Categoria: Uncategorized

Para o infectologista, a tendência de queda nos atendimentos a pacientes com Covid-19 deve se manter. Para justificar sua opinião, ele cita principalmente a inauguração, pela Prefeitura do Natal, do centro de atendimento para enfrentamento da Covid-19, que vai funcionar no Ginásio Dias, zona Norte da capital, a partir da próxima segunda-feira (06). No local serão distribuídos 1 milhão de comprimidos de ivermectina.

“Eu tenho certeza de que as internações em UTIs, a mortalidade, em tudo isso vai ter um impacto importante”, disse, ainda sobre o uso do medicamento.

Suassuna explica que o papel da ivermectina no tratamento profilático é o de modular a imunidade dos grupos de risco, fazendo com que tenham infecções assintomáticas ou leves. “O tratamento precoce destes grupos de risco é fundamental e complementa a profilaxia. Não precisar ir ao hospital é o grande objetivo”, finaliza.

VERMÍFUGO

Apesar da falta de estudos efetivos que comprovem a eficácia da ivermectina contra o coronavírus, Dr. Suassuna afirma que o vermífugo é usado há mais de 40 anos contra “doenças ainda piores do que essa [covid]”, sendo usado, inclusive como prevenção. “No mundo todo tem uma grande segurança e tem eficiência para matar vírus”, ressalta.

Fonte: Portal Grande Ponto

Os arrastões com invasão de domicílios estão se intensificando a cada dia em Mossoró, deixando a população amedrontada. Na noite desta sexta feira (03) e madrugada de sábado (04) bandidos invadiram duas casas em bairros distintos, onde fizeram as famílias de reféns sob miras de arma de fogo.

O primeiro arrastão ocorreu por volta das 21:30, em uma casa na rua Francisco de Assis Soares, no bairro Santo Antônio, próximo ao Conjunto Wilson Rosado. Os criminosos levaram um veículo Hyundai HB20 de cor branca, além de 07 aparelhos de celulares e uma quantia de 1.400,00 reais em espécie.

Uma guarnição da Polícia Militar, foi acionada via Central de Operações (CIOSP) e durante patrulhamento nas imediações onde ocorreu o roubo, os policiais se depararam com o carro levado no arrastão, estacionado as margens da BR 304, próximo a entrada do Redenção. Os criminosos não foram localizados.

Já na madrugada deste sábado (04), por volta das 03h00min, um novo arrastão foi registrado no mesmo bairro. Cerca de três bandidos armados, pularam o muro de uma casa, invadiram a residência e depois de render a família, fizeram um verdadeiro rapa. Foram levados celulares, um carro Pálio de cor branca e uma moto.

A Viatura do bairro composta pelo sargento Sidney Góis e o cabo Barbosa, após diligências, conseguiu recuperar o carro e a motocicleta. Os veículos estavam abandonados em região de lagamar, nas proximidades da Estrada do Óleo e da Bacia de Captação da Caern no Bairro Barrocas. Os veículos foram apresentados na delegacia de plantão da Polícia Civil e depois dos procedimentos devolvidos aos proprietários.

O número de domicílios em situação de extrema pobreza no Rio Grande do Norte seria sete vezes maior sem o auxílio emergencial durante a pandemia do novo coronavírus. A conclusão é de uma pesquisa feita pelos docentes do Departamento de Demografia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Ricardo Ojima e Jornada Cristina de Jesus. Em maio, cerca de 20 mil, 1,85% dos domicílios, possuíam uma renda por pessoa inferior a R$ 145 por mês. Sem o auxílio, esse percentual seria de aproximadamente 13,08%, ou 141,6 mil domicílios.

A faixa de renda da pobreza extrema em R$ 145 per capita foi o estabelecido em 2019 pelo Banco Mundial e utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) como pobreza extrema. Em 2019, 10,3% dos domicílios do Rio Grande do Norte viviam com menos do que R$ 145 per capita. O IBGE vai divulgar os números consolidados deste ano apenas no final do ano. Entretanto, classificação de pobreza não é utilizada por Ojima por ele avaliar que os cortes de renda não conseguem “incorporar as múltiplas dimensões da pobreza, que vão além da pobreza monetária.”

