidência da República, Rogério Marinho, responsável pela referida emenda, fruto de seu então mandato como deputado federal pelo Rio Grande do Norte entre 1º de janeiro de 2015 a 1º janeiro de 2019.

“Rogério Marinho sempre demonstrou seu compromisso com nossa cidade, com a destinação de várias emendas para a realização de obras de pavimentação no município, proporcionando desenvolvimento e melhor infraestrutura em diversas comunidades macaibenses.”, pontuou o prefeito.

Juntas, as recentes emendas recebidas pelo município da parte do ex-deputado Rogério Marinho somam mais de 1 milhão de reais. Mesmo não estando mais em cargo eletivo, suas ações ainda superam de longe o que muitos parlamentares em exercício fizeram ou dizem ter feito por nosso município, mostrando um exemplo a ser seguido quando se firma um compromisso com o bem-estar de uma população e a melhoria de uma cidade.

O sepultamento da técnica de enfermagem do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Dayana Deisy Oliveira de Lima, que aconteceu na manhã desta quarta-feira (13), contou com um cortejo de ambulâncias do Samu até o cemitério de Nova Descoberta, na Zona Sul de Natal, como homenagem.

A vítima, que trabalhava como socorrista no Samu, tinha como planos atuar como enfermeira das Forças Armadas. Clara Raphaelly, socorrista do Samu e amiga da vítima, definiu Dayane como uma profissional exemplar. “Era uma pessoa cheia de vida. Amava socorrer as pessoas”, disse.

Juliano Araújo, amigo da técnica em enfermagem, disse que ela tinha uma paixão imensa pela profissão. “O amor que ela tinha pela enfermagem se resumia na atitude que ela tinha com as pessoas”, lembrou.

G1

O pescador potiguar, identificado como Daniel Venâncio, de 41 anos, foi reencontrado nas imediações da praia de Maracajaú, comunidade de Maxaranguape, na manhã desta quarta, 13, após ter desaparecido na noite da última segunda, 11, em decorrência ao barco utilizado para pesca ter ficado à deriva por falha no motor, momentos depois da partida.

As buscas foram feitas por equipes em quatro embarcações de pesca e uma lancha da Marinha do Brasil. Segundo relatos, Daniel foi visto por cerca de três pescadores da região, que deram apoio ao pescador, até ser levado para a Unidade Básica de Saúde (UBS) do município, onde recebeu soro para diminuir a desidratação, causada em razão das várias horas exposto ao sol.

O pai, Walfredo José Venâncio, popularmente conhecido como “Doquinha”, foi uma das primeiras pessoas a rever Daniel, já em terra firme, após o fim das buscas.

De acordo com a presidente da colônia de pesca Z-15, Jadeir Regina Dias, o pescador saiu na embarcação dele, no final da noite da segunda, por volta das 23h, para pescar em uma área própria para a atividade, com previsão de retornar na manhã seguinte – o que não aconteceu. O barco, um Paquete vermelho, azul e branco, já havia sido usada por Daniel em outras pescarias pela costa de Maxaranguape.

AGORA RN

O presidente Jair Bolsonaro e o premier chinês, Xi Jinping, assinaram nesta sexta-feira, 13, nove atos oficiais, entre acordos e memorandos de intenções. Entre as medidas firmadas entres os dois países, está o protocolo sanitário para exportação de melão para o território chinês. A medida vai representar a ampliação do comércio do produto para a fruticultura do Rio Grande do Norte.

A expectativa é de que as primeiras das cargas produzidas em território potiguar sejam enviadas à China a partir de fevereiro. Dados do Governo do Estado apontam o aumento do comércio exterior resultem na criação de mais de 10 mil empregos até 2021.

Segundo o documento assinado entre representantes do Brasil e China, o novo protocolo estabelece os requisitos para permitir a exportação de melões. O documento define regras sanitárias para o armazenamento e transporte das frutas produzidas no Rio Grande do Norte e outras unidades da federação.

O objetivo da medida é evitar o ingresso de pestes ou pragas endêmicas do país exportador no país importador. Conforme as normas da Organização Mundial do Comércio e outros organismos internacionais de referência, as exigências determinadas pelo país importador devem estar baseadas em critérios científicos.

