Categoria: Uncategorized

CORRA QUE A POLÍCIA VEM AÍ

Parece que o vereador Zeca Cunha perdeu o juízo, em vez de reunir uma pequena comissão dos ambulantes e ir procurar a Prefeitura, o rapaz resolveu interditar a rua e fazer uma grande aglomeração no centro da cidade mesmo com o todo o risco que existe por causa do novo coronavírus.

CORRA QUE A POLÍCIA VEM AÍ II

Bastou a Polícia chegar, que era gente correndo para todo os lados. O primeiro que desapareceu foi Zeca, que de tão rápido, mais parecia um medalhista olímpico. O vereador só retornou quando a Polícia foi embora, com um carro de som fazendo zoada, mas as autoridades resolveram ignorar seus delírios.

TIRO NO PÉ

Nas redes sociais, Zeca Cunha foi bastante hostilizado pela população, que é a favor que os feirantes fiquem no mercado.

SUFOCO

O vereador Emídio Júnior passou um verdadeiro sufoco nesta semana quando retornava para sua residência no interior de Macaíba. Segundo informações, o pré-candidato a prefeito de Macaíba notou alguns galhos de árvores na estrada e tratou logo de dar macha ré, de repente, 04 criminosos saíram atirando, um dos tiros atingiu o carro de Bob Filho no lado do passageiro. Graças à percepção rápida de Bob, o pior não aconteceu.

SUFOCO II

Segundo informações, os criminosos que atiraram contra o carro de Bob Filho (Emídio Júnior) foram os mesmos que fizeram um arrastão em Tabatinga e tocaram terror em várias famílias daquela comunidade.

REPAGINADA

A ex-prefeita Marília Dias deu uma repaginada nas suas mídias sociais. Quem olha de longe a qualidade dos vídeos, vê que a ex-prefeita contratou uma equipe de produção para ajudar a divulgar sua imagem.

PODEMOS

O PODEMOS, que tem como pré-candidato ao Executivo o empresário Janssen, já começou a ser cortejado por alguns partidos. Segundo informações, o empresário mantém sua pré-candidatura ao Executivo Municipal, mas não está deixando de ouvir os outros partidos e também não estaria descartando uma união com outros pré-candidatos ao Executivo.

PESQUISAS FANTASIOSAS

Tem muitos institutos sérios, mas tem outros que deixam muito a desejar. Eu, em especial, só confio em 02, são eles: CONSULT e SMART. São duas empresas sérias que não brincam com os números.

APOIOS

Netinho França vem obtendo uma série de apoios importantes para sua caminhada ao palácio Auta de Souza, além de contar com um grande apoio da juventude, que vem levantando o seu nome nas redes sociais.

EM CAMPO

O delegado Normando Feitosa está em campo. Bem recebido pela população, Normando é o nome mais forte na disputa pelo palácio Auta de Souza. Essa força vem crescendo também no interior, que, mesmo na pandemia do coronavírus, está enfrentando um grave problema com relação à segurança. A população vê no Delegado a esperança de barrar a violência que cresce na zona rural de Macaíba.

AGORA O BICHO VAI PEGAR

A equipe denominada de “Vingadores” vai assumir de vez a campanha do Delegado Normando Feitosa. A nova equipe que vem como um reforço para o Delegado deve assumir de vez a sua pré-candidatura.

Zeca Cunha coordenou também um grande círculo com pessoas segurando as mãos umas das outras. O vídeo circula na internet. 

Qualquer cidadão macaibense de bom-senso percebe o quão desiquilibrado e despreparado é o vereador Zeca Cunha. Seus discursos destoantes da realidade proferidos nas sessões da Câmara, suas análises sem conteúdos e fundamentos e suas postagens analfabetas nas redes sociais são um pequena mostra da qualidade e nível do parlamentar. Seu ato insano realizado na manhã desta quinta-feira (14), no centro de Macaíba, era a cereja do bolo que lhe faltava para comprovar o gigantismo dos seus devaneios.

Sem máscara, levando dezenas de pessoas a darem as mãos, discursando e possibilitando a aglomeração de pessoas foi uma atitude, no mínimo, inconsequente. É deprimente e assustador perceber alguém que ocupa a posição de representante do povo, diante da crise que se agiganta com o avanço do coronavírus, se entregar aos seus delírios políticos de poder, enxergando conspirações onde prevalece o desespero social. Zeca, como vereador, deveria buscar saber da real situação de Macaíba em meio a esta pandemia.

