Pacientes esperam até 8h30 por atendimento em UPA na Zona Sul de SP

Reprodução: TV Globo

Unidade de Pronto Atendimento do Campo Limpo tem longa espera entre triagem e primeiro atendimento.

Pacientes esperam até 8h30 entre triagem e o primeiro atendimento na UPA do Campo Limpo, na Zona Sul de São Paulo. Reclamando da falta de médicos, eles se acumulam na sala de recepção da unidade, onde não há lugar para todos sentarem e nem bebedouro para matar a sede – está quebrado.

Nesta quinta-feira (10), às 23h30, a situação era caótica no local. Uma mulher que levou a filha doente chegou quando o dia estava claro. “Aqui desde às três horas até… Acho que quando atendeu já era 22h30, que ela entrou. Eles passam na triagem ali e manda esperar”, relata.

Perto dela, uma outra mãe sofria para acomodar o filho pequeno nos bancos. Ele estava febril e tentava dormir enquanto não era chamado pelo médico.

O caso do garçom Davidson Mota da Silva é ainda mais surpreendente. Ele chegou na UPA de manhã, por volta das 10h30, e só saiu depois da meia-noite. “O primeiro atendimento foi 19h. Eu fiquei esse tempo todo. Tô sem almoçar, sem jantar”, lamenta.

No último dia 20, um telespectador do Bom Dia São Paulo reclamou nas redes sociais sobre a longa espera por atendimento na UPA do Campo Limpo. Uma equipe de reportagem foi ao local e também encontrou pacientes que esperavam por horas por atendimento.

Na madrugada desta sexta-feira (10), além da demora, pacientes e acompanhantes não podiam contar nem com o bebedouro da recepção. O aviso colado na parede ao lado diz que ele foi interditado por vazamento.

O pintor Márcio Antônio do Nascimento era outro no posto de saúde e mostrou indignação com a situação: “Que palhaçada com a saúde pública no Brasil. Meu, que vergonha! Eu não tenho vergonha de ser brasileiro, eu tenho vergonha dessa palhaçada. Isso é palhaçada, porque dinheiro tem (…) É melhor levar um animal para um veterinário. Ele vai ser bem mais cuidado de que um ser humano em um hospital público”.

G1/SP

Administrador

Deixe uma resposta