A 64ª fase da Operação Lava Jato, denominada Pentiti, foi deflagrada nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (23) pela Polícia Federal (PF) para investigar crimes relacionados a recursos contabilizados em planilha denominada Programa Especial Italiano, gerida por uma grande empreiteira nacional.

Os crimes investigados são de lavagem de capitais, organização criminosa e corrupção ativa e passiva. As ações criminosas podem ter lesado os cofres públicos em pelo menos US$ 1,5 bilhão, equivalente, hoje, a aproximadamente R$ 6 bilhões.

Segundo a PF, também é objeto das investigações esclarecer a existência de corrupção envolvendo instituição financeira nacional e estatal petrolífera na exploração do pré-sal e em projeto de desinvestimento de ativos no Continente Africano.

Cerca de 80 policiais federais cumprem 12 mandados de busca e apreensão em endereços nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. As medidas cautelares foram autorizadas pela 13ª Vara Federal de Curitiba

“A investigação é complexa e trata de fatos abordados em diferentes inquéritos policiais, tendo sido impulsionada por acordo de colaboração premiada celebrado entre a PF e um ex-ministro de Estado investigado. Além da identificação de beneficiários da planilha Programa Especial Italiano e do modus operandi de entregas de valores ilícitos a autoridades”, diz PF.

Segundo a instituição, o nome Pentiti significa “arrependidos”. Ele faz referência a termo empregado na Itália para designar pessoas que fizeram parte de organizações criminosas e, após suas prisões, passaram a colaborar com as autoridades para o avanço das investigações.

Agência Brasil

Foto: José Aldenir/Agora RN

O Rio Grande do Norte tem 17 municípios sujeitos ao bloqueio de transferências voluntárias da União por terem deixado de prestar informações contábeis, orçamentárias e fiscais obrigatórias à Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Segundo dados da STN, os municípios potiguares listados deixaram de entregar dados para a matriz de saldos contábeis (MSC), que é responsável pela geração de relatórios e demonstrativos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O registro da STN traz cidades do porte de Parnamirim, bem como municípios de pequena estrutura, como Viçosa e Umarizal.

Desta forma, as 17 prefeituras foram inscritas como inadimplentes no Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias (Cauc).

O registro se assemelha ao que acontece com a lista do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), que restringe o crédito para a pessoa física. No caso dos entes municipais, a inscrição nesta “lista negra” impede a celebração de convênios com o governo federal e a contratação de operações de crédito.

Ainda de acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional, o ente precisa encaminhar as suas matrizes para que seja considerado adimplente para este item no CAUC. Os municípios têm até o dia 30 de agosto para efetuar o envio.

Para estarem adimplentes junto ao Cauc, as prefeituras precisam cumprir 14 obrigações diferentes, incluindo o envio da matriz. Em todo o país, de segundo a STN, são 3.648 municípios com pelo menos uma pendência no Cauc e, portanto, impedidos de contratar operações de crédito.

 

Inadimplentes no RN:

Almino Afonso

Antônio Martins

Florânia

Frutuoso Gomes

Grossos

Lagoa Salgada

Maxaranguape

Messias Targino

Parnamirim

Patu

Pilões

Porto do Mangue

Rafael Fernandes

Riacho de Santana

Tenente Ananias

Umarizal

Viçosa

 

Agora RN

A população do distrito de Traíras receberá em breve uma moderna escola de ensino médio, com padrões de desenvolvimento sustentável. A Escola Estadual Ivonete Felipe de Souza está localizada ao lado da nova creche do distrito, próxima ao CERU e atenderá aproximadamente 600 estudantes.

O projeto foi concebido de acordo com critérios de sustentabilidade, com medidas de aproveitamento de recursos naturais em ações como a reutilização das águas da chuva para limpeza dos ambientes, do esgoto tratado em irrigação de jardins e áreas verdes e captação de energia solar por painéis fotovoltaicos.

A Prefeitura de Macaíba, na administração do prefeito Fernando Cunha, cedeu o terreno para a construção da escola pelo Governo do Estado. Em parceria com o Governo, também está sendo construído o Centro de Educação Profissional Tecnológica do distrito Mangabeira. O terreno para as obras do novo espaço foi cedido pela Prefeitura.

