Politica Arquivo

robson

No meio dos bastidores da eleição da Mesa da Assembleia Legislativa, o governador eleito Robinson Faria (PSD) faz uma visita de cortesia ao Poder Legislativo. Nove dos atuais 24 parlamentares vão deixar à Casa em fevereiro do próximo ano.

Robinson já visitou o Tribunal de Justiça, Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado. O foco do novo governador hoje será o Orçamento Geral do Estado (OGE), que sequer começou a ser apreciado na na Comissão de Orçamento e Finanças. Os deputados têm o prazo de até 15 de dezembro para apreciar a proposta.

promo-frete-gratis-2014-loja

postos hermano, jacome

No dia 5 de outubro, dia da votação em primeiro turno das eleições deste ano, o Ministério Público realizou, com o apoio de policiais federais e militares, a Operação Posto Fronteiras. Na ocasião, três pessoas foram presas em um posto de combustíveis localizado na Avenida das Fronteiras, na zona norte de Natal. Os três eram funcionários do posto onde mais de 100 carros faziam fila para abastecer. A fila era tão grande que dava duas voltas pelo quarteirão.

Após receber a denúncia, o Ministério Público promoveu a operação. Nenhum dos carros apresentava adesivos que pudessem indicar envolvimentos de candidatos na operação ilegal. Segundo o MP, a senha para o abastecimento era o nome de uma empresa. A partir daí, passou-se a investigar a ligação da empresa com candidatos às eleições de outubro.

A resposta procurada pela Polícia Federal está no Inquérito Policial de número 0688/2014-4. Nele, o delegado Darlan Ascendino Carlos da Silva pediu exames periciais em mídias apreendidas no Posto Fronteiras, inclusive o HD de um computador.

A PF investiga a ligação de uma empresa denominada como CAW com os deputados Antônio Jacome e Hermano e com o vereador Jacó Jácome. Hermano renovou seu mandato de deputado estadual, Antônio Jácome foi eleito deputado federal e Jacó ficou com a cadeira do pai na Assembleia Legislativa.

Mas, pelo visto, a bronca da compra de combustíveis ainda rende.

DNA CENTER

Bebê é fotografado enquanto vira um copo com cerveja. (Foto: Facebook/Reprodução)

Um casal de Sarandi, no norte do Paraná, perdeu a guarda do filho, de um ano, depois que uma foto com a criança bebendo cerveja circulou no Facebook. A imagem foi postada por uma ex-companheira da mãe do menino, segundo o Conselho Tutelar, no fim do mês de outubro.

Os pais e a ex-companheira foram ouvidos pela Polícia Civil, na tarde desta terça-feira (11), e denunciados por “fornecer substância que pode causar dependência física ou psíquica”, de acordo com o delegado de Sarandi, Reginaldo Caetano. Eles foram liberados e podem ser condenados a até quatro anos de detenção pelo crime.

Segundo a conselheira tutelar de Sarandi, Edna Klip, a autora da postagem alegou que o Facebook dela havia sido invadido. O pai defendeu-se dizendo que “achou que era refrigerante com espuma”, mesmo com uma garrafa de cerveja de um litro posicionada em cima do carrinho do bebê, na foto, no lugar destinado à mamadeira.

“Eles reconheceram que brincaram com a cena, mas alegaram que não sabiam que era cerveja. O pai disse que, para ele, era refrigerante. Não dá para acreditar, né? Além de dar cerveja, eles ainda colocaram isso na internet, expondo a criança. É um caso gravíssimo”, ressalta a conselheira.

Edna conta que os pais se separaram logo depois que a criança nasceu e que a relação deles sempre foi conturbada. A mãe, após o rompimento, passou a relacionar-se com a mulher que postou a foto. “A família já tinha problemas faz tempo. O pai havia abandonado a mãe e só reconheceu a paternidade há pouco tempo. Depois da confusão, a mãe passou a  se relacionar com essa ex-companheira, mas também não deu certo. Hoje, o menino morava com a mãe e com a avó”, explica.

Mesmo com os problemas na família, o próprio pai comentou a postagem sem preocupação. “Desde de pekeno ta aprendendooq eh bom na vida kkk (sic)”, comemora. Ele ainda diz sentir orgulho da ação do filho. “Puxou o pai né filhão”, brada, respondendo a pessoas que também acham graça do registro. “fika muito com nois ja ta aprendendo (sic)”, brinca a autora da postagem.

