Nomes tradicionais da política brasileira, ex-ministros, ex-governadores e senadores que disputavam a reeleição, não se elegeram para o Senado este ano.

É o caso da ex-presidente da República Dilma Rousseff (PT), que decidiu disputar uma vaga de senadora por Minas Gerais após seu impeachment. A petista aparecia disparada em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto desde o início da campanha, mas as vagas do estado ficaram com Rodrigo Pacheco (DEM) e Carlos Viana (PHS).

No Rio, o também petista Lindbergh Farias disputava a reeleição como senador —posto que ocupa desde 2011. O parlamentar que já foi deputado federal por dois mandatos e prefeito reeleito de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, ficará sem mandato.

Lindbergh aparecia nas pesquisas em terceiro lugar, com 15%, atrás do ex-prefeito do Rio Cesar Maia (DEM), com 18%, que também não se elegeu. O petista teve 10% dos votos, enquanto Maia teve 16%.

As vagas no estado ficaram com o líder nas intenções de voto e filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Flávio Bolsonaro (PSL), e Arolde de Oliveira (PSD) —candidato que aparecia em 5º nas pesquisas, mas contou com apoio bolsonarista.

Outro petista derrotado foi Eduardo Suplicy, em São Paulo, após liderar as pesquisas durante todo o período eleitoral. Atualmente vereador, Suplicy sofreu a segunda derrota consecutiva na disputa pelo Senado —em 2014, perdeu para José Serra (PSDB). Desta vez, acabou superado por Mara Gabrilli (PSDB) e Major Olímpio (PSL), que colou sua imagem em Bolsonaro.

Em Roraima, Romero Jucá (MDB) também foi degolado por menos de 500 votos. Jucá está no terceiro mandato e foi líder do governo de três presidentes e ministro do petista Lula e do emedebista Michel Temer. Neste domingo (7), teve 17,34% dos votos, contra 17,43% do eleito Mecias de Jesus (PRB). O segundo nome do estado é Chico Rodrigues (DEM).

No Paraná, duas grandes forças da política local ficaram de fora do Senado: os ex-governadores Beto Richa (PSDB) e Roberto Requião (MDB).

Ambos eram líderes nas pesquisas às vésperas da eleição. Requião, atual senador, liderava com folga, com 26%, segundo o Ibope de sábado (6). Acabou em terceiro lugar, com 14%.

“Efeito Bolsonaro e duro ataque de infâmias e calúnias”, comentou Requião, nas redes sociais. Ele atribuiu a derrota ao “voto útil” nos dois vencedores, Professor Oriovisto (Podemos) e Flavio Arns (Rede), com o objetivo de tirar Richa da segunda vaga.

Richa, que terminou num amargo sexto lugar, com 3% dos votos, foi preso por quatro dias em meio à campanha eleitoral, numa investigação por suspeitas de desvios em obras públicas. Ele nega irregularidades, e acusou a prisão de ser arbitrária e política.

Pela manhã, ao votar, o tucano disse que foi vítima de uma “barbárie”. “Foi para exterminar, destruir minha candidatura”, declarou. “Não havia nem inquérito instaurado [era um procedimento investigativo do Ministério Público], nunca havia sido chamado a dar depoimento. Que mundo é esse?” A investigação que prendeu Richa é alvo de apuração do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público).

No Maranhão, outros dois fortes nomes locais foram derrotados: Edison Lobão (MDB) e Sarney Filho (PV) —o Zequinha, herdeiro do ex-presidente José Sarney (MDB) e ex-ministro de Michel Temer (MDB). Os eleitos foram Weverton (PDT) e Eliziane Gama (PPS).

Lobão é ex-governador, ex-ministro e atual senador. Ele foi considerado suspeito, num desdobramento da Lava Jato, de ter recebido propinas de cerca de R$ 5 milhões. Segundo a Odebrecht, o parlamentar também teria recebido o montante para interferir junto ao governo federal para anulação da concessão da obra referente à Usina Hidrelétrica de Jirau.

Já o clã Sarney começou a perder protagonismo no estado em 2014, quando o governador Flávio Dino (PC do B) se elegeu, interrompendo um ciclo de quase 50 anos de influência da família na política maranhense.