O local contará com 12 salas de aula; auditório para 200 pessoas; seis laboratórios; ginásio com vestiários e arquibancada; biblioteca; um teatro de arena; pavilhão administrativo com sala para professores e corpo diretor; banheiros; cozinha; cantina; refeitório; área de convivência; estacionamento e guarita.

Fotos: Sérgio Nascimento

Assecom-PMM

A principal via do distrito de Canabrava, zona rural de Macaíba, continua sendo beneficiada pela “Caravana das Obras”, maior operação de pavimentação de ruas já realizada na história do município. Os serviços prosseguem na chama “Rua da Paz” ou “Rua da Palha”, onde a Prefeitura de Macaíba tem feito uma grande obra que ao seu término alcançará 12 mil metros quadrados de calçamento, segundo dados da Secretaria Municipal de Infraestrutura – SMIN.

A “Caravana das Obras” já superou a marca de 200 ruas pavimentadas desde o seu início na terceira gestão do prefeito Fernando Cunha. Um trabalho que tem transformado diversas comunidades urbanas e rurais do município, trazido mais qualidade de vida para os populares e valorizado os imóveis (casas e terrenos).

Comunidades adjacentes ao distrito de Canabrava também receberam essas obras recentemente, inclusive já inauguradas pela gestão municipal, a exemplo de Cajarana, Tabatinga e Riacho do Sangue.

Fotos: Márcio Lucas

Assecom-PMM

O Corpo de bombeiros militar do Rio Grande do Norte (CBMRN) controlou as chamas de um incêndio florestal no Sítio Mendunbim, na zona rural da cidade de Assú. O fogo queimava por três dias e destruiu vários hectares da região.

Bombeiros, Defesa Civil e os órgãos públicos municipais trabalharam de forma integrada para controlar o fogo. Segundo o major Alcione Araújo, comandante do 2º Grupamento de Bombeiros, a ação de ventos fortes, aliado ao tempo e mato seco, fez com que o fogo se alastrasse com mais intensidade. “Tivemos muito trabalho, o fogo chegou a queimar serras, mas com apoio de todos conseguimos eliminar todos os riscos e controlar o fogo. É importante que assim que houver focos de incêndio em áreas rurais, os moradores acionem os bombeiros antes do fogo avançar”, ressaltou o major.

Uma dupla foi presa com dois quilos de cocaína dentro do carro na tarde desta quinta-feira (22) em uma abordagem padrão feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) no posto da BR-101 em São José de Mipibu, na Grande Natal.

O carro, do tipo Corsa, era conduzido por um homem de 28 anos de idade, que estava acompanhado de outro de 44.

Segundo a PRF, a dupla se mostrou muito nervosa durante a abordagem, o que chamou a atenção dos policiais, que decidiram fazer uma busca mais minuciosa no interior do carro. Os dois tabletes de cocaína foram encontrados na parte de baixo do painel do lado do motorista. Ao todo, a droga pesava 2,1 quilos e está avaliada em cerca de R$ 40 mil.

Os dois contaram aos policiais que receberiam R$ 1.500 pelo transporte da droga. Ele são residentes da cidade de Campina Grande, na Paraíba, para onde iriam, segundo contaram à PRF. Após o flagrante delito, os dois homens foram presos e levados com o veículo e a droga para a Central de Flagrantes em Natal.

Essa é a segunda apreensão de droga feita pela PRF nesta semana que envolve esse trecho da BR-101. Na terça-feira passada (20), foram apreendidos 166 quilos de maconha encontrados no porta-malas de um carro após perseguição dos policiais até Monte Alegre.

G1

A família de Júlia Maria da Conceição Sousa, 100 anos, teve que lidar com um grande inconveniente durante o velório da idosa. A funerária responsável pelas cerimônias fúnebres entregou o corpo errado para o enterro, na quarta-feira (21). O corpo correto só foi entregue horas depois. O caso aconteceu em Teresina, no Piauí.

