Informativo Atitude - Credibilidade é o que conta - Page 2

O líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), trabalha dia e noite para tentar retardar a tramitação da proposta que dá autonomia financeira ao Banco Central, prevista para ser votada amanhã (17) na Comissão de Constituição e Justiça, presidida por Davi Alcolumbre (União-AP). A aprovação na CCJ é dada como certa. Dentro da Advocacia-Geral da União, forma-se o entendimento que o projeto é passível de judicialização por não ter sido proposto pelo Executivo.

OPOSIÇÃO GOSTA

A autonomia financeira do BC é bandeira da oposição e Alcolumbre, em campanha para voltar a ser presidente do Senado, vai patrocinar a ideia.

ALIADO LULISTA

No Plenário, o governo conta com Rodrigo Pacheco (PSD-MG) para segurar a votação, que não deve sair até o fim do ano.

IMPACTO NO ORÇAMENTO

O maior problema da proposta para o governo é transformar do BC em “empresa pública”, o que teria impacto nas contas públicas.

SINDICATO CONTRA

Antes mesmo de ser votada, sindicatos de servidores do BC, ligados ao governo, já pressionam os senadores contra a medida.

Por Claudio Humberto

Foto: reprodução

O FBI afirmou que Thomas Matthew Crooks, de 20 anos, é o atirador envolvido na tentativa de assassinato de Donald Trump. O ex-presidente dos Estados Unidos ficou ferido após ser alvo de um atentado em um comício, na Pensilvânia, neste sábado (13).

Crooks foi morto logo após atirar várias vezes no comício de Trump.

Segundo o FBI, ele vivia no distrito de Bethel Park, na Pensilvânia. A região onde Crooks morava fica a cerca de 70 km de Butler, onde acontecia o comício de Trump. O FBI acredita que o atirador agiu sozinho, mas investiga se outras pessoas participaram do crime.

O jornal “The New York Times” informou que Crooks não tinha registros criminais na Justiça. A polícia recuperou um fuzil AR-15 semiautomático no local do atentado, segundo a Associated Press.

Registro como “republicano” e doação a comitê que apoia os democratas

O sistema de votação eleitoral da Pensilvânia aponta que Crooks estava registrado como “republicano”. Entretanto, de acordo com a Associated Press, ele fez uma doação de US$ 15 a um comitê progressista que apoia os democratas no dia em que Joe Biden foi empossado presidente, em 2021.

Thomas Crooks se formou em 2022 na Bethel Park High School, de acordo com o jornal “Pittsburgh Tribune-Review”. Ele também recebeu um prêmio de US$ 500 da Iniciativa Nacional de Matemática e Ciências, segundo a mídia norte-americana.

O pai do atirador, Matthew Crooks, disse à CNN que estava tentando descobrir o que aconteceu e que iria conversar com as autoridades antes de falar com a imprensa.

Com informações de g1 e CNN Brasil

No cenário político norte-americano, as eleições presidenciais de novembro deste ano já começam a tomar contornos dramáticos. Segundo o site de previsões de mercado Polymarket, o ex-presidente Donald Trump é considerado o principal favorito nas próximas eleições, carregando uma previsão impressionante de 70% de chances de retomar a presidência. Esta mudança representa um aumento significativo de oito pontos percentuais no mesmo dia em que um ato assustador marcou sua campanha.

Em um recente comício em Butler, Pensilvânia, o republicano foi vítima de um ataque violento, sofrendo disparos pouco depois de iniciar seu pronunciamento. Apesar do susto e do caos momentâneo, Trump foi prontamente socorrido e não sofreu ferimentos graves. Este incidente ocorreu justamente antes da convenção do partido, onde Trump será formalmente reconducido como candidato do Partido Republicano.

O Polymarket aponta que o atual presidente, Joe Biden, do Partido Democrata, possui apenas 15% de chances de ser reeleito, segundo análises baseadas em apostas que já movimentaram mais de US$ 250 milhões. Observadores políticos se utilizam de fontes como a Associated Press, Fox News e NBC para acompanhar as atualizações e tendências que cada candidato apresenta na corrida pela Casa Branca.

A REAÇÃO DE TRUMP E MEDIDAS DE SEGURANÇA

Após o incidente, Trump foi visto com um machucado leve na orelha, enquanto era escoltado de forma urgente pelo Serviço Secreto. Ele deixou o local sob forte proteção e gestos de desafio, aparentando estar bem apesar das circunstâncias. A resposta rápida do Serviço Secreto foi crucial para sua segurança, destacando a eficiência da equipe encarregada pela proteção do ex-presidente.

