Arquivos

Foto:  José Eduardo Bernardes

A procura por livros sobre política no Brasil teve aumento significativo nos últimos anos, de acordo com uma pesquisa publicada por uma empresa de medição editorial.

O levantamento teve sua primeira publicação em 2013, ano em que o país viveu uma das maiores convulsões sociais de sua história. Nesta primeira pesquisa, a média era de cerca de 10 mil livros vendidos. Na última pesquisa, de 2019, este número saltou para 30 mil, em média.

A crise política, a polarização que paira no ar desde as eleições presidenciais de 2014 no Brasil parecem explicar os novos hábitos de leitura dos brasileiros.

“Esse cenário sombrio, que é especialmente sombrio nos campos culturais, das artes, fez com que as pessoas buscassem entender isso que estava acontecendo”, afirma Ivana Jinkings, diretora da editora Boitempo, especializada na publicação livros políticos há 20 anos.

Segundo Jinkings, o livro tem se colocado como um antídoto contra a desinformação “do que é bom e do que é ruim das redes sociais”. “As pessoas veem muita coisa, ouvem muita coisa, e elas buscam o livro, que é resultado de uma pesquisa, que é resultado de alguém em quem eles confiam, seja um brasileiro, seja um pensador estrangeiro. Acho que o livro tem a teoria por trás dessa coisa toda”.

Apesar de terem angariado espaço neste nicho editorial, os autores progressistas ainda buscam por afirmação diante de um mercado dominado por autores de “direita”.

“O livro é um pouco subestimado pela esquerda, de certa forma, porque a direita fez grandes apostas, desde 2013, em criação na área de livro”, aponta Cauê Ameni, diretor da editora Autonomia Literária, criada em 2015 e consolidada como uma das mais importantes da esquerda brasileira.

Ameni explica que alguns editores que são Olavistas, dentro da editora Record, por exemplo, começaram a publicar “um monte de livros para a formação de conceito”. Ele cita o caso de Reinaldo Azevedo, que cunhou os termos ‘petrolão’ e  ‘mensalão’, e Rodrigo Constantino que popularizou o termo ‘esquerda caviar’. “Eles todos foram colocados massivamente para serem vendidos”, aponta.

A editora Record também chegou a comprar importantes selos brasileiros como a Bertrand Brasil, a Paz & Terra e a Civilização Brasileira, para, segundo o diretor da Autonomia Literária “estancar as vendas dessas publicações”.

Uma das alternativas para combater o monopólio de autores de direta, que as grandes editoras empregam no mercado, é a afirmação de pequenas e médias editoras que trabalham com autores progressistas.

“Essas editoras têm um perfil editorial que facilita e possibilita que o cidadão comum, militante, aqueles que querem transformar a realidade, se informem com esse material”, considera o escritor e professor da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Milton Pinheiro.

Ele já publicou oito livros, dois deles pela editora Expressão Popular – que completou 20 anos em 2019 –  e outro pela editora Boitempo. Ele considera que esses espaços de publicação tendem a aproximar a leitora e o leitor de uma maior compreensão do nosso tempo.

Brasil de Fato

O projeto Centro de Excelência Caixa – Jovem Promessa da Ginástica está com inscrições abertas para a inserção de novas atletas nas aulas das modalidades de ginástica rítmica e artística no município de Macaíba.

Para isso, os pais ou responsáveis deverão procurar a sede da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, localizada na Rua Frei Miguelinho, nº 178 (por trás do prédio da Prefeitura de Macaíba), das 8h às 11h nos dias 20, 22, 23 e 24 de janeiro.

O projeto agrega meninas entre 05 e 10 anos de idade, com prioridade para estudantes de escolas públicas (municipais e estaduais). As matriculadas receberão um uniforme para auxiliar na realização das atividades. As aulas do projeto acontecem no contraturno das aulas das estudantes, sendo realizadas na Vila Olímpica de Macaíba.

Para realizar a inscrição, os pais ou responsáveis legais pela criança devem estar munidos de seu RG e comprovante de residência de Macaíba, além de duas fotos coloridas 3 x 4 da futura aluna, cópia de sua certidão de nascimento e declaração escolar deste ano letivo de 2020.

