Banco Mundial avalia apoio financeiro ao Parque Científico e Tecnológico do RN

A implantação do Parque Científico e Tecnológico do Rio Grande do Norte (PCTRN) poderá contar com recursos do Projeto Integrado de Desenvolvimento Sustentável do RN – o Governo Cidadão –, realizado com recursos do empréstimo do Banco Mundial. A ideia foi discutida em reunião de gestores do Governo do Estado e de representantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), da Fundação de Apoio à Pesquisa do RN (FAPERN) e do Instituto Metrópole Digital (IMD) com integrantes da Missão do Banco Mundial, nesta sexta-feira (27), na sede do Governo Cidadão.

“Essa é uma reunião de tratativas para a implementação desse instrumento para o desenvolvimento do RN, no que diz respeito a soluções avançadas nos setores de Energia, Saúde e Tecnologia da Informação. O Governo do Estado já decidiu que o projeto será viabilizado e esperamos agora o sinal positivo do Banco Mundial para que entremos com o aporte de R$ 8 milhões, a partir do acordo de empréstimo com a instituição”, explicou o secretário de Gestão de Projetos e Metas e coordenador do Governo Cidadão, Fernando Mineiro.

A professora e ex-reitora da UFRN, Ângela Paiva, que coordena o processo de implementação do Parque, apresentou o projeto já alinhado às recomendações do Banco Mundial a partir da análise das propostas preliminares pela instituição financeira, pontuando desde a parte técnica até a econômico-financeira, com destaque para sustentabilidade pós implementação.

“O parque virá para estimular a cultura do empreendedorismo inovador, a partir da junção de Governo, Academia e setor privado, desenvolvendo áreas importantes e que requerem ciência e tecnologia de alto impacto, o que trará benefícios para o Estado, fomentando a pesquisa e atraindo empresas para se instalarem”, explicou, Ângela.

Potencial
A gerente do Projeto Governo Cidadão junto ao Banco Mundial, Fátima Amazonas, acredita que o parque é uma iniciativa de grande potencial para o desenvolvimento de políticas de ciência e tecnologia com aplicação prática em áreas importantes.

“É um projeto desafiador, mas com grande potencial a ser desenvolvido e está dentro das linhas de apoio ao Projeto Governo Cidadão. Contando com a expertise da UFRN, outras áreas poderão ser agregadas às iniciativas, como a inteligência para a saúde e para o desenvolvimento e pesquisa de práticas para o convívio com o semiárido. Tecnologias, práticas e experiências que poderão ser aplicadas, não somente no RN, mas em toda a região Nordeste”, disse Amazonas, destacando que a equipe do banco analisará o projeto em detalhes, levando em consideração as áreas a serem desenvolvidas, a análise econômico-financeira, de sustentabilidade, de risco, além da estrutura de governança.

Também participaram do encontro o vice-reitor da UFRN, Hênio Ferreira de Miranda; o secretário de Desenvolvimento Econômico do RN (Sedec), Jaime Calado; o assessor técnico da Sedec, Pedro Lima; o diretor de Inovação da Fapern, Júlio Francisco Dantas de Rezende; o diretor do IMD, Anderson Paiva Cruz; o professor da UFRN Jesus Salazar, doutor em Ciência e Engenharia de Petróleo; e os especialistas do Banco Mundial Ezaú Pontes(Saúde), Daniela Arruda (Operações) e Paula Freitas (Recursos Hídricos).

O que é o PCTRN

O PCTRN funcionará em terreno de 100 hectares, disponibilizado pela UFRN no município de Macaíba. Terá uma estrutura com 15 mil metros quadrados de área construída, destinada originalmente ao Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IINELS) e ao Instituto Santos Dumont (ISD), fundados pelo pesquisador Miguel Nicolélis.

A parceria para viabilizar o PCTRN envolve o Governo do Estado, por meio do Governo Cidadão, Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Universidade Estadual do RN (UERN) e Fundação de Apoio à Pesquisa (Fapern); Universidade Federal do RN (UFRN); Universidade Federal do Semiárido (Ufersa), Instituto Santos Dumont (ISD); Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-RN); Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (IFRN); e Federação das Indústrias do Estado do RN (Fiern).

Apesar de ter sido planejado em 2014, o PCTRN não avançou em sua execução. Na gestão passada chegou a ser apresentado para inclusão no Projeto Governo Cidadão, mas foi rechaçado por inadequação: era um projeto de instituições, e não de Estado. Em reuniões com as instituições parceiras, em fevereiro e março passados, o secretário Fernando Mineiro, que também coordena do Governo Cidadão, pediu mudanças no projeto do parque, para enquadrá-lo nas regras do banco e, assim, mantê-lo no novo plano de aplicação do empréstimo.

Informações e foto da Assecom/Governo Cidadão