A criança foi encaminhada para um abrigo em Sarandi, ainda nesta terça-feira, até que outro familiar seja encontrado, além dos pais, para assumir a guarda dela. Caso ninguém apto seja encontrado, ela pode ser encaminhada para a adoção, segundo o Conselho Tutelar.

Fonte: Globo.com

promo-frete-gratis-2014-loja

ATUAÇÃO

hENRIQUE E ROBINSON

A expectativa quanto a atuação de Henrique no RN, tudo também vai depender de como sua imagem esteja. Sem mandato, o marido de Laurita terá mais tempo para conversar com lideranças do interior e articular, o que sabe fazer muito bem. Porém, o peso de sua atuação vai depender de sua imagem nacional.

POVO

O que Henrique não vai fazer é o que Garibaldi sempre fez: Conversar com o povo. O estilo do pai de Waltinho é não ficar no intermediário, é ir diretamente ao encontro do eleitor. Já Henrique é o contrário; gosta de conversar com políticos, ele não tem paciência para conversar com o povo.

EMPURRÃO

garibaldi11

O ministro Garibaldi Filho já observou que há movimento inicial para tentar fazer do filho Walter Alves, candidato a governador em 2018. O marido de Dona Denise já viu que não se trata de algo verdadeiro, mas originado em quem quer tirar Waltinho da tranqüilidade na renovação do primeiro mandato de deputado federal.

mad

Lívia Fidelix, do PRTB, recebeu 12 mil votos nas últimas eleições para deputado. Foto: Divulgação

Depois de concorrer ao cargo de vereadora em 2010, e de entrar na disputa eleitoral deste ano como candidata a deputada estadual, sem conseguir se eleger nas duas ocasiões, Lívia Fidelix (PRTB-SP) pretende continuar na política.

Em entrevista, a filha de Levy Fidelix, candidato à Presidência da República pelo PRTB, mostrou ter opiniões bastante parecidas com as do pai ao se posicionar contra a legalização das drogas e do aborto. Sobre casais homossexuais, Lívia disse não ser “contra nada nem ninguém”.

Ao comentar as polêmicas que marcaram os últimos debates presidenciais no primeiro turno das Eleições 2014, quando Levy Fidelix se disse contrário à união de pessoas do mesmo sexo, ela defendeu o pai, dizendo que o que existe é um choque de geração. “Meu pai expôs a opinião dele, não achei nenhum crime”, afirmou. Lívia Fidelix ainda acusou a candidata Luciana Genro (PSOL) de usar o episódio para se promover. Ler mais…

Fatima e robinson

O jornalista Alex Medeiros, diretor do portalnoar.com, informou uma das mais ousadas propostas do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte ao governador eleito Robinson Faria (PSD). Segundo Alex, a Corte propôs que o futuro governo corte regalias de todos os poderes.

A proposta é acabar com vantagens adicionais e outros benefícios em salários do judiciário, do legislativo e do executivo. Uma medida de austeridade, para ajudar a sanear as finanças do Estado, que passam por dificuldades. O Ministério Público e os militares também entram na lista de cortes.

“A iniciativa propõe um freio nas vantagens pessoais das castas, já tão duramente criticadas e rejeitadas pela sociedade potiguar. O pessoal do TJ sugere ao futuro governo passar a tesoura nos elevados subsídios de todos os integrantes dos três poderes”, enfatizou o jornalista.

Veja mais detalhes no Blog de Alex Medeiros: http://blogs.portalnoar.com/alexmedeiros/proposta-ao-novo-governo/#

naruto

retrovisor

Robson Pires: Ser governador do Rio Grande do Norte tem lá suas glórias em poder fazer alguma coisa pelo Estado para honrar a confiança daqueles que depositaram sua confiança através do voto. Que é justamente aquilo que existe de mais sagrado na democracia.

 Porém…

 Tem também aquelas desvantagens de quem assume uma gestão, principalmente, heranças malditas.

Entretanto…

Existe a obrigatoriedade de não ser repetitivo e olhar para o retrovisor.

Afinal…

Qualquer um que estivesse no cargo de governador já sabia como encontraria o Rio Grande do Norte.

