“É errando que se aprende”, diz o ditado. E a ciência funciona exatamente assim: você propõe uma hipótese e depois realiza um experimento capaz de refutá-la ou confirmá-la. Mas quanto exatamente é preciso falhar antes de aprender? Será que, se errarmos demais, vamos nos desestimular e acabar chegando a lugar nenhum?

Um estudo recente realizado por pesquisadores dos Estados Unidos investigou a questão e obteve uma resposta matemática. Os cientistas partiram de um pressuposto que é senso comum entre educadores e pedagogos: o estudante precisa ser desafiado para que aprenda de verdade. Imagine colocar um aluno do nono ano para assistir uma aula que ensina a somar e subtrair. É fácil demais, então ele não vai extrair nada de novo dali.

Por outro lado, coloque-o para acompanhar uma aula de física quântica da universidade para ver o que acontece. Das duas, uma: ou vai errar 100% das coisas que o professor perguntar, ou a dificuldade será tamanha que o levará a desistir completamente do desafio. Isso se não pegar trauma da matéria. Fica claro que deve haver um meio-termo em que a nova tarefa ou conteúdo não seja nem tão simples, nem tão complicada.

A pesquisa descobriu que esse ponto ideal em que erramos apenas o suficiente para nos manter estimulados, mas sem nos deixar abater, é falhar 15% das vezes. Ou, na outra face da moeda, dar a resposta certa 85% do tempo – por isso a descoberta foi chamada de “Regra dos 85%”. Para chegar nela, os cientistas conduziram uma série de experimentos de machine learning em que computadores aprendiam sozinhos a executar certas tarefas simples.

Foram coisas como classificar padrões distintos em duas categorias ou então diferenciar números escritos à mão como sendo pares ou ímpares. E foi batata: os algoritmos tiveram o melhor aproveitamento no aprendizado sempre que acertavam 85% das vezes. Estudos prévios feitos com animais também revelaram a mesma taxa, e mesmo para os humanos a Regra dos 85% parece valer – principalmente para a chamada aprendizagem perceptiva.

Ela funciona quando aprendemos algo aos poucos e por conta própria, cimentado em nossas próprias experiências e exemplos. Como quando um médico radiologista está gravando em seu cérebro como identificar uma imagem em que aparece um tumor de uma em que não há tumor algum. Só o tempo e a prática irão ajudá-lo: ele precisa ganhar experiência e colecionar exemplos para aprimorar seu julgamento.

“Se eu dou exemplos fáceis demais, você vai acertar 100% das vezes e não há nada para aprender”, disse em comunicado o líder do estudo Robert Wilson, da Universidade do Arizona. “Se dou exemplos difíceis demais, estará correto 50% do tempo e ainda não vai estar aprendendo nada novo, enquanto que se eu der algo no meio-termo, você vai estar nesse ponto ideal em que extrai o máximo de informação de cada exemplo em particular”, disse o professor de psicologia e ciência cognitiva.

Mas muita calma antes de achar que tirar 8,5 numa prova é melhor do que 10. Wilson e seus colegas por enquanto só investigaram tarefas simples com respostas binárias: correto ou incorreto. Para aplicar os resultados em algo tão complexo como a educação, será preciso aprofundar e refinar o estudo, publicado nesta terça (5) na Nature Communications.

Wilson espera expandir o trabalho para abranger também formas mais complexas de aprendizado. “Se você está assistindo aulas fáceis demais e acertando tudo o tempo todo, provavelmente não está extraindo delas o mesmo que alguém com dificuldades, mas dando um jeito de acompanhar”, ele disse. Agora já dá para deixar aquela famosa expressão um pouco mais científica: “É errando 15% que se aprende”.

Super Interessante

Depois de provocar uma grave epidemia que resultou no nascimento de milhares de bebês com microcefalia, o vírus da zika vem revelando um aspecto tão inesperado quanto positivo: a capacidade de destruir tumores cancerígenos. Um novo estudo publicado na Scientific Reports por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) constatou que o vírus é capaz de inibir a proliferação de células do câncer de próstata em pelo menos 50%.

