Ex-presidente Lula: “No meu governo povo comprava picanha”

Em vídeo, disparado em seu canal neste domingo (8), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou vários assuntos, entre eles o preço da carne, as notícias tendenciosas da TV Globo e a, segundo ele, “vitória parcial” do campo progressista no Congresso a respeito do Pacote Anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Lula lembrou que, no momento em que foi acusado pelo processo conhecido como “quadrilhão do PT”, o Jornal Nacional deu 12 minutos e 30 segundos para o assunto. “Na hora em que o juiz recusa a aceitar a denúncia, a Rede Globo de Televisão deu apenas 52 segundos”, lembrou Lula.

Lula afirmou também considerar um absurdo que o Brasil, que é o país “que tem o maior rebanho de gado do mundo, o maior produtor de proteína animal do mundo, o povo pobre não possa comprar carne. Não é possível”, exclamou.

Lula também fez elogios ao Congresso por não ter aprovado o projeto anticrime. “O Moro queria um projeto onde ele e o polícia pudessem tudo e o povo não pudesse nada”.

O picareta-mor Lula usou sua conta no Twitter para tentar iludir a população, disse que na época que governava a população comia picanha, hoje só tem acesso a carne moída.
Isso porque a valor da carne tem aumentado devido  aquecimento do mercado internacional. Estamos exportando em grande quantidade, o que é excelente para a economia do país.
Se um dia o pobre comprou picanha no governo Lula foi graças ao empréstimo consignado no cartão do avô. O consumo na época era estimulado pelo endividamento com altíssimas taxas de juros. A festa dos bancos.