IMPACTOS DO ATAQUE NO AMBIENTE POLÍTICO

O ataque no comício não apenas chocou os espectadores, mas certamente terá repercussões no cenário político. O chefe de comunicação do Serviço Secreto, Anthony Guglielmi, confirmou que o episódio está sob intensa investigação. Enquanto isso, a campanha de Trump aproveitou o incidente para reforçar a imagem de resiliência do candidato, agradecendo às forças de ordens e aos primeiros socorristas pela ação imediata.

PERSPECTIVAS PARA DONALD TRUMP APÓS O INCIDENTE

Este alarmante episódio pode alterar a dinâmica da campanha presidencial, possivelmente afetando a percepção pública e o nível de segurança nos futuros eventos. Com a convenção republicana se aproximando, aumentam as especulações sobre como o partido e os eleitores reagirão a longo prazo. Analistas políticos continuam a seguir de perto todas as desenvolvolveram relacionadas a este incidente e suas implicações para a eleição de novembro.

 

Além do suspeito de atirar contra o ex-presidente, um espectador de nome ainda não divulgado, foi morto durante o comício de Donald Trump. A informação foi confirmada pela CNN.

O atirador no comício de Donald Trump foi morto pelo Serviço Secreto dos Estados Unidos, de acordo com uma fonte da agência federal. Um participante também foi morto durante o incidente.

O promotor distrital também disse que Trump vai ficar bem e foi afastado pelo Serviço Secreto dos EUA. O oficial disse que um segundo espectador está em estado grave.

Jornalistas que estavam no local relataram que ouviram “uma série de fortes explosões ou estrondos” antes que agentes do Serviço Secreto corressem em direção a ele.

Foto: Cedida

Um acidente envolvendo uma motocicleta e um carro deixou duas pessoas gravemente feridas na noite de sexta-feira (12), na RN-118, no município de São João do Sabugi, na região Seridó do Rio Grande do Norte.

O condutor do carro foi preso em flagrante por estar sob efeito de drogas, segundo a polícia. Os dois ocupantes da moto absorveram o impacto da colisão e cada um teve uma das pernas amputada.

De acordo com informações do Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE), o acidente aconteceu na zona rural, em um trecho próximo à barragem das Carnaúbas, em São João do Sabugi, por volta das 22h. O carro e a moto bateram lateralmente e, com o impacto da batida, os dois veículos foram parar no matagal às margens da rodovia.

Segundo o CPRE, cada ocupante da moto modelo Titan teve uma das pernas amputada. Eles foram encaminhados ao hospital Telecila Freitas Fontes, na cidade de Caicó. Não há informações sobre o estado de saúde dos feridos. Um deles tem 22 anos e o outro, 21 anos, ambos residentes em Caicó.

O motorista do carro modelo Elantra permaneceu no local do acidente. De acordo com o relatório dos policiais, ele não tinha condições de dar a versão sobre o fato. Ainda no local, a equipe do CPRE realizou um teste de bafômetro que deu resultado negativo. Segundo informações da polícia, com o motorista do carro foram encontradas uma porção de maconha, comprimidos ainda não identificados e um pó análogo à cocaína.

O homem tem 38 anos e também mora em Caicó. Ele recebeu voz de prisão e foi encaminhado à delegacia. Segundo a polícia, ele foi “autuado em flagrante por praticar lesão corporal culposa de natureza grave ou gravíssima na direção de veículo automotor com a capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência” (artigo 303 do Código de Trânsito Brasileiro).

Os veículos foram removidos do local do acidente para o pátio da polícia. O delegado que atendeu a ocorrência solicitou a perícia do Itep para apurar as causas do acidente. O caso será investigado pela Polícia Civil.

g1-RN

 

 

Ferido de após tiro atingir de raspão sua orelha, Donald Trump foi retirado do palco por agentes do FBI em um comício na Pensilvânia nos Estados Unidos. Antes, fez questão de se levantar e gritar para o público presente: “lutem!”

Hugo Barreto/Metrópoles @hugobarretophoto

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse, nesta quinta-feira (11/7), que a inclusão das carnes na cesta básica isenta de impostos na regulamentação da reforma tributária foi uma “vitória” do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“O presidente Lula também teve a sua vitória ontem. Foi muito importante. O presidente Lula tinha feito uma manifestação pública de que a carne tinha que estar na cesta básica, porque, afinal de contas, o acesso à proteína animal tem que ser garantido a todos os brasileiros”, disse Haddad em vídeo gravado nesta quinta com a primeira-dama do Brasil, Janja Lula da Silva, “Nós conseguimos vencer a oposição e colocamos a carne na cesta básica”, disse ele.

