Curiosidades Arquivo

Zezé di Camargo teria planos de entrar na política, segundo nota da coluna Radar, da revista Veja, publicada na última sexta-feira (22). De acordo com a publicação, o sertanejo pode se filiar ao PSDB para se tornar suplente na chapa do atual governador de Goiás, Marconi Perillo.

Em entrevista à jornalista Leda Nagle, em setembro de 2017, Zezé já tinha anunciado que sofrera assédio de legendas partidárias. “Já tive convite para isso, já conversei com alguns políticos e eles ficaram impressionados com meu conhecimento político do Brasil, mas não tenho vocação para ser [político]. Quero ser politizado para exercer meus direitos e deveres como cidadão, mas não penso isso como profissão”, revelou.

Na mesma ocasião, no entanto, o cantor provocou polêmica ao dizer que não acredita que o Brasil tenha vivido uma ditadura militar entre entre as décadas de 1960 e 1980.

“Vou falar um absurdo para você, as pessoas vão me criticar, jornalistas vão falar de mim, achar que sou um maluco. O Brasil lutou muito pela democracia. Eu fico com pena de como nossos políticos usaram aquela liberdade que conquistamos ao sair do militarismo, e muita gente confunde militarismo com ditadura. Todo mundo falava que vivíamos em uma ditadura, mas nós não vivíamos em uma ditadura, vivíamos no militarismo vigiado. Ditadura é Venezuela, Cuba, Hungria, Coreia do Norte, China, até o Chile com Pinochet. O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura”, disse o cantor.

Via Midiamax

Um vereador de Montadas, na Paraíba, publicou em uma rede social um vídeo dele se masturbando dentro de uma escola pública. O vídeo foi postado na terça-feira (19) e passou pelo menos 2 horas no perfil do parlamentar. O vereador Sebastião da Costa Silva (PSB) alega que não sabe como postou o vídeo e disse que “foi sem querer”.

No vídeo em uma postagem pública no perfil do Facebook dele, o vereador aparece se masturbando em uma sala da escola estadual Maria José de Sousa, que fica na zona urbana de Montadas. O vídeo teve duração de cerca de 30 segundos e foi espalhado em outras redes sociais depois da publicação, mesmo depois do vereador ter apagado a postagem.

O vereador Sebastião da Costa Silva assumiu que é ele quem aparece no vídeo e que o ato ocorreu dentro de uma sala da escola, onde estava só. Ele alega que não sabe como o vídeo foi postado e acredita que tenha ocorrido um toque indevido no “touch screen” da tela do aparelho celular dele, onde a rede social fica logada.

Pedido de cassação na Câmara de Vereadores

O presidente da Câmara de Vereadores de Montadas, Cássio Avelino (PSD), disse já foi protocolado um requerimento em repúdio a atitude do vereador e feito um pedido para abertura do processo de cassação do mandato do vereador.

Como o calendário de sessões ordinárias do ano foi encerrado nesta quarta-feira (20), segundo o presidente, as matérias devem ser apreciadas em uma sessão extraordinária até o fim do ano. Caso o contrário, os pedidos só vão entrar em pauta após o recesso da casa, que deve retomar as atividades em fevereiro de 2018.

Via G1/PB

O verão – que começa na próxima quinta-feira (21) – promete ter um regime de chuva regular na maior parte do país, sem grandes extremos como secas ou enchentes.

A previsão é do meteorologista Luiz Cavalcanti, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em Brasília. No Rio de Janeiro, o dia de hoje – último domingo (17) da primavera – foi de sol forte e céu limpo, o que levou milhares de pessoas às praias.

“A perspectiva é de muitas chuvas nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e particularmente na Região Sul. É um período que, essencialmente, é muito chuvoso. Estamos com chuvas bem marcantes e a tendência é que o verão permaneça como está terminando a primavera, com muita chuva nessas regiões”, disse.

Segundo o meteorologista, o fenômeno conhecido como La Niña, quando ocorre o resfriamento das águas do Oceano Pacífico, este ano é predominante, mas com pouca intensidade, o que deve contribuir para garantir uma normalidade climática no Brasil. Inclusive, haverá chuva no semi-árido do Nordeste, que sofre com seca há cinco anos.

“O La Niña tem se manifestado, mas com intensidade fraca, e a tendência é que neste verão seja o fenômeno predominante. Em função do La Niña, a gente prevê chuvas no semi-árido já a partir de dezembro. Já temos bastante chuvas no sul do Maranhão e do Piauí. Nas partes oeste e norte da Bahia e em algumas regiões do Ceará, Pernambuco e Paraíba já ocorreram chuvas. Isto é prenúncio de que teremos uma estação diferente do que foi nos últimos cinco anos, que foi de muito seca”, afirmou Cavalcanti.

