Saúde Arquivo

A Prefeitura encaminhou um grupo de 55 pacientes para cirurgias de catarata, na manhã desta terça-feira (2). A distribuição da documentação dos encaminhamentos aconteceu na sede da Secretaria Municipal de Saúde de Macaíba.

Na oportunidade, a coordenadora da Central de Marcação macaibense, Lorena Góis orientou os pacientes sobre as ações necessárias para a realização dos procedimentos cirúrgicos.

A administração municipal seguirá com esta ação durante 2018. Em 2017, a Prefeitura realizou 160 encaminhamentos para cirurgias de catarata, além de promover quatro edições do mutirão contra o glaucoma, onde foram feitos mais de 3.200 atendimentos.

Prefeitura de Macaíba (Via Facebook)

A queima de fogos na virada de ano é tradição em muitas cidades do país. Mas o que é motivo de alegria e deslumbramento entre as pessoas, acaba sendo um momento de desespero para os animais, silvestres e domésticos. É possível, entretanto, criar um ambiente seguro para os animais de estimação, para minimizar os riscos de fuga ou para evitar que eles se machuquem.

“A nossa capacidade humana de perceber o mundo não é a mesma dos animais. A sensibilidade de audição e visão pode ser mais ou menos apurada para cada espécie. Nós temos uma capacidade de um gradiente de cores muito mais complexo que a maioria dos animais, mas a percepção auditiva deles é mais apurada que a nossa”, disse a médica veterinária Vânia Plaza Nunes, diretora técnica do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal e especialista em comportamento e bem-estar animal.

Os riscos para os animais, segundo Vânia, são vários. A luz e o brilho dos fogos de artifícios podem causar mais impacto nos animais noturnos por exemplo, como os morcegos e os gatos. “Eles têm uma acuidade visual muito grande, então pouca luz já é suficiente. Então aquilo [fogos] causa pânico, porque foge ao padrão normal a que eles estão acostumados”, explicou.

Para o olfato, as bombas e fogos também são prejudiciais, pois liberam pólvora e outras substâncias químicas e metais. Mesmo quando os fogos são disparados de balsas no mar, como no Rio de Janeiro, as substâncias se depositam na água, onde também há muitas espécies de animais.

“Com o som, o problema é mais grave ainda”, disse a especialista, pois eles captam os infrasons e os ultrasons, que não são percebidos pelos humanos. “Os morcegos usam isso para se orientar. Se você solta fogos em área perto de mata, eles vão perder a capacidade de voar, podem cair, entrar na casa das pessoas. Para os cães e gatos aquilo também não faz parte do comportamento normal, eles ficam muito assustados”, explicou Vânia.

Segundo a médica veterinária, nesses momentos, os animais têm o chamado comportamento de luta e fuga, que é o comportamento instintivo que todos os seres vivos têm para tentar se defender. Ela explicou que, assim como os animais, pessoas com autismo e crianças pequenas também se incomodam com os efeitos dos fogos.

Preparando o ambiente

Vânia dá dicas que podem ser adotadas para amenizar o estresse e evitar que os animais fujam ou se machuquem. Nas horas mais próximas à virada, para quem ainda tem aves em gaiola, ela orienta a deixá-las em um ambiente fechado e supervisionar os animais. “Deixar água suficiente apenas para beber, mas sem risco de se afogarem caso sofram uma queda”, disse.

Para cães e gatos não é recomendado administrar calmantes, mas, uma semana antes do Réveillon, eles podem usar florais de Bach, que são extratos naturais que ajudam a acalmar. “E sempre que possível, procurar orientação do veterinário”, disse Vânia.

Segundo ela, com antecedência, é possível preparar um ambiente confortável para o animal de estimação e, aos poucos, ir acostumando-o com esse ambiente. É importante não deixar objetos que ele possa derrubar e não deixar portas ou janelas abertas, mas evitando que o ambiente fique excessivamente aquecido. Também existem os feromônios de apaziguamento, que podem ser colocados no ambiente para deixá-lo mais harmônico. Essas substâncias podem ser encontradas nas boas casas de produtos veterinários.

A especialista recomenda ainda colocar uma música ambiente em uma intensidade que vai competir um pouco com o som externo. “E, se possível, a pessoa pode ficar junto, porque a companhia acalma o animal. Mas tomando cuidado para não reforçar o comportamento de medo para o animal”, explicou.

Existe ainda uma técnica de enfaixar o cachorro, que funciona como um abraço, e pode trazer tranquilidade nos ambientes hostis. Segundo Vânia, a faixa levemente elástica deve passar pelo peito do cão e cruzar e amarrar nas costas.