Deveria buscar saber quantos dos ambulantes que ali estavam estão recebendo o auxílio do Governo Federal. Deveria saber quantos estão vendendo seus produtos na tradicional feira da cidade. Deveria saber que a cidade já tem mais de 30 casos confirmados de Coronavírus e mais de 100 suspeitos. Deveria saber como está a situação da UPA. Deveria saber o que significa a recomendação do Ministério Público (MP) baseada no disposto do parágrafo 6º do artigo 36 da Lei Municipal 002/201. Zeca Cunha, em seus 3 anos de pobre legislatura deveria se comportar, pelo menos como um representante do povo, e não como um movido por irresponsabilidades que flertam com o universo dos lunáticos.

Desprovido de embasamento, Zeca esnoba e ataca os Poderes, tendo como alvo preferido o Ministério Público. Vereador, por tamanho despreparo e ignorância, talvez não saiba o que é crime de responsabilidade. Pesquise, pois flertas com ele sempre, inclusive com a atitude de hoje.  Zeca Cunha, deu ruim a sua infeliz ideia de querer mais uma vez aparecer produzindo o caos. Sua pífia e arcaica maneira de quere fazer politicagem desta quinta (14) foi abominável pelos macaibenses. A cada ato torna-se ainda mais evidente ser um vereador inconsequente e despreparado. Para, tá ficando feio!

Fotos: Divulgação/PF

A Força-Tarefa de Combate ao Crime Organizado, coordenada pela Polícia Federal e composta por Policiais Federais, Policiais Civis, Policiais Militares e Agente Penitenciários Federais, atuando em colaboração com a Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (SEOPI/MJSP), e em ação consorciada com os Grupos Táticos Operacionais de Pau dos Ferros, Patu e Alexandria, com o 5º Batalhão de Polícia Militar de João Pessoa/PB, e com a Delegacia da Polícia Civil de Pau dos Ferros, deflagrou nesta quinta-feira, 14/5, a Operação Flare, com o objetivo de desarticular célula de liderança de facção criminosa paulista no Rio Grande do Norte.

Mais de 50 policiais cumprem 4 mandados de prisão preventiva e 9 mandados de busca e apreensão nas cidades de Natal/RN, Pau dos Ferros/RN e João Pessoa/PB no começo dessa manhã. Os mandados judiciais foram expedidos pela 8ª Vara Federal em Mossoró/RN.

As investigações revelaram que tais indivíduos, além de possuírem estreito envolvimento em ações criminosas, sobretudo aquelas cometidas com a utilização de armas de fogo, planejavam ataques a servidores públicos federais no Estado, sendo apurado, também, que os investigados aprovaram a execução de diversos homicídios no Rio Grande do Norte, alguns com requinte de crueldade, além de terem atuado fortemente no tráfico de drogas, roubos, tráfico e comércio clandestino de arma de fogo, sempre buscando a expansão territorial das áreas de dominância da facção em diversas localidades do RN.

Todos os presos possuem antecedentes criminais, alguns deles, inclusive, se encontravam foragidos da Justiça, enquanto um outro era monitorado por tornozeleira eletrônica.

Cabe registrar que, no ano de 2019, a mesma cooperativa criminosa intencionou promover ataques dentro do sistema prisional potiguar, incentivando a violência contra integrantes de facções rivais e estimulando o confronto com forças policiais do Rio Grande do Norte, fato objeto de investigação da Operação Extração, deflagrada em setembro daquele ano, pela Força-Tarefa coordenada pela PF.

Em virtude dessa articulação, cinco membros da cúpula da organização criminosa foram transferidos para o Sistema Penal Federal em março de 2020.

Apesar das restrições impostas pela pandemia, a Polícia Federal e as demais forças policiais seguem atuando em sintonia contra o crime organizado no Estado do Rio Grande do Norte.

A ordem do Governo do Estado de paralisar as obras da barragem de Oiticica por causa da pandemia do coronavírus, mesmo com recursos de R$ 50 milhões liberados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, vai gerar a demissão de 350 funcionários da obra.

É o uso político do coronavírus, enquanto pior, melhor.

O juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública de Natal, Luiz Alberto Dantas, abriu um prazo de 48 horas para o Governo do RN e a Prefeitura de Natal se pronunciarem em 48h sobre o pedido de lockdown impetrado pelo Sindicato dos Trabalhadores de Saúde (Sindsaude-RN). O pedido é tão absurdo, que o juiz já deveria ter negado.

Ao abrir o prazo para o pronunciamento, é bom que vamos ter uma resposta do município e do estado a respeito do tema. Não podemos cair na esparrela da paralisação geral. Existe uma indústria da pandemia, uns poucos ganham e a maioria se lasca.

O juiz que pegou o caso é um bom julgador, vai ter a responsabilidade necessário de dizer um não gigante para esses parasitas.

Tudo que envolve o PT pode ter muita sujeira, não duvido da governadora Fátima Bezerra tentar terceirizar a responsabilidade desse pedido para um sindicato amigo.

Tanto Prefeitura, quanto Governo já teriam sido notificados do prazo para a manifestação.

Atestado de Incompetência

O Governo (estadual ou municipal) que se considerar incompetente e referendar o fechamento total pedido pelo sindsaude estará liquidado; pois recebeu dinheiro do Governo Federal e terá que atestar a falta de preparo em gerir recursos públicos e lidar com a pandemia. E não venha com a história que é para salvar vidas esse fechamento, é apenas a industria da pandemia moendo as finanças da população, querem o caos. Todos tiveram tempo para preparar o enfretamento da COVID-19

Isolamento

A Ilha de Fernando De Noronha fez algo parecido, fechou tudo e ninguém entra mais na  ilha. Todos os hotéis e pousadas foram desocupados, aeroportos fechados. Hoje a ilha está sem nenhuma pessoa contaminada. Só que eles não estão imunizados e tem que se manter isolados do mundo por mais 02 ou 03 anos. Após comemorar os números a ilha ficou em silêncio, depois que tomou conhecimento do tempo que  ficará sem contato com o resto do mundo.

Foto: reprodução

A Polícia Federal ouviu na tarde desta quarta-feira (13), Carlos Henrique Oliveira de Sousa, atual diretor executivo da corporação e o último superintendente no Rio de Janeiro, quando virou alvo dos pedidos de substituição do presidente Bolsonaro para Sérgio Moro, juntamente com o diretor-geral da PF.

Em seu depoimento, Sousa afirmou que no comando da superintendência da PF no Rio, nunca recebeu pedidos por relátorios de inteligência ou sobre quaisquer investigações a pedido da Presidência da República ou do presidente Jair Bolsonaro.

Sousa garante que não presenciou interferência nos trabalhos desenvolvidos pela Polícia Federal enquanto estava à frente das Superintendência de Pernambuco e do Rio de Janeiro. Disse também que não manteve interlocução direta com o presidente ou familiares quando assumir o comando da PF no Rio.

Ao comentar sobre os inquéritos envolvendo familiares do presidente, Sousa afirmou ter conhecimento apenas de uma investigação no âmbito eleitoral, que já foi relatada e não apresentou indiciamento

Questionado sobre eventuais problemas de produtividade na Superintendência do Rio, ele disse que quando assumiu o cargo no melhor momento da regional, alcançado durante a gestão de Ricardo Andrade Saadi.

O depoimento aconteceu na sede da PF em Brasília, simultaneamente ao depoimento da deputada federal Carla Zambelli e de Alexandre da Silva Saraiva, superintendente no Amazonas.

A oitiva foi acompanhada por representantes da PGR (Procuradoria Geral da República), da AGU (Advocacia Geral da União) e de um dos advogados que representa Sérgio Moro no processo

Já prestaram esclarecimentos no caso, além de Moro, o ex-diretor-geral da PF Maurício Valeixo, Alexandre Ramagem, um dos indicados para substituir Valeixo por Bolsonaro, Ricardo Saad, outro ex-superintendente da PF no Rio de Janeiro, e os ministros Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, e Walter Braga Netto, da Casa Civil.

Ontem, Moro e representantes da AGU, da PGR e do STF também assistiram a reunião ministerial de 22 de abril, apontada pelo ex-ministro em seu depoimento, como prova das intenções de Bolsonaro de interferir na Polícia Federal.