Agência Brasil

Por Agora RN – Uma situação no mínimo curiosa aconteceu neste final de semana no município de Lagoa Nova, região do Seridó potiguar. Através de nota, o padre da paróquia lagoanovense, Valdir Valdick de Araújo Dantas, renunciou à sua condição de padre para voltar a viver uma “história de amor” ao lado de sua esposa e de seu filho. No texto, o padre disse que sua renúncia, no entanto, não o impede de continuar seguindo à Igreja Católica, a qual qualifica como sua “mãe e mestra”.

“Sou Grato ao Senhor da missão que me ungiu para este serviço exercido com muita dedicação e zelo que fiz por quase 23 anos (…) tenho um filho e uma mulher que os amo, e quero recomeçar minha vida junto a eles, sem deixar de ser cristão e amar esta Igreja. Acredito que a família é o santuário da vida, eis o motivo da minha decisão. Havia uma inquietação no meu coração e o que vos peço humildemente é que agora rezem por este servo do Senhor”, justificou.

Matéria completa aqui: http://agorarn.com.br/destaques/no-rn-padre-renuncia-batina-para-viver-historia-de-amor-com-mulher-e-filho/

Em mês tradicionalmente marcado por baixas vendas ao mercado externo, o superávit da balança comercial (diferença entre exportações e importações) caiu em novembro. No mês passado, o país exportou US$ 3,54 bilhões a mais do que importou, informou há pouco o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). O saldo positivo é inferior ao superávit de US$ 4,75 bilhões registrado em novembro do ano passado.

Apesar do recuo, a balança comercial atingiu uma marca inédita. Nos 11 primeiros meses do ano, as exportações superaram as importações em US$ 62 bilhões. Esse é o melhor resultado para o período desde o início da série histórica, em 1989. De janeiro a novembro do ano passado, a balança comercial tinha registrado superávit de US$ 43,26 bilhões.

O saldo positivo até novembro supera todo o superávit comercial registrado em 2016: US$ 47,7 bilhões, até então o melhor resultado da série histórica. De acordo com o MDIC, a expectativa é que a balança comercial encerre 2017 com superávit entre US$ 65 bilhões e US$ 70 bilhões.

Exportações e importações

Em novembro, o Brasil exportou US$ 16,68 bilhões, alta de 2,9% sobre o mesmo mês do ano passado pelo critério da média diária. O aumento decorreu principalmente da valorização das commodities (bens primários com cotação internacional) no mercado externo. A recuperação da economia, no entanto, fez as importações subir em ritmo maior. No mês passado, o país comprou US$ 13,14 bilhões do exterior, alta de 14,7% na mesma comparação também pelo critério da média diária.

Em relação às exportações, as vendas de produtos básicos aumentaram 26,5% em relação a novembro do ano passado. As vendas de produtos semimanufaturados subiram 3,1%. No entanto, as exportações de produtos manufaturados caíram 14,2% na mesma comparação. O crescimento das importações foi puxado pelas compras de combustíveis e lubrificantes (+69,2%), de bens de consumo (+20%), de bens de capitais (máquinas e equipamentos para produção), com alta de 10,8%, e de bens intermediários (+6,7%).

De janeiro a novembro, o país exportou US$ 200,15 bilhões, com alta de 18,2% sobre os 11 primeiros meses do ano passado pelo critério da média diária. As importações, por sua vez, totalizaram US$ 138,14 bilhões, crescimento de 9,6% em relação ao mesmo período de 2016, também pela média diária.

Agência Brasil

Segundo o TSE, questões orçamentárias impedem a implantação do modelo nas próximas eleições

O deputado Izalci Lucas (PSDB-DF) vai pedir ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que tome providências para que a Casa cobre do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a implantação do voto impresso como acessório ao eletrônico nas eleições brasileiras o mais rapidamente possível.

Lei 13.165/15 determina essa obrigatoriedade já no pleito de 2018, mas o TSE alega questões orçamentárias para não implantar a medida em todo o território nacional a partir do próximo ano e estima que o processo só terminará em 2026.

Conferência do voto
A Justiça Eleitoral prevê gastos superiores a R$ 2 bilhões na compra de impressoras e na substituição de urnas antigas em todo o País. Conforme a lei, “a urna imprimirá o registro de cada voto, que será depositado, de forma automática e sem contato manual do eleitor, em local previamente lacrado”. O objetivo é permitir ao eleitor a simples conferência de seu voto.

