O dirigente do ABC, Leonardo Antônio Medeiros de Queiroz, 42 anos, foi encontrado morto na madrugada desta sexta-feira, 21, na Vila de Ponta Negra, zona Sul.

Segundo as primeiras informações, o corpo de Leonardo foi encontrado em um veiculo com marcas de perfuração no pescoço, provavelmente feito por objeto cortante.

O clube ainda não se manifestou sobre o caso e a policia iniciou as investigações.

Policiais militares trocaram tiros com criminosos no início da madrugada desta sexta-feira (21) em Mossoró, cidade da região Oeste potiguar. Foi após uma série de assaltos pela cidade.

Durante o confronto, um dos bandidos acabou baleado. Ele ainda foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Um revólver foi apreendido e três carros que haviam sido roubados ao longo da noite recuperados.

Segundo a assessoria de comunicação da PM, três bandidos conseguiram fugir. O assaltante morto ainda não foi identificado. O grupo havia roubado um Fiat Uno, um Gol e um HB20, além dos pertences dos proprietários e das pessoas que estavam nos carros.

Ainda de acordo com a PM, o confronto aconteceu pouco depois da meia-noite, nas proximidades do conjunto Santa Helena, onde os assaltantes foram interceptados após perseguição.

Os estados que conseguiram controlar as despesas com pessoal, incluindo funcionários ativos e inativos, desde o início da crise econômica, mantêm hoje um nível de investimento por habitante mais de quatro vezes maior que as unidades da federação em grave situação fiscal e que não implementaram programas de ajuste. É o que aponta estudo do Ministério da Economia sobre a situação fiscal dos governos regionais. Se forem excluídos da reforma da Previdência, como prevê o parecer do relator apresentado na semana passada, será ainda mais difícil para esses estados equilibrar as contas públicas.

O levantamento da Secretaria Especial de Fazenda dividiu os estados em dois grupos e observou dados de investimento, receita e gasto com pessoal entre 2006 e 2018. No primeiro grupo, estão aqueles vistos como bons exemplos de gestão fiscal (Espírito Santo, Alagoas e Ceará) e que se esforçaram para conter o avanço das despesas com a folha.

O segundo grupo considera os governos que não alteraram a trajetória de gastos (Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul) e que, por isso, viram o percentual da receita comprometido com a folha subir em ritmo bem mais acelerado que os demais. Rio, Minas e Rio Grande do Sul são as unidades da federação em pior situação fiscal do país.

Descontrole de gastos

Juntos, Espírito Santo, Alagoas e Ceará, investiram em média R$ 381 por habitante no ano passado. A fatia da receita dos três estados usada para pagar pessoal subiu de 46% em 2006 para 53% em 2018. Já o investimento médio por habitante de Rio, Minas e Rio Grande do Sul foi de R$ 91 no ano passado. O percentual da receita desses três estados comprometido com despesas com inativos e ativos passou de 49% em 2006 para 67% em 2018.

O Rio teve leve melhora no investimento por habitante após aderir ao Regime de Recuperação Fiscal, que assegura um alívio no pagamento das dívidas com a União. Em 2017, ano em que aderiu ao programa, o governo fluminense investiu R$ 60 per capita. No ano seguinte, o valor subiu para R$ 91. Minas e Rio Grande do Sul querem aderir ao regime, mas ainda não conseguiram.

O estudo ressalta que, enquanto no primeiro grupo a trajetória de despesa com ativos e inativos acompanha a tendência de crescimento da receita, no segundo grupo esse gasto se manteve alto mesmo com a queda na arrecadação no auge da crise econômica. As consequências mais visíveis dessa situação são atrasos de salários dos servidores e nos pagamentos de fornecedores, além da depreciação da infraestrutura por falta de investimento em manutenção, já que esses estados usam boa parte de suas receitas para cobrir déficit previdenciário e salários.

— Alguns estados, hoje, não têm praticamente capacidade de investir porque perderam o controle das contas públicas. O que mais contribuiu para esse descontrole, disparado, é a despesa de pessoal. Isso vale tanto para estados e municípios quanto para a União — disse o diretor de Estados e Municípios da Secretaria Especial de Fazenda, Bruno Funchal, autor do estudo.