Pois…

Ninguém é criança e tudo foi colocado em Praça Pública. Sem mistério.

2e

robson

A equipe de transição do governador eleito Robinson Faria estará reunida, na próxima quinta-feira, com o futuro chefe do Executivo. Esse será o primeiro encontro oficial de Faria com os escolhidos por ele para o trabalho da transição.

A temática do encontro será concentrada no projeto do Orçamento Geral do Estado de 2015. Na semana passada a equipe se reuniu e concluiu que o OGE para o próximo ano traz um déficit de R$ 1 bilhão na folha de pessoal. Ou seja, pelo orçamento original faltam quatro meses para pagamento da folha de pessoal no próximo ano.

mad

Joao Marques

O secretario de planejamento deve está ansioso pela presença do Professor João Marques, o mesmo publicou uma matéria que saiu em diversos sites afirmado que o secretário de Planejamento teria cometido um grave erro, mas pelo que parece quem cometeu o erro e se precipitou foi João.

Muito educado o secretario fez a seguinte declaração “Algumas pessoas deveriam ter mais cuidado e propriedade no que escrevem e falam.” José Wilson Secretario de Planejamento

promo-frete-gratis-2014-loja

AVALIAÇÃO

O prefeito Carlos Eduardo fez uma gestão razoável quando passou pela Prefeitura do Natal. Corajoso, rompeu com a família, se aliou a forças mais progressistas e gerenciou a cidade sem ceder a pressões nem do poder econômico. Saiu bem, apesar de não conseguir eleger seu sucessor.

EQUÍVOCO

O filho de Agnelo continuou com seu projeto de manter a coragem e eqüidistância da família que o pariu como político e foi candidato a governador contra todos. Perdeu feio; mas manteve a coerência e fortaleceu a imagem de que era diferente e não fruto e beneficiário da oligarquia.

PREFEITO

Veio a eleição para prefeito de Natal. Carlos Eduardo recusou pedido de filiação no PMDB para ser apoiado em 2012. Parecia ser o caminho mais fácil para voltar a administrar a capital. Ele recusou e teve que enfrentar a ira dos primos contra sua candidatura. O PMDB, comandado por Henrique, tentou de tudo para desestabilizar sua candidatura e derrotar sua pretensão. Gastou quase R$ 10 milhões contra ele. Não adiantou. Longe da família e contra sua própria oligarquia, Carlos Eduardo venceu o pleito.

APOIOS

CARLOS_ROBINSON_FATIMA_370

Para ser eleito contra o candidato do PMDB, Carlos Eduardo foi apoiado por Robinson Faria e, no segundo turno, pelo PT de Fátima Bezerra. Começou governando com os dois partidos que lhe respaldaram. Veio a eleição para governador e tudo mudou.

MAJORITÁRIA

Enrique é Carlos

Na disputa majoritária de 2014, Carlos Eduardo tinha tudo para ser o grande vencedor sem fazer muita força. Bastava apoiar quem lhe apoiou. Ele fez o contrário. Apoiou justamente o presidente do PMDB, que tentou lhe derrotar. O apoio de Carlos Eduardo terminou simbolizando mais o reencontro familiar, uma reconciliação da oligarquia Alves, do que propriamente o apoio do prefeito da capital a um candidato viável politicamente; mas rejeitado pelo eleitorado.

RADICALISMO

henriquealvess2

Henrique sempre foi o radical da família; na campanha, assumiu erros do passado e afirmou que tratava-se de um ‘ex-radical’ regenerado pelo tempo. Carlos Eduardo, que não disputava mandato, assumiu o lugar do primo e fez dois discursos agressivos contra seu amigo e vizinho: “Não acredito que alguém saia de casa para votar em Robinson Faria” foi um deles. O outro foi ainda mais pesado: “Robinson e Rosalba estão juntos. Vamos jogar os dois na lata de lixo da história”.

MUDANÇA

O apoio de Carlos Eduardo a um candidato é natural. Mesmo que seja um ex-adversário. Faz parte da ‘dinâmica’ da política. A questão é que ele acirrou de forma desnecessária e desproporcional. Perdeu a eleição em Natal e seus candidatos não foram respaldados pelo eleitorado.