Projeto Centro de Excelência Caixa – Jovem Promessa de Ginástica

Desde 2013, em parceria com a Caixa, a Prefeitura de Macaíba, através da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SMEL), vem mantendo o projeto que já atende mais de 200 crianças na faixa etária de 05 a 10 anos de idade, nas modalidades de ginástica artística e rítmica. As aulas acontecem de segunda a quinta-feira, nos turnos matutino e vespertino.

O público-alvo preferencial são as alunas da rede pública de Macaíba e do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SFCV), que reúne os antigos Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e Pró-jovem.

Fotos: Arquivo/PMM

Assecom-PMM

A Prefeitura de Macaíba, por intermédio da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SMEL), promove a Supercopa dos Campeões de Macaíba a partir deste sábado (18), na Vila Olímpica. O torneio será disputado pelos campeões e vices dos Campeonatos de Futebol das zonas urbana e rural de Macaíba no ano de 2019 em cruzamento olímpico.

No campo 1 da Vila, a partir das 15h, Bandeirantes de Lagoa das Pedras, o campeão da zona urbana, enfrenta o CRB de Cajazeiras, vice-campeão da zona rural. No campo 3 do complexo poliesportivo, Bangu de Capoeiras, campeão da zona rural, e Treze das Campinas, vice da zona urbana, disputam a vaga na decisão.

Todas as partidas serão disputadas de forma única e, em caso, de empate no tempo regulamentar, os jogos serão decididos na disputa de pênaltis. A final está prevista para o dia 25 de janeiro, às 15h, na Vila Olímpica.

Foto: Márcio Lucas

Assecom-PMM

Três homens foram baleados no início da noite desta terça-feira, 14, em um confronto com a Polícia Militar no bairro de Felipe Camarão, na Zona Oeste de Natal. Os homens foram socorridos mas não resistiram.

A troca de tiros aconteceu no Morro do TGA. Segundo o coronel Eduardo Franco, da assessoria de comunicação da PM, uma viatura foi recebida no local a tiros. Os policiais revidaram e três homens acabaram baleados.

Três armas e certa quantidade de drogas foram apreendidas. Ainda de acordo com o coronel, o trio foi levado ao Pronto-Socorro Clóvis Sarinho e não resistiu.

Agora RN

A cidade de Mossoró, localizada na região Oeste do Rio Grande do Norte, registrou no final da noite desta terça feira 14 de janeiro de 2020, o terceiro homicídio do ano, onde foi vítima um homem de 38 anos. Nerivan Alves da Silva Júnior, “Júnior Batatinha” foi alvejado com cerca de cinco tiros e morreu na hora.

Informações repassadas pelo delegado de plantão, Dr. Leonardo Germano, a vítima estava deitada em uma rede na área de sua casa, localizada na Rua Tiradentes, ao lado da Igreja Adventista, no bairro Alto da Conceição, quando um homem de bicicleta chegou e efetuou os disparos de arma de fogo e em seguida fugiu do local.

Ainda de acordo com o delegado, “Júnior de Batatinha”, como era mais conhecido, tinha passagem pelo sistema prisional por furto e violência doméstica (lei Maria da penha) e é bem possível, que o atirador sabia de sua rotina noturna que sempre se deitar na área de sua residência. A autoridade policial acredita que o criminoso manteve algum diálogo com a vítima antes de executá-la.

A Polícia Militar isolou a área do crime,até a realização dos procedimentos da equipe do Itep e com a conclusão dos trabalhos, o corpo foi removido para ser necropsiado no Instituto Médico legal da unidade do órgão em Mossoró.

Este já é o terceiro homicídio registrado no mês de janeiro de 2020 em Mossoró. O crime vai ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que vai tentar chegar a autoria e a motivação do assassinato.

Fim da Linha

Em pleno veraneio, o RN é assolado por 2 escândalos no mesmo dia. Uma Auditoria apontou sonegação fiscal em contratos do governo com fornecedores de refeições populares e um coronel da PM foi preso por ordem da Justiça Federal sob a acusação de contrabando de cigarros. Se não bastasse, ainda nos envergonha a realização de uma busca e apreensão na sede do próprio QG do Comando da PMRN! Além disso, notícias de swing na high society abalou o jet set local. E o ano mal começou…

Gustavo Negreiros 

(SCIEPRO/Getty Images)

Toda vez que um asteroide quilométrico acerta em cheio a superfície, o impacto deixa vestígios inconfundíveis que se espalham bem mais longe que a área atingida. Além, é claro, da cratera produzida, a colisão libera uma quantidade tão insana de energia que derrete as rochas e cria pedrinhas de vidro chamadas tectitas. Com base nelas, cientistas souberam que há 800 mil anos um meteorito gigantesco se chocou contra a Terra.

