Arquivos

Uma ação conjunta de policiais militares da Força Tática do 2º BPM e do Segundo Distrito de Polícia Rodoviária Estadual (2º DPRE), no início da noite desta segunda feira 01 de junho de 2020, resultou na apreensão de drogas, arma de fogo, balanças de precisão e munições e prisão de um casal suspeito.
A ação teve início no estacionamento de um supermercado da cidade, onde. Everton Duarte da Silva, conhecido como “Papú” de 21 anos e sua companheira Brenda Bruna da Silva, 22 anos, foram presos de posse de uma pistola calibre 380 com 16 munições.


Os policiais chegaram até o casal depois de uma denuncia anônima. Após a abordagem e com materialidade de crime, as equipes de policiais, foram até a casa do casal, no Conjunto Nova Mossoró, onde encontraram 400 gramas de cocaína, 01 tablete médio de maconha, várias trouxinhas da mesma droga, balança de precisão, 1.500 reais em dinheiro e dois celulares.


O casal foi conduzido juntamente com o material apreendido para a delegacia de plantão da Polícia Civil, para os procedimentos cabíveis. Everton Duarte teve sua casa , localizada no Conjunto Redenção, metralhada duas vezes em menos de 24 horas, na semana passada, onde seus inimigos queriam eliminá-lo. Nas duas tentativas, o alvo conseguiu escapar da morte

O Ministério da Saúde divulgou uma nota informando que o Rio Grande do Norte corrigiu os casos de Covid-19 que havia informado ao governo federal no domingo (31).

“Neste domingo (31/5), o Rio Grande do Norte informou ao governo federal 8.051 casos de Covid-19. No entanto, nesta segunda-feira (1º/6), o estado informou que os dados repassados estavam incorretos devido a problemas internos no banco de dados e atualizou para 7.402, ou seja, 649 casos a menos”, diz a nota da pasta.

Com isso, o número total de casos no Brasil no domingo (31/5) acabou sendo revisto para baixo –de 514.849 para 514.200.

Assim, somando os 12.247 novos casos registrados nesta segunda (1º), o ministério chegou ao total de 526.447 casos confirmados de Covid-19 no país, conforme consta da tabela divulgada hoje.

Fonte: O Antagonista

Fonte: Portal Grande Ponto

Ciro Gomes afirmou nesta terça-feira que este não é o melhor momento para que as pessoas protestem nas ruas contra o governo de Jair Bolsonaro.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, o candidato derrotado ao Planalto em 2018 disse que a “quebradeira” e a violência de algumas manifestações ajudam Bolsonaro, ao invés de prejudicá-lo.

“Nós não precisamos enfrentá-los nas ruas neste momento”, afirmou Ciro sobre os militantes bolsonaristas. “Não custa nada. Vamos aguentar passar o pico da pandemia.”

Sobre as eleições de 2022, Ciro disse:

“A população vai pedir respostas consequentes para os problemas. Não vai ser a hora para experiência. […] Bolsonaro é despreparado, não entende nada de nada. Quem vai ganhar, vai depender da audácia das respostas que serão oferecidas.”

A reunião da governadora Fátima Bezerra com os prefeitos da região metropolitana de Natal acabou com uma interrogação para a próxima sexta-feira, quando vence o atual decreto. O governo quer 70% de isolamento social, o percentual hoje é na casa dos 42% e caso aumentem os casos pode endurecer as regras.

Isso só demonstra a incompetência administrativa de lidar com a situação, não dando segurança sanitária para a população e ainda gerando especulações pela falta de decisão concreta.

O secretário de saúde Cipriano Maia quer o lockdown e o governo em seu release distribuído diz: “Para tanto, foi criada uma comissão entre o Governo Estadual e os municípios para definir ações concretas, tais como as blitzen que já vêm acontecendo, rondas nos bairros e comércios, proibição de circulação em áreas públicas, fechamento de acesso às praias e controle de trânsito. Foi proposta, ainda, uma ação integrada das forças de segurança do Estado e municípios e dos Procons, de forma a intensificar a fiscalização do cumprimento das medidas”.
Qual o nome disso?

 

Celso de Mello rejeitou o pedido apresentado por PDT, PSB e PV para apreender os celulares de Jair Bolsonaro e Carlos Bolsonaro no inquérito sobre a interferência do presidente na Polícia Federal.

Na decisão, obtida por O Antagonista, o ministro afirmou que os partidos não têm legitimidade para solicitar diligências essas, que cabem exclusivamente à Procuradoria Geral da República.

O ministro acolheu o parecer contrário apresentado por Augusto Aras e adotou a mesma posição de pedidos semelhantes apresentados ao STF.