O tema das carnes ganhou destaque depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ventilar a possibilidade de isentar, pelo menos, o frango. O setor do agronegócio também fez pressão pela inclusão da proteína animal. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), manifestou-se contra a sugestão.

O relator do Projeto de Lei Complementar (PLP) nº 68/2024, que trata da reforma tributária, deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), inicialmente não tinha incluído as carnes na cesta básica isenta, mas voltou atrás e disse aceitar a inclusão das proteínas animais na lista de itens livres de impostos.

Como o texto-base já havia sido votado, a inclusão ocorreu via destaque, uma proposta de alteração do texto principal, apresentado pelo PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, que precisou ser votado para a inclusão das carnes na cesta isenta de tributos. A mudança também incluiu derivados, o que abrange diferentes tipos de queijos.

Foto: Reprodução

O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, quer se reunir em agosto com o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

O dirigente partidário busca uma solução para reverter a decisão do ministro que proibiu o dirigente partidário de ter qualquer diálogo com o ex-presidente Jair Bolsonaro.

Os dois não podem se falar desde fevereiro, quando Valdemar foi preso em uma operação da Polícia Federal (PF).

O objetivo de Valdemar é convencer Moraes a rever a decisão às vésperas das eleições municipais, já que Bolsonaro é a principal aposta da legenda como cabo eleitoral.

Na busca pelo encontro, Valdemar tem recorrido ao ex-presidente Michel Temer, responsável pela indicação de Moraes para a Suprema Corte.

Valdemar e Temer tem mantido uma relação cordial devido às eleições em São Paulo, já que ambos apoiam a reeleição do prefeito Ricardo Nunes.

Desde o início do ano, Valdemar e Bolsonaro montaram um esquema logístico para despachar na sede nacional do PL, em Brasília.

O dirigente partidário mudou o seu gabinete para outro andar e recorre à ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro e ao senador Flávio Bolsonaro quando quer fazer uma informação chegar ao ex-presidente.

CNN

Nesta quarta-feira (10), a Polícia Federal lançou uma operação, denominada Falso Egídio, com o objetivo de desmontar uma organização criminosa atuando contra programas de transferência de renda da Caixa Econômica Federal. Esta operação envolve a execução de mandados de prisão e de busca e apreensão em diversos estados do Brasil.
A ação conjunta foi organizada a partir de Niterói, Rio de Janeiro, e se estendeu por São Paulo, Amazonas, Mato Grosso do Sul e Piauí, destacando a capacidade de atuação nacional da rede criminosa. No total, 80 policiais foram mobilizados para cumprir 11 mandados de prisão e 16 de busca e apreensão, indicando a gravidade e amplitude da operação.
O início das investigações remonta a abril de 2023, quando a Delegacia de Polícia Federal em Niterói, em cooperação com unidades especializadas de prevenção a fraude, começou a monitorar as atividades do grupo suspeito. Durante a investigação, descobriu-se que membros do banco, incluindo um empregado e duas funcionárias terceirizadas, facilitaram o esquema.
O esquema operava por meio do aplicativo Caixa-Tem, que é usado para gerenciar contas digitais sociais e a distribuição de benefícios sociais como o Auxílio Emergencial. Os criminosos cooptaram funcionários do banco para obter acesso a essas contas e realizar transações não autorizadas. Posteriormente, criaram contas bancárias em nome de indivíduos em situação de rua para movimentar o dinheiro desviado dos verdadeiros beneficiários.
A quantidade de dinheiro envolvida nas fraudes é estimada em cerca de R$ 10 milhões. Todo o montante foi inicialmente depositado em contas falsas e depois redistribuído entre os membros da organização criminosa. As consequências para aqueles envolvidos são severas, uma vez que eles responderão por crimes como participação em organização criminosa, furto qualificado, inserção de dados falsos em sistemas e lavagem de dinheiro.
Com informações de Terra Brasil Notícias

Fonte: Portal Grande Ponto

Joe Biden disse em discurso o atual presidente disse que a Rússia nunca prevalecerá.

Nem com a Ucrânia a Rússia conseguiu prevalecer. Biden quer mostrar serviço e calar os questionamentos internos sobre sua capacidade. Mas quem quer governar a principal potência econômica do mundo precisa ter posições fortes.

A Rússia já não é a grande potência que foi no passado, vaga hoje ocupada pela China. Mas para fortalecer sua campanha, Biden precisa se posicionar sobre assuntos importantes. Passando por apagões durante seus discursos e até no último debate, Biden não é mais unanimidade nem no seu partido.

Esse texto foi copiado do Blog do Gustavo Negreiros. Para ter acesso completo a matéria acesse gustavonegreiros.com.br