Na família de Isaías Rodrigues e Irene Ribeiro, o impacto do auxílio-emergencial foi imediato na renda. O casal recebia R$ 450 de Bolsa Família para manter quatro filhos e foi beneficiado com o auxílio emergencial. Os dois conseguiram, e a segurança do benefício fez com que saíssem menos de casa durante a pandemia. Ambos trabalham como catadores de materiais recicláveis e conseguem de R$ 200 a R$ 300 para complementar a renda mensal.

Em famílias potiguares que recebem até R$ 141,25, a renda familiar per capita durante a pandemia estava em torno de R$ 76,17. Com o auxílio, a renda foi elevada para R$ 319,68. O acréscimo é de 319%, segundo o IBGE. É o maior aumento entre todas as faixas contempladas pelo auxílio emergencial. “O impacto é imediato porque elevou primeiro a renda de quem está na faixa mais pobre e outra parcela da população que foi muito prejudicada pela pandemia, como os autônomos e trabalhadores informais. Eles poderiam estar sem renda alguma se não fosse o auxílio emergencial”, declarou Ricardo Ojima.

TRIBUNA DO NORTE

Diversas empresas iniciaram nesta semana um boicote ao Facebook anunciando que deixarão de veicular anúncios publicitários durante o mês de julho na plataforma e em outros apps controlados pela empresa, como Instagram. A recusa foi motivada pelo que consideraram a incapacidade da rede social de lidar com o discurso de ódio, desinformação e conteúdos de incitação à violência.

Fonte: Portal Grande Ponto

Desde que o Consórcio do Nordeste foi formado, um dos objetivos foi a compra dos respiradores para ajudar no atendimento aos pacientes da Covid-19, mas o que se viu foram casos de suspeitas de superfaturamento e até de perda de dinheiro.

A Secretaria de Saúde de Pernambuco já enviou ofício ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) no qual informando que o Estado de Pernambuco não irá mais realizar compras para o enfrentamento da covid-19 através do Consórcio Nordeste. Enquanto isso, o secretário de Saúde do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia, defende a manutenção do Consórcio e alega que os estados foram enganados.

Vale destacar que o Governo do Estado pagou cerca de R$ 4,9 milhões por 30 equipamentos, que ainda não foram entregues. O próprio Consórcio desistiu da compra de 750 respiradores inicialmente solicitados ao valor de aproximadamente R$ 48 milhões. O valor pago pelo RN ainda não foi recuperado.

O objetivo foram compras conjuntas para gerar economia. Inclusive, a Secretaria de Saúde do estado diz que obteve uma redução em 30% de vários itens, mas aí veio a fraude dos respiradores.

Outros estados começam a tomar posição. Pernambuco disse que não compra mais nada na pandemia pelo consórcio. Aqui não só vai comprar, como reafirmar a manutenção.

Falta de Noção ou Safadeza?

Informativo Atitude: Ninguém sabe se essa atitude do governo Fátima é falta de noção ou safadeza, pois ninguém em sã consciência fecharia mais nada com consórcio, que querendo ou não, foi responsável pela perca, ou melhor pelo sumiço de cerca de 5 milhões.

com informações do BG

De acordo com o humorista, enfrentar a doença tem sido difícil, doloroso e assustador. Ele ainda lembrou que mesmo nessa situação, seu pensamento está na cura.

O humorista paraibano Renan da Resenha informou, neste sábado (4), através das redes sociais, que está internado para tratar a infecção pelo novo coronavírus.

Segundo o humorista, enfrentar a doença tem sido difícil, doloroso e assustador. Ele ainda lembrou que mesmo nessa situação, seu pensamento está na cura.

Renan classificou a doença como a maior batalha de sua vida e pediu orações para se recuperar da Covid-19.

“Essa é a maior batalha da minha vida e só tenho um pedido a vocês. Rezem por mim gente! Quero muito viver… prometo recompensar cada oração com muita alegria e sorrisos naquele dia difícil que vc viver! Um beijo grande em cada um! VAMOS VENCER!”, diz trecho da publicação

Nos últimos dias, hospitais privados de Natal e até Unidades de Pronto Atendimento (UPA) têm registrado queda nos atendimentos de pacientes com Covid-19. Para o médico infectologista Fernando Suassuna, membro do comitê científico da Prefeitura de Natal, a baixa na procura por atendimento têm relação, entre outros aspectos, com os efeitos da ivermectina na população.

