Frente parlamentar dos caminhoneiros pede criação da CPI do combustível - Informativo Atitude

Frente parlamentar dos caminhoneiros pede criação da CPI do combustível

A Frente Parlamentar Mista dos Caminhoneiros Autônomos e Celetistas, grupo formado por 273 deputados federais e 22 senadores, divulgou documento pedindo a criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do combustível. O pedido foi feito um dia depois de a Petrobras anunciar o aumento de quase 9% no preço do diesel nas refinarias.

O texto conta com o apoio da CNTTL (Confederação Nacional Dos Trabalhadores Em Transporte E Logística), do CNTRC (Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas) e da Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores), entidades ligadas aos caminhoneiros autônomos que participaram da greve de 2018.

O documento, assinado pelo presidente da Frente, Nereu Crispim (PSL-RS), afirma que a Petrobras tem praticado medidas com critérios antieconômicos sobre o preço dos combustíveis e derivados do petróleo e gás natural, favorecendo importadores e investidores estrangeiros.

“Precisamos desvendar com urgência o ‘segredo’ dos aumentos desenfreados dos combustíveis e do gás de Cozinha. O fato é que existe solução para equilibrar esses preços, o que falta é uma administração coerente. Se a Petrobrás praticasse o preço de paridade internacional, as refinarias estariam operando a plena carga e as importações dessa ordem não seriam necessárias”, diz o documento.

Em outro trecho, o grupo diz que o PPI (Preço de Paridade de Importação), formado pelo valor do petróleo internacional mais os custos de importação, “não é algo que pode se atribuir ao chamado livre mercado”. Tal cálculo é utilizado pela Petrobras para a composição do preço dos combustíveis.

“É política lesiva, abuso do poder econômico contra o povo brasileiro, contra os consumidores, contra os caminhoneiros. Os preços dos combustíveis arbitrados pela Petrobrás, conduzem os caminhoneiros das estradas para a garagem, junto com suas famílias”, afirma a frente parlamentar.

Poder 360

Fonte: Blog do Gustavo Negreiros