O neto da idosa, que morreu em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), ficou responsável pelos trâmites burocráticos. Sérgio Carvalho contou que a família foi informada da morte da idosa por volta das 13h50. Ele reconheceu o corpo no necrotério da UPA e foi até o cartório cuidar dos documentos necessários. Ao chegar no velório, que iria acontecer na própria funerária, os parentes foram surpreendidos com o corpo de outra pessoa.

Sérgio relatou que entrou em contato com a UPA para apurar o caso e que teria sido tratado com desdém pelos funcionários da unidade. Horas depois o corpo de Júlia Maria foi entregue para a família. O enterro aconteceu na quinta-feira (22). A família pretende entrar com uma ação judicial por danos morais contra a UPA onde a idosa morreu.

A Fundação Municipal de Saúde, responsável pela gestão da UPA em questão, informou que o necrotério da unidade tinha recebido no mesmo dia e horário os corpos de Júlia Maria da Conceição Sousa e de outra idosa. Segundo o órgão, os dois corpos estavam com placas de identificação, mas tanto a funerária quanto a família de Júlia Maria não conferiram a identificação quando o corpo foi retirado para o velório.

OP9

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou ao blog nesta quinta-feira (22) que o governo estuda uma forma de agravar a pena para quem for identificado como autor de queimadas na Amazônia.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) vai convocar todos os ministros de Estado para formar um gabinete de crise em função das queimadas que atingem a região amazônica. Hoje pela tarde, Bolsonaro já havia se reunido com alguns ministros como Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Tereza Cristina (Agricultura) para discutir as providências que serão tomadas para conter os incêndios. Amanhã, conforme apurou o UOL, uma reunião mais ampla será convocada.

O ministério do Meio Ambiente está trabalhando para consolidar dados e apresentar aos veículos de imprensa, o que deve ocorrer nos próximos dias. O O decreto convocando os chefes das pastas para um comitê de crise foi publicado na noite de hoje em uma edição extra do Diário Oficial.

A medida, segundo o governo, visa “preservação e a defesa da Floresta Amazônica, patrimônio nacional.”

Faltando pouco mais de um ano para as Eleições 2020, Macaíba já conta com cerca de 10 pré-candidatos ao cargo de prefeito.

Nenhum deles surpreendeu tanto os políticos locais (situação e oposição) como o “Pequeno Gigante”. Menos de 2 meses após se apresentar como pré-candidato, seu nome já é mencionado nas rodas de conversa e nas redes sociais entre os favoritos para ocupar a principal cadeira do Palácio Auta de Souza a partir de 2021, superando nomes fortes e tradicionais de cenário político da Terra de Augusto Severo.

Seu principal atributo é a humanização no atendimento no ambiente em que trabalha, Centro de Saúde Luís Antônio Fonseca Santos, mais conhecido como Posto da Maré. Um estabelecimento frequentado por cerca de 700 pacientes todos os dias, referência para Macaíba e região.

Hoje, esse pré-candidato a prefeito de Macaíba pode ser comparado a um Davi em meio a vários Golias, seu nome é Edielias.

Entretanto, Edielias vem sendo chamado de “Edi do Posto da Maré”, devido à identificação que possui com o local que tem sido seu espaço de trabalho há mais de uma década na cidade. Muitas águas ainda vão rolar, mas provavelmente este novo nome não surgiu para titubear.

Editorial – Macaíba na Net

O TCU a partir de agora terá acesso a todos os detalhes de eventuais investigações em curso sobre movimentações financeiras de Glenn Greenwald, que estariam sendo feitas pelo extinto Coaf.

Gilmar Mendes aceitou um pedido do TCU e autorizou, em despacho de cinco páginas, o compartilhamento integral dos autos da ação em que a Rede pede ao STF que suspenda quaisquer atos que tenham determinado a instauração de inquéritos com o objetivo investigar o dono do “The Intercept Brasil”.

O pedido do TCU foi feito pelo ministro Bruno Dantas, relator da representação aberta no tribunal acerca de eventuais irregularidades ocorridas no âmbito do Coaf em relação a Glenn.

Mendes autorizou o “compartilhamento integral das informações” que constam nos autos do processo.

Lauro Jardim – O Globo