Não foi o primeiro estudo a constatar essa vocação benigna do vírus. O mesmo grupo da Unicamp, liderado por Rodrigo Ramos Catharino, já havia demonstrado que o patógeno também é eficaz no combate a tumores no cérebro. O grupo de especialistas está estudando o uso do vírus contra outros tipos de tumores malignos e espera que, em cinco anos, já tenha alguma terapia disponível para o público.

No trabalho mais recente, publicado na terça-feira, os cientistas da Unicamp usaram células de adenocarcinoma de próstata. Eles constataram que, mesmo depois de ser inativado, o vírus consegue inibir a replicação das células. Os experimentos foram feitos com uma linhagem viral obtida a partir de amostras isoladas de um paciente infectado no Ceará, em 2015. Depois de cultivado em laboratório, o vírus foi aquecido a uma temperatura de 56º C durante uma hora para que o seu potencial de causar uma infecção fosse inibido.

“Na versão ‘selvagem’ (sem passar por inativação), o vírus poderia trazer efeitos indesejáveis e, portanto, não poderia ser usado como terapia”, explicou Catharino, professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unicamp e coordenador do Laboratório Innovare de Biomarcadores.

O passo seguinte foi colocar uma cultura de células tumorais em contato com o vírus inativado. Após períodos de 24 e 48 horas, os cientistas compararam essa solução a um outro grupo de células cancerígenas que não tinham sido expostas ao vírus. Na análise feita após dois dias, a linhagem que ficou em contato com o vírus inativado apresentou um crescimento 50% menor do que a linhagem de controle. “Há redução real na atividade das células do tumor em mais ou menos 50%, o que já é excelente”, disse o especialista. “Vemos, no futuro, uma terapia promissora ”

O trabalho foi feito pela estudante de doutorado Jeany Delafiori com a colaboração do doutorando Carlos Fernando Odir Rodrigues e com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). A linha de pesquisa do grupo teve início há cerca de quatro anos, quando foi descoberta a relação entre a epidemia de zika e o aumento dos casos de microcefalia no país.

Depois que estudos confirmaram que o vírus era capaz de infectar as células neurais dos embriões, Catharino resolveu testá-lo em linhagens de glioblastoma – o tipo mais comum e agressivo de câncer do sistema nervoso central. A redução, no caso, foi de 40%.

“O próximo passo da investigação envolve testes em animais”, contou Catharino. “Caso os resultados sejam positivos, pretendemos buscar parcerias com empresas para viabilizar os ensaios clínicos.”

Casos

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 60 mil novos casos de câncer de próstata são registrados todos os anos no país. Trata-se do segundo tipo mais incidente entre os homens, atrás apenas do câncer de pele. O novembro azul é uma campanha internacional que visa a chamar a atenção para a prevenção e o diagnóstico precoce da doença.

OP9

Uma criança de três anos teve a cabeça perfurada por uma agulha de tricô enquanto brincava que era uma fada. Ela estava pulando em cima de uma cama quando se desequilibrou e caiu. O objeto entrou pela boca da menina, perfurou o crânio e atingiu o cérebro.

A criança foi levada às pressas ao hospital, que fica em Utah, nos Estados Unidos, e os médicos descobriram que a agulha atingiu a hipófise e o hipotálamo, regiões responsáveis por hormônios e pela coordenação dos movimentos do corpo.

Por mais que ela estivesse sangrando muito, uma tomografia mostrou que os pequenos vasos sanguíneos dela estavam a salvo. A história da “menina mais sortuda do mundo” virou artigo na revista Journal of Pediatric Otorhinolaryngology Case Reports.

Segundo o médico da Universidade de Utah e autor do trabalho, Matthew Miller, esse tipo de caso é inédito, já que de 70% a 90% das vítimas não conseguem chegar vivas ao hospital e metade dos que conseguem morre por causa da gravidade das feridas. Por mais que a criança não tenha danos graves, ela precisará fazer acompanhamento médico pelo resto da vida. As informações são do Daily Mail.