A demora na implantação do sistema foi criticada nesta quinta-feira (30) em audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, realizada a pedido do deputado Izalci.

O parlamentar acredita na viabilidade da implantação completa já em 2018, se forem compradas apenas as impressoras. “A questão orçamentária não é o caso. O orçamento que ele [o TSE] coloca é como se fosse trocar todos os equipamentos. A proposta não é essa. A proposta é que haja apenas a introdução da impressora, que custa no máximo R$ 500 cada uma, o que é totalmente viável”, argumentou.

A advogada especialista em processos eleitorais eletrônicos Maria Aparecida Cortiz calcula que seriam gastos R$ 250 milhões na compra das impressoras. Na opinião dela, há tempo para o TSE implantar a medida no próximo ano. “É só acoplar a impressora, fazer curso, orientar os mesários e a população e implantar”, disse.

Auditoria
Na audiência, também houve a apresentação do relatório da auditoria especial no sistema eleitoral 2014 realizada pelo Comitê Multidisciplinar Independente e pelo Instituto Brasileiro de Peritos, a pedido do PSDB. O auditor Amílcar Brunazo Filho reclamou que o TSE não permitiu fazer auditoria na apuração dos votos nas urnas eletrônicas. “O TSE não deu condições para que a gente pudesse verificar se o resultado estava correto. E a urna eletrônica, como é concebida, não permite essa auditoria. ”

Na avaliação do auditor, o sistema brasileiro não tem transparência suficiente para garantir que não existem fraudes na votação.

O TSE foi convidado para a audiência, mas não compareceu.

Agência Câmara Notícias

Vinicius Loures, 23, saiu cedo de casa para não perder a prova. Nos 40 dias anteriores ao Enem, estudou mais de oito horas por dia, decidido a conquistar uma vaga no curso de medicina. Dessa vez, queria passar do “jeito certo”.

Loures é o jovem branco de Belo Horizonte que se autodeclarou negro e fraudou o sistema de cotas raciais para medicina na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), um dos casos revelados pela Folha em setembro.

Ele frequentou a faculdade por apenas 50 dias. Após ser denunciado por movimentos negros, no final do mês passado desfez a matrícula.

Antes disso, Loures já tinha se inscrito no Enem, pois desde que iniciou as aulas era preterido e diz que se sentia incomodado. “Eu sabia que estava errado, sentia no olhar de pessoas que não me conheciam e não se aproximavam porque eu era o ‘manezão’ que burlou as cotas, o sem-caráter”, afirma ele, que acredita que o seu caso chamou atenção por ele ser “ex-modelo, loiro do olho azul”.

Aos 18 anos, o estudante viajou pela Ásia modelando, antes de ingressar no curso de engenharia civil. Largou os planos dois anos depois. Havia se interessado pela medicina pelo fato de ter descoberto um tumor no cérebro em 2015 durante um check-up realizado após capotar o carro.

“Senti uma gratidão muito grande pela médica que me operou. Foi muito louco. Isso me fez querer que as pessoas sentissem isso por mim”, conta Loures à reportagem.

Mas começou mal, diz. Percebeu que provocou decepção e ódio. “De certa forma entendi, porque eu fiz uma coisa erradíssima e isso voltou pesado. Se você é um negro que sofre todas essas situações preconceituosas na sociedade e alguém vai e rouba sua vaga, é algo que, no mínimo, gera raiva.”

Ele afirma não concordar com as fraudes e apoia o sistema de cotas. “Acho que tem que ter cotas sim, por isso estou dando essa entrevista.”

A desigualdade entre brancos e negros, diz, ele conhecia de maneira geral. “Mas a partir do momento que eu comecei a ocupar o espaço de um negro, passei a perceber essa discrepância de forma muito mais nítida.”

E explica: “Assim, na faculdade, os negros não chegam a 5%; na academia, que nem é dessas ‘topzeira’, a maioria é branca, as pessoas negras são a faxineira, o segurança”.

Ao se desligar da UFMG, ele diz que viu uma catadora de latinhas negra na rua e se questionou se o filho dela teria condições de fazer medicina. “Fiquei me vendo ocupando o lugar de uma pessoa assim, me fez muito mal, mas esse é um peso que eu não tenho mais que carregar”, disse o jovem com o olhar distante, que foi ficando vermelho e cheio d’água.

Filho único, Loures sempre estudou em colégios particulares, exceto no ensino médio, cursado no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas (Cefet-MG), que o possibilita disputar uma vaga na universidade na categoria de estudantes oriundos de escolas públicas.

