MPF abre investigações com base em relatório da CPI da Covid - Informativo Atitude

MPF abre investigações com base em relatório da CPI da Covid

O MPF no Distrito Federal decidiu abrir 12 investigações para aprofundar as informações levantadas pela CPI da Covid no Senado. No relatório final, os senadores pediram o indiciamento de 2 empresas e 78 pessoas, entre elas o presidente Jair Bolsonaro (PL).

A informação sobre o desmembramento das apurações foi revelada pelo portal G1. Os tópicos foram divididos de acordo com temas discutidos na comissão.

Há investigações sobre ações e omissões no Ministério da Saúde. O ex-ministro da pasta, Eduardo Pazuello está entre os investigados. Outras vertentes vão apurar planos de saúde e hospitais, e o impacto da pandemia sobre indígenas, quilombolas, mulheres e população negra.

Em seu perfil no Twitter, o senador Omar Aziz (PSD-AM) disse que “a CPI da Pandemia tem resultados práticos”.

“Hoje a Procuradoria da República do Distrito Federal decidiu desmembrar, em 12 correntes independentes, a investigação aberta pelo órgão a partir das conclusões da nossa Comissão”, declarou.

Aziz foi o presidente do colegiado. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que atuou como vice-presidente, escreveu em seu perfil no Twitter que a decisão do MPF é uma “luz, mesmo que seja de lamparina, na escuridão da impunidade”.

“Vamos acompanhar, reitero o compromisso: Não sossegaremos até a responsabilização dos culpados pela tragédia que tirou a vida de tantos brasileiros”, afirmou.

Em novembro, o procurador-geral da República Augusto Aras enviou ao STF 10 pedidos de providência a partir das investigações feitas pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado.

Os processos seguem em sigilo e foram distribuídos aos ministros Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski, Roberto Barroso e Nunes Marques.

Poder 360