R7

Ao deixar o Palácio da Alvorada, nesta quarta-feira, Jair Bolsonaro também falou sobre o exame a que foi submetido para saber se foi infectado pelo novo coronavírus.

O exame foi encaminhado na noite de ontem ao ministro Ricardo Lewandowski, do STF. Bolsonaro voltou a negar que tenha contraído a Covid-19.

Ele aproveitou para citar novamente o episódio da reunião ministerial que comandou no dia 22 de abril — analisada no âmbito do inquérito que apura se o presidente interferiu na PF e cuja gravação ainda não foi divulgada publicamente.

“Alguns acham que estou mentindo. Vão cair do cavalo. Vão cair do cavalo sobre o vídeo.”

“Eu falo sobre a segurança da minha família e dos meus amigos”

Bolsonaro repetiu a tese de sua defesa de que ele teria se referido a questões de segurança de sua família — e não tentado interferir na PF para livrar os filhos — durante a reunião ministerial de 22 de abril.

“Eu falo sobre a segurança da minha família e dos meus amigos. Ou você acha que não há interesse em fazer uma maldade com um filho meu?”, questionou Bolsonaro aos repórteres.

“Eu não falo ‘Polícia Federal’. Não existe a palava ‘investigação’ no vídeo.”

O Antagonista

Um bandido foragido do sistema penitenciário do estado morreu na madrugada desta quarta-feira (13), após trocar tiros com um popular na zona Sul de Natal. Segundo a polícia militar, os criminosos estavam em um Jeep Renegede roubado assaltando, quando em Potilândia tentaram fazer uma nova vítima. Acontece que ao perceber a ação, uma pessoa não identificada reagiu efetuando disparos contra os elementos.

Após um dos assaltantes ser atingido pelos disparos, eles saíram em alta velocidade até a unidade de saúde do bairro de Mãe Luíza na rua João XXIII. O SAMU foi acionado, e ao chegar no local constatou o óbito. O bandido foi identificado como Leonardo Olinto de Lima de 23 anos.

Os policiais militares em seguida saíram em patrulhamento pelo bairro na procura pelo carro utilizado nas ações criminosas e o encontraram abandonado na rua Guanabara, em um terreno baldio em frente ao ginásio poliesportivo.

O veículo Renegade foi levado para a Central de Flagrantes na Cidade da Esperança para ser periciado.

O Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, o maior do Rio Grande do Norte, tem 30 profissionais de saúde infectados pelo coronavírus. De acordo com a direção da unidade hospitalar, referência para urgência e emergência em Natal, 80 dos 1.956 servidores estatutários que atuam no local foram testados para a doença, o que equivale a 4% do total de funcionários diretos da instituição. Em todo o Rio Grande do Norte, 475 profissionais de saúde estão com a Covid-19. Os números foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN). Esse montante equivale a 23,36% do total de casos confirmados no Estado nesta terça-feira, 12, que foi de 2.033 pessoas infectadas.

Fora da rede estruturada pelo Estado para atender os casos de Covid-19, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel recebe principalmente vítimas de trauma. O complexo, que conta com o Pronto Socorro Clóvis Sarinho, tem hoje quatro pacientes com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus. Eles aguardam o resultado dos exames em uma área do hospital que foi destinada aos que apresentam sintomas da Covid-19.

A situação revela que a epidemia já está dentro das unidades hospitalares do Estado que não estão destinadas ao tratamento de pacientes com Covid-19. No Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, por exemplo, há pacientes que aguardam procedimentos como neurocirurgias e outras cirurgias de trauma e estão com sintomas da doença.

Lá, assim como em outros hospitais do Rio Grande do Norte, é comum que os profissionais da saúde trabalhem também em outras unidades hopitalares – inclusive aquelas que estão atendendo diretamente os casos de Covid-19. Esse pode ser um dos fatores que possivelmente teria facilitado a entrada da doença nesse e em outros hospitais.

TRIBUNA DO NORTE

O setor público brasileiro se tornou uma verdadeira máquina de consumir o dinheiro do pagador de impostos: a cada 3 reais arrecadados, um vai exatamente para bancar a máquina pública, tão cara quanto ineficiente, segundo o deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS). Ele alerta que a situação é grave e o custo só com salário dos servidores públicos cresceu em média 102% desde 2008 e já equivale a 13,6% do PIB.