A pancada foi tão violenta que lançou tectitas ao longo de 10% da superfície terrestre. Durante os últimos 100 anos, pesquisadores têm coletado milhões dessas pedrinhas nos mais diversos cantos do planeta, como na Austrália, na Antártica, em vários locais dos oceanos Pacífico e Índico. Mas é na Ásia, sobretudo no Sudeste Asiático, que o grosso das tectitas se concentra. Elas são mais abundantes na Indochina (Vietnã, Laos e Camboja).

Foi ali, portanto, que as equipes concentraram as buscas pelo “pequeno” detalhe que faltava: a cratera, com extensão estimada em vários quilômetros e dezenas de metros de profundidade. Como é que uma estrutura assim tão grandiosa pôde passar tanto tempo escondida? A resposta, segundo uma equipe internacional de pesquisadores, é que ela esteve oculta por estar, literalmente, soterrada por uma grossa camada de lava solidificada.

Em um artigo recente publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences, os cientistas descrevem as evidências que os levaram a concluir que a cavidade fantasma fica em um antigo campo vulcânico no sul do Laos. O time liderado pelo geólogo Kerry Sieh, da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Singapura, afirma que a cratera de impacto está no Planalto de Bolaven, uma região elevada e paradisíaca repleta de belas cachoeiras.

Depois de algumas tentativas frustradas de achar a estrutura no Sudeste Asiático, uma área que não contém grande intensidade das forças geológicas e intemperismos que costumam “apagar” as crateras, os pesquisadores resolveram dar uma olhada no local. Parecia promissor por haver ali depósitos de lava com idade entre 780 mil e 51 mil anos — período perfeito para soterrar o buraco da colisão. E a quantidade de lava também condiz.

Estimativas apontam para que o campo chegue até 300 metros abaixo da terra. Bem mais que o suficiente para cobrir os cerca de 90 metros de profundidade da cratera. O primeiro passo para comprovar a suspeita foi comparar a composição das rochas do local com a das tectitas. E elas batiam perfeitamente. A etapa seguinte contou com uma técnica um pouco mais sofisticada: os pesquisadores mediram os campos gravitacionais em torno do planalto.

É que uma colisão de grande dimensão acaba “limpando” a área atingida de seus minérios originais e, com o passar do tempo, materiais rochosos e sedimentos menos densos, mais quebrados, vão preenchendo a lacuna. E isso faz com que a gravidade sobre uma cratera de impacto seja um pouco mais fraca que nos arredores. Foi batata: Bolaven apresenta essa ligeira discrepância. A análise permitiu estimar o tamanho da cratera soterrada.

De acordo com os dados gravitacionais, ela mede 18 kms de comprimento e 13 kms de largura. Por fim, os cientistas foram procurar sinais diretos do impacto violento nas camadas rochosas em um raio de alguns quilômetros do local. Encontraram duas encostas de arenito que parecem ter sido atingidas por detritos.

Análises microscópicas revelaram que os grãos de quartzo das rochas estavam fraturados — mais um indício de que a colisão teria sido próxima. Apesar de terem apresentado evidências sólidas, ainda não dá para cravar que foi de fato no Planalto de Bolaven que o grande meteorito caiu há 800 mil anos. Será preciso conduzir escavações no local para ter 100% de certeza. Mas, ao que tudo indica, a cratera perdida finalmente deu as caras.

Super Interessante

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciaram na tarde de hoje (14), em Brasília, que o salário mínimo de 2020 será elevado de R$ 1.039 para R$ 1.045. Uma medida provisória (MP) será editada pelo presidente nos próximos dias para oficializar o aumento.

“Nós tivemos uma inflação atípica em dezembro, a gente não esperava que fosse tão alta assim, mas foi em virtude, basicamente, da carne, e tínhamos que fazer com que o valor do salário mínimo fosse mantido, então ele passa, via medida provisória, de R$ 1.039 para R$ 1.045, a partir de 1º de fevereiro”, afirmou Bolsonaro no Ministério da Economia, ao lado de Guedes. O presidente e o ministro se reuniram duas vezes ao longo do dia para debaterem o assunto.