“Não se mostra lícito ao Poder Judiciário determinar ‘ex officio’ ou mediante provocação de terceiro (noticiante) a instauração de inquérito, o oferecimento de denúncia e a realização de diligências (como, p. ex., a medida cautelar de busca e apreensão de aparelhos celulares), sem o prévio requerimento do Ministério Público”, escreveu.

Mas além disso, Celso de Mello considerou que o pedido não estava bem fundamentado para uma medida tão drástica.

“Quanto a esse ponto, o Supremo Tribunal Federal tem enfatizado que a quebra do sigilo telefônico ou telemático de qualquer pessoa, mediante busca e apreensão de seu aparelho celular, só pode ser legitimamente decretada, desde que seja tal ato precedido de deliberação provocada por pedido adequadamente fundamentado e no qual se indique a necessidade objetiva de adoção dessa medida extraordinária”, afirmou.

“É preciso advertir que a quebra de sigilo não pode converter-se em instrumento de devassa indiscriminada dos dados – bancários, fiscais, pessoais e/ou telefônicos – postos sob a esfera de proteção da cláusula constitucional que resguarda a intimidade, inclusive aquela de caráter financeiro, que se mostra inerente às pessoas em geral, razão pela qual a cláusula de sigilo, como regra geral e enquanto valor constitucional que é, não pode nem deve ser exposta a intervenções estatais ou a intrusões do Poder Público, quando desvestidas de causa provável ou destituídas de base jurídica idônea”, escreveu, em outro trecho.

Na notícia-crime, os partidos de oposição também queriam a apreensão dos celulares de Maurício Valeixo, Sergio Moro de Carla Zambelli.

Eles pediam que a PGR acuse formalmente Bolsonaro por falsidade ideológica, prevaricação, advocacia administrativa, coação no curso do processo e obstrução de Justiça. Quanto a isso, a decisão caberá novamente a Augusto Aras.

O ANTAGONISTA

A DOR E O DESESPERO DAS EQUIPES DE SAÚDE

O vídeo publicado pelo Deputado Estadual Coronel Azevedo, narra a realidade cruel e o desespero das equipes de saúde que veem pacientes se debatendo em macas, não pela falta de respirador, mas pela falta de anestesia, pois a intubação é um procedimento extremamente doloroso e só pode ser feito com o paciente inconsciente e anestesiado.

DESESPERO

A verdade dói, mas ela precisa ser revelada. Segundo o Coronel Azevedo, o desespero de enfermeiros ao ver pacientes se debatendo gritado por socorro em uma busca desesperada por oxigênio, é algo traumatizante. Muitos desses pacientes morrem em total desespero. As cenas são tão fortes que os profissionais choram.

EM CHOQUE

O relato deste desgoverno Fátima foi tão pesado, que eu estou escrevendo essa matéria em choque. Esse governo teve meses para se preparar e as únicas ações que temos visto foi do Governo Federal. Em resumo, se não fosse o governo Bolsonaro o RN estava em um caos ainda maior.

O SILÊNCIO DA CULPA

O silêncio da governadora Fátima e do seu Secretário de Saúde, só nos mostra que os relatos do Coronel são verdadeiros. O que dizer aos familiares que deixam seus entes queridos em um hospital estadual, achando que ele está sendo bem tratado e ler uma matéria como essa?!

ALGUÉM TEM QUE TOMAR UM ATITUDE

Atenção Ministério Público e Defensoria, alguém tem que tomar uma atitude com relação a esses relatos. Esse governo está transformando nossos hospitais em verdadeiros filmes de terror.

Abaixo confira os relatos do Coronel Azevedo:

G1

Três pessoas foram presas na manhã desta segunda-feira (1º) durante uma operação da Polícia Civil da Bahia contra a empresa que vendeu e não entregou respiradores ao Consórcio do Nordeste. Além das prisões, a operação Ragnarok cumpre 15 mandados de busca e apreensão em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

De acordo com a polícia do Distrito Federal, foram cumpridos dois mandados de prisão temporária em um hotel e dois de busca e apreensão em um residencial de Brasília. A outra prisão ocorreu no Rio de Janeiro. Os presos devem ser trazidos para a Bahia ainda nesta segunda-feira.

A polícia informou que o grupo alvo da ação é especializado em estelionato, através de fraude na venda de equipamentos hospitalares. Conforme apontam as investigações, a empresa recebeu R$ 48 milhões por um conjunto de respiradores, não os entregou e ainda não devolveu o recurso.

O grupo foi descoberto após denúncia do Consórcio Nordeste, que tentou adquirir respiradores para o combate ao coronavírus. A empresa alvo da ação se apresentava como revendedor dos produtos.

Ainda segundo as investigações, a empresa tentou negociar de forma fraudulenta com vários setores no país, entre eles os Hospitais de Campanha e de Base do Exército, ambos em Brasília.