A insolvência atinge também estados como Goiás, Mato Grosso e Rio Grande do Norte, que decretaram situação de calamidade financeira. Outros entes vêm atrasando o pagamento de fornecedores, como Santa Catarina, Piauí, Roraima e Amazonas. A reforma da Previdência dos servidores de estados e municípios é apontada como uma das principais medidas para equacionar as contas dos governos regionais. Mas eles ficaram de fora do relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP).

O GLOBO

Procuradas dias atrás, a ex-presidente Dilma e Gleisi Hoffmann, presidente do PT, não deram sinal de vida. É que estavam bem longe, em Moscou, enquanto circulavam informações não confirmadas de suposto conluio petista com os russos para roubar as mensagens do ex-juiz Sérgio Moro no Telegram. Não contavam com a indiscrição do Partido Comunista russo, que divulgou foto de reunião com as duas.

Na foto do PC russo, Dilma e Gleisi exibem as melhores expressões de crentes comunistas dos anos 1960 em busca de “socorro socialista”.

Indagada, a assessoria do PT não explica quais os motivos da viagem de Gleisi e Dilma e nem mesmo compartilha a agenda da dupla.

Com a arrogância de sempre, a deputada Gleisi, ré na Lava Jato por corrupção, também não explicou sua viagem com Dilma a Moscou.

Além de Gleisi e Dilma, o PT também enviou o secretário-geral do partido e sua “secretária de relações exteriores”.

CLÁUDIO HUMBERTO

O desembargador Antônio Amado, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, suspendeu as quebras de sigilos bancário e fiscal da empresa MCA Exportação e Participações e um de seus sócios, alvos da investigação que envolve o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

A liminar foi concedida na sexta-feira (14) na análise do mandado de segurança apresentado pela firma e por Marcelo Cattaneo Adorno, um de seus sócios. Os termos da decisão são mantidos sob sigilo. O mérito do caso ainda será apreciado pela 3ª Câmara Criminal.

Em novembro de 2010, a MCA adquiriu de Flávio Bolsonaro 12 salas comerciais em construção 45 dias depois do senador ter firmado escritura para obter os direitos sobre sete desses imóveis. Na operação, o filho do presidente Jair Bolsonaro lucrou R$ 504 mil, segundo o Ministério Público.

A MCA tem como um de seus sócios a Listel, empresa com sede no Panamá. As condições das transações e o envolvimento de uma offshore sediado num paraíso fiscal dão indícios, para o Ministério Público, da prática de lavagem de dinheiro.

O juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, havia autorizado as quebras dos sigilos da empresa e seus sócios, bem como de outros 21 investigados que realizaram compra ou venda de imóveis do senador. Há suspeitas semelhantes sobre outras duas operações imobiliárias, todas elas reveladas pela Folha de S.Paulo em janeiro de 2018.

O senador nega as suspeitas e afirma se tratar de operações imobiliárias legais.

Foi no caso da transação de Flávio com a MCA, contudo, que o Ministério Público cometeu erros ao descrever as transações, como mostrou a Folha.

Ao relatar as operações, a Promotoria relatou que o senador investiu R$ 2,6 milhões nos imóveis quando eles, na verdade, foram financiados. Num dos casos, Flávio havia pago apenas 12% do valor total acertado quando transferiu o direito sobre os imóveis para a MCA, que assumiu as parcelas restantes.

Flávio Bolsonaro é investigado por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa entre 2007 e 2018, quando exercia o mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

A investigação foi aberta após relatório do Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras) apontar uma movimentação atípica de R$ 1,2 milhão nas contas de seu ex-assessor Fabrício Queiroz entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.

Além do volume movimentado, chamou a atenção a forma com que as operações se davam: saques e depósitos em dinheiro vivo. As transações ocorriam em data próxima do pagamento de servidores da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Queiroz reconheceu ter recolhido parte do salário de servidores do gabinete do então deputado estadual Flávio, de 2007 a 2018, na Assembleia. O objetivo, disse ele, era contratar assessores informais para o então deputado e ampliar a base eleitoral do filho do presidente da República.

