Agricultores macaibenses aderem a programas de crédito rural

A Prefeitura de Macaiba, por intermédio da Secretaria Municipal da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Semape) promoveu a adesão de 75 agricultores macaibenses aos programas Fomento Mulher e Apoio Inicial, na manhã quinta-feira (12), na sede da secretaria. Os agricultores beneficiados pelos programas são dos assentamentos Caracaxá, José Coelho, Quilombo dos Palmares, Chico Mendes e Chico Mendes III.

O vice-prefeito Auri Simplício e o secretário da Semape, Francisco Maia prestigiaram a ação. Desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), os programas oferecem crédito para que os trabalhadores aumentem a produção agropecuária, da mesma forma que aumentem a sua renda mensal com a atividade fixa no campo.

De acordo com o programa Fomento Mulher, os agricultores recebem uma cota única de 5 mil reais para investir na sua atividade, sendo que após um ano da assinatura do contrato ele deverá pagar uma parcela de mil reais, com juros de 0,5% ao ano. No programa Apoio Inicial, os trabalhadores recebem um crédito de 5 mil e 200 reais para investimento, valor que deverá ser pago de forma integral após três anos da assinatura do contrato, com juros de 0,5% ao ano.

O agricultor Miguel Teixeira dos Santos, 57, morador do assentamento José Coelho esteve presente na ocasião ao lado da esposa Francisca Santos, 53, e destacou a importância do programa para ele sua família. “Vai ajudar bastante. Queremos crescer, criar uma cabeça de gado, galinha, até para consumo em casa, aumentar a renda da família. Veio em boa hora. Vai chegar o inverno e será uma beleza”, afirmou.

Opinião semelhante a da agricultora Edma Ferreira do Nascimento, 38, moradora do assentamento Caracaxá. Acompanhada pelo esposo Valdeir Santos, 40, Edma destaca os planos para criar novos negócios. “É muito bom e chegou em boa hora. Pretendo expandir minha atividade para criação de novilhos. Vai aumentar a renda em casa porque com os novilhos poderemos ter leite e inclusive fazer doces para vender”, disse a agricultora.

Fotos: Márcio Lucas

Assecom-PMM