MORTES: Número de policiais mortos cresce em 2020; o de pessoas mortas em confrontos tem ligeira queda no Brasil - Informativo Atitude

MORTES: Número de policiais mortos cresce em 2020; o de pessoas mortas em confrontos tem ligeira queda no Brasil

Em ano marcado pela pandemia e pelo aumento dos crimes violentos em geral, país registra pequena redução na letalidade policial, muito por causa do Rio de Janeiro, já que houve crescimento de mortes em 17 estados. Número de agentes assassinados tem alta de 10%.

Imagem: Google

2020 foi um ano marcado pela alta nas mortes de agentes, mesmo em plena pandemia. Foram 198 vidas perdidas, um acréscimo de 10% em relação a 2019. O crescimento ocorre após três anos seguidos de queda nos óbitos de policiais.

O número de pessoas mortas pela polícia, por sua vez, teve ligeira queda (-3%), contrastando com a alta no número de agentes assassinados e de crimes violentos no geral. Ainda assim, é um número alarmante: 5.660 pessoas foram mortas por forças policiais no Brasil. A expressiva baixa de mortes no Rio de Janeiro teve impacto direto na redução nacional, mesmo com o crescimento registrado em 17 unidades da federação.

Os dados sobre vitimização e letalidade policial, inéditos, fazem parte de um levantamento exclusivo feito pelo G1 dentro do Monitor da Violência, uma parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Foram solicitados os casos de “confrontos com civis ou lesões não naturais com intencionalidade” envolvendo policiais na ativa. Os pedidos foram feitos para as secretarias da Segurança Pública dos 26 estados e do Distrito Federal por meio da Lei de Acesso à Informação e das assessorias de imprensa. Apenas Goiás se recusou, mais uma vez, a passar as informações.

Os dados revelam que:

  • o Brasil teve 198 policiais assassinados em serviço e de folga no ano passado – um aumento de 10% em relação a 2019
  • Piauí foi o estado com a maior taxa de policiais mortos (1 a cada mil policiais)
  • Acre, Paraná, Rio Grande do Sul e Tocantins foram os únicos estados que não registraram nem sequer uma morte de policial no ano passado
  • ao menos 5.660 pessoas foram mortas por policiais em 2020 – uma ligeira queda de 3% em relação a 2019, quando foram registradas 5.829 vítimas (sem contar Goiás em ambos os anos)
  • Rio de Janeiro teve 575 mortes a menos de um ano para o outro, puxando a baixa no país
  • ao todo, 17 estados registraram crescimento nas mortes por forças policiais
  • Amapá foi o estado com a maior taxa de letalidade policial em 2020: 12,8 por 100 mil habitantes
  • Distrito Federal teve a menor taxa: 0,4 a cada 100 mil

Os dados mostram que 140 dos 198 policias mortos estavam de folga, ou seja, mais de 70% do total.

Mortes pela polícia: queda em ano violento

Um número que chama a atenção no levantamento é o que diz respeito às pessoas mortas por policiais. Ele contrasta com o aumento da violência registrada em todo o país no ano passado. Dados do Monitor da Violência apontam que os assassinatos cresceram 5% de janeiro a dezembro.

Esses dados, publicados pelo G1 em fevereiro, incluem os chamados Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que são os homicídios dolosos (em que há intenção de matar), os latrocínios (roubos seguidos de morte) e as lesões corporais seguidas de morte. Não havia, porém, os casos de policiais mortos e o de pessoas mortas pela polícia, divulgados agora.

Houve 5.660 pessoas mortas pela polícia em 2020, ante 5.829 em 2019, uma queda de 3%.

Rio de Janeiro: com operações restritas, baixa recorde

O Rio de Janeiro teve a maior queda no número absoluto de mortes por intervenção policial. Houve 1.239 vítimas em 2020, ante 1.814 em 2019 – quase 600 a menos. A redução em termos percentuais também é uma das três mais altas do país: -32%.

Uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) de suspender operações durante a pandemia da Covid-19 foi crucial para isso.

Os dados mostram que a queda no registro de vítimas coincide exatamente com a decisão do STF, no dia 5 de junho.

Naquele mês, houve uma redução de 78% em relação ao mesmo mês do ano anterior. As mortes por intervenção caíram de 153, em junho de 2019, para 34, em junho de 2020.

O patamar se manteve baixo até outubro, quando as mortes voltaram ao mesmo nível do ano anterior. Mas o número voltou a cair em novembro e dezembro.

Amapá: a polícia que mais mata

Já o Amapá teve, mais uma vez, a maior taxa de letalidade policial no país: 12,8 a cada 100 mil. Ao todo, 110 pessoas foram mortas pelas forças policiais. É a terceira vez nos últimos cinco anos que o estado encabeça a lista.

Policiais mortos em 2020

Em serviço Fora de serviço Total
Acre 0 0 0
Alagoas 0 2 2
Amapá 0 1 1
Amazonas 2 4 6
Bahia 1 10 11
Ceará 2 2 4
Distrito Federal 0 1 1
Espírito Santo 0 1 1
Goiás 0 0 0
Maranhão 1 4 5
Mato Grosso 0 1 1
Mato Grosso do Sul 4 1 5
Minas Gerais 7 6 13
Pará 1 12 13
Paraíba 0 3 3
Paraná 0 0 0
Pernambuco 0 14 14
Piauí 0 7 7
Rio de Janeiro 14 30 44
Rio Grande do Norte 0 3 3
Rio Grande do Sul 0 0 0
Rondônia 0 4 4
Roraima 0 1 1
Santa Catarina 2 5 7
São Paulo 22 27 49
Sergipe 2 1 3
Tocantins 0 0 0
Total 58 140 198