No entanto, com a nota (772) que ele tirou no Enem do ano passado, ficaria faltando quatro pontos, conforme os cálculos dele, para conseguir entrar pelo seu subgrupo em medicina na UFMG.

A instituição tem quatro categorias diferentes que distinguem os cotistas por renda, rede de ensino e raça.

Loures viu que se concorresse entre candidatos autodeclarados negros, pardos ou indígena conseguiria entrar com a nota obtida.

“Não parei para pensar nas consequências do ato em si, agi no impulso, não queria voltar para o cursinho nem ir para uma universidade fora de Belo Horizonte”, explica.

Neste Enem, teve ótimo desempenho na prova e na redação, conta. Acertou 12 questões a mais que em 2016. Loures acredita que deve atingir uma nota capaz de entrar em diferentes universidades do país. Agora, está disposto a mudar de cidade para se formar médico. A UFMG não é mais uma preferência.

“Acho que superei essa história. Recebi mensagem de estudantes negros apoiando a minha decisão [de sair da vaga], mas é uma parada que vai ficar marcada.”

Jogo será disponibilizado para smartphones

A moda dos bichinhos virtuais, os “tamagochis”, pode estar voltando com tudo, mas sob outro formato. A empresa Bandai Nanco anunciou a criação de um jogo gratuito My Tamagotchi Forever para usuários dos sistemas iOS e Android a partir de 2018. Na “era” dos smartphones, é claro que não iríamos mais comprar aquele “gadget” fofo que tínhamos que cuidar 24 horas por dia, mas a novidade parece impactar alguns campo-grandenses, principalmente os mais saudosistas que tiveram seus tamagochis a pleno vapor nos anos de 1990.

“O tamagochi foi uma tremenda febre que passou, acredito que até bem rápido. Eu tive alguns e achava um barato, era muito divertido e a gente queria acreditar que despertava um senso de responsabilidade nas crianças, mas acho que era só divertido mesmo”, relembra o estudante de engenharia Anderson Peres, de 28 anos. Segundo ele, seu tamagochi morria rápido pois ele se esquecia de mexer. “Nessa época não éramos tão ligados em tecnologia como hoje. Hoje ficamos mexendo no celular o tempo todo”.

O camelô César Alberto, de 55 anos, que costuma vender alguns eletrônicos por toda Campo Grande, além de relógios e carregadores de celular, diz que vendeu muitos bichinhos virtuais. “Mas lembro que os clientes reclamavam que estragavam muito rápido”, afirma. Na época, entre os anos 1997 e 2000, ele lembra que custavam um valor considerado “caro”, e muita gente trazia do Paraguai.

Novo jogo

Semelhante à versão original, o game permitirá alimentar, dar banho e fazer carinho no bichinho virtual, com ajuda da tecnologia de realidade aumentada, a mesma utilizada no jogo que ainda permanece uma febre, o Pokemón Go. Veja o teaser abaixo.

“Acho que será mais prático do que carregar outro chaveiro por aí”, diz a advogada Rosa Maria Alencar, de 55 anos. “Lembro que meus filhos chegaram a ser proibidos de levarem seus tamagochis para a escola, foi uma febre que realmente impactou Campo Grande. Também lembro até hoje que comprei para eles na Feirona Central, quando ainda era ali na Avenida Mato Grosso, lembro que ali também vendia muito, além do Mercadão”, relata.

O jogo deve chegar ao Brasil no ano que vem, sem data definida.

Midiamax

Em entrevista ao programa “The Noite com Danilo Gentili” que foi ao ar nesta sexta-feira (24), o apresentador e médico Dr. Robert Rey, conhecido internacionalmente pelo reality show “Dr. Hollywood”, mostrou-se interessado em ser presidente do Brasil.

“O Brasil vai ter um presidente com a cara do País e a honestidade que aprendi nos Estados Unidos”, disse durante a entrevista.

Brasileiro e radicado em Los Angeles, nos EUA, Dr. Rey disputou em 2014 uma vaga na Câmara dos Deputados pelo PSC em São Paulo. Na época, teve 21,3 mil votos e não se elegeu.

Agora, Dr. Rey é a nova aposta do Prona (Partido de Reedificação da Ordem Nacional), partido que ficou conhecido através do bordão “Meu nome é Enéas”, do já falecido, Enéas Carneiro.

Além disso, o médico disse que quer transformar a nação em um ‘País de primeiro mundo’.

“Eu quero ser o [John] Kennedy do Brasil. Honesto, culto, enfim. Chegou a hora do Brasil de primeiro mundo”, explicou.