Em Goiás, o ex-governador do estado Marconi Perillo (PSDB) viu sua liderança na corrida pelo Senado ruir de agosto até às vésperas da eleição.

Em setembro, ele se tornou réu sob acusação de corrupção passiva, acusado de receber vantagens indevidas durante o mandato para viabilizar contratos com a construtora Delta entre 2011 e 2012, no mesmo processo que envolve Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Perillo terminou em 5º no estado que governou por quatro mandatos. Vanderlan (PP) e Jorge Kajuru (PRP) vão ocupar as duas cadeiras do Senado por Goiás.

O atual presidente do Senado também não estará na Casa no ano que vem. Em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto no Ceará durante a campanha, Eunício Oliveira (MDB) amargou a terceira colocação, e por uma pequena diferença viu serem eleitos Eduardo Girão (PROS) e Cid Gomes (PDT).

Outro senador que perdeu o cargo foi Cristovam Buarque (PPS), que cogitou concorrer à Presidência. Ele disputava, tecnicamente empatado nas pesquisas, com o deputado federal Izalci (PSDB), que acabou eleito no estado, junto com a ex-jogadora da seleção feminina Leila do Vôlei (PSB).

Aliado e quase vice de Jair Bolsonaro, o senador Magno Malta (PR)também foi derrotado na busca pela reeleição no Espírito Santo. Ele chegou a ser convidado para a chapa presidencial, mas decidiu ficar de fora e buscar mais um mandato. Também ficou de fora o senador Ricardo Ferraço. Foram eleitos no estado Fabiano Contarato (Rede) e Marcos do Val (PPS).

Neste domingo (7), o eleitor escolheu dois candidatos ao Senado. O mandato é de oito anos, mas as eleições ocorrem de quatro em quatro anos. Assim, a cada eleição, a Casa renova, alternadamente, um terço e dois terços de suas 81 cadeiras. Neste ano, 54 vagas estavam em disputa no país  —​duas cadeiras por cada Unidade da Federação.

A senadora amazonense Vanessa Grazziotin também da adeus para o senado perdendo a eleição em sua terra.

Na Paraíba vem umas das maiores surpresas, o Senador Cássio Cunha Lima ficou em terceiro lugar.

NO RN

No Rio Grande do Norte dois políticos com carreiras vitoriosas e projeção nacional também perderam a eleição, os senadores Garibaldi FIlho e José Agripino. O deputado Rogério Marinho, um dos deputados que obteve mais protagonismo nos últimos dois anos na câmara federal também ficou de fora.

Com informações da FOLHAPRESS

– Benes Leocádio
– Natália Bonavides
– Fernando Mineiro
– João Maia
– Generão Girão
– Rafael Motta
– Walter Alves
– Fábio Faria

Da atual bancada, Apenas três deputados conseguiram a reeleição: Walter Alves (MDB), Rafael Motta (PSB) e Fábio Faria (PSD). Os demais não concorreram ao cargo ou perderam a disputa.

Felipe Maia, Zenaide Maia, Antônio Jácome não concorreram ao cargo. Beto Rosado e Rogério Marinho estavam na disputa, mas não conseguiram a reeleição.

Já os estaduais podem ser conferidos aqui:

http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/confira-a-lista-dos-deputados-estaduais-eleitos-no-rn/426550

O NORDESTE É PETISTA. MAS ISSO ESTÁ MUDANDO.

Em Maceió, Jair Bolsonaro teve 52% dos votos. Em João Pessoa, 49%. Em Natal, 44%. A onda antipetista vai acabar se espalhando para o interior.

FORTE

Jair Bolsonaro transformou o PSL, um partido irrelevante, na segunda maior bancada da Câmara, ao eleger hoje 52 deputados.

Ficou atrás apenas do PT, que fez 57 deputados – em 2014, foram 70. O PP será a terceira maior bancada da próxima legislatura, com 37 deputados, na frente do MDB, que encolheu para 34 parlamentares.

O PSDB, que há quatro anos elegeu 53 deputados, desta vez conseguiu apenas 30, tornando-se apenas a 8ª bancada da Câmara.

