LEIA: Criança de 12 anos escreve carta para ler na despedida da mãe vítima de Covid-19 em Natal

A supervisora ​​financeira Genny Lima perdeu a batalha para a Covid-19 no sábado 2. Ela tinha 50 anos e era casada com o jornalista Gustavo Mariano, assessor de imprensa da secretaria de Estado de Administração Penitenciária. Genny estava internada desde 20 de março, deu entrada na UTI, foi intubada e veio ao óbito 12 dias depois. As informações são do jornalista Rafael Duarte, da Agência Saiba Mais. O marido também testou positivo, permaneceu internado durante 10 dias, mas superior alta sem necessidade de acompanhamento na Unidade de Terapia Intensiva. Logo que os médicos confirmaram a morte de Genny, o filho do casal, Miguel, de apenas 12 anos de idade, escreveu uma cartinha e pediu para que o pai o deixasse ler no momento do sepultamento do corpo da mãe. Mariano autorizou a publicação da carta como uma homenagem e sugeriu como título “Nenhuma mãe de criança pode morrer” . Abaixo, a carta escrita pelo pequeno Miguel, na íntegra: Nenhuma mãe de criança pode morrer Mamãe, Eu me lembro de cada que eu passei ao seu lado, sempre enfrentando as dificuldades da vida e superando logo em seguida, sem dúvidas você foi a pessoa mais forte que eu já conheci, pois com todos os seus problemas você sempre manteve um sorriso no rosto e cuidou de nós como se fossemos partes de você. Você era uma mulher muito iluminada, e continua sendo, cada momento com você foi um tesouro para mim, vai ser o maior presente que eu vou carregar para a vida inteira, era você que sempre quando eu acordava encantava meu dia com tudo que fez, me apoiava em momentos ruínas, aliviava o meu estresse e ansiedade, era a flor mais linda do meu jardim, o motivo de eu seguir em frente, meu coração bate por você firmemente, não tinha um dia que eu não dizia que te amava, apesar de todas as possibilidades que eu tivo com a senhora, eu reconheço que você sempre esteve certa em tudo, você é a minha razão, mãe. Eu daria de tudo para ouvir sua voz novamente, poder sentir o conforto de seus braços e admirar o brilho de seus olhos lindos, a gente vai seguir lutando por você, honrando uma pessoa maravilhosa que você é, faremos com que seu esforço aqui não tenha sido em vão. Eu ainda me lembro dos dias em que eu estive doente e você deixou que eu dormisse com você, sempre me dando carinho e me abençoando com as suas orações, você foi minha heroína mãe, e continua sendo dentro do meu coração, aonde você sempre esteve , vai ser difícil, isso eu tenho certeza, mas todos nós aqui persistindo e louvando por você somos a prova de que sua missão foi concluída, seu brilho não se apagou e sempre continuou conosco. Você é uma jóia inestimável que deus fez questão de nos dar, e agora devolvemos com todo amor e carinho, rezamos para que foi bem recebido. Você é o meu sol mãe, que me ilumina todas as manhãs, a minha razão de viver, continuarei estudando suas memórias como se fossem minhas e da família, e espero que um dia você possa voltar para mim, para meus braços, aonde nós dois vivemos uma eternidade. Com amor, seu filho Miguel. Você é a Luz dos meus Olhos, Mamãe.