Após xingamentos, Dilma diz que nem tortura a tirou do rumo

                                    

 

Um dia após ter sido hostilizada na abertura da Copa do Mundo em São Paulo, a presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira (13), em discurso em Brasília, que não vai se “perturbar com agressões verbais” nem se “atemorizar com xingamentos que não podem sequer ser escutados pelas crianças e pelas famílias”. Ela disse ainda que nem a tortura a tirou “de seu rumo”.

 

No jogo de ontem do Brasil X Croácia, torcedores entoaram xingamentos à presidente em quatro momentos. Em um deles, podia se ouvir: “Ei, Dilma, vai tomar no c…”.

 

“Quero dizer para vocês que não vou me deixar perturbar por agressões verbais, (…) não vou me deixar atemorizar com xingamentos que não podem sequer ser escutados pelas crianças e pelas famílias”, afirmou ao participar da cerimônia de inauguração de parte de um corredor expresso de ônibus no Distrito Federal.

 

A petista lembrou ainda da época em que foi presa política durante a ditadura militar e afirmou que nem tortura física a que foi submetida a tirou do seu rumo.

 

“Aliás, na minha vida pessoal, quero lembrar que enfrentei situações do mais alto grau de dificuldade, situações que chegaram ao limite físico, eu suportei agressões físicas, suportei agressões físicas quase insuportáveis e nada me tirou do meu rumo, dos meus compromissos, nem do caminho que tracei para mim mesma”, disse.

 

 

 

Administrador

Deixe uma resposta