Violência: “Eu acho que ele não me matou lá, porque os meninos entraram no meio”, diz porteiro de condomínio em Ponta Negra agredido por policial penal - Informativo Atitude

Violência: “Eu acho que ele não me matou lá, porque os meninos entraram no meio”, diz porteiro de condomínio em Ponta Negra agredido por policial penal

Foto: reprodução

O porteiro que foi agredido por um morador do condomínio Ecogarden, em Ponta Negra, cujo vídeo se tornou público nos últimos dias, conversou com a reportagem do g1-RN e deu detalhes sobre o ocorrido.

Segundo o porteiro de 53 anos, que preferiu não se identificar, o morador o agrediu ao sair e, depois de um tempo, voltou armado e fez novos ataques.

VEJA MAIS: VÍDEO: Policial penal invade guarita e agride porteiro de condomínio em Ponta Negra

“O rapaz foi saindo do condomínio já levando o portão na mão. Arrancou e jogou fora. Aí voltou, abriu a portaria, já me agredindo com socos, falando que eu não sabia trabalhar e me disse que eu ia morrer”, disse.

“Ele saiu pra uma reserva na churrascaria, conversou com um amigo dele, pegou uma pistola, voltou de novo e me agrediu de novo. Até cair eu caí, quebrando os dedos da mão”, completou.

O porteiro teve o punho, a mão e parte da face machucada. Mais dois outros porteiros presenciaram o fato. “Inclusive eu acho que ele não me matou lá, porque os meninos entraram no meio”, disse o profissional.

A reportagem do g1 não conseguiu contato com o policial penal. A Secretaria de Administração Penitenciária disse que não vai se manifestar sobre o caso.

O porteiro foi afastado pela empresa na qual trabalha por 30 dias para tratamento médico e acompanhamento do caso. Ele agora teme o retorno às atividades.

“Eu tenho que voltar a trabalhar. Como eu vou trabalhar num condomínio desse, sendo ameaçado de morte? Não tem como eu trabalhar num condomínio desse”, disse. Veja a matéria completa no g1-RN.