No final do ano passado, o governo editou uma MP com um reajuste de 4,1% no mínimo, que passou de R$ 998 para R$ 1.039. O valor correspondia à estimativa do mercado financeiro para a inflação de 2019, segundo o Índice Nacional do Preços ao Consumidor (INPC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Porém, o valor do INPC acabou fechando o ano com uma alta superior, de 4,48%, anunciada na semana passada e, com isso, deixou o novo valor do mínimo abaixo da inflação. Por lei, esse é o índice usado para o reajuste do salário mínimo, embora a inflação oficial seja a medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que fechou o ano de 2019 em 4,31%.

“Nós vamos ter que achar os recursos para fazer isso, mas o mais importante é o espírito que o presidente defendeu, da carta constitucional, que é a preservação do poder de compra do salário mínimo”, afirmou Paulo Guedes. Segundo o ministro, com o novo aumento, o impacto nas contas públicas será de cerca de R$ 2,3 bilhões, que poderão ser compensados com R$ 8 bilhões de arrecadação extra prevista pelo governo.

“Nós já temos, eu prefiro não falar da natureza do ganho, que vai ser anunciado possivelmente em mais uma semana, nós já vamos arrecadar mais R$ 8 bilhões. Não é aumento de imposto, não é nada disso. São fontes que estamos procurando, nós vamos anunciar R$ 8 bilhões que vão aparecer, de forma que esse aumento de R$ 2,3 bilhões vai caber no orçamento”, informou o ministro. Ainda segundo ele, caso não seja possível cobrir o aumento de gasto no orçamento para custear o valor do mínimo, o governo não descarta algum contingenciamento.

Até o ano passado, a política de reajuste do salário mínimo, aprovada em lei, previa uma correção pela inflação mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país). Esse modelo vigorou entre 2011 e 2019. Porém, nem sempre houve aumento real nesse período porque o PIB do país, em 2015 e 2016, registrou retração, com queda de 7% nos acumulado desses dois anos.

O governo estima que, para cada aumento de R$ 1 no salário mínimo, as despesas elevam-se em R$ 355,5 milhões, principalmente por causa do pagamento de benefícios da Previdência Social, do abono salarial e do seguro-desemprego, todos atrelados ao mínimo.

Agência Brasil

A Prefeitura de Macaíba realizará um novo mutirão contra o glaucoma nos próximos dias 22 e 23 de janeiro, no centro de convivência Pax Club, das 8h às 17h. O objetivo do mutirão é combater a doença por meio da identificação precoce. O glaucoma é uma doença silenciosa capaz de causar cegueira irreversível.

O público-alvo é formado por pessoas com idades acima dos 30 anos, com histórico de Glaucoma na família, Pressão Intraocular (PIO) elevada, diabéticas, com alto grau de miopia, que fazem uso prolongado de esteroides e com histórico de trauma ocular.

Quando diagnosticada alguma anormalidade relacionada à doença, os pacientes são medicados e passam a receber acompanhamento oftalmológico. A cada três meses, eles serão submetidos a uma nova consulta, recebendo então nova medicação antiglaucomatosa. Cirurgias também poderão ser feitas em caso de necessidade.

Foto: Márcio Lucas

Assecom-PMM

Foto: José Aldenir/Agora RN

Um trecho da BR-101 será interditado parcialmente para obras entre o Viaduto Trampolim da Vitória (km 104) e a Passarela Estaiada (km 107,5), em Parnamirim. De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito (Dnit) do Estado, a interdição começa nesta quarta-feira, 15, e segue até domingo, 19.

A razão da interdição é a continuação das obras remanescentes e complementares da BR-101/Sul. Segundo o órgão, os horários em que o tráfego estará parcialmente bloqueado serão: sentido Natal/Parnamirim, das 5h às 16h e sentido Parnamirim/Natal, das 9h às 18h.

O tráfego de veículos da pista principal será desviado para as respectivas vias marginais. A recomendação é que os motoristas reduam a velocidade nos segmentos em obras. O local será sinalizado e contará com o apoio operacional da Polícia Rodoviária Federal.

O Dnitafirmou que os trabalhos de restauração serão realizados em etapas para minimizar os transtornos aos usuários da rodovia.

Agora RN