Mudança de comportamento

Para Vânia, as pessoas poderiam abolir os fogos de artifício como forma de diversão. “Talvez usar os recursos de uma forma melhor, empregar o dinheiro para minimizar os danos ambientais e criar outros mecanismos de celebração social”, disse. “Mesmo estando no século 21, continua-se reforçando esse tipo de prática. Está na hora de mudarmos esse marco civilizatório”.

Segundo a especialista, muitas cidades estão conseguindo avançar em projetos de lei que regulam a comercialização e queima de fogos de artifício, como Campinas, Santos e Sorocaba, todas no interior de São Paulo. “Tem uma minimização, mas não resolve o problema”, disse.

Agência Brasil

Com 136 maternidades participantes, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) inicia em janeiro a segunda etapa da Campanha Parto Adequado. A meta é reduzir o número de cesarianas desnecessárias, ou seja, que não tenham indicação clínica e sejam feitas apenas por conveniência das partes envolvidas, podendo, inclusive, causar prejuízos à saúde do bebê. No ano passado, 35 maternidades fizeram parte da primeira fase da campanha.

O projeto é desenvolvido em parceria com o Hospital Israelita Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement. Sessenta e oito operadoras de planos de saúde manifestaram interesse em apoiar o projeto.

Segundo o diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS, Rodrigo Aguiar, no período de festas de fim de ano, o problema das cesarianas desnecessárias agrava-se um pouco. “Por conta das festas, a tendência é haver uma antecipação da data do parto, e o agendamento em períodos que variam entre uma a duas semanas da data adequada para que o parto fosse realizado.”

Rodrigo Aguiar disse que a antecipação do parto pode causar consequências negativas para a saúde da mãe e, principalmente, do bebê. Entre os problemas mais frequentes, o médico destacou as complicações respiratórias, considerando que o recém-nascido não está com o sistema respiratório amadurecido o suficiente para lidar com o mundo exterior.

Por causa disso, aumenta a incidência de internações em unidades de terapia intensiva (UTIs) neonatais, o que afasta o bebê da mãe nos primeiros dias de vida. “Só essas duas consequências já são suficientes para a gente desincentivar essa prática”, disse o diretor da ANS.

Quando o parto ocorre de forma natural, há uma série de benefícios para o bebê. Além da relação mais aproximada que já se estabelece com a mãe, Rodrigo Aguiar ressaltou que existe uma indução muito maior ao aleitamento materno. “A mãe produz melhor o leite, e o bebê recebe, aceita e absorve melhor aquele leite”.

A criança nascida de parto normal consegue também se preparar melhor para se adaptar ao mundo externo, com maior amadurecimento do pulmão e contato com as bactérias benéficas da mãe, reduzindo a incidência de doenças infantis, acrescentou o médico. Ele lembrou que há ainda uma recuperação mais rápida do útero e do corpo da mulher.

Dados

Na primeira fase da campanha, denominada fase “piloto”, os hospitais participantes conseguiram evitar a realização de 10 mil cesarianas desnecessárias. O número de partos normais cresceu 76%, ou o equivalente a 16 pontos percentuais, passando de 21%, em 2014, para 37%, em 2016.

Ocorreram avanços também em outros indicadores de saúde, disse Rodrigo Aguiar. Ele citou a redução do número de entradas em UTI neonatal em 14 dos 35 hospitais que participaram da campanha – as internações as passaram de 86 por mil nascidos vivos para 69 por mil nascidos vivos.

Com a adesão de mais maternidades ao projeto, Aguiar espera “resultados bem mais significativos” na segunda fase. Ele informou que, no momento, os hospitais que aderiram à campanha estão passando por uma aprendizagem presencial, em que são treinados para melhor organizar sua estrutura de parto para que eles se deem de forma natural. “Acreditamos que, até o final do ano [de 2018], consiga apresentar os resultados”.

EBC

Com o objetivo de mostrar todas as suas ações desenvolvidas ao longo deste corrente ano, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Macaíba promoveu na tarde desta quinta-feira (21) a 1ª Exposição Aqui tem SUS, Saúde Mostra Saúde.

Foi a primeira vez que a SMS organizou essa exposição, que aconteceu na Praça Paulo Holanda Paz – Pista Nova e atraiu a atenção de centenas de populares e profissionais de saúde.

Um vasto acervo de banners, cartazes, fotos e vídeos foi exposto em tendas instaladas no local. Diversas palestras temáticas para a população foram disponibilizadas para o público durante o evento, bem como serviços de aferição de pressão e medição de glicemia.