No começo do mês de junho a ivermectina provocou uma verdadeira corrida da população natalense às drogarias e farmácias de manipulação. Era comum se ver em todas as regiões da cidade filas com centenas de metros formadas por clientes em frente a esses estabelecimentos em busca do medicamento.

Para o infectologista Fernando Suassuna, a queda nos atendimentos tem relação com dois fatores. “Primeiro com o uso da ivermectina há mais ou menos duas ou três semanas, mas também ao tratamento precoce e à profilaxia feita a nível dos planos de saúde, que fizeram seus protocolos, saíram na frente e começaram a fazer os antivirais precocemente com a cloroquina, azitrominica e ivermectina. Então, com isso, essa tendência é de queda. E também da ivermectina sim, porque durante esse período, de duas ou quatro semanas, começa o efeito da ivermectina modulando a imunidade das pessoas”, explica o infectologista.

Fernando Suassuna ressalva, no entanto, que sua conclusão sobre a relação da ivermectina com a redução nos atendimentos em Natal não é um dado científico, mas uma análise sua como médico. “A gente não tem como provar nada, mas acha que são esses dois fatores”.

No final de junho o presidente licenciado do Sindicato dos Médicos do RN (Sinmed), Dr. Geraldo Ferreira, visitou o Hospital São Lucas, um dos mais tradicionais de Natal, e informou que o atendimento a pacientes com covid-19 caiu em torno de 51% em uma semana na unidade.

No dia 1º de julho, Dr. Geraldo Ferreira visitou o hospital privado Rio Grande e recebeu a informação que a unidade retomará as cirurgias eletivas nos próximos dias. A decisão foi tomada diante da redução de atendimentos a pacientes com Covid-19, que ocuparam praticamente toda a unidade nos últimos meses.

No final do mês passado pesquisadores da UFRN divulgaram uma pesquisa que aponta para uma redução nas demandas por solicitações de regulação que partem das UPAs no RN. De acordo com a avaliação, essa queda na pressão das UPAs deve refletir na diminuição nos internamentos e demandas por leitos de UTI e UCI nos próximos dias.

Fonte: Portal Grande Ponto

Foto: Getty imagens/FPM

O Rio Grande do Norte registrou nas últimas 24 horas, 489 novos casos de coronavírus e 29 óbitos, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), neste sábado (4).

Agora, no total são 33.910 infectados e 1.200 óbitos provocados pela Covid-19 no RN. Há 171 mortes sob investigação.

O número de suspeitos chega a 45.614, casos descartados são 53.465.

Caso foi registrado na tarde de sexta-feira (2) em Nísia Floresta.

Um homem foi assassinado a tiros na tarde de sexta-feira (3) em Nísia Floresta, cidade da Região Metropolitana de Natal. A vítima foi identificada como Cosme Benedito de Lima Silva, de 29 anos, um estudante de gastronomia, que foi cercado e morto com diversos tiros.

De acordo com a Polícia Militar, Cosme estava próximo a um posto de combustíveis. Ele foi abordado por ocupantes de um carro, que efetuaram os tiros sem sair do veículo. Após o crime, que tem características de execução, os atiradores fugiram e não foram localizados pelos policiais.

O Instituto Técnico-Científico de Perícia Científica (Itep) isolou o local para a remoção do corpo. O trabalho de investigação do caso será feito pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Por G1 RN

A associação que reúne as universidades privadas no país pediu ao STF que derrube todas as decisões judiciais, decretos estaduais e projetos de lei que reduzem as mensalidades, em razão da paralisação das aulas.

A entidade alega que muitas faculdades mantiveram as aulas online e pedem que pelo menos essas continuem cobrando dos alunos.

“A imposição de desconto sem qualquer contraprestação às instituições de ensino gera medida absolutamente excessiva e desnecessária”, reclama a Anup na ação.

O pedido de liminar está sobre a mesa de Dias Toffoli.

O ANTAGONISTA