Além do protocolo sobre a exportação do melão, Brasil e China assinaram acordos para investimentos em transporte, saúde, segurança e comunicações. Uma das medidas vai permitir a transferência de pessoa condenada para o território da outra parte. Caso sejam cumpridos certos requisitos, um brasileiro condenado na China poderá cumprir a pena determinada pelo Judiciário chinês no Brasil e vice-versa.

Em 2019, de acordo com dados da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), já foram exportadas 13.820 toneladas de melão potiguar – principalmente para a Europa.

AGORA RN

Ocorrência foi registrada no início da manhã, por volta das 06h00min, desta quarta feira 13 de novembro de 2019, na Rua Anatália de Melo Alves no Bairro Paredões em Mossoró, região Oeste do Rio Grande do Norte, onde o adolescente Francisco Emerson Gabriel Maia Rodrigues teve sua casa invadida por criminosos e foi alvejado com vários tiros.

O jovem ainda chegou a ser socorrido pela equipe de suporte avançado Alfa do Samu, porém não resistiu e morreu a caminho do Hospital Tarcísio Maia. A equipe de socorrista informou que o adolescente saiu de casa com vida, mas durante o trajeto para o hospital o mesmo apresentou sucessivas paradas cardíacas e mesmo com o grande esforço dos profissionais, na tentativa de salvá-lo, o jovem acabou indo a óbito dentro da ambulância.

Ainda não há informações sobre a motivação do crime. A Polícia Militar informou que os moradores daquela rua viveram uma noite de terror, com arrombamentos de residência, onde criminosos procuravam desafetos. As rajadas de tiros começaram ´por volta de 01h30min desta madrugada, onde segundo relatos de moradores foram mais de 30 tiros.

Ao menos duas casa, tiveram suas portas arrombadas com tiros de escopeta calibre 12. No momento ninguém foi ferido. As marcas da violência ficaram visíveis, com cartuchos de arma de grossos espalhados nas calçadas. A Polícia Militar foi acionada para o local por duas vezes durante a madrugada, mas não conseguiu localizar nenhum suspeito.

No início da manhã, os criminosos fizeram uma nova investida e desta vez mataram Emerson Gabriel. A Polícia não descarta a hipótese de que os ataques estejam relacionados com o assassinato do jovem Leonardo Lucas de Oliveira Almeida, ocorrido no último sábado (9) na mesma rua e no mesmo local, onde ocorreu o homicídio de hoje.

O CÂMARA

Depois do registro de 24 e 23 mortes nos meses de setembro e outubro de 2019, respectivamente a violência homicida volta a assustar a cidade de Mossoró no Oeste do Rio Grande do Norte. Sobe para 08 o numero de homicídios nos 13 dias do mês de novembro de 2019. Da noite de terça feira, 12 para a manhã de hoje, 13 de novembro, três pessoas foram assassinadas na cidade.

Na noite de ontem Luiz Eduardo Dias de Souza de 18 anos de idade, morreu em confronto com a policia no bairro Belo Horizonte. Segundo informações ele estava com dois comparsas num carro roubado e reagiu a abordagem da policia.

Na madrugada de hoje, três casas foram arrombadas a tiros nos paredões e numa delas criminosos balearam Francisco Emerson Gabriel Maia Rodrigues,  que morreu a caminho do Hospital regional Tarcísio Maia.

Por voltas das 07 horas da manhã, funcionários de uma empresa localizaram o corpo de um homem, completamente carbonizado e apresentando sinais de espancamento na parte de trás da cabeça. O corpo estava às margens de uma estrada carroçável de acesso ao campo de petróleo Pajeú, próximo ao Assentamento São José e a comunidade de Pedra Branca.

A policia não tem informações sobre a identidade da vitima que teve o corpo queimado e nem dos possíveis assassinos, mas não descarta a possibilidade do crime ter relações com os elementos que trocaram tiros com a policia na noite de ontem. Na mala do carro apreendido ontem, no bairro belo Horizonte, havia marcas de sangue, que pode ser da vitima encontrada com o corpo carbonizado.

Com pouca possibilidade de identificação no local do crime, o corpo carbonizado foi removido para exames de necropsia na Unidade regional do Itep em Mossoró.

O CÂMARA

A ocorrência foi registrada no inicio da tarde de hoje, 13 de novembro na Avenida Senador Petrônio Portela, no Abolição IV em Mossoró no Rio Grande do Norte.