Ao final, uma apresentação cultural com um grupo “Mão Amiga”, composto por mulheres usuárias dos serviços de saúde do posto de saúde do bairro Campo da Santa Cruz.

Assecom-PMM

Novas mensagens apresentam uma comunicação mais direta com os consumidores sobre os riscos que esses produtos causam à saúde

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, nesta sexta-feira (15), as novas imagens de advertência sanitária, que são obrigatórias nos rótulos dos cigarros comercializados no Brasil. As mudanças entrarão em vigor em 25 de maio de 2018.

Além de nove novas imagens de advertência padrão, que ocupam 100% de uma das faces das embalagens, a resolução apresenta novos modelos de advertências frontais e laterais e um novo modelo gráfico para a mensagem de proibição de venda para menores de 18 anos.

As novas mensagens apresentam uma comunicação mais direta com os consumidores sobre os riscos que esses produtos causam à saúde e, também, utilizam um conjunto de cores que dão maior destaque e visibilidade às mensagens. As novas advertências padrão têm os temas: câncer de boca, cegueira, envelhecimento, fumante passivo, impotência sexual, infarto, trombose e gangrena, morte e parto prematuro.

Além disso, assim como a advertência frontal, passarão a ficar sobre um fundo amarelo mais chamativo, ao invés do fundo preto dos alertas anteriores. A advertência lateral continuará no fundo preto, e a mensagem de venda proibida para menores de 18 anos ficará em um fundo vermelho.

Multas

A norma é válida para todos os produtos fumígenos derivados ou não do tabaco, como: cigarrilhas, charutos, fumos de cachimbo, fumos de narguilé, rapé, entre outros. Após a data limite, as embalagens que não estiverem de acordo com nova resolução não poderão ser produzidas, distribuídas, expostas à venda ou comercializadas e deverão ser recolhidas pela empresa detentora do registro.

O não cumprimento da nova regulamentação implica em infração sanitária, estando os fabricantes e estabelecimentos que comercializam esses produtos sujeitos a penalidades que podem chegar a R$ 1,5 milhão.  A fiscalização é feita pelas autoridades sanitárias dos estados e municípios, órgãos ligados às respectivas secretarias de saúde.

Controle do tabaco

A atualização e o uso das advertências sanitárias das embalagens dos produtos derivados do tabaco estão previstos na Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT), adotada pelos países-membros da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da qual o Brasil é signatário.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo, sendo responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis. Se a tendência atual continuar, em 2030 o tabaco matará cerca de 8 milhões por ano, sendo que 80% dessas mortes ocorrerão nos países da baixa e média renda.

No Brasil, como resultado das ações de controle do tabaco desenvolvidas, a prevalência de tabagismo vem diminuindo ao longo dos anos. Em 1989, o percentual de fumantes de 18 anos ou mais no País era de 34,8%. Já em 2013, de acordo com pesquisa mais recente para essa mesma faixa etária em áreas urbanas e rurais, esse número caiu para 14,7%.

Portal Brasil

A Diretoria de Atenção à Saúde do Servidor (DAS), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), disponibiliza vacinação aos viajantes de áreas endêmicas ou de risco da poliomielite, doença infectocontagiosa causada por vírus, que provoca flacidez muscular principalmente nos membros inferiores. O atendimento é aberto à comunidade universitária e externa, de segunda a sexta-feira, nos turnos matutino e vespertino. A vacina se destina a crianças e adultos, que devem portar carteira de vacinação e o número do cartão SUS.

Não há circulação do vírus desde 1990 no Brasil, mas a poliomielite apresenta-se endêmica no Paquistão, Afeganistão e Nigéria, além de existirem outras áreas consideradas de risco. Entre elas estão Iraque, Ucrânia, Camarões, República Centro-Africana, Etiópia, Madagascar, Quênia e Libéria. Por esse motivo, o Ministério da Saúde orienta os viajantes a atualizarem a situação vacinal antes do deslocamento. A lista atualizada de países está disponível nos seguintes linkspaíses endêmicospaíses de risco e países com foco.

Outras informações sobre o atendimento na DAS podem ser obtidas pelo número (84) 3342-2330 (ramais 371 ou 375).

ASCOM/UFRN

Pela primeira vez, a cidade de Macaíba irá organizar uma ampla exposição mostrando as ações na área de saúde do município. Trata-se da 1ª Exposição Aqui tem SUS, Saúde Mostra Saúde, que será realizada na Praça Paulo Holanda Paz, a partir das 14h, na próxima quinta-feira (21), com organização e coordenação da Secretaria Municipal de Saúde.

