Brasil recebe novo lote da Pfizer com mais de 1 milhão de doses - Informativo Atitude

Brasil recebe novo lote da Pfizer com mais de 1 milhão de doses

Chegou ao Brasil na noite desta quarta-feira (28) carregamento de 1.053.000 doses de vacina da Pfizer. O avião, vindo de Miami, nos Estados Unidos, aterrissou no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, às 19h57.

Esse é o 30º carregamento entregue pela farmacêutica norte-americana, completando 25 milhões de doses fornecidas ao governo brasileiro. Até 1º de agosto, a empresa deve entregar aproximadamente mais 5 milhões de doses.

Na terça-feira (27), chegou ao país o 29º lote, também com 1.053.000 doses.

Para agosto, a previsão mais recente do Ministério da Saúde é de 33,3 milhões de doses do imunizante da Pfizer, mais da metade de todas as 63,3 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 que o órgão espera receber no próximo mês.

De setembro a dezembro, a Pfizer prevê entrega de cerca de 140 milhões de doses ao Brasil. O Ministério da Saúde avalia reduzir o intervalo entre as doses da Pfizer para ter maior eficácia em barrar o avanço da variante delta no país. O período de 21 dias está previsto na bula da vacina da Pfizer, mas o Ministério da Saúde decidiu ampliar para 3 meses em 2020 alegando não ter “certeza da quantidade de doses que receberíamos neste ano” e, portanto, “optamos por ampliar o número de vacinados com a 1ª dose”, disse em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

“Mas agora temos segurança nas entregas e dependemos apenas da finalização do estudo da logística de distribuição interna dos imunizantes para bater o martelo sobre a redução do intervalo da Pfizer para 21 dias”, disse Queiroga na ocasião.

O ministro, no entanto, afirmou na terça-feira (27) no Twitter que só depois da aplicação da 1ª dose em toda a população acima de 18 anos é que será avaliada a redução do intervalo. Ele também afirmou que Estados e municípios devem seguir as orientações do Ministério sobre o intervalo de aplicação das doses das vacinas.

Levantamento do Poder360 mostra que 9 Estados e o Distrito Federal já decidiram reduzir o intervalo entre doses da Pfizer e/ou da AstraZeneca. São eles: Acre, Espírito Santo, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

As gestões estaduais têm adotado essa medida como tentativa de acelerar a imunização da população e conter o avanço da variante delta, que já foi responsável por 169 casos, segundo balanço divulgado na segunda-feira (26) pelo Ministério da Saúde.

Especialistas, entretanto, questionam a medida. Em nota, a SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações) e a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) afirmam que o intervalo de 12 semanas permite alcançar mais rapidamente uma proporção maior da população com pelo menos uma dose.

“Para muitas vacinas, de maneira geral, intervalos maiores entre doses oferecem respostas imunes mais robustas após a 2ª dose, o que, em princípio, pode se traduzir, inclusive, em respostas protetoras mais duradouras”, diz o texto.

Fonte: Blog do Gustavo Negreiros