A Promotoria, contudo, desconfia da versão. Afirma haver indícios de prática de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio, onde exerceu por 16 anos o mandato de deputado estadual.

A liminar obtida pela MCA é a primeira vitória dos investigados na Justiça. Flávio já impetrou três medidas contra as investigações: perdeu no STF (Supremo Tribunal Federal), teve a liminar negada por Amado e tem outro pedido ainda não analisado pelo mesmo desembargador.

Queiroz também teve negado liminar por Amado. A 3ª Câmara Criminal ainda vai analisar os pedidos do senador e de seu ex-assessor.

NOTÍCIAS AO MINUTO

Um homem identificado como Júnior Lopes, 40 anos, foi espancado e preso após tentar matar sua prima, Maria Miscilene Lopes da Silva, 36. O caso aconteceu em Parnamirim, cidade da Grande Natal, na noite de quarta-feira (19).
De acordo com informações da Polícia Militar, o problema teria começado após Miscilene dizer que não venderia bebida alcoólica ao seu primo, alegando que ele ficava violento quando bebia. Júnior Lopes não gostou da negativa. E deixou o local avisando que voltaria.
Alguns minutos depois, cumpriu a promessa. Uma câmera de segurança registrou o momento que ele retornou ao bar da sua prima, faz um disparo para cima e outro na direção dela. Instantes antes disso acontecer, Miscilene estava com uma criança no braço e o vídeo mostra outras duas no local.
Em meio ao susto, dois homens que estavam no local partiram para cima de Júnior Lopes, que foi dominado e espancado. A polícia foi chamada ao local e o prendeu em flagrante como suspeito de tentativa de homicídio e também por porte ilegal de arma.
O homem espancado e preso em Parnamirim não foi levado à delegacia: devido aos ferimentos, ele está internado no hospital Deoclécio Marques, em Parnamirim. Sua prima, também. O segundo disparo atingiu a nádega dela. Ambos têm estado se saúde considerado estável e não correm risco de morrer.

Um ônibus da prefeitura de Nova Cruz que seguia com alunos do município para uma competição em Pedro Velho, se envolveu em um grave acidente ao colidir com outro veículo. O caso aconteceu na manhã desta quinta-feira, 20.

Nenhum dos alunos que estavam no ônibus sofreram ferimentos, já o ocupante do outro veículo, um Fiat Uno, veio a óbito.

Parlamentares americanos pedem uma resposta dos EUA ao Irã após a derrubada de um drone na região do Estreito de Ormuz, a despeito da preocupação de uma possível guerra entre os países, informa a imprensa local.

Durante uma reunião na Casa Branca, o governo deu detalhes do incidente à presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e reafirmou que o drone americano foi derrubado em águas internacionais, e não em território iraniano.

“A situação pede uma ação forte, inteligente e estratégica, não medidas inconsequentes”, disse Pelosi.

Dilma e Gleisi foram à Rússia e não contaram

Procuradas dias atrás, a ex-presidente Dilma e Gleisi Hoffmann, presidente do PT, não deram sinal de vida. É que estavam bem longe, em Moscou, enquanto circulavam informações não confirmadas de suposto conluio petista com os russos para roubar as mensagens do ex-juiz Sérgio Moro no Telegram. Não contavam com a indiscrição do Partido Comunista russo, que divulgou foto de reunião com as duas.,

Cabeça nos anos 1960

Na foto do PC russo, Dilma e Gleisi exibem as melhores expressões de crentes comunistas dos anos 1960 em busca de “socorro socialista”.

Mantendo o ‘segredo’

Indagada, a assessoria do PT não explica quais os motivos da viagem de Gleisi e Dilma e nem mesmo compartilha a agenda da dupla.

Sem explicações a dar

Com a arrogância de sempre, a deputada Gleisi, ré na Lava Jato por corrupção, também não explicou sua viagem com Dilma a Moscou.

Excursão por conta

Além de Gleisi e Dilma, o PT também enviou o secretário-geral do partido e sua “secretária de relações exteriores.

Com Informações de Claudio Humberto