CAMPEÃ

À semelhança de Eduardo Bolsonaro, recordista de votação para a Câmara, Janaina Paschoal é oficialmente a deputada estadual mais votada da história do país, registra a Folha.

Com 98,29 das urnas apuradas em São Paulo, a coautora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff tinha 2.031.829 votos para a Alesp.

Ela superou inclusive a votação de Eduardo, que a essa altura da apuração estava com 1.814.443 votos para a Câmara.

FORA

Romero Jucá está fora do Senado.

Roraima elegeu Chico Rodrigues, em primeiro lugar, e Mecias de Jesus, em segundo.

Foi derrotado pela Lava Jato, mas principalmente pela rejeição aos refugiados venezuelanos.

PREJUÍZO

Henrique Meirelles gastou 54 milhões de reais do próprio bolso na sua campanha, para obter apenas 1.288.226 votos.

Cada votou saiu por 41 reais e 91 centavos.

É o pior economista de todos os tempos.

SURPRESA 

Com uma campanha de poucas aparições públicas e R$ 808 em gastos declarados à Justiça Eleitoral, o candidato do Patriota à Presidência, Cabo Daciolo, ficou em 6º na corrida presidencial, à frente de nomes como Marina Silva (Rede), Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias (Podemos).

Com quase 100% das urnas apuradas, Daciolo obteve 1.348.229 de votos.

Daciolo é deputado federal e tem 42 anos. Neste ano, se candidatou pela primeira vez à Presidência, mas passou a maior parte da campanha eleitoral no alto de um monte no estado do Rio de Janeiro “em jejum e oração”, como disse.

Flávio Bolsonaro e o pessedista Arolde de Oliveira foram eleitos senadores no Rio de Janeiro. O ex-prefeito Cesar Maia –pai do presidente da Câmara, Rodrigo– ficou de fora.

Com 97% das urnas apuradas, Flávio tinha 31% dos votos (4,2 milhões), e Arolde 17% (2,3 milhões). Cesar Maia ficou pouco atrás, com 2,2 milhões.

E Lindinho, como previa a boca de urna, ficou em quarto lugar e perdeu seu foro privilegiado.

Com praticamente 100% das urnas apuradas, já está definida a nova bancada da Assembleia Legislativa eleita nas eleições desse ano.

Foram eleitos

Coligação Trabalho e Superação II elegeu 9 deputados:
Ezequiel Ferreira
Gustavo Carvalho
Tomba Farias
Galeno Torquato
George Soares
Raimundo Fernandes
Vivaldo Costa
Albert Dickson
José Dias

Coligação 100% RN II elegeu 3 deputados:
Nélter Queiroz
Hermano Morais
Getúlio Rêgo

Coligação do Lado Certo elegeu 3 deputados:
Isolda Dantas
Souza Neto
Francisco do PT

Coligação Avança RN 1 elegeu 2 deputados:
Eudiane Macedo
Ubaldo Fernandes

Coligação Renova RN II elegeu 2 deputados:
Kelps Lima
Allyson Bezerra

Coligação Renova RN III elegeu 2 deputados:
Cristiane Dantas
Coronel Azevedo

Coligação Trabalho e Superação III elegeu 2 deputados:
Doutor Bernardo
Kleber Rodrigues

Partido PSOL elegeu 1 deputado:
Sandro Pimentel

Jair Bolsonaro começou uma transmissão ao vivo nas redes sociais, ao lado do economista Paulo Guedes.

O vencedor do primeiro turno presidencial disse que o Brasil “está à beira do caos e não podemos dar outro passo à esquerda”.

Elogiou o Nordeste e acrescentou: “Temos que unir o nosso povo, unir os cacos que a esquerda deixou neste país. Ninguém tem o que nós temos. Vamos mudar isso”.

A CNT (Confederação Nacional de Transporte) divulgou nova pesquisa de intenção de votos neste sábado (6). Os dados mostram que, se a eleição fosse hoje, haveria segundo turno. Na pesquisa, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem 36,7% dos votos no primeiro turno e Fernando Haddad (PT) fica em segundo lugar, com 24% das intenções de voto.