FUTURO

Derrotado eleitoralmente e com o futuro governador como adversário, além de já ter um candidato declarado contra sua reeleição, sendo apoiado por Robinson Faria e pela presidente Dilma, o prefeito Carlos Eduardo vai ter muito trabalho pela frente para reverter essa situação e evitar se ‘micarlizar’ pela falta de recursos.

OLIGARQUIA

O que aproximava Carlos Eduardo de partidos progressistas e o unia a setores mais à esquerda, era justamente o fato dele ser oriundo da oligarquia Alves, mas ter tido a coragem de romper com a própria família e construir sua história. A volta ao seio familiar, destrói o discurso do prefeito e o liga de forma irreversível, ao palanque que sempre combateu; e que a população derrotou com a vitória de Fátima Bezerra e Robinson Faria.

Por Tulio Lemos  Jornal de Hoje

dna

AVALIAÇÃO

O prefeito Carlos Eduardo fez uma gestão razoável quando passou pela Prefeitura do Natal. Corajoso, rompeu com a família, se aliou a forças mais progressistas e gerenciou a cidade sem ceder a pressões nem do poder econômico. Saiu bem, apesar de não conseguir eleger seu sucessor.

EQUÍVOCO

O filho de Agnelo continuou com seu projeto de manter a coragem e eqüidistância da família que o pariu como político e foi candidato a governador contra todos. Perdeu feio; mas manteve a coerência e fortaleceu a imagem de que era diferente e não fruto e beneficiário da oligarquia.

PREFEITO

Veio a eleição para prefeito de Natal. Carlos Eduardo recusou pedido de filiação no PMDB para ser apoiado em 2012. Parecia ser o caminho mais fácil para voltar a administrar a capital. Ele recusou e teve que enfrentar a ira dos primos contra sua candidatura. O PMDB, comandado por Henrique, tentou de tudo para desestabilizar sua candidatura e derrotar sua pretensão. Gastou quase R$ 10 milhões contra ele. Não adiantou. Longe da família e contra sua própria oligarquia, Carlos Eduardo venceu o pleito.

APOIOS

CARLOS_ROBINSON_FATIMA_370

Para ser eleito contra o candidato do PMDB, Carlos Eduardo foi apoiado por Robinson Faria e, no segundo turno, pelo PT de Fátima Bezerra. Começou governando com os dois partidos que lhe respaldaram. Veio a eleição para governador e tudo mudou.

MAJORITÁRIA

Enrique é Carlos

Na disputa majoritária de 2014, Carlos Eduardo tinha tudo para ser o grande vencedor sem fazer muita força. Bastava apoiar quem lhe apoiou. Ele fez o contrário. Apoiou justamente o presidente do PMDB, que tentou lhe derrotar. O apoio de Carlos Eduardo terminou simbolizando mais o reencontro familiar, uma reconciliação da oligarquia Alves, do que propriamente o apoio do prefeito da capital a um candidato viável politicamente; mas rejeitado pelo eleitorado.

RADICALISMO

henriquealvess2

Henrique sempre foi o radical da família; na campanha, assumiu erros do passado e afirmou que tratava-se de um ‘ex-radical’ regenerado pelo tempo. Carlos Eduardo, que não disputava mandato, assumiu o lugar do primo e fez dois discursos agressivos contra seu amigo e vizinho: “Não acredito que alguém saia de casa para votar em Robinson Faria” foi um deles. O outro foi ainda mais pesado: “Robinson e Rosalba estão juntos. Vamos jogar os dois na lata de lixo da história”.

MUDANÇA

O apoio de Carlos Eduardo a um candidato é natural. Mesmo que seja um ex-adversário. Faz parte da ‘dinâmica’ da política. A questão é que ele acirrou de forma desnecessária e desproporcional. Perdeu a eleição em Natal e seus candidatos não foram respaldados pelo eleitorado.

FUTURO

Derrotado eleitoralmente e com o futuro governador como adversário, além de já ter um candidato declarado contra sua reeleição, sendo apoiado por Robinson Faria e pela presidente Dilma, o prefeito Carlos Eduardo vai ter muito trabalho pela frente para reverter essa situação e evitar se ‘micarlizar’ pela falta de recursos.

OLIGARQUIA

O que aproximava Carlos Eduardo de partidos progressistas e o unia a setores mais à esquerda, era justamente o fato dele ser oriundo da oligarquia Alves, mas ter tido a coragem de romper com a própria família e construir sua história. A volta ao seio familiar, destrói o discurso do prefeito e o liga de forma irreversível, ao palanque que sempre combateu; e que a população derrotou com a vitória de Fátima Bezerra e Robinson Faria.