Continuando a falar sobre o assunto, Rey disse que algumas de suas propostas são: o aumento do salário de policiais, a construção de mais presídios, transformar o Sistema Único de Saúde (SUS) em um plano de saúde privado e fazer uma rodovia Autobahn semelhante à da Alemanha.

Super Pride

A descriminalização do uso de drogas e as políticas de prisão de pequenos traficantes serão debatidas na última audiência pública que a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) realiza para avaliar a Política Nacional de Segurança Pública. A audiência será nesta terça-feira (28), a partir das 10h.

Estão convidados o diretor da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), Humberto de Azevedo Viana Filho; o psiquiatra Ronaldo Laranjeira, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); o jurista Ives Gandra Martins; o diretor do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Jefferson de Almeida; e o defensor público do Estado de São Paulo, Leandro Castro.

Modelo falido

O relator da avaliação da Política Nacional de Segurança Pública é o senador Wilder Morais (PP-GO). Um de seus objetivos é propor alterações na legislação a serem apresentadas no relatório final.

No debate realizado na semana passada, o senador concordou com a avaliação dos participantes de que o atual modelo de segurança pública do país “está falido”. Entre as razões citadas para essa situação, está o grande número de assassinatos por ano verificados no país (cerca de 62 mil) e o baixo índice de resolução desses crimes (cerca de 5%).

“É uma morte violenta a cada nove minutos. Tivemos mais gente assassinada nos últimos cinco anos que a Síria, país que está em guerra civil. Lá morreram 256.124 pessoas neste período, enquanto aqui foram 279.567, ou seja, quase 25.000 a mais”, reforçou Wilder no requerimento para a realização desta audiência pública.

Agência Senado

O deputado federal Celso Jacob (PMDB-RJ), preso desde junho deste ano em regime semiaberto, tentou entrar no complexo penitenciário da Papuda, em Brasília, com dois pacotes de biscoito e um queijo provolone escondidos na cueca.  O fato aconteceu no último domingo, 19. A informação é do Uol.

Conforme a Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social do Distrito Federal, a irregularidade foi identificada durante o processo de revista que acontece no momento do retorno após o fim de semana. Ele foi levado imediatamente para o isolamento. Lá, ficará por sete dias.

Em nota, a Sesipe comunicou que informou a proibição da entrada de internos com qualquer objeto ou alimento no presídio sem autorização. A entrada de alimentos, diz o comunicado, é possível somente por meio da família, no momento de visita.

O advogado do deputado, Thiago Machado, disse ao Uol que não falará sobre o episódio do fim de semana, já que os fatos ainda estão sendo apurados.

O acontecido foi comunicado à Vara de Execuções Penais (VEP), do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) e um inquérito disciplinar foi instaurado. A punição para esses casos pode atingir 30 dias de isolamento, além da perda de benefícios, de acordo com decisão da VEP.

No último dia 30, Jacob sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico “de pequena abrangência”. Ele chegou a ficar 24 horas internado em um hospital de Brasília, o que levou os colegas a se solidarizarem em público.

O Povo 

Todo dia, 145 mil toneladas de resíduos orgânicos são jogadas em lixões e aterros controlados na América Latina e no Caribe. Essa montanha diária de restos de comida não processados, que colocam em risco a saúde e a vida de 170 milhões de pessoas, é um dos temas da 3ª Assembleia do Meio Ambiente da Organização das Nações Unidas (ONU), que será realizada em Nairóbi, no Quênia, de 4 a 6 de dezembro.

Os números estão no Atlas de Resíduos da América Latina, relatório da ONU Meio Ambiente que está para ser lançado. Um resumo do trabalho foi apresentado preliminarmente em São Paulo em evento realizado nesta terça-feira (21) pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

O estudo mostra um cenário preocupante. Segundo Jordi Pon, coordenador regional de resíduos e químicos do organismo das Nações Unidos, as 540 mil toneladas de lixo produzidas atualmente na região serão 671 mil toneladas em 2050. Se, de um lado, há avanços na coleta, que na média supera 90% do lixo urbano, o processamento fica abaixo dos 70%. O restante, formado essencialmente por dejetos orgânicos, vai para locais inadequados, produzindo poluição do ar, do solo e da água.

“Os dados apresentados pela ONU Meio Ambiente mostram que, mesmo com algumas melhorias alcançadas nos últimos anos, cerca de 170 milhões de pessoas ainda estão expostas às consequências desse problema, em decorrência dos graves impactos causados ao meio ambiente e à saúde da população”, explica Carlos Silva Filho, diretor-presidente da Abrelpe e membro do Comitê Diretivo do Atlas de Resíduos.