O Dia 

Na próxima sexta-feira, dia 15, o horário de funcionamento do comércio sofrerá modificações  em razão do feriado nacional de Proclamação da República. A Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal informa como funcionará os principais estabelecimentos comerciais da capital potiguar.

Confira:

Comércio de Rua

Alecrim: Abertura facultativa das 08 às 14hs

Centro da Cidade: Abertura facultativa. Os grandes magazines (Riachuelo, C&A Marisa, Leader) abrem das 08 às 16hs e o Beco da Lama vai  abrigar o tradicional samba.

Zona Norte: Fechado

Shopping 10

Fechado

Midway Mall:

Lojas de departamento de 13 às 21h e demais lojas  de 15 às 21h.

Alimentação e lazer de 11 às 22h.

Natal Shopping:

O shopping funciona das 10h às 22h em horário máximo e das 15h às 21h em horário mínimo. As operações podem optar entre esses dois horários de abertura.

O cinema funciona conforme sua programação.

Praia Shopping:

Praça de Alimentação e Lazer: A partir das 11h.

Lojas e Quiosques: 15 às 21h.

Cinema conforme a programação.

Shopping Cidade Jardim:

Alimentação e lazer: A partir das 11h.

Lojas e quiosque: Das 12 às 21hs

Shopping Via Direta:

Praça de Alimentação e Lazer: 12h às 22h.

Lojas e Quiosques: Abertura facultativa das 14h às 20h

Partage Norte Shopping Natal

Carrefour: 7h às 21h;

Academia: 9h às 15h;

Cosern: Fechada;

Praça de Alimentação/Lazer: 11h às 22h;

Lojas/Quiosques: 15h às 21h, sendo facultativo, a partir das 12h;

Cinema: Conforme sessões.

Supermercados

Funcionamento das 07 às 21hs

A Caixa Econômica Federal anunciou nessa terça-feira, 12, a redução de juros no cheque especial. A partir do próximo mês, a taxa mínima cobrada pela instituição será de 4,99% ao mês, ante os atuais 9,99%. O corte acontece no momento em que o governo se prepara para lançar novas regras para esse tipo de linha de crédito – que tem um dos maiores juros do mercado (média anual de 307,6% em setembro).

Uma das possibilidades é que os bancos possam cobrar tarifa do cliente que quiser manter determinado limite do cheque especial, abrindo espaço para a redução dos juros na operação. Atualmente, o mercado pode elevar ou reduzir limites conforme o perfil do cliente. É comum que clientes com histórico de adimplência e mais recursos na conta-corrente tenham limites maiores no cheque especial, mas não utilizem os recursos que estão disponíveis.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou que a nova taxa “continua gerando resultado” e que existe mais espaço para novas reduções. Segundo ele, a iniciativa partiu do próprio banco e não houve ingerência do ministro da Economia, Paulo Guedes. Durante a gestão Dilma Rousseff, o governo usou as instituições públicas para forçar os concorrentes privados a mexerem nos seus juros.

“Essa taxa (os 4,99%) não parou por aqui. Continuamos estudando (novas reduções)”, disse Guimarães. A pedido do jornal “O Estado de S. Paulo“, o professor de finanças Fábio Gallo, da FGV, calculou o custo de um saque de R$ 1 mil no cheque especial. Com uma taxa de 9,99% ao mês, esse custo depois de um ano chega a R$ 2.809,56. Com 4,99%, o correntista tem de pagar R$ 1.793,80 (diferença de R$ 1.015,76).

Autorregulação

Em reunião com senadores na semana passada, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, tratou do assunto. Segundo parlamentares, uma das avaliações é que, ao disponibilizar um limite ao cliente, o banco está sendo onerado, mesmo que esses recursos não sejam utilizados. Esse custo para a instituição financeira estaria sendo bancado pelos clientes que efetivamente utilizam o limite do cheque especial – geralmente, aqueles com menor poder aquisitivo.