Na reta final da eleição para o cargo de presidente, o candidato do PSL (Partido Social Liberal) confirma a tendência de crescimento. Em relação à última pesquisa divulgada pela CNT, Bolsonaro teve aumento das intenções de voto em 7,3%, enquanto Haddad caiu 3,7 pontos percentuais. Quando a pesquisa considera os votos válidos, que excluem os brancos e nulos, Bolsonaro chega a 42,6%, enquanto Haddad fica com 27,8% dos votos válidos.

Segundo a CNT, a pesquisa foi realizada entre quinta (4) e sexta-feira (6). Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 estados nas cinco regiões do país. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Confira a pesquisa de intenções de voto para primeiro turno, com votos totais:

Jair Bolsonaro (PSL): 36,7%

Fernando Haddad (PT): 24%

Ciro Gomes (PDT): 9,9%

Geraldo Alckmin (PSDB): 5,8%

João Amoêdo (Novo): 2,3%

Marina Silva (Rede): 2,2%

Alvaro Dias (Podemos): 1,7%

Henrique Meirelles (MDB): 1,6%

Cabo Daciolo (Patriota): 1,3%

Guilherme Boulos (PSOL): 0,3%

João Goulart Filho (PPL): 0,1%

Vera (PSTU): 0,1%

Eymael (DC): 0,1

Branco / Nulo: 7,8%

Indeciso: 6,0

Segundo turno

A pesquisa considerou seis cenários de intenções de voto para o segundo turno. Bolsonaro tem empate técnico com o candidato Ciro Gomes (PDT) e vence os outros candidatos nas simulações. Confira:

1º Cenário: Jair Bolsonaro (41,9%) x Ciro Gomes (41,2%)

2º Cenário: Jair Bolsonaro (45,2%) x Fernando Haddad (38,7%)

3º Cenário: Jair Bolsonaro (43,3%) x Geraldo Alckmin (33,5%)

4º Cenário: Ciro Gomes (40,9%) x Fernando Haddad (31,1%)

5º Cenário: Ciro Gomes (46,1%) x Geraldo Alckmin (24,4%)

6º Cenário: Fernando Haddad (37%) x Geraldo Alckmin (34,3%)

Rejeição

Nos cenários de rejeição para os quatro candidatos mais bem posicionados na pesquisa, Haddad tem a maior rejeição, 53,2% dos eleitores pesquisados não votariam no candidato de jeito nenhum. Jair Bolsonaro é o segundo mais rejeitado, com 50,2%. A rejeição de Geraldo Alckmin (PSDB) é de 46,9%. Ciro Gomes é o candidato com a menor rejeição na pesquisa, com 33,4%.

Confira a pesquisa completa no link.

Portal Midiamax

Já está disponível para consulta o quinto lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física 2018. O crédito bancário para mais de 2,5 milhões de contribuintes será realizado no dia 15 de outubro, somando R$ 3,3 bilhões.

Desse total, R$ 171,7 milhões são destinados a contribuintes com prioridade, sendo 4.307 idosos acima de 80 anos, 32.257 pessoas entre 60 e 79 anos, 4.530 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 20.362 contribuintes cuja maior fonte de renda é o magistério.

Esse lote também contempla restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017. A correção varia de 3,62% – para as declarações entregues em maio deste ano – a até 105,74% para os contribuintes que estavam na malha fina desde 2008. O índice equivale à taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada desde o mês de entrega da declaração até outubro deste ano.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone, número 146.

Informações e foto da Agência Brasil

Secretaria Estadual de Seguraça Pública vai abrir 41 vagas para delegados, 26 para escrivão e 235 de agentes de polícia; atual déficit da força é de mais de 3 mil profissionais no RN

O edital do concurso público para a Polícia Civil do Rio Grande do Norte será publicado até o fim do ano, segundo a Secretaria Estadual de Segurança e Defesa Social (Sesed). Serão 302 vagas – 41 para o cargo de delegado, 26 para escrivão e 235 de agente de polícia.

“Há 14 anos não tínhamos concurso para a Polícia Civil. Irá cobrir as vagas abertas com aposentadorias”, detalhou a titular da pasta, a delegada Sheila Freitas, em entrevista para a rádio 94 FM.