A análise dos despejos sólidos das cidades latino-americanas mostra que o lixo orgânico representa mais da metade de todo o resíduo descartado. Esse índice varia de acordo com o potencial econômico do país. “Em nações de baixa renda, 75% do lixo descartado são provenientes de matéria orgânica, enquanto em países com renda mais elevada esse índice é de 36%”, comentou Pon. A diferença é reflexo da maior ou menor atividade industrial e comercial.

O lixo doméstico tem ainda o agravante de concentrar resíduos perigosos, como baterias, celulares, equipamentos elétricos e eletrônicos e remédios vencidos, entre outros,

Parte do lixo doméstico é formada por elementos secos, como metais, papéis, papelão, plásticos, vidro e têxteis. A reciclagem desses itens ainda é reduzida, em geral abaixo de 20%. O índice só é alcançado em cidades onde existe coleta e seleção informais, feita por catadores autônomos, o que mostra a pequena participação do Poder Público e de políticas voltadas para o problema.

No entanto, o estudo da ONU revela que a maior parte dos países da América Latina e do Caribe tem legislação específica que define as responsabilidades de geradores e manipuladores e prevê punições, que quase nunca são aplicadas. Além disso, mostra o relatório, os investimentos em gestão de resíduos são insuficientes. “Isso cria um vácuo de responsabilidades governamentais, com poucas ações de acompanhamento e monitoramento, resultando, entre outras coisas, em uma aplicação deficiente da lei, tanto pelo setor público quanto pelo privado”, explica Jordi Pon.

De acordo com Carlos Silva Filho, o financiamento é uma questão fundamental para a melhoria da gestão de resíduos. Ele ressalta que na América Latina e no Caribe os modelos são financiados por recursos municipais e, em muitos casos, os custos não são plenamente recuperados. “Ainda não há uma consciência clara do fato de que o custo econômico dos impactos negativos causados pela gestão inadequada dos resíduos é maior do que o custo de investimento em um sistema adequado”.

O relatório faz parte de um projeto da ONU Meio Ambiente e é parte do Atlas Global de Gestão de Resíduos de 2016, que inclui relatórios sobre a situação dos resíduos sólidos na América Latina e Caribe, Ásia, Ásia Central, África, Regiões Montanhosas e Pequenas Ilhas-Estado (Sids).

EBC

A Marinha dos EUA suspendeu um piloto que usou suas manobras aéreas para desenhar um pênis no estado de Washington, no extremo Oeste do país, na quinta-feira. A instituição naval chamou o episódio de “absolutamente inaceitável” e ordenou a abertura de investigação após imagens do desenho serem compartilhadas por todo o mundo.

O incidente aconteceu no condado de Okanogan. Comandantes da Estação Aérea Naval de Whidbey Island ordenaram um inquérito após suspenderem um dos pilotos que usou um de seus Boeing EA-18G Growlers.

A Administração Federal de Aviação, por sua vez, disse que as manobras não representaram um risco à segurança aérea e que “não pode policiar a moralidade”.

R1

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei (PL) 7575/17 que obriga as concessionárias de energia a devolver, em dobro, o valor cobrado indevidamente na conta de luz, acrescido de multa de 10%, correção monetária e juros.

A iniciativa recebeu apoio do relator, deputado Rodrigo Martins (PSB-PI). “A ausência de um mecanismo de ressarcimento mais rigoroso torna esse tipo de erro vantajoso para as concessionárias, já que o valor cobrado a mais é atualizado por taxas e índices oficiais, sem outros acréscimos ou medidas que desestimulem a prática”.

Rodrigo Martins apresentou substitutivo para inserir as mudanças também no Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90). O projeto original alterava apenas a legislação que cria a Aneel e disciplina o regime das concessões de energia elétrica (Lei 9.427/ 96).

Juros subsidiados
Para o autor da proposta, deputado Flavinho (PSB-SP), “o consumidor tem financiado, a juros subsidiados, os beneficiários desses enganos, enquanto os responsáveis não sofrem sanções inibidoras”. Ele acredita que os mecanismos de ressarcimento atualmente aplicados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) recompensam e incentivam esse tipo de erro.

O deputado citou exemplo das obras da Usina Termonuclear de Angra III (Rio de Janeiro) cujos custos foram repassados para a conta de energia a partir de 2016, antes do início das obras. Em 2017, a Aneel constatou o erro e aprovou o desconto na tarifa de energia equivalente à arrecadação, na ordem de R$1 bilhão.

Nesse caso, Flavinho criticou a decisão da Aneel de não multar os responsáveis pelo repasse indevido ao consumidor.