Segundo informações, dois elementos chegaram numa oficina de motocicleta para matar um jovem que estava trabalhando. O jovem foi baleado na região abdominal e conseguiu correr para escapar dos bandidos.

Uma pessoa que estava na oficina, no momento, reagiu e acertou os dois criminosos, que também fugiram do local. A vitima segundo informações, foi socorrido pela policia para o Tarcísio Maia e seu estado de saúde é considerado grave.

Os dois criminosos procuraram atendimento medico e também foram levados para o Tarcísio Maia.

A policia se encontra no hospital tentando identificar os acusados e a motivação para o atentado.

O CÂMARA

Segundo a agência de notícias Bloomberg, a oferta levantou US$ 1,13 bilhão (R$ 4,73 bilhões), incluindo uma oferta primária de 100 milhões de ações.

Os acionistas controladores LTD Administração e Participações e Wagner Garcia Participações também venderam R$ 430 milhões em ações, metade do valor que inicialmente consideravam vender.

Os recursos da venda serão investidos em tecnologia e para expandir o comércio eletrônico da varejista, disse a agência.

A mudança da Magazine Luiza, que começou como uma loja de móveis e eletrodomésticos de propriedade familiar, segue injeções de capital semelhantes por concorrentes maiores, como Mercado Livre Inc. e B2W Cia. Digital.

As novas ações começarão a ser negociadas na quarta (14). Os bancos responsáveis ​​pelo negócio foram: Banco Itaú BBA, Banco BTG Pactual, Bank of America Merrill Lynch, JP Morgan, BB-Banco de Investimento, Banco Bradesco BBI, Morgan Stanley e Banco Santander Brasil.​

YAHOO

“É errando que se aprende”, diz o ditado. E a ciência funciona exatamente assim: você propõe uma hipótese e depois realiza um experimento capaz de refutá-la ou confirmá-la. Mas quanto exatamente é preciso falhar antes de aprender? Será que, se errarmos demais, vamos nos desestimular e acabar chegando a lugar nenhum?

Um estudo recente realizado por pesquisadores dos Estados Unidos investigou a questão e obteve uma resposta matemática. Os cientistas partiram de um pressuposto que é senso comum entre educadores e pedagogos: o estudante precisa ser desafiado para que aprenda de verdade. Imagine colocar um aluno do nono ano para assistir uma aula que ensina a somar e subtrair. É fácil demais, então ele não vai extrair nada de novo dali.

Por outro lado, coloque-o para acompanhar uma aula de física quântica da universidade para ver o que acontece. Das duas, uma: ou vai errar 100% das coisas que o professor perguntar, ou a dificuldade será tamanha que o levará a desistir completamente do desafio. Isso se não pegar trauma da matéria. Fica claro que deve haver um meio-termo em que a nova tarefa ou conteúdo não seja nem tão simples, nem tão complicada.

A pesquisa descobriu que esse ponto ideal em que erramos apenas o suficiente para nos manter estimulados, mas sem nos deixar abater, é falhar 15% das vezes. Ou, na outra face da moeda, dar a resposta certa 85% do tempo – por isso a descoberta foi chamada de “Regra dos 85%”. Para chegar nela, os cientistas conduziram uma série de experimentos de machine learning em que computadores aprendiam sozinhos a executar certas tarefas simples.

Foram coisas como classificar padrões distintos em duas categorias ou então diferenciar números escritos à mão como sendo pares ou ímpares. E foi batata: os algoritmos tiveram o melhor aproveitamento no aprendizado sempre que acertavam 85% das vezes. Estudos prévios feitos com animais também revelaram a mesma taxa, e mesmo para os humanos a Regra dos 85% parece valer – principalmente para a chamada aprendizagem perceptiva.

Ela funciona quando aprendemos algo aos poucos e por conta própria, cimentado em nossas próprias experiências e exemplos. Como quando um médico radiologista está gravando em seu cérebro como identificar uma imagem em que aparece um tumor de uma em que não há tumor algum. Só o tempo e a prática irão ajudá-lo: ele precisa ganhar experiência e colecionar exemplos para aprimorar seu julgamento.