O evento concentrará um vasto acervo de fotos, banners, cartazes, vídeos, dentre outros materiais, que mostram a dinâmica do Sistema Único de Saúde – SUS na cidade e o trabalho das equipes multiprofissionais de saúde que atuam em unidades especializadas como o Centro Luiz Antônio da Fonseca Santos (Posto da Maré), Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), Pronto Atendimento Odontológico (PA), unidades básicas de saúde ou na Unidade de Pronto Atendimento – UPA.

A referida exposição também terá uma tenda onde serão feitas palestras temáticas para a população. Serviços de aferição de pressão e medição de glicemia estarão sendo disponibilizados para o público durante o evento.

A 1ª Exposição Aqui tem SUS é um evento que apresenta à população todo o trabalho desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde de Macaíba no dia a dia ao longo do ano: da consulta à assistência e acompanhamento; do primeiro atendimento ao encaminhamento para a realização de exames e cirurgias. Ou seja, os registros de todas as ações de saúde em Macaíba neste ano de 2017 estarão em foco.

Assecom-PMM

Estudantes bolsistas de pesquisa terão direito a afastamento por maternidade ou adoção. Eles poderão suspender as atividades acadêmicas por até 120 dias recebendo bolsa. É o que estabelece a Lei 13.536/2017, sancionada na sexta-feira (15) e publicada nesta segunda-feira (18) do Diário Oficial da União.

A lei, que tem validade já a partir desta segunda-feira, tem origem no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 62/2017, aprovado no Senado no último dia 23 de novembro. O PLC é de iniciativa da deputada Alice Portugal (PCdoB-BA).

Durante o afastamento, o bolsista terá suas atividades acadêmicas suspensas, mas continua recebendo a bolsa. A prorrogação da vigência corresponderá ao período de afastamento do pesquisador.

A regra vale para bolsas concedidas por agências de fomento à pesquisa com duração mínima de um ano. A prorrogação poderá ser de até 120 dias, comprovado o afastamento temporário por conta de parto, adoção ou obtenção de guarda judicial para fins de adoção.

Não poderá ser concedida a prorrogação a mais de um bolsista, quando for decorrente do mesmo processo de adoção e guarda. Mas, no caso de falecimento do bolsista, o cônjuge, caso também receba bolsa, poderá solicitar a prorrogação pelo período restante, exceto nas hipóteses de falecimento do filho ou abandono.

O afastamento temporário deverá ser formalmente comunicado à agência de fomento. Essa comunicação deverá estar acompanhada da confirmação da coordenação da direção do curso, especificadas as datas de início e de término efetivos, além dos documentos comprobatórios da gestação, nascimento, adoção ou guarda judicial.

Segurança

Para a relatora do PLC 62/2017 na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), o texto é uma forma de dar mais segurança aos bolsistas. Ela diz que a aprovação do projeto “não é só uma questão que interessa às mulheres e aos adotantes, mas a todos os brasileiros”.

Na visão da senadora, a proposta também é uma forma de “aumentar a eficiência do sistema de bolsas, evitando o eventual desperdício causado pelo fato de bolsistas poderem vir a ser obrigados a abandonar cursos ou projetos de pesquisa antes de sua conclusão e depois de terem sido objeto de significativos investimentos de recursos públicos e de esforços pessoais”.

CNPq e Capes

As novas regras transformam em lei uma prática que vem sendo adotada por algumas das principais agências de fomento a estudos e pesquisas no Brasil. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) já possuem normas internas que concedem essa prorrogação a bolsistas que recebem o auxílio por 24 meses ou mais (mestrado e doutorado).

Agência Senado

Instituto ligado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) é responsável pela coordenação da parte brasileira do A.M.P., pioneiro na área

Devido à incrível habilidade de mutação e mudança de aparência, o vírus HIV sempre esteve no foco de pesquisadores e comunidades científicas que lutam para multiplicar os meios de prevenção e tratamento da infecção.

Um estudo que avalia a utilização de um novo tipo de anticorpo na prevenção do HIV é a mais recente iniciativa de combate à doença, que ainda mata milhões de pessoas no mundo inteiro. No Brasil, a pesquisa é liderada pelo Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), ligado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Nomeado com a sigla A.M.P (Anticorpos Mediando Prevenção), o estudo promete combater 90% dos subtipos do HIV. A ideia é utilizar um anticorpo neutralizante, feito em laboratório e aplicado na veia.

