RN tem um guarda-vidas para cada 30 quilômetros de litoral, diz associação

10 de fevereiro de 2018 0 Por Administrador

O Rio Grande do Norte tem um efetivo de 40 guarda-vidas para cobrir aproximadamente 400 quilômetros de litoral, segundo informou a associação dos bombeiros militares do estado. Efetivamente, porém, o número é muito menor, pois como os militares trabalham em regime de escala de 24 horas, apenas 13 trabalham por dia – o que representa um salva-vida para cada 30 quilômetros.

O déficit é evidenciado na demora pelo atendimento. Nesta quinta-feira (8), por exemplo, um barraqueiro usou tampas de isopor para salvar um casal de turistas argentinos de afogamento, em Natal, mas os três esperaram pelo resgate do Corpo de Bombeiro por cerca de 40 minutos.

Em 2002 a lei complementar 230, que desvinculou o Comando do Corpo de Bombeiros do Comando da Polícia Militar, previa um efetivo de 1.065 bombeiros. Porém esse efetivo atualmente é de 572, em todo o estado.

Desse total, 40 são guardas-vida, que trabalham efetivamente, segundo Dalchem, apenas na Praia do Meio, na Redinha Nova e em Búzios. “Temos muito balneários importantes, como Ponta Negra, Pirangi, Camurupim, Pipa, que não têm presença efetiva, cotidiana, de salva-vidas”, destaca o representante dos militares.
De acordo com ele, com o uso de diárias operacionais (pagamento de hora extra para os militares), o número de salva-vidas vai aumentar para 30 militares atuando diariamente nas praias potiguares, durante o Carnaval. Número ainda pequeno, de acordo com a associação.
Para Dalchem, independente do número de banhistas, todas as praias frequentadas no estado deveriam ter salva-vidas. Ele ainda ressalta que atualmente o Estado sequer sabe o número mínimo salva-vidas que deveria ter, para contratação. A associação cobra a criação de uma lei que organize a corporação, com determinação de percentual de militares por setor, por exemplo.

Segundo o Corpo de Bombeiros, houve concurso para 70 vagas de soldado, 12 de oficiais e existe previsão de contratação temporária de guarda-vidas. Uma lei que autoriza a contratação temporária foi aprovada pela Assembleia Legislativa e aguarda sanção. Porém, quando isso acontecer, os selecionados ainda precisarão passar por treinamento. A expectativa é que esses profissionais possam ser usados no próximo verão e em épocas de feriadões.

Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, o número de vagas do concurso efetivo ainda é abaixo do ideal devido aos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. As nomeações vão apenas repor vagas abertas por aposentadorias, mortes e outros tipos de vacância.
Com informações do G1/RN