Sob a presidência de Ilan Goldfajn, que esteve no comando do BC durante o governo de Michel Temer, a solução que surgiu foi a de uma autorregulação por parte dos bancos. Em julho do ano passado, por iniciativa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), as instituições financeiras passaram a oferecer um parcelamento para dívidas superiores a R$ 200 no cheque especial. A expectativa era que essa migração para linhas mais baratas acelerasse a tendência de queda dos juros cobrados do consumidor. Em junho de 2018, porém, antes do início da nova dinâmica, a taxa do cheque especial estava em 304,9% ao ano – patamar abaixo do verificado atualmente.

Na avaliação do economista Luis Miguel Santacreu, analista da Austin Rating, o corte anunciado pela Caixa é um sinal de que há muita gordura para queimar nessa modalidade. “Mesmo com a redução, a taxa continua alta, considerando o atual nível da taxa Selic (hoje em 5% ao ano)”, disse ele.

Questionado sobre a movimentação da Caixa, o Itaú Unibanco afirmou que suas taxas começam a partir de 2,6% ao mês e que os valores cobrados dependem de fatores que vão além da Selic, como inflação e custos operacionais. Já o Santander afirmou que sempre orienta os clientes para que a utilização do cheque especial seja apenas no curto prazo e em emergências.

Estadão

A governadora Fátima Bezerra confirmou nesta terça-feira, 12, que o Governo do Estado vai pagar o 13º salário para todos os servidores no próximo mês de dezembro. A garantia foi dada após a participação da chefe do Executivo em evento que lançou o pacote anticorrupção no Rio Grande do Norte, realizado durante a manhã na Controladoria-Geral do Estado.

“Diferente dos últimos dois anos, em 2019 os servidores vão colocar o 13º no bolso”, anunciou a governadora em rápido contato com o Agora RN. Ao lado dela, o controlador geral do Estado Pedro Lopes deu detalhes: “esse pagamento vai ser em dezembro e deverá ocorrer de uma vez só. Quando a gente souber quando vai entrar o dinheiro do pré-sal poderemos dizer quando faremos o repasse”, declarou.

Agora RN

Foto: Bernd Wende/ullstein bild/Getty Images

Sem contato com o heptacampeão mundial de Fórmula 1 desde o grave acidente de esqui, em 2013, o alemão Willi Weber, ex-empresário de Michael Schumacher, rebateu as declarações recentes da esposa do ex-piloto, dizendo que é de Corinna Schumacher a vontade de não tornar público o real estado de saúde de seu marido

“Sei que Michael foi gravemente ferido, mas infelizmente não sei qual o progresso de sua reabilitação. Gostaria de saber como ele está, apertar suas mãos e acariciar seu rosto, mas a Corinna rejeita essa hipótese. Ela provavelmente teme que eu saiba o que está acontecendo e torne pública a verdade”, disse o empresário, em entrevista ao jornal alemão Express.de.

Em entrevista a uma revista produzida pela montadora alemã Mercedes-Benz, Corinna falou pela primeira vez sobre o caso e alegou ser do próprio Schumacher o pedido de sigilo sobre seu quadro clínico. “Por favor, entendam que estamos seguindo os desejos de Michael ao manter um assunto tão delicado, como a saúde, em privacidade. Ao mesmo tempo, agradecemos muito as mensagens de todos e desejamos um ótimo ano”, disse a esposa do ex-piloto de 50 anos.

Weber acompanhou toda a carreira de Schumacher na Fórmula 1, incluindo o primeiro de seus sete títulos na categoria, em 1994, quando pilotava o carro da equipe Benetton. O conhecimento sobre o piloto alemão fez o empresário garantir sua confiança na reabilitação de Schumacher. “Acredito firmemente na recuperação de Michael, porque sei que ele é um lutador. Se houver uma chance, ele a agarrará. Esse não pode ser o fim. Rezo por ele e estou convencido de que o veremos novamente”, finalizou.

O primeiro título de Schumacher completa 25 anos ao final da atual temporada. O piloto alemão, dono de uma lista extensa de recordes na F1, ganhará no próximo mês um documentário sobre sua carreira, produzido, também, em homenagem ao seu aniversário de 50 anos, completados em janeiro.