Ao todo, estão previstas as participações de 2.700 voluntários nas Américas do Norte e do Sul e 1.500 na África Subsariana. Nos Estados Unidos, o recrutamento começou em março de 2016. Já no Brasil, os voluntários começaram a se apresentar em março de 2017. Atualmente, são 80 voluntários em território nacional, com meta de 140 até maio do ano que vem.

“No momento estamos recrutando os voluntários para a pesquisa. Pessoas saudáveis, entre 18 a 50 anos e que se identifiquem como gays, bissexuais, travestis, mulheres ou homens transexuais podem participar. O participante virá até a clínica cerca de uma vez a cada quatro semanas para exames e consultas e receberá uma infusão do anticorpo a cada oito semanas”, explicou a coordenadora do projeto no Brasil, Brenda Hoagland.

Vacina

Segundo o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), o estudo é mais um passo para se chegar a uma vacina eficiente contra o HIV. Isso porque os resultados da pesquisa podem trazer aos cientistas um melhor entendimento de como o anticorpo funciona.

O A.M.P. é fruto de parceria com centros de pesquisa de variados países com o HIV Vaccine Trials Network (HVTN) e o HIV Prevention Trials Network (HPTN).

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico de HIV/Aids, divulgado no início de dezembro em Cutiriba (PR), revela que os casos de Aids e a mortalidade provocada pela epidemia estão caindo no Brasil. Segundo dados da publicação, em 2016 a taxa foi de 18,5 casos por 100 mil habitantes – uma redução de 5,2% em relação a 2015, quando era registrado 19,5 casos. Já no número de mortes houve queda de 7,2%, a partir de 2014. Os resultados vão de encontro ao período em que foi ampliado o acesso ao tratamento em todo o País.

Segundo o Ministério da Saúde, as políticas de assistência ampliaram o diagnóstico do HIV, diminuíram o tempo para iniciar o tratamento e, consequentemente, aumentaram o número de pessoas recebendo a terapia antirretroviral.

Portal Brasil

Na manhã desta sexta-feira (15), o projeto Sexta-feira sem Aedes encerrou suas atividades neste ano com mais uma grande ação no bairro do Vilar, mais precisamente na Rua Valério Mesquita e adjacências, onde agentes comunitários de saúde e agentes de endemias visitaram centenas de residências, distribuíram materiais educativos, orientaram os moradores e aplicaram inseticidas contra o mosquito Aedes aegypti em locais estratégicos.

O projeto Sexta-feira sem Aedes foi lançado em fevereiro do corrente ano pela Prefeitura de Macaíba, através da Secretaria Municipal de Saúde, e passou por diversos bairros e comunidades até então, como, por exemplo: Loteamento Esperança, Campinas, Alfredo Mesquita e Campo da Santa Cruz.

Este projeto integra as ações do mutirão nacional de combate realizado em todos os estados visando intensificar junto à sociedade a identificação e eliminação dos possíveis focos dessa espécie de mosquito e alertar sobre as consequências de doenças por ele transmitidas: dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

Assecom-PMM

A imprensa estadual do Rio Grande do Norte tem dado destaque ao alto número de exames de alta complexidade pendentes. Fato semelhante se dá também com os de média complexidade. Alguns pacientes chegam a esperar muitos meses para conseguirem finalmente realizar seus exames após a marcação. Outros até mais de um ano.

Um jornal de grande circulação do estado chamou a atenção para o tema ao citar no título de uma de suas manchetes que existem, atualmente, mais de 23 mil exames de alta complexidade pendentes no RN. Em casos de doenças graves, essa demora pode contribuir significativamente para o agravamento de quadro clínico do paciente e, inclusive, para a evolução para o óbito. Os três principais exames pendentes são: ressonância, tomografia e cintilografia.

Na tarde desta terça-feira (12), os agentes de controle de endemias da Prefeitura de Macaíba receberam as declarações de conclusão da especialização na área promovida pela Prefeitura em parceria com o Centro de Formação de Pessoal para os Serviços de Saúde do Estado (CEFOPE).

A oferta do curso faz parte do programa de formação e educação permanente dos profissionais de saúde da administração municipal macaibense. Agentes de São Gonçalo do Amarante também participaram do aprimoramento profissional.

O agente de controle de endemias do município, Jefferson Wagner concluiu a capacitação e destacou a importância da iniciativa. “Muitas coisas evoluíram e pra gente foi primordial. O método de ensinamento foi bastante proveitoso”, afirmou.

