Vai em paz amigo

E lá se foi nosso Gelson, o amigo que tinha um jeito só dele, exclusivo. O político que tratava à todos como família, acrescentando o sobrenome LIMA, que era o dele.
Homem do povo, simples e sem soberba, de origem humilde, trabalhador, brincalhão e sério, dependendo do momento.
“Sob as bênçãos de Deus e em nome do povo de Macaíba, e havendo quórum regimental, declaro aberta a presente sessão.” Quantas vezes o ouvi pronunciar essa abertura.
Lá de cima olhe por nós, pois aqui estaremos sentindo uma saudade danada.
Vai em paz, amigo.
Grato por tudo, Gelson Lima.

Marcelo Augusto