O déficit de agentes, delegados e escrivães é estimado em mais de 3 mil profissionais. Das 5,1 mil vagas existentes no plano de cargos da Civil, apenas 1,5 mil estão ocupados.

Segundo Sheila Freitas, um entrave jurídico relacionado à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) impede o aumento do número de aprovados. “São 14 anos sem concurso público. Os governos anteriores não se preocuparam em fazer concursos”, analisa.

Para concorrer aos cargos de escrivão e agente da polícia, os candidatos precisam ter nível superior em qualquer área. Com relação ao cargo de delegado, a exigência é de formação específica na área de Direito.

O salário inicial de delegado é de R$ 12,3 mil. O profissional poderá chegar a ganhar até R$ 18,7 mil. Para a agente e escrivão, os ganhos iniciais são de R$ 6,2 mil.

Informações do Agora RN

Foto: José Aldenir

Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu hoje (5) orientar a Justiça Eleitoral a liberar o uso de camisetas de candidatos pelos eleitores nos locais de votação neste domingo (7), primeiro turno das eleições.

Conforme a decisão, o eleitor poderá usar camiseta com nome de seu candidato preferido, mas como forma de manifestação individual, sem fazer propaganda eleitoral a favor dele.

De acordo com a lei eleitoral, está proibida a aglomeração de pessoas com vestuário padronizado, além de manifestações coletivas e ruidosas e qualquer tipo de abordagem, aliciamento ou persuasão de eleitores. A camiseta não pode ser distribuída pelo candidato.

Um crime de homicídio foi registrado na noite dessa sexta-feira (05) na Avenida Florianópolis, próximo a Igreja Católica do conjunto Santa Catarina, bairro do Potengi, zona norte de Natal. Segundo informações um homem conhecido como “Renato Topete” foi executado a tiros em via pública. A motivação para o crime ainda é desconhecida

Policiais Militares do 4º BPM estão isolando o local, aguardando a chegada da equipe do Itep para remoção do corpo.

A dona de casa Amanda Cristina Alves da Silva, de 28 anos, entrou em coma logo após o parto, mas ‘acordou’ 32 dias depois ao colocarem pela primeira vez o filho recém-nascido deitado sobre o corpo. O caso ocorreu na Maternidade Escola Assis Chateubriand (Meac), da Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza, em março deste ano.

A mãe teve um parto de emergência após ter sofrido convulsão, em decorrência da epilepsia crônica que tem desde os sete anos de idade. Ela conta que a crise ocorreu após uma discussão com o marido. Logo após, foi levada ao hospital e teve o bebê.

“A última lembrança que eu tenho é de que eu tava muito nervosa, minha pressão deve ter caído. Acho que eu desmaiei e não lembro de mais nada”, afirma Amanda Cristina.

Ela tem mais dois filhos além do pequeno Vitor Hugo, responsável pela reanimação da mãe, e mora no Bairro Conjunto Palmeiras, na capital cearense.

Após o coma, Amanda ficou mais duas semanas na Maternidade, mas foi liberada para o repouso em casa. “Não tenho crítica nenhuma à Maternidade, nada a reclamar. O pessoal me tratou super bem e, se não fosse por eles e Jesus, não sei o que teria acontecido”, agradece.

De São Paulo para Fortaleza

Amanda e o marido vieram de Guarulhos (SP) há cerca de quatro anos a fim de encontrar vaga em uma maternidade que desse assistência para a filha que viria a nascer. “Minha família de lá comentou comigo que eu não poderia ter parto normal. Até os próprios médicos falaram para mim que, se eu tivesse parto normal, ou morreria eu ou a criança. Falaram que o cesareano é mais facil encontrar aqui”, ressaltou.

O marido vende frutas no bairro para sustentar a família. “Por enquanto quem tá me ajudando é meu marido, que faz uns bicos no bairro, vendendo frutas. Mas a quantidade que ele ganha é bem menos do que eu ganho no Bolsa Família; quem tá me ajudando mesmo é o Bolsa Família”, completa. A epilepsia é uma alteração temporária do funcionamento do cérebro capaz de ser revertida. Há diversos níveis de crise epiléptica, sendo mais perigosas as que duram mais de 30 minutos, podendo prejudicar funções cerebrais.