Veja

Um crime de homicídio foi registrado na tarde desta terça-feira (12), no Loteamento Esperança, em Macaíba. De acordo com informações de populares, a vítima identificada por Eduardo Silva de Souza, 26 anos, mais conhecido pelo de apelido de “Gato Gordo”, foi morto a tiros. A vítima foi encontrada na Rua Luiz Varela da Costa, ao lado de uma igreja.

De acordo com informações de um parente aos policiais que atenderam a ocorrência, a vítima vinha sendo ameaçada de morte havia algumas semanas, informou o G1RN.

Foto: TV Tropical/Reprodução

Graças ao exitoso trabalho desenvolvido no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV, Macaíba está selecionada para fazer parte da 3ª Mostra Nacional de Vigilância Socioassistencial, a ser realizada no próximo mês de dezembro, na capital federal.

Assim, nossa terra irá ter a oportunidade de mostrar para todo o Brasil sua experiência em utilizar a Vigilância Socioassistencial para levar o SCFV até os locais com maiores índices de violências e vulnerabilidades sociais. Somente 147 municípios foram selecionados para o evento, o que representa menos de 5% do total.

A Vigilância Social é uma área vinculada à gestão do Sistema Único de Assistência Social – SUAS e tem como objetivo a produção e a sistematização de informações territorializadas sobre as situações de vulnerabilidade e risco que incidem sobre famílias e indivíduos.

Sob a coordenação da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social, o SCFV em Macaíba está atualmente presente em 16 polos: Capoeiras, As Marias, Cajazeiras, Lagoa dos Cavalos, Caracaxá, Reta Tabajara, Riacho do Sangue, Lagoa Seca, Tabatinga, Traíras, Lagoa do Sítio I, Mangabeira, Morada da Fé, Campinas e no centro (CRAS Fabrício Pedroza e CRAS Tavares de Lyra). São mais de mil crianças e adolescentes atendidos mediante as ações desse serviço.

Assecom-PMM

A partir desta sexta-feira (15/11), o Procon Natal promove um mutirão online de renegociação de dívidas, que vai até dia até 15/12. A ação será exclusivamente pela internet, por meio da plataforma de solução de conflitos consumidor.gov.br, que permite ao consumidor registrar uma reclamação sem sair de casa.

A ação faz alusão à lei municipal 6.884/2019, que dispõe sobre a criação do mês municipal do combate ao superendividamento e resgate de crédito do consumidor. De acordo com a diretora geral do órgão, Aíla Cortez, a iniciativa de fazer a ação através da plataforma busca atender todos os consumidores, além de facilitar a vida do cidadão, que não precisa se deslocar para negociar suas pendências financeiras.

“Acreditamos que esse mutirão pela internet vai incentivar as pessoas a negociar suas dívidas e sair dessa situação que causa diversos transtornos na vida de qualquer cidadão, muitas vezes motivada por fatores como uma doença na família ou desemprego”, disse Aíla.

Para participar do mutirão, basta fazer o registro na plataforma consumidor.gov.br, relatar o problema, informando que deseja participar do mutirão de renegociação de débitos. Após finalizar o registro, o banco ou instituição financeira tem o prazo de 10 dias para apresentar uma proposta ou resposta para o consumidor.

No momento do preenchimento do registro, é imprescindível que o consumidor informe corretamente seus telefones e e-mail para contato, pois esses dados facilitarão o atendimento por parte dos bancos e instituições financeiras participantes. Terminado o prazo para resposta do fornecedor, o consumidor tem o prazo de 20 dias para avaliar o retorno dado.

Se o consumidor possuir dificuldade em utilizar a plataforma, o mesmo pode se dirigir ao Procon Natal, que fica situado na Avenida Ulisses Caldas,181, funcionando das 8:00 às 14:00 horas, telefone 3232-9050 e para qualquer esclarecimento ou dúvida disponibilizamos o whatsapp 98870-3865 ou e-mail, procon.natal@natal.rn.gov.br.

BLOG DO FM