Agência Câmara Notícias

“Quem com o ferro fere, com ferro será ferido”, diz deputado

O deputado federal de Mato Grosso do Sul Carlos Marun (PMDB) bateu boca com eleitores em uma rua de Campo Grande, após ter sido xingado de ladrão, quando deixava a sede regional do partido, na manhã de quinta-feira (17). Em seguida, o parlamentar reencontrou a mulher, que estava na garupa de uma moto, e chamou ela e o motociclista de “vagabundos”.

Marun estava a caminho da casa do ex-governador André Puccinelli (PMDB), para conversarem sobre a realização da convenção do partido, que estava programada para este sábado (18), mas foi adiada para dia 2 de dezembro. Ao atravessar a Avenida Mato Grosso, Marun foi xingado de ladrão, ao que prontamente respondeu: “Ladrão é a p*** que pariu”.

No caminho para a casa de André, o deputado federal voltou a encontrar a mulher e o homem, que estavam em uma motocicleta, e acabaram batendo boca, como pode ser visto no vídeo abaixo gravado pelos eleitores.

“Vocês são vagabundos. É isso que eu quero lhes dizer”, respondeu Marun. “Você é vagabundo, e você é vagabunda. É isso”, prosseguiu apontando para ambos. “Aprende a respeitar quem você não conhece, seu m…”, finalizou.

Em nota, Marun justificou seus atos dizendo que foi “agredido por ofensas” e reagiu “com ofensas as ofensas que recebi”. “Infelizmente, muitos pensam que nós políticos devemos ter sangue de barata e aceitar isto calados. Não nos conhecem, mas nos agridem. Quem com o ferro fere, com ferro será ferido”, explica.

Confira a íntegra da nota:

Hoje fui agredido por ofensas em uma rua de Campo Grande. Reagi com ofensas as ofensas que recebi. Infelizmente, muitos pensam que nós políticos devemos ter sangue de barata e aceitar isto calados. Não nos conhecem, mas nos agridem. Nada sabem da nossa vida, das nossas famílias, mas se sentem no direito de nos ofender. Querem nos filmar sendo ofendidos para nos ridicularizar. Reagi. Nós somos seres humanos como são todos os brasileiros. Não somos e nem devemos ser bonecos para quem impropérios devem entrar por um ouvido e sair pelo outro.

Prefiro ser exposto em um vídeo como este do que ser motivo de chacota daqueles que me ofenderam. Não sou inimigo dos meus adversários políticos. Jamais ofendi ninguém na minha vida, mas também não sei ficar inerte quando sou ofendido. E estes exibicionistas ainda tentam se estabelecer como representantes da população. Fui ofendido e respondi assim: ‘A população vota em mim. Você é vagabundo. Você é vagabunda. Aprende a respeitar quem você não conhece seu m…’.

É isto, sou o 2º deputado mais votado de MS e estou pronto para o bom debate político, mas penso que não é sendo um deputado apático e manso que cumprirei com os meus deveres. Não aceito e não aceitarei ofensas a mim, a minha família, a minha cidade, ao meu estado e ao meu país. Quem com o ferro fere, com ferro será ferido.

CARLOS MARUN
16/11/17

Via Midiamax

As implicações e benefícios da regulamentação da cannabis e seus derivados voltam a ser abordadas no 2º Fórum Delta9. O evento, aberto ao público, é gratuito e será realizado no próximo dia 17, das 10h às 17h, no auditório do Instituto Ágora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O debate é uma realização do Coletivo Delta9 em parceria com a Pró-Reitoria de Pesquisa (Propesq/UFRN) e apoio do Instituto do Cérebro (ICe-UFRN). O objetivo é discutir a atual política brasileira de drogas, numa perspectiva interdisciplinar, englobando a esfera medicinal e jurídica.

Pela manhã, o Fórum coloca em pauta as questões em torno da política proibicionista, o debate da legalização da maconha e as novas leis da medicina brasileira relacionadas à prescrição canábica. Os palestrantes serão os advogados Cristiano Maronna, diretor do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM), e Gabriel Bulhões, coordenador estadual do mesmo instituto.

À tarde, os médicos Luís Tófoli e Pedro Costa abordam a respeito das políticas públicas sobre a cannabis, seus impactos na saúde e a importância da prescrição canábica. O diretor do Instituto do Cérebro (ICe/UFRN), neurocientista Sidarta Ribeiro, encerra o evento discutindo a relação entre a maconha, o cérebro e a sociedade.

