Davi Alcolumbre Vai Sair Desmoralizado: Maioria da CCJ já assinou requerimento por sabatina de Mendonça - Informativo Atitude

Davi Alcolumbre Vai Sair Desmoralizado: Maioria da CCJ já assinou requerimento por sabatina de Mendonça

Requerimento exigindo que a sabatina de André Mendonça seja marcada já tem a assinatura da maioria dos titulares da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) até esta 5ª feira (14.out.2021), segundo apurou o Poder360. O número deve aumentar.

São 17 assinaturas de titulares e outras 15 de suplentes. A CCJ tem 27 integrantes e o mesmo número de suplentes. Mendonça é ex-advogado-geral da União e foi indicado ao STF (Supremo Tribunal Federal) por Jair Bolsonaro, mas o presidente da comissão, Davi Alcolumbre (DEM-AP), segura a sabatina há 93 dias.

Por conta da demora, o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), protocolou o requerimento exigindo que a sabatina seja pautada. Qualquer senador pode apresentar um requerimento, que pode ou não ser acolhido pelo presidente da comissão.

Os senadores signatários, entretanto, acreditam que ele tem validade automática quando há maioria absoluta do colegiado apoiando a iniciativa, que seria o caso. O Caso seria inédito e por isso aberto a interpretações regimentais e judiciais.

Ainda assim, em último caso, cabe ao presidente da comissão, na prática, acatar ou não. Desta forma, o documento serviria mais como pressão para que a sabatina seja questionada na justiça ou levada diretamente ao plenário do Senado.

O Poder360 apurou que a expectativa é que o requerimento surta efeito em levar mais atores políticos a intercederem junto a Alcolumbre para que a situação seja resolvida, como o próprio presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Mendonça teria os votos necessários para ser aprovado tanto na CCJ quanto no plenário da Casa. Alcolumbre estaria aguardando o fim da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado, marcado para 20 de outubro, para tentar uma última investida contra Mendonça.

Tentaria conversar com senadores do MDB que estão envolvidos com a comissão para se aliarem a ele contra o ex-AGU. Caso essa cartada também falhe, marcaria a sabatina para o começo de novembro.

Eis a lista dos senadores que assinaram o documento até 14 de outubro:

Titulares

1. Sen. Fernando Bezerra (MDB-PE)
2. Sen. Simone Tebet (MDB-MS)
3. Sen. Esperidião Amim (PP-SC)
4. Sen. Plínio Valério (PSDB-AM)
5. Sen. Marcos do Val (Podemos-ES)
6. Sen. Lucas Barreto (PSD-AP)
7. Sen. Vanderlan Cardoso (PSD-GO)
8. Sen. Jorge Kajuru (Podemos-GO)
9. Sen. Oriovisto (Podemos-PR)
10. Sen. Soraya Thronicke (PSL-MS)
11. Sen. Telmário Mota (Pros-RR)
12. Sen. Eliziane Gama (Cidadania-MA)
13. Sen. Mecias de Jesus (Republicanos-RR)
14. Sen. Jorginho Mello (PL-SC)
15. Sen. Eliane Nogueira (PP-PI)
16. Sen. Tasso Jereissati (PSDB-CE)
17. Sen. Omar Aziz (PSD-AM)

Suplentes

1. Sen. Alessandro Vieira (Cidadania-SE)
2. Sen. Alvaro Dias (Podemos-PR)
3. Sen. Eduardo Gomes (MDB-TO)
4. Sen. Lasier Martins (Podemos-RS)
5. Sen. Luiz do Carmo (MDB-GO)
6. Sen. Rose de Freitas (MDB-ES)
7. Sen. Eduardo Girão (Podemos-CE)
8. Sen. Sérgio Petecão (PSD-AC)
9. Sen. Márcio Bittar (MDB-AC)
10. Sen. Zequinha Marinho (PSC-PA)
11. Sen. Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ)
12. Sen. Luiz Carlos Heinze (PP-RS)
13. Sen. Roberto Rocha (PSDB-MA)
14. Sen. Carlos Viana (PSD-MG)
15. Sen. Carlos Portinho (PL-RJ)

Alcolumbre segura sabatina por 3 meses
São 3 meses desde que o nome do ex-AGU foi indicado ao Senado Federal para uma vaga no STF até a sabatina na comissão de Constituição e Justiça. Nos últimos 10 anos, Teori Zavascki foi o 2º que mais esperou para ser avaliado pelo colegiado 37 dias.

Alcolumbre não fala em público, mas todos os seus assessores dizem que o senador deseja derrotar Jair Bolsonaro na indicação de André Mendonça. Segundo apurou o Poder360, o amapaense afirma ter votos suficientes para rejeitar o nome do Planalto na CCJ.

E não responde, entretanto, quando indagado sobre a razão pela demora em marcar a sabatina. Se tem votos suficientes para derrotar o indicado por Bolsonaro, poderia marcar a sabatina e encerrar o assunto. O Poder360 apurou que o senador pelo Amapá sabe que hoje as chances de Mendonça vencer são maiores que as de ser derrotado.

Poder 360