“Se eu dou exemplos fáceis demais, você vai acertar 100% das vezes e não há nada para aprender”, disse em comunicado o líder do estudo Robert Wilson, da Universidade do Arizona. “Se dou exemplos difíceis demais, estará correto 50% do tempo e ainda não vai estar aprendendo nada novo, enquanto que se eu der algo no meio-termo, você vai estar nesse ponto ideal em que extrai o máximo de informação de cada exemplo em particular”, disse o professor de psicologia e ciência cognitiva.

Mas muita calma antes de achar que tirar 8,5 numa prova é melhor do que 10. Wilson e seus colegas por enquanto só investigaram tarefas simples com respostas binárias: correto ou incorreto. Para aplicar os resultados em algo tão complexo como a educação, será preciso aprofundar e refinar o estudo, publicado nesta terça (5) na Nature Communications.

Wilson espera expandir o trabalho para abranger também formas mais complexas de aprendizado. “Se você está assistindo aulas fáceis demais e acertando tudo o tempo todo, provavelmente não está extraindo delas o mesmo que alguém com dificuldades, mas dando um jeito de acompanhar”, ele disse. Agora já dá para deixar aquela famosa expressão um pouco mais científica: “É errando 15% que se aprende”.

Super Interessante

Depois de provocar uma grave epidemia que resultou no nascimento de milhares de bebês com microcefalia, o vírus da zika vem revelando um aspecto tão inesperado quanto positivo: a capacidade de destruir tumores cancerígenos. Um novo estudo publicado na Scientific Reports por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) constatou que o vírus é capaz de inibir a proliferação de células do câncer de próstata em pelo menos 50%.

Não foi o primeiro estudo a constatar essa vocação benigna do vírus. O mesmo grupo da Unicamp, liderado por Rodrigo Ramos Catharino, já havia demonstrado que o patógeno também é eficaz no combate a tumores no cérebro. O grupo de especialistas está estudando o uso do vírus contra outros tipos de tumores malignos e espera que, em cinco anos, já tenha alguma terapia disponível para o público.

No trabalho mais recente, publicado na terça-feira, os cientistas da Unicamp usaram células de adenocarcinoma de próstata. Eles constataram que, mesmo depois de ser inativado, o vírus consegue inibir a replicação das células. Os experimentos foram feitos com uma linhagem viral obtida a partir de amostras isoladas de um paciente infectado no Ceará, em 2015. Depois de cultivado em laboratório, o vírus foi aquecido a uma temperatura de 56º C durante uma hora para que o seu potencial de causar uma infecção fosse inibido.

“Na versão ‘selvagem’ (sem passar por inativação), o vírus poderia trazer efeitos indesejáveis e, portanto, não poderia ser usado como terapia”, explicou Catharino, professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unicamp e coordenador do Laboratório Innovare de Biomarcadores.

O passo seguinte foi colocar uma cultura de células tumorais em contato com o vírus inativado. Após períodos de 24 e 48 horas, os cientistas compararam essa solução a um outro grupo de células cancerígenas que não tinham sido expostas ao vírus. Na análise feita após dois dias, a linhagem que ficou em contato com o vírus inativado apresentou um crescimento 50% menor do que a linhagem de controle. “Há redução real na atividade das células do tumor em mais ou menos 50%, o que já é excelente”, disse o especialista. “Vemos, no futuro, uma terapia promissora ”

O trabalho foi feito pela estudante de doutorado Jeany Delafiori com a colaboração do doutorando Carlos Fernando Odir Rodrigues e com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). A linha de pesquisa do grupo teve início há cerca de quatro anos, quando foi descoberta a relação entre a epidemia de zika e o aumento dos casos de microcefalia no país.

Depois que estudos confirmaram que o vírus era capaz de infectar as células neurais dos embriões, Catharino resolveu testá-lo em linhagens de glioblastoma – o tipo mais comum e agressivo de câncer do sistema nervoso central. A redução, no caso, foi de 40%.

“O próximo passo da investigação envolve testes em animais”, contou Catharino. “Caso os resultados sejam positivos, pretendemos buscar parcerias com empresas para viabilizar os ensaios clínicos.”

Casos

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 60 mil novos casos de câncer de próstata são registrados todos os anos no país. Trata-se do segundo tipo mais incidente entre os homens, atrás apenas do câncer de pele. O novembro azul é uma campanha internacional que visa a chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce da doença.

OP9