O credenciamento do 2º Fórum Delta9 começa às 9h, e os interessados receberão certificado de participação. As inscrições podem ser feitas a partir no site do evento, onde é possível encontrar outras informações sobre a sua realização: www.forumdelta9.com.br.

Ascom ICe – UFRN

Um grupo de cientistas descobriu que a doença de peyronie, que conhecida por causar uma curvatura no pênis fazendo com que ele se posicione para cima, para o lado ou para baixo, pode estar relacionada a complicações de saúde em homens.

Um estudo realizado pela Baylor College, em Houston descobriu que homens que apresentam essa condição de saúde tem uma chance 40% maior de desenvolver câncer de testículo. Além disso, esses rapazes também tem uma chance 29% maior de desenvolver melanoma e 40% maior de desenvolver câncer de estômago.

Para a realização do estudo os pesquisadores analisaram o material de genético de pais e filhos que conviviam com a peyronie e descobriram que eles compartilhavam um conjunto de genes capazes de predispor as pessoas aos tipos de tumores malignos citados.

Segundo os cientistas a doença de peyronie afeta entre 3% a 7% dos homens. No entanto, esse número pode estar mascarado e alguns casos estejam deixando de serem diagnosticados por uma relutância do público masculino em relatar essa condição de saúde aos médicos.

Super Pride

Um cavalo foi preso pela Polícia Militar, no município de Nossa Senhora Aparecida, em Sergipe, após dar um coice em um veículo. Segundo a polícia local, a ‘infração’ do animal aconteceu no início da noite de domingo (12), durante uma cavalgada.

Dono do cavalo, o engenheiro civil Wiliam Francisco dos Santos  disse que emprestou o animal para passear no evento. “Um rapaz saiu para dar uma volta e o cavalo se assustou e deu um coice, que atingiu o veículo de uma mulher da cidade de Ribeirópolis. Em seguida, um policial pegou o cavalo e o levou para a delegacia”, contou ao G1. Wiliam se ofereceu para levar o animal, mas o policial se recusou a soltá-lo e informou que ele só seria liberado na segunda-feira (13).

Por conta da prisão inusitada, a ONG Educação Legislação Animal (Elan) registrou boletim de ocorrência referente a maus tratos, enquanto que o engenheiro ficou de comparecer à delegacia de Ribeirópolis para acertar o pagamento dos danos.

Bahia Política

Um homem, de 26 anos, foi preso no sábado (11/11) suspeito de estar alcoolizado. No carro do motorista, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) encontrou latas de cerveja e dois porcos, um deles estava sendo transportado em uma cadeirinha de bebê. O caso aconteceu na BR 070, município de Aragarças, Goiás.

De acordo com a PRF, o suspeito estava transitando na rodovia com o som do veículo bastante elevado. Ao darem sinal de parada para o condutor, ele fugiu e só foi abordado cerca de dez minutos, após acompanhamento tático.

Após ser abordado o motorista se mostrou bastante exaltado, ele foi submetido ao teste de alcoolemia e foi reprovado com teor alcoólico de 0,82 mg/l. Em depoimento, o homem informou que os porcos e cervejas seriam entregues a consumidores de Aragarças e Barra do Garças.

O rapaz que é morador de um assentamento rural da região foi autuado por embriaguez ao volante, pela não utilização do cinto de segurança e por trafegar com velocidade incompatível com a segurança, ele foi detido e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil local.

DM

Apresentador do Caldeirão do Huck nas tardes de sábado há mais de uma década, Luciano Huck foi colocado contra a parede pela Globo. Ele, que pretende se candidatar ao cargo de Presidente do Brasil em 2018, não terá o apoio da emissora.

De acordo com informações da revista Veja, o canal anunciou que ele terá as portas fechadas, caso queira seguir com essa ideia. A conversa aconteceu com a cúpula da emissora e está decidido que ele deverá tomar o posicionamento até dezembro.

Será uma decisão bastante arriscada, pois, segundo a publicação, se ele perder as eleições, não poderá mais retornar ao seu atual posto na casa. Ele possui uma carreira consolidada no canal desde os anos 2000 e essa decisão poderá mudar a sua vida.

Vale lembrar que Angélica, sua esposa, acaba de perder o programa Estrelas e ele teve que mexer os seus pauzinhos para que ela voltasse com o quadro Vídeo Game, no Vídeo Show, para não correr o risco de ficar fora do ar em 2018, segundo informações do jornalista Felipeh Campos.

Entretanto, a atração não vem correspondendo às expectativas depositadas e, na audiência, chega a perder para o quadro Hora da Venenosa, de Fabíola Reipert, no programa Balanço Geral, da Record.

Via DOL