Vereadora Monica Leal propõe Homenagem ao Dia do Exército Brasileiro. Na foto, o comandante militar do sul, general de exército Edson Leal Pujol.

O general-de-exército Edson Leal Pujol, 63, é considerado por oficiais como o nome natural para substituir Eduardo Villas Boas, 66, que deixará o comando do Exército em dezembro, informa a Folha.

Ex-comandante das forças da paz da ONU no Haiti, Pujol apareceu no noticiário em setembro de 2017, quando sugeriu que os insatisfeitos com a situação política do país fossem para a rua “ordeiramente”.

Gaúcho de Dom Pedrito, Pujol é o oficial mais antigo entre os 17 generais-de-exército, conhecidos como “quatro estrelas”, que estão na ativa.

Oficiais o consideram um “liberal”, um “democrata” para os padrões militares e um dos generais com melhor formação. Tem boas relações com Jair Bolsonaro, de quem foi colega na Academia Militar das Agulhas Negras, nos anos 70.

Antagonista

Pesquisas Ibope divulgadas em 25 estados e no Distrito Federal desde 19 de setembro levantaram o cenário local das intenções de voto para presidente. Nesta quinta (4) e sexta-feira (5), foram divulgadas pesquisas realizadas em 12 estados: Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Piauí, Rondônia, Roraima, Santa Catarina.

Abaixo, veja os destaques dos cinco primeiros colocados na pesquisa nacional, considerando as pesquisas mais recente, além dos gráficos de cada estado:

  • Jair Bolsonaro manteve a liderança em 15 estados e no DF. No Tocantins, ele e Fernando Haddad estão empatados tecnicamente. O candidato do PSL supera 50% dos votos válidos no Acre (60%), Mato Grosso (51%), Rondônia (55%), Roraima (60%) e Santa Catarina (55%).
  • Fernando Haddad lidera em sete estados, todos do Nordeste. Ele passa a liderar em Alagoas, mas empata tecnicamente com Bolsonaro na Paraíba. Haddad supera 50% dos votos válidos no Maranhão (52%) e Piauí (54%).
  • Ciro Gomes lidera no Ceará.
  • Geraldo Alckmin ainda tem melhor desempenho em São Paulo (16% das intenções de voto totais no estado), onde só está atrás de Jair Bolsonaro e empata tecnicamente com Fernando Haddad, segundo pesquisa divulgada no estado em 03/10.
  • Entre os 12 estados com pesquisas divulgadas em 3 e 4 de outubro, a maior queda de Marina Silva foi no Amapá (7 pontos percentuais). A candidata da Rede oscilou negativamente em todos os outros estados.

G1

O ator e bailarino Zezo Silva, de 62 anos, foi morto nesta sexta-feira (5), dentro de sua casa, no bairro de Cidade Alta, Zona Leste de Natal. Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu no final da manhã, por volta de 11h. Uma chave de fenda foi encontrada ao lado do corpo.

A polícia chegou ao local às 14h e vizinhos disseram ter ouvido gritos de socorro vindos da casa do artista. Ainda não há suspeitos para o crime.

Dois suspeitos de participarem do sequestro-relâmpago do meia Vitinho, do Palmeiras, foram presos na noite desta quinta-feira, 4, próximo a Freguesia do Ó, na zona oeste de São Paulo, após perseguição policial de quase 1 km. O jogador foi abordado por três homens próximos ao CT do clube paulista, na Barra Funda, na noite de quarta-feira. Além do carro, uma Land Rover, os bandidos também levaram cartões do jogador e de sua namorada, que também estava no veículo.

O atleta e sua namorada foram rendidos próximos a região da Avenida Marquês de São Vicente e chegaram a ser levados para um cativeiro na favela da Água Branca, onde ficaram por duas horas. O casal foi liberado sem ferimentos após os criminosos realizarem saques na conta das vítimas.

 O caso foi registrado no 13º Distrito Policial, da Casa Verde. Vitinho já prestou depoimento e ajudou no reconhecimento dos sequestradores. Os dois suspeitos, ambos de 18 anos, estão em prisão temporária e passarão por audiência com um juiz.

Vitinho é uma das maiores revelações da base do Palmeiras nos últimos anos. Na ú