Por Tulio Lemos  Jornal de Hoje

dna

O ministro Dias Toffoli, do TSE. Foto: Divulgação

Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral aceitou nesta terça-feira liberar ao PSDB acesso aos arquivos eletrônicos e demais documentos referentes à totalização dos votos da eleição presidencial. Com esses dados, os tucanos poderão realizar uma auditoria própria do resultado. Ao saber da decisão do TSE, deputados tucanos comemoraram no plenário da Câmara. A corte, porém, negou o pedido da sigla para criar uma comissão multipartidária para auditar o pleito por entender que o partido não tem legitimidade jurídica para atuar em nome de outras legendas.

Ao aprovar a liberação dos arquivos ao PSDB, o presidente do TSE José Dias Toffoli ressaltou que todos os procedimentos deferidos constam em resoluções da corte que tratam da transparência do processo eleitoral e estavam disponíveis antes da eleição. No segundo turno, o PSDB foi derrotado pela presidente Dilma Rousseff por uma diferença de três pontos.

Apesar de aprovar o fornecimento dos dados, Toffoli criticou os argumentos usados pelos tucanos no pedido e afirmou que o PSDB não apresentou indícios de fraude no pleito, limitando-se a relatar a descrença de algumas pessoas no resultado da votação. O presidente da corte garantiu a transparência das eleições e ressaltou que o desenvolvimento dos programas usados na apuração das urnas esteve a disposição, desde abril, de todos os partidos políticos, do Ministério Público Eleitoral (MPE) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), desde o momento em que começaram a ser elaborados. Ler mais…

Foto: Divulgação

Deputado federal eleito pelo PSC-SP, Eduardo Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro (PP), afirmou, em entrevista ao R7, ser contra tornar a homofobia crime.

“O que eles querem com o PL 122 é criar uma super-raça. Não há motivo. Se uma pessoa me matar aqui, [trata-se de] um homicídio qualificado, de seis a 20 anos. E se descobrirem que a pessoa do lado que [também] morreu é gay… [Não há motivo para] transformar isso numa pena maior. Não haveria sentido. As punições já estão aí. O problema é a impunidade.”

Ele ainda questionou o fato de o golpe militar de 1964 ser classificado como golpe. O filho de Bolsonaro afirmou que não houve tiros na deposição do presidente João Goulart.

“Os militares chegaram ao poder através do povo.”

Fonte: R7

promo-frete-gratis-2014-loja

 

giygfuigfuyyt

Presidente da Câmara Federal e ex-candidato ao Governo do RN, Henrique Eduardo Alves, do PMDB, tentou usar seu prestígio nacional para barrar a participação do Partido dos Trabalhadores (PT) na campanha de Robinson Faria, do PSD. E quem confirmou isso foi o próprio peemedebista, em entrevista a edição da revista Veja desta semana. Segundo Henrique, foram várias as tentativas de vetar as inserções do ex-presidente petista Lula no programa eleitoral do PSD. Contudo, a cada pedido de suspensão, mais o adversário se utilizava da imagem de Lula. O resultado: Henrique acabou sendo derrotado e culpando o petista por isso.

“Eu procurei o Michel Temer, que na hora telefonou para o Lula pedindo para que não gravasse mais. Tudo bem que a chapa do Robinson estava com o PT para o Senado, mas no plano nacional eu estava com a Dilma. Depois que pedi para pararem, foi quando usaram as propagandas desbragadamente. O Lula não deve ter feito nenhum gesto para pararem de usar. O Temer também procurou o Rui Falcão (presidente nacional do PT), mas não adiantou. Ficou uma coisa muito constrangedora. O Lula ia lá toda hora e classificava o outro candidato como a mudança. Mas sou eu que o conheço, eu que o ajudei, que fui o seu parceiro”, afirmou Henrique.