Na ocasião estiveram presentes a diretora técnica da CEFOPE, Flávia Andrea Medeiros; professoras responsáveis pela especialização; profissionais da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Macaíba e os representantes da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, Olga Camila de Carvalho (coordenadora de estágios em Saúde); Kátia Silene Silva (coordenadora de Atenção Básica de Saúde) e Vicente Maurício do Nascimento (coordenador geral de vigilância em Saúde).

Prefeitura de Macaíba (Facebook)

O Núcleo de Educação Permanente (NEP) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência do Rio Grande do Norte (SAMU 192 RN) realizou a Formatura da Turma 2017 do Projeto SAMUZINHO RN. Os formandos são 49 alunos da Escola Municipal José Arinaldo Alves, de Macaíba.

A solenidade aconteceu dia 1º de dezembro e contou com a participação de autoridades do SAMU 192 RN, Secretaria Municipal de Educação de Macaíba, professores, e, principalmente dos alunos acompanhados de seus pais, familiares e amigos.

O projeto SAMUZINHO tem como público-alvo crianças com idade entre nove e 14 anos e é desenvolvido através de encontros realizados na base do SAMU 192 RN em Macaíba/RN e na própria escola, onde são discutidos os prejuízos causados pelos trotes, orientações sobre quando e como acionar o SAMU e ainda orientações de como prestar socorro em algumas situações que podem acontecer no ambiente escolar, doméstico e até público.

Esse projeto tem sido realizado através de uma eficiente parceria entre o NEP e escola, com apoio da Secretaria Municipal de Educação do Município de Macaíba-RN. A Escola Municipal de Ensino Fundamental II José Arinaldo Alves, situada na Avenida Luiz Varela da Costa, n. 47, Loteamento Esperança, possui 350 alunos matriculados e tem se destacado no cenário da educação de Macaíba pela qualidade do ensino prestado e pelo desenvolvimento de vários projetos que contribuem para a formação cidadã de seus alunos.

SESAP/RN-ASSECOM

Assunto: Hospital da Lagoa, cardiologia / Local: Lagoa, Rio de Janeiro / Data: 08/2010

Medida foi anunciada em novembro, e ANS tranquiliza beneficiários ao explicar que contratos já feitos não serão prejudicados

Passa a valer nesta sexta-feira (8) a medida de suspensão de 31 planos de saúde, de 10 operadoras, anunciada em novembro pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A decisão levou em conta reclamações recebidas no 3º trimestre de 2017, como negativas de coberturas e demora no atendimento.

A ANS destaca que os 167,7 mil beneficiários dos planos suspensos neste ciclo estão protegidos com a medida e continuam a ter assistência regular. As operadoras ficam impedidas por pelo menos 3 meses de iniciarem contratos com novos beneficiários, enquanto não asseguram condições de seguir com excelência no atendimento.

O trabalho de suspensão é parte do acompanhamento periódico realizado pela reguladora por meio do Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento.

Clique aqui para ter acesso à lista de planos que tiveram a comercialização suspensa.

Portal Brasil

Cerca de 200 testes rápidos foram feitos e houve distribuição de materiais educativos e preservativos

Pensando no bem-estar da população e com vistas a orientar sobre a prevenção da transmissão do vírus HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), a Prefeitura de Macaíba realizou na manhã desta sexta-feira (01), por meio da Secretaria Municipal de Saúde, uma ação na Praça Antônio Siqueira, popularmente conhecida como “Praça da Maré”, no centro da cidade.

De acordo com Adriana Amaral, coordenadora do SAE – Serviço de Atenção Especializada em DST/AIDS e hepatites virais, foram feitos cerca de 200 testes rápidos para detecção de HIV, sífilis e hepatites virais, garantindo o sigilo das pessoas atendidas. A equipe de saúde que participou da ação também transmitiu orientações a populares e distribuiu materiais educativos e preservativos masculinos e femininos.

Na Biblioteca Municipal, em frente à Praça da Maré, foi exposto um vídeo didático referente à temática. Nesta data de 01 de dezembro, comemora-se o Dia Mundial de Combate à AIDS. A ação de saúde desta sexta foi alusiva à campanha nacional denominada de Dezembro Vermelho, que anualmente alerta a população para a prevenção contra o vírus HIV.

SAE

O SAE constantemente realiza ações visando reduzir a incidência do HIV/AIDS e hepatites virais no município. Serviço de referência em todo o Rio Grande do Norte, o SAE é o primeiro descentralizado do Estado, ou seja, foi pioneiro em oferecer suas ações também nos postos de saúde.

