Bastidores da Política Estadual em… “Queda de Braço” - Informativo Atitude

Bastidores da Política Estadual em… “Queda de Braço”

QUEDA DE BRAÇO


A queda de braço entre o governo do estado e a Prefeitura de Natal continua, mesmo a prefeitura lançando um decreto que permite que bares e restaurantes funcionem no domingo, o governo Fatima e sua infinita intransigência fechou os restaurantes em Ponta Negra.

QUEDA DE BRAÇO II
Ainda houve uma reunião ente Álvaro e Fatima, mas a intransigência do governo Fatima falou, mas alto e não houve acordo.

SEM AJUDA


O governo Fatima não traçou nenhuma ajuda para bares e restaurantes do RN, apenas baixou um decreto que deve ser aceito por bem ou por mal pelo povo, que já sente os efeitos do decreto do governo do RN.

DESPREPARADA


O governo Fatima dá um show quando o assunto e despreparo, a socialista que prega o fechamento de tudo não se preparou para a segunda onda, deixando o Estado do RN em uma situação difícil e extremamente complicada.

DESEMPREGO DESENFREADO


O desemprego cresce no Estado de forma desenfreada, e os dados mostram isso, a única voz que se levanta contra o autoritarismo de Fatima é o prefeito Álvaro dias que tenta a todo custo, chegar ao um acordo com o governo.

PARA A PLATEIA


Todo o governo de esquerda os governadores trabalham para a plateia, foi assim na Argentina, que isolou mais de 86% das pessoas e começou a mandar ajuda, depois de algumas meses o governo argentino cortou o auxílio alegando que o país não tinha mais condições de manter, a moeda argentina desvalorizou e o pais mergulha em um caos social jamais visto.

SALVA PELO GOVERNO FEDERAL


O governo Fatima ainda não deu seu último suspiro devido as verbas mandadas pelo governo Bolsonaro, o Estado do RN recebeu milhões e milhões durante a pandemia.

CRUZOU OS BRAÇOS
Diferente de alguns governos que tenta a todo custo ajudar a população e até criaram uma espécie de auxílio para os trabalhadores, o governo Fatima trabalha apenas em um isolamento que destrói a economia deixando milhares de pais de família sem ter como levar o pão para seus filhos. Em resumo, essa é a realidade de uma esquerda doentia que prega apenas falsas promessas.