É importante lembrar que no período pré-eleitoral, o peemedebista chegou a negociar com o PT uma aliança no RN. Contudo, esse acerto não foi viabilizado, justamente, porque Henrique acreditou que a vaga ao Senado, que os petistas potiguares queriam para lançar Fátima Bezerra, deveria ficar com a ex-governadora Wilma de Faria, do PSB. Resultado: Henrique “fechou” com o nome pessebista, partido adversário do PT no plano nacional mas, mesmo assim, queria que o Partido dos Trabalhadores, nacionalmente, não trabalhassem para Robinson, que havia aceitado se aliar aos petistas potiguares. Ler mais…

fabricio entrevista

Em entrevista concedida ao Programa Rádio Cidadão, da Rádio FM Vida, no final da tarde do dia 30 de outubro, o prefeito de Pau dos Ferros, Fabrício Torquato, falou sobre o recente cenário político vivido no município, aquecido em virtude da campanha e do resultado das eleições para governo do estado. De acordo com Fabrício, ao analisar a vitória de Robinson Faria (PSD) sobre o candidato Henrique Alves (PMDB), o atual vice-governador teve um desempenho surpreendente.

“Ele foi um candidato que, com humildade e determinação, conseguiu o crédito de todos os eleitores que nele votaram. O povo se manifestou de forma livre e espontânea. Foi notório perceber que o acordo de gaveta houve ‘lá em cima’ na campanha de Henrique Alves. Não dá para se fazer política desse jeito. Em Pau dos Ferros, o único acordo que deu certo foi o do povo livre, que escolheu o seu candidato”, disse.

Sobre a ampliação da maioria de Robinson em Pau dos Ferros, Fabrício dá o mérito aos pauferrenses. “A maioria de 4.489 votos foi resultado do desejo do povo. Dou crédito total ao povo da minha cidade. O que acontece hoje é que as pessoas já estão ficando maduras em uma cidade como a nossa. E nós não somos curral eleitoral. Essa eleição mostrou isso muito claramente”, afirmou.

robinson-voto

O governador eleito Robinson Faria confirmou que renegociará as dívidas do Estado e anunciou a criação de uma loteria no Rio Grande do Norte, com 100% dos recursos voltados para a área social. Ontem, durante uma intensa agenda de entrevistas, Robinson disse que o projeto da loteria estadual já foi aprovado na Assembleia Legislativa, quando ele ainda era deputado, e agora retomará no comando do Executivo.

“Toda renda será revertida para crianças e adolescentes abandonados. A lotérica será feita com jogos de loteria e 100% dos recursos voltados para as causas sociais”, detalhou.

Presidência da Assembleia

Questionado se articulará na disputa pela presidência da Assembleia Legislativa no próximo mandato, o governador eleito Robinson Faria disse que não infererirá, mas “dialogará”.

“Vou conversar com os deputados. Elegemos seis deputados e a partir dos oito (José Adécio e Gustavo Carvalho aderiram no segundo turno) vamos dialogar. Não vou fazer intervenção na Assembleia. Vou dialogar até porque fui deputado 24 anos e tenho todo direito de dialogar”, destacou.

Ricardo Motta lança seu nome para reeleição na Assembleia

Ricardo Motta

O deputado estadual Ricardo Motta (PROS) já adiantou a assessores que se mantém na disputa para Presidência da Assembleia Legislativa.

Mesmo rachado politicamente com o governador eleito Robinson Faria, Motta tenta construir uma articulação política que o viabilize a continuar na principal cadeira do Legislativo potiguar.

Panorama Político

dna

Blog publica parte da coluna de Túlio Lemos no JH desta segunda e acrescenta comentários.

LAPADA

TORQUATO

O deputado estadual Getúlio Rêgo comprou a briga com o prefeito de Pau dos Ferros, Fabrício Torquato e saiu nocauteado. Disse que Henrique daria uma ‘lapada’ de votos em Robinson e desqualificou a força do prefeito. Foi desmoralizante para Getúlio e seu filho Leonardo a derrota acachapante em seu principal reduto. Falou demais e teve que engolir o fortalecimento da liderança de Fabrício.

DO BLOG: A mudança de lado dos Prefeitos  Fabrício Torquato de Pau dos Ferros e Ivan Junior de Assu para o lado de Robinson deram ao atual governador uma maioria de 14 votos(4400 em Pau dos Ferros e 9600 em Assu), só para o leitor ter ideia, no 1º turno a diferença nesses dois municípios para Robinson Faria foi de 2500 votos. Ficou “feio” na fita o grupo de Getúlio Rego e o de George Soares.

JURÍDICO

O departamento jurídico da campanha de Robinson Faria tem muito o que comemorar. Deu um nó na campanha de Henrique e ainda conseguiu preciosos minutos no programa do adversário justamente nos últimos dias da campanha. Henrique terminou a campanha sendo chamado de mentiroso pelo judiciário potiguar. Bons advogados fazem a diferença.

DO BLOG: O jurídico da campanha de Robinson Faria coordenado pelo advogado Eduardo Nobre com a consultoria indireta do advogado Erick Pereira deu um banho.

MARKETING

O marketing da campanha de Robinson também saiu no lucro. Conseguiu explorar as fragilidades do adversário sem recorrer a mentiras e soube dosar a intensidade das pancadas. O efeito veio das urnas, coroando a vitória do trabalho do publicitário João Maria Medeiros.

DO BLOG: O publicitário João Maria Medeiros com uma equipe com menos da metade do orçamento, esquipe e estrutura da campanha de Henrique Alves conseguiu acertar 100% no planejamento apresentado no período pré-campanha e levar Robinson Faria para o governo.

MAIORIA

francisco-jose-robinson

O jovem prefeito de Mossoró, Francisco José Jr., consolidou definitivamente sua liderança no maior colégio do interior do RN. Ainda no primeiro turno, Henrique esteve com 20% de vantagem sobre Robinson; o prefeito tirou a vantagem do adversário e deu uma maioria de 23 mil votos a Robinson.

No segundo turno, o prefeito Francisco José Jr. conseguiu ampliar a vitória de Robinson em Mossoró para quase 50 mil votos. Reescreveu a história da Capital do Oeste sem precisar do respaldo das oligarquias locais. A vitória maiúscula de Robinson em Mossoró sinaliza para a reeleição do prefeito.

DO BLOG: O prefeito foi fundamental para a vitoria de Robinson Faria, mas o próprio projetava uma vitoria de Robinson Faria no 2º turno com uma maioria de 33 mil votos, quando as urnas falaram essa maioria foi de 48 mil votos. Nõa se enganem, o bairrismo dos Mossoroenses em defender a “honra” da Governadora Rosalba dos ataques pesados da campanha de Henrique Alves falou muito alto.

PESQUISA

PESQUISAS

O Ibope cravou o resultado da última pesquisa para governador do RN. No sábado, o instituto revelou vantagem de 8 pontos para Robinson. As urnas apontaram maioria de 8,84%. A Certus errou feio ao apostar no empate técnico.

DO BLOG: O Ibope acertou em cheio em todo o Brasil no 2º turno, no RN foi certeiro e a pesquisa Certus em parceria com essa blog que acertou no 1º turno não foi nada bem no 2º turno, dando 3% para Robinson de maioria enquanto as urnas apresentaram mais de 8%.

promo-frete-gratis-2014-loja

dilma_vitoria

Após ser reeleita com 51,6% dos votos válidos, na disputa mais apertada da história, a presidente Dilma Rousseff discursou para uma militância inflamada em um hotel de Brasília na noite deste domingo (26). Na fala (leia a íntegra), Dilma defendeu a reforma política por meio de um plebiscito.

“Vamos encontrar a força e a legitimidade exigida nesse momento de transformação para levar à frente a reforma politica. Quero discutir isso com o Congresso Nacional e com toda a sociedade brasileira”, disse a presidente reeleita, que não mencionou o adversário Aécio Neves em seu discurso. Foto: Pedro Ladeira/Folhapr

mad

O candidato do PMDB ao Governo do Estado, Henrique Alves, votou na manhã deste domingo (26) na Fundação José Augusto e disse estar confiante em uma vitória. Ele estava acompanhado de familiares e amigos, incluindo o ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho.

Henrique fez uma avaliação positiva sobre o pleito. “Faço uma avaliação muito positiva. Acho que os debates e a campanha eleitoral, principalmente da nossa parte, muito propositiva, muito honesta, e ofereci ao RN uma vida de 44 anos de trabalho. Espero com grande serenidade uma grande vitória para termos mais força para mudar; É preciso fazer chegar a cada norte-rio-grandense o sentimento de que esse Estado pode ser um Estado mais justo, mais fraterno e mais desenvolvido”, disse o candidato, que pretende acompanhar a apuração do resultado em casa, com a família.

naruto