Por meio do SAE, a Prefeitura de Macaíba faz o acompanhamento dos tratamentos das pessoas diagnosticadas como soropositivas, inclusive com distribuição de terapia antirretroviral (coquetel). Sua equipe é composta por médico infectologista, farmacêutico, enfermeira, assistente social e psicóloga. O serviço funciona de segunda a sexta, das 8h às 17h, no Posto da Maré.

O teste rápido pode ser feito em qualquer época do ano. Para realizá-lo, a pessoa interessada deverá se apresentar portando um documento de identificação com foto, tanto no Posto da Maré como nos outros postos da rede municipal.

Assecom-PMM

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (29) proibir uso do amianto do tipo crisotila, material usado na fabricação de telhas e caixas d’água. A decisão dos ministros foi tomada pararesolver problemas que surgiram após a decisão da Corte que declarou a inconstitucionalidade de um artigo da Lei Federal 9.055/1995, que permitiu o uso controlado do material.

Com a decisão, tomada por 7 votos a 2,  não poderá ocorrer a extração, a industrialização e a comercialização do produto em nenhum estado do país. Durante o  julgamento não foi discutido como a decisão será cumprida pelas mineradoras, apesar do pedido feito por um dos advogados do caso, que solicitou a concessão de prazo para efetivar a demissão de trabalhadores do setor e suspensão da comercialização.

Em agosto, ao começar a julgar o caso, cinco ministros votaram pela derrubada da lei nacional, porém, seriam necessários seis votos para que a norma fosse considerada inconstitucional. Dessa forma, o resultado do julgamento provocou um vácuo jurídico e o uso do amianto ficaria proibido nos estados onde a substância já foi vetada, como em São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, mas permitido onde não há lei específica sobre o caso, como em Goiás, por exemplo, onde está localizada uma das principais minas de amianto, em Minaçu.

As ações julgadas pela Corte foram propostas pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria (CNTI) há dez anos ao Supremo e pedem a manutenção do uso do material. A confederação sustenta que o município de São Paulo não poderia legislar sobre a proibição do amianto por tratar-se de matéria de competência privativa da União. Segundo a defesa da entidade, os trabalhadores não têm contato com o pó do amianto.

De acordo com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e outras entidades que defendem o banimento do amianto, apesar dos benefícios da substância para a economia nacional – geração de empregos, exportação, barateamento de materiais de construção -, estudos comprovam que a substância é cancerígena e causa danos ao meio ambiente.

Agência Brasil

A Prefeitura de Macaíba, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde, realizará a abertura da campanha Dezembro Vermelho, na próxima sexta-feira (1º), das 8h às 12h, na Praça Antônio Siqueira (Praça da Maré).

A ação é alusiva ao Dia Internacional de Combate à AIDS, celebrado nesta data e tema da campanha. Na ação de saúde estarão disponíveis para a população testes rápidos para detecção de HIV, Sífilis, Hepatites B e C, distribuição de preservativos e entrega de materiais educativos sobre o tema.

Via Prefeitura de Macaíba (Facebook)

Ascom: Sespa

Dados preliminares de um estudo divulgado nesta segunda-feira (27) pelo Ministério da Saúde apontam uma prevalência de 54,6% de casos de HPV entre a população brasileira de 16 a 25 anos, sendo que 38,4% são de tipos de alto risco para o desenvolvimento de câncer.

A infecção por HPV (papilomavírus humano) é associada a vários tipos de câncer, principalmente ao de colo de útero, mas também de pênis, de vulva, de canal anal e de orofaringe, e é de tratamento complicado.

As relações sexuais são a principal forma de transmissão do vírus, mas ele também pode ser disseminado pelo sangue, por roupas ou objetos contaminados (como toalhas, roupas íntimas ou sabonetes), pelo beijo e durante o parto.

A doença causa feridas principalmente na região genital, mas também em outras partes do corpo, como pernas e braços. O maior perigo está nas verrugas que aparecem internamente, perto do útero, que não são visíveis e, sem tratamento, podem levar ao câncer.

Em junho deste ano, o governo federal anunciou a ampliação do público-alvo para a vacinação contra a doença: meninos de 11 a 15 anos agora podem receber uma dose.

Estudo

A amostra do estudo é composta por 5.812 mulheres e 1.774 homens com 16 a 25 anos, sendo a média de idade de 20,6 anos. O grupo foi entrevistado e fez exames. Foram incluídos dados de 119 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e um Centro de Testagem e Aconselhamento das 26 capitais e do Distrito Federal.

G1 Bem Estar

Sangue é insubstituível em atendimentos de urgência, cirurgias, tratamentos de câncer e doenças crônicas. Estoques ficam ainda mais baixos nos finais de ano

No Brasil, apenas 1,8% da população doa sangue, porcentagem superior à recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de 1%, mas que pode melhorar. Neste sábado (25), o Dia do Doador Voluntário de Sangue é comemorado para reforçar a importância do ato: uma doação pode salvar até quatro vidas.

A doação é um procedimento simples e executado em hemocentros em todo o País. No total, existem 27 centros coordenadores e 500 serviços de coleta no Brasil. Por ano, 3,5 milhões de brasileiros realizam transfusões sanguíneas.

A estudante de enfermagem Leonara Almeida, 19 anos, começou a doar sangue voluntariamente no começo deste ano. Nesta semana, irá doar pela terceira vez. Ela conta que desde os 16 anos já tinha vontade de colaborar. “Acho que a doação é algo que me faz bem. Quando faço a doação me sinto colaborando para o bem”, conta.

Para ela, o número de doadores é baixo pois falta solidariedade: “Acho que as pessoas não vêem mais a necessidade de ajudar o outro, isso vem se perdendo. É preciso ela passar por determinada situação para compreender a necessidade”.

Clique aqui e esclareça o que é mito e o que é verdade quando o assunto é doação de sangue

Fim de ano

No fim do ano, a situação fica ainda mais crítica. Com as festividades, há mais acidentes, como batidas de carro, que muitas vezes exigem transfusões e sobrecarregam os hemocentros. Além disso, em algumas cidades, a população viaja e há redução de doações, como é o caso de Brasília.

O sangue é insubstituível em atendimentos de urgência, cirurgias, tratamentos de câncer e doenças crônicas — qualquer pessoa pode vir a precisar de sangue um dia.

“Há necessidade maior porque é período de férias, as pessoas viajam, e os bancos baixam. Muitos acidentados que vêm de outros estados, pacientes com câncer. Por isso esse desabastecimento”, explica Camila Bezerra, chefe do Núcleo de Triagem de Sangue do Hemocentro de Brasília. Para engajar a população, o hemocentro manda emails e cartas para que os doadores virem colaboradores frequentes.

Para doar, é preciso ter entre 18 a 69 anos, estar em boas condições de saúde e pesar no mínimo 50kg.

Portal Brasil

Objetivando melhorar a oferta de serviços de saúde às pessoas com deficiência, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) reuniu municípios potiguares que possuem Centros Especializados em Reabilitação (CER).

O secretário George Antunes falou da importância dos gestores municipais fortalecerem a intersetorialidade local da saúde com as secretarias de educação e assistência social para um melhor atendimento ao usuário com deficiência garantindo o transporte para o deslocamento ao CER e também divulgando o serviço em suas regiões de saúde, “pois o Centro é um serviço regional e portanto deve atender pessoas de outros municípios, desde que haja uma pactuação com o município sede”, afirmou.

George Antunes disse ainda que a Secretaria Estadual de Saúde por meio da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência tem investido muito em atividades de capacitação para profissionais que atuam nos serviços habilitados e também na Atenção Básica.

Atualmente o Rio Grande do Norte tem serviços especializados nos municípios de São José de Mipibu, Areia Branca, Guamaré, Santa Cruz, Pau dos Ferros, Macaíba, todos habilitados pelo Ministério da Saúde.

No encontro, foi discutido ainda a realização do XI Seminário de Reabilitação do RN. O evento organizado pelo Centro de Reabilitação Infantil e Adulto do RN (CRI/CRA) este ano tem como tema “Desafios e perspectivas no cuidado à pessoa com deficiência” e será realizado nos dias 05 e 06 de dezembro no Praiamar Hotel em Ponta Negra.

De acordo com a coordenadora da Rede de Cuidados a Pessoa com Deficiência, Célia Melo, “o objetivo do encontro é apresentar novas técnicas, conhecimentos e metodologias desenvolvidas pelos profissionais das mais diversas áreas, visando uma melhor eficácia nas condutas terapêuticas empregadas nos serviços de reabilitação”. Podem participar médicos, dentistas, fonoaudiólogos, enfermeiros, educadores físicos, farmacêuticos, psicólogos, fisioterapeutas, biólogos, nutricionistas, terapeutas ocupacionais, psicopedagogos, assistentes sociais. Mais informações podem ser obtidas com Ligia Rejane por meio do e-mail seminarioreabilitacaorn@gmail.com.

SESAP/ASSECOM