Curiosidades Arquivo

Equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada na tarde desta quarta-feira (17) para atender ocorrência na casa do deputado estadual Pedro Kemp (PT), no Bairro Carandá Bosque, em Campo Grande. A princípio a informação era de que o parlamentar teria tido uma fratura exposta depois de cair de uma escada no momento em que tentava pegar goiabas em uma árvore no quintal de casa.

Ao chegar no local, os bombeiros foram informados de que o deputado já havia sido levado para atendimento médico no carro da irmã, que foi até o local depois de ser avisada sobre o acidente.

A funcionária da casa, que não quis se identificar, contou que ouviu o deputado gritar por socorro logo após cair da escada que tinha armado para poder alcançar as goiabas. Por causa da queda o pé do parlamentar ficou deslocado, porém, não há confirmação se realmente houve fratura exposta. “O pé dele saiu do lugar”, explicou.

A assessoria de comunicação de Kemp informou que o deputado tem o costume de utilizar a escada, inclusive para realizar serviços de reparos na residência.

Midiamax

Uma família do bairro do Cristo Rei na cidade de Cajazeiras/PB foi surpreendida com a visita inesperada de um jumento que caiu no telhado de sua residência.

O fato inusitado aconteceu na noite desta segunda-feira dia 15/01 e chamou a atenção da população. O animal ficou preso por vários minutos, quando depois de muita agitação acabou caindo dentro da casa.

Os militares do Corpo de Bombeiros foram acionados, mas, devido ao fato de estarem numa outra ocorrência, demoraram  a chegar ao local. Segundo informações, o jumento não se feriu com gravidade.

Com informações do Blog do Ângelo Lima

Confira abaixo o vídeo do ocorrido

Até o dia 31 de janeiro, o Fundo Social Elas receberá projetos que promovam a cidadania de mulheres lésbicas, bissexuais e transexuais. Serão selecionados dez projetos, que receberão R$ 30 mil cada, para execução em 10 meses, orientados pela organização não governamental, que apoia os direitos das mulheres.

Segundo a coordenadora executiva do Fundo Elas, K. K. Verdade, são esperados projetos que proponham diálogo entre diferentes grupos sociais. “Nós recebemos muitos pedidos para promover encontros intergeracionais, por exemplo. As feministas mais antigas querem dialogar com as mais jovens e vice-versa”, disse. Outro objetivo é fortalecer iniciativas que ajudem a promover direitos e a cobrar ações do Poder Público.

“Sabemos de casos concretos de violência contra LGBT por parte de grupos que não têm como pressionar o Poder Público, então, esperamos apoiar projetos que atuem na comunicação com a sociedade e na cobrança às autoridades”, completou a coordenadora. A organização prevê editais semelhantes nos dois próximos anos.

Para se inscrever, os coletivos responsáveis pelos projetos não precisam ter CNPJ. Basta preencher o formulário comprovando condições de realizar as atividades. Com isso, o fundo pretende apoia meninas e jovens trans que querem organizar iniciativas como atos públicos, debates e ações locais, fora de grandes centros. O edital do Fundo Elas para LBT está disponível na página www.fundosocialelas.org/lbt.

De acordo com K. K. Verdade, a iniciativa é uma forma de enfrentar a violência contra mulheres lésbicas, bissexuais e transexuais nas redes sociais e na vida real. Em 2017, segundo levantamento do fundo, os ataques à comunidade LGBT cresceram. Conforme a organização não governamental, os atos tendem a ser mais violentos quando a orientação sexual e identidade de gênero se cruzam com raça e classe. Mulheres trans negras e pobres, por exemplo, tem mais risco de sofrer agressão.

 “Queremos fortalecer a cidadania LGBT e a resistência contra retrocessos de direitos no Brasil. Nossa estratégia e apostar no protagonismo”, acrescentou a coordenadora.

Ainda este mês, o Fundo Elas desenvolve a campanha #TeiaPorDireitosLGBT, que visa a construir uma rede de apoiadores para ajudar a arrecadar fundos que completarão novos financiamentos.

“No Brasil, temos a cultura de ajudar as pessoas quando acontece um desastre, a gente faz uma doação direta, compra uma cesta básica, mas é muito tímido o investimento em direitos”, lembrou K.K Verdade. “A população LGBT sofre de falta de direitos e de desrespeito, então, essa luta leva um tempo. Um esforço da sociedade de investir aqui é preciso”.

EBC

Sol, calor e férias escolares: é no verão que muitos não resistem à tentação de ir à praia e aproveitar este período em frente ao mar. Com o clima de despreocupação, o cuidado com a alimentação pode ficar um pouco de lado, quando recorremos a alternativas menos saudáveis na hora de matar a fome – inclusive por conta da comodidade, já que não é raro encontrarmos ambulantes e quiosques com cardápios recheados por pastéis, espetinhos, porções fritas e salgadinhos, além da ampla variedade de bebidas doces, gaseificadas e alcoólicas.

Todo esse cenário pode colocar a saúde digestiva em risco: o consumo em excesso desses alimentos pode agredir a mucosa do estômago e o consumo bebidas alcoólicas aumenta o nível de acidez do suco gástrico, podendo provocar gastrite e, em casos mais graves, úlcera. Por isso, frituras, alimentos industrializados, enlatados, café, chocolate, pimenta, bebidas alcoólicas e açúcar devem ser ingeridas com moderação.

Além da gastrite, outro problema recorrente nessa época do ano caracteriza-se pela infecção intestinal ou gastroenterite aguda, cujos sintomas são diarreia e, em casos mais intensos, vômitos e febre. A infecção, em geral, é causada por água ou verduras contaminadas, e por intoxicação alimentar, originada por comidas deterioradas devido ao calor. O contágio acontece pelo ar e por alimentos, objetos ou mãos contaminadas. A bactéria mais comum é a conhecida Salmonela.

Dr. Tomazo Franzini, diretor da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), dá dicas para que essas condições sejam evitadas, sobretudo nas épocas mais quentes do ano. Confira:

Temperatura adequada
É fundamental atentar-se ao armazenamento dos alimentos em temperatura adequada, sempre buscando por escolhas que agridam menos a saúde digestiva. Não os deixe fora da geladeira por muito tempo e, quando viajar, leve-os em caixas de isopor ou bolsas térmicas.

Evite alternativas pré-cozidas 
Ou seja, se possível, evite aqueles itens já assados ou fritos – após a cocção, não há mais nenhuma etapa para eliminação de bactérias e, com o passar do tempo e o calor, as chances de estragar são maiores.

Práticos e saudáveis
Caso não possa manter a refrigeração adequada, leve frutas frescas e secas, e biscoitos de polvilho. No caso de sanduíches naturais, eles precisam ser bem conservados, servindo como fonte de proteína – melhor deixar sem molho.

Fique bem hidratado! 
Principalmente no calor, é indicado que se beba bastante água, sucos naturais e água de coco, por exemplo. Se for compra-los na praia, observe se o lacre não está violado e se a validade está dentro do prazo. Nunca beba água da torneira.

Reconheça a contaminação
Impossível levar suas próprias comidinhas para a praia? Então fique de olho nos ambientes e nos funcionários. Veja se os cabelos estão presos, se os aventais estão higienizados e a limpeza dos recipientes. A contaminação pode ser física, química e biológica. No primeiro caso, é visível: há presença de impurezas no prato, como pedras, areia ou cabelo. Quando química, acontece em decorrência da presença de produtos contaminantes, como inseticida; a biológica é causada por fungos, bactérias e vermes.

Superpride

Apoiadores do deputado federal e futuro presidente do Brasil Jair Bolsonaro realizaram na tarde desta sexta-feira (12) mais um evento de inauguração de um grande outdoor que foi instalado em um terreno às margens da BR-101, próximo ao centro administrativo do estado, na zona sul de Natal.

Os responsáveis pelo ato são um grupo intitulado Radar RN e EnDIREITA Natal.

Há vários meses, outros outdoors vem sendo instalados em várias cidades do RN. O ato causa muita polêmica, opiniões divergentes contrária ou favorável repercute nas redes sociais.

Na Ficha da Polícia RN

Rede social anuncia que vai valorizar conteúdo de amigos e familiares em detrