Brasil - Informativo Atitude - Page 2

Categoria: Brasil

 

O presidente Javier Milei será recebido com todas as honras no próximo sábado (6), durante a Conferência de Ação Política Conservadora em Balneário Camboriú, em

Santa Catarina, Estado que sempre derrota petistas. O ex-presidente Jair Bolsonaro está pessoalmente envolvido para que Milei tenha manifestação consagradora, em reconhecimento ao fato de o argentino não esconder o que pensa Lula em entrevistas e até eventos internacionais, como no recente G-7: “é um corrupto”.

VISITA DE MILEI É PESSOAL

A mídia governista critica a visita porque Lula estará fora, no Mercosul. Mas o argentino não fará visita oficial, tampouco será visita de governo.

CADA VEZ AUMENTA MAIS

Para além do êxito do seu governo, Milei ganha cada vez mais fãs no Brasil exatamente por representar a aversão conservadora ao petista.

CONCEITO REITERADO

Recentemente, Milei levou antipetistas ao delírio recusando o pedido de desculpas reclamado por Lula: “A Justiça o condenou por corrupção”.

De forma ardilosa, a governadora Fátima Bezerra prepara um terrível plano para aumentar o ICMS depois das eleições de outubro.

Fátima vai enviar para Assembleia Legislativa uma proposta para aumentar o ICMS de 18% para 20%. Isso é péssimo para a população, imposto aumentar e a quantidade de empregos diminui.

A governadora não corta despesas, é irresponsável na administração do dinheiro público e quer transferir a conta para a população.

Esse texto foi copiado do Blog do Gustavo Negreiros. Para ter acesso completo a matéria acesse gustavonegreiros.com.br

Foto: Reprodução/ CanalGov

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez nesta segunda-feira (1º) novas críticas ao Banco Central e ao presidente da instituição, Roberto Campos Neto. Lula afirmou que, quando for escolher o novo presidente do BC, buscará alguém que “olhe para o país do jeito que ele é”, e não “do jeito que o sistema financeiro fala”.

Lula tem feito reiteradas críticas ao BC e a Campos Netto. O argumento do presidente é que o BC está mantendo a Selic (taxa básica de juros) em patamares altos — atualmente 10,5% ao ano — sem necessidade. E que isso prejudica o crescimento do país, uma vez que fica mais caro captar dinheiro no sistema financeiro.

Por outro lado, o BC diz que o governo não cumpre a contento sua função de controlar os gastos públicos. Com isso, o risco de inflação persiste, o que exige juros mais altos.

g1

O presidente da Argentina, Javier Milei, cancelou oficialmente nesta segunda-feira, dia 1º, sua participação na Cúpula do Mercosul, após um novo embate com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A Presidência argentina confirmou que Milei virá ao Brasil no próximo fim de semana para participar de um evento liderado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. Durante sua estadia, Milei não se encontrará com Lula.

A decisão de Milei foi confirmada pelo porta-voz da Casa Rosada, Manuel Adorni. Ele negou que a desistência de comparecer à reunião de chefes de Estado do Mercosul, em Assunção, no Paraguai, tenha relação com algum incômodo com Lula. Adorni, no entanto, afirmou que não haverá reunião entre Milei e Lula no Brasil.

Quando o chefe de Estado de um país visita um país estrangeiro e ignora o governante no poder, isso é geralmente visto como uma descortesia e até provocação diplomática. Milei vai repetir o que fez em uma recente viagem à Espanha, em mais um episódio da crise na relação com o país, governado pelo socialista Pedro

Milei irá a Balneário Camboriú, em Santa Catarina, onde o ex-presidente brasileiro e seus aliados políticos promovem uma cúpula de direita, a CPAC (Conservative Political Action Conference). A organização do evento é responsabilidade do Instituto Conservador Liberal, presidido no Brasil pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP).

O ex-presidente Bolsonaro já está confirmado como palestrante. Nomes da direita latina, como o chileno José Kast, também participarão. A organização ainda mantinha suspense sobre a presença de Milei, embora divulgasse sua relação com o evento, quando a Casa Rosada confirmou a viagem.

terra Brasil

Em entrevista à Rádio Princesa, da Bahia, o presidente Lula afirmou que passou a defender uma Reforma Agrária pacífica após pesquisa mostrar que 90% da população era contra a reforma feita de forma radical.

“A gente tem que aprender a falar com o povo o que ele quer ouvir. Às vezes a gente fala o que pensa e não é isso que o povo quer”, disse Lula.

Metrópoles

Começa a valer nesta segunda-feira (1º.jul.2024) a bandeira amarela nas tarifas de energia elétrica. O patamar, que vigorará durante todo o mês de julho, implicará em cobrança adicional na conta de luz. O valor extra será de R$ 1,88 a cada 100 KWh (quilowatt-hora) consumidos. Além do bolso do consumidor, a medida deve impactar o índice de inflação deste mês.

A nova bandeira foi anunciada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) na 6ª feira (28.jun). A decisão colocou fim a um ciclo de mais de 2 anos de vigência da bandeira verde. O patamar sem cobrança adicional vigorou por 26 meses, de abril de 2022 a junho de 2024, por causa das condições favoráveis de geração de energia no país.

Agora, a situação mudou. Segundo a Aneel, as condições para geração de energia estão menos favoráveis. A bandeira amarela foi acionada em razão da previsão de chuvas abaixo da média até o final do ano (em cerca de 50%) e pela expectativa de crescimento do consumo de energia no mesmo período.

Poder360

Foto:  Montagem reprodução/Web/IstoÉ Gente

Depois do cantor Gusttavo Lima, agora é a vez de Leonardo negar qualquer possibilidade de participar de um almoço com o presidente Lula que reuniria artistas do sertanejo.

De acordo com Leo Dias, a equipe de Leonardo, apesar de não negar que houve uma aproximação, garantiu que o almoço não irá acontecer, uma vez que o cantor está em uma frenética rotina de shows, com apresentações em quase todos os dias.

Ainda segundo o jornalista, pessoas próximas ao cantor também garantem que Leonardo segue com suas convicções políticas e continua sendo apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Cantores sertanejos teriam sido convidados para um almoço em Brasília com o presidente Lula. O convite teria sido feito pelo senador Jorge Kajuru.

Com informações de Leo Dias

Foto: Ricardo Stuckert e Reprodução/Redes sociais

Perfis que cobrem o universo Sertanejo no Brasil afirmam que o cantor Gusttavo Lima teria recusado um convite para almoço com Lula e outros artistas do gênero musical.

Em um movimento estratégico para fortalecer laços com o agronegócio e o público amante da música sertaneja, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva convidou diversos cantores do gênero para um almoço. Quem estaria trabalhando nos bastidores para a realização do encontro é o senador Jorge Kajuru (PSB-GO).

Entre os convidados estavam nomes renomados da música sertaneja, como Leonardo, que já convenceu as duplas Bruno e Marrone e Chitãozinho & Xororó, segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

No entanto, um dos nomes mais proeminentes do sertanejo contemporâneo, Gusttavo Lima, recusou o convite. O Embaixador, que tem um claro posicionamento político conservador, decidiu não participar do encontro, refletindo sua distância das políticas do governo Lula.

Com informações de Conceito Sertanejo e Lauro Jardim, O Globo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Flávio Dino, afirmou nesta sexta-feira (28) que os juízes da Corte estão “metidos em muita coisa”, mas que essa é uma consequência da “conflagração da sociedade”, e não da atuação dos próprios membros do tribunal.

A fala de Dino durante o Fórum de Lisboa, evento organizado pelo IDP, a faculdade de Direito fundada por Gilmar Mendes, ocorre dois dias depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) dizer que o “Supremo não tem que se meter em tudo”, após a Corte decidir pela descriminalização do porte de maconha para consumo pessoal.

Eu diria que nós estamos metidos em muita coisa exatamente em face dessa conflagração que marca a sociedade brasileira, mas não só neste momento não tão glorioso das democracias no Ocidente”, concluiu o ministro.

Os ministros Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso, presidente da Suprema Corte, também comentaram a declaração de Lula.

Na avaliação de Gilmar, o presidente estaria “fazendo uma autocrítica do próprio sistema”. “Eu já disse que o Supremo não tem uma banca pedindo causas para lá. Na verdade, são as pessoas que provocam”, afirmou o ministro.

Já Barroso defendeu que o petista tem “liberdade de expressão” para opinar.

“O presidente tem liberdade de expressão, como todas as pessoas. Se ele emitiu a opinião dele, merece respeito e consideração. O Supremo cumpre o papel que lhe cabe cumprir.”

Dino também falou que há dificuldade no debate de temas no Congresso e isso leva a ações extremas, que envolvem até confrontos físicos como método de disputa política.

Essa falta de ambiente para debate, prosseguiu Dino, leva a uma sobrecarga do Supremo nas respostas às demandas constitucionais.

O ministro afirmou ainda que a “era do extremismo faz com que a funcionalidade e a eficiência da política seja posta em xeque”.

CNN

Foto: Cezaro de Luca/AFP

O fortalecimento da candidatura de Donald Trump após o debate presidencial americano, na quinta-feira (27), aumentou a preocupação no Palácio do Planalto com as consequências para o presidente Lula (PT) de uma possível volta do republicano à Casa Branca.

A principal avaliação entre auxiliares do petista é que o eventual retorno de Trump significaria um empoderamento da extrema direita no Brasil e do bolsonarismo, com risco de impacto até mesmo sobre o STF (Supremo Tribunal Federal).

Na noite de quinta, Joe Biden e Trump se enfrentaram no primeiro debate das eleições presidenciais dos Estados Unidos, nos estúdios da emissora CNN, em Atlanta.

Em um embate tenso, Trump encurralou Biden de maneira enérgica em temas-chave para o eleitorado americano, como imigração, guerras nas quais os EUA se envolveram nos últimos anos, a gestão da pandemia da Covid-19 e o aborto. O desempenho ruim do democrata aumentou a pressão para que ele desista de concorrer.

Folha de S. Paulo