Categoria: Uncategorized

Com 55 medalhas de ouro, 45 de prata e 71 de bronze, o Brasil garantiu em Lima, no Peru, sua melhor campanha na história dos Jogos Pan-Americanos, voltando a ocupar a segunda posição da classificação geral pela primeira vez desde 1963, quando a competição foi organizada na cidade de São Paulo.

As 171 medalhas conquistadas pelos atletas do país em Lima deixaram o Time Brasil atrás apenas dos Estados Unidos, que subiram no pódio 293 vezes – 120 ouros, 88 pratas e 85 bronzes -, o melhor desempenho dos americanos desde o Pan de 1995, em Mar del Plata, na Argentina.

Esta também foi a melhor campanha da história do Brasil em Pan-Americanos. Com o desempenho em Lima, o país superou os 52 ouros, 40 pratas e 57 bronzes – 157 no total – conquistados em 2007, quando a competição foi realizada no Rio de Janeiro. Na ocasião, Cuba ficou com a segunda posição na classificação, atrás dos EUA.

Esta também foi a melhor campanha da história do Brasil em Pan-Americanos. Com o desempenho em Lima, o país superou os 52 ouros, 40 pratas e 57 bronzes – 157 no total – conquistados em 2007, quando a competição foi realizada no Rio de Janeiro. Na ocasião, Cuba ficou com a segunda posição na classificação, atrás dos EUA.

Há quatro anos, em Toronto, no Canadá, foram 141 medalhas brasileiras – 42 ouros, 39 pratas e 60 bronzes. O quadro geral foi mais uma vez liderado pelos EUA, seguidos pelos anfitriões do evento. O Brasil terminou com o terceiro lugar.

No Peru, Canadá e Cuba foram superados pelo México, que fecha a competição com a terceira colocação – 37 ouros e 136 total.

Os canadenses vêm na quarta posição – 35 ouros e 154 no total. Já os cubanos caíram para o quinto lugar – 33 ouros e 99 no total -, quase sendo superados pela Argentina, a sexta colocada – 32 ouros e 101 medalhas no total.

O Chile, que organizará os Jogos Pan-Americanos de 2023, ficou na oitava posição. Já o Peru superou todas as expectativas e também fez sua melhor participação na história, concluindo a competição no nono lugar. Os atletas locais conquistaram 11 ouros, sete pratas e 21 bronzes em Lima.

VEJA

Um jovem de 23 anos matou a filha de 7 meses em Sapezal, a 473 km de Cuiabá, neste domingo (11), depois de passar o final de semana com ela. Segundo a Polícia Militar, Diogo Morais Justino tentou suicídio, mas foi socorrido e levado para uma unidade hospitalar.

O atual estado de saúde dele não foi informado.

De acordo com a polícia, os pais da criança são separados e a mãe havia autorizado que a menina passasse o fim de semana com o pai.

Nesse período, o homem teria ligado para a ex-mulher e dito que ‘resolveria’ o problema. A suspeita é que ele não aceitava o fim do relacionamento.

A Polícia Militar encontrou a criança morta sobre o peito do pai. Uma chave de fenda estava ao lado dos dois. Os investigadores também encontraram duas facas molhadas e uma esponja suja de sangue.

A suspeita é que algum dos objetos tenha sido usado para o crime.

Diogo vai ser detido em flagrante por homicídio qualificado quando deixar o hospital.

Segundo a polícia, ele tem histórico de problemas psiquiátricos, o que pode ter sido uma das motivações do crime.

G1

A Justiça determinou a prisão preventiva da mãe e do padrasto de uma menina de 6 anos que morreu na noite de sexta-feira (9) em Jaçanã, cidade da região Agreste potiguar. A criança foi socorrida ao hospital com sangramento e sinais de violência. Segundo a Polícia Civil, a causa confirmada da morte foi asfixia.

Após o plantão do hospital informar a PM sobre o ocorrido, a mãe e o padrasto da menina foram levados para a Delegacia Regional de Santa Cruz para serem ouvidos. O casal negou a violência, porém a prisão em flagrante foi homologada pelo juiz de plantão, que ainda determinou prisão preventiva, que não tem tempo definido. A Polícia Civil ainda aguarda um laudo para apurar possível violência sexual.

Ainda de acordo com a PM, os pais estavam em casa, no conjunto Flores 1, quando foram detidos. A menina já havia sido socorrida, mas morreu ao dar entrada no hospital.

Trabalhador, noivo e bom filho. Foi assim que o pai de Augusto Bezerra Silva, de 24 anos, descreveu o rapaz, que foi morto na noite de sábado (10) em Cruz de Rebouças, Igarassu, após reagir a um assalto. Em plena manhã do Dia dos Pais, coube a ele reconhecer o corpo da vítima no IML do Recife.

A cena foi gravada por uma testemunha do crime, que ocorreu na Rua Maria das Dores. As imagens fortes mostram um assaltante armado e de capacete abordando Augusto e a noiva, que seguiam a pé e de mãos dadas. Após roubar a bolsa dela, ele aponta a arma para a vítima, que entrega o seu celular.

Enquanto a noiva consegue fugir, Augusto permanece encarando o assaltante, que tira o capacete, aponta a arma para a vítima duas vezes e exige que ele vá embora. Após alguns segundos de hesitação, Augusto se recusa a deixar o local e corre em direção ao criminoso. Neste momento, não é mais possível vê-los nas imagens e dois tiros são disparados. Augusto ainda foi socorrido com vida em uma UPA de Igarassu e, logo em seguida, encaminhado ao Hospital Miguel Arraes, em Paulista, onde faleceu.

Segundo o pai da vítima, que não quis ser identificado, Augusto trabalhava como estoquista de uma loja de calçados em um shopping do Recife e estava feliz com a proximidade do casamento com a noiva, que não ficou ferida.

O caso está sendo investigado pelo Departamento do Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Ninguém foi preso até o momento.

Nas últimas semanas, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) foi notícia na imprensa pelo atraso no pagamento dos servidores que prestam serviços terceirizados à instituição, como vigilantes e motoristas. Algumas empresas reclamam atrasos de até seis meses.

Sobre esse e outros assuntos, o reitor Pedro Fernandes Ribeiro Neto conversou no “Cafezinho com César Santos”.

O reitor falou sobre o corte no orçamento da Universidade promovido pela governadora Fátima Bezerra (PT), que atingiu, principalmente, o custeio da estrutura da Uern. A instituição deixará de receber pelo menos R$ 3,6 milhões só de custeio. O governo ainda cortou 100% de investimento.

Pedro Fernandes fala ainda a necessidade de a autonomia financeira da Uern ser efetivada e pontua, na visão dele, o porquê de a universidade enfrentar resistência em determinados setores da sociedade potiguar.

DeFato.com

Um homem de 36 anos morreu na noite deste sábado (10) após sofrer um choque elétrico durante o conserto de um ar condicionado no restaurante Camarões do Norte localizado na Avenida Itapetinga, zona norte de Natal.

Segundo informes o mesmo foi identificado como Jonathan Demétrio, ele deixou dois filhos e sua esposa. Jonathan, era evangélico e realizava também trabalho social em frente ao Midway Mall.

Aos familiares e amigos nossos sentimentos…

O padre Fábio de Melo se viu envolvido em uma polêmica no Twitter e anunciou seu afastamento da rede social nesta sexta-feira, 9, após ter feito críticas à ‘saidinha’ de Alexandre Nardoni. Alexandre foi condenado pela morte de sua filha, Isabella Nardoni, 5, em 2008.

“Não entendo de leis, mas a ‘saidinha’ deveria ser permitida somente no dia de finados – para que visitassem os túmulos dos que eles mataram”, escreveu Fábio de Melo ao comentar uma notícia sobre a ‘saidinha’ de Alexandre Nardoni.

O comentário dividiu opiniões. Enquanto parte dos seguidores apoiou a revolta do padre com a notícia, outros tantos criticaram o sacerdote. “Com uma opinião m*** dessas, nem precisava ter começado com ‘não entendo de leis’, ficou redundante”, escreveu um seguidor.

Outro criticou: “Não entendo muito de igreja, mas acho que padre deveria parar de falar m*** no Twitter”.

Ainda ontem, após parte da repercussão, o religioso postou a seguinte mensagem: “Amar é desproteger-se para proteger alguém”. A maior parte das respostas de seus seguidores foi em tom positivo. Porém, um seguidor chegou a falar novamente sobre a postagem envolvendo o caso Nardoni: “Sabe o que protege as pessoas? Seguir a lei de execuções penais”.

Nesta sexta-feira, 9, o padre Fábio de Melo anunciou que pretende se afastar do Twitter: “Meus queridos, vou ficando por aqui. Tenho uma saúde emocional a ser cuidada. Sei o quanto já provei a solidão provocada pela depressão, pelo pânico. Tomar remédios só faz sentido quando evitamos os gatilhos dos desconfortos. Este lugar deixou de ser saudável para mim”.

“O Twitter sempre foi um lugar de encontro. A Ágora dos nossos tempos. O ponto de reuniões improváveis. Falei e fiquei amigo de quem não passaria na porta da minha igreja. Foi bom”, prosseguiu.

Fábio de Melo fez questão de ressaltar que sua saída da rede social está ligada à repercussão de seu comentário sobre Alexandre Nardoni da prisão: “Desde ontem, quanto expressei minha indignação sobre a ‘saidinha’, estou sendo acusado de justiceiro, desonesto, desinformado, canalha e outros nomes impublicáveis. Só reitero: já atuei na pastoral carcerária. Sei sobre a necessidade de ressocialização dos presos”.

“Eu apenas salientei sobre a Justiça não ser capaz de preservar, para os que sofrem suas perdas, o simbolismo das datas, libertando os responsáveis pelas mortes de seus entes queridos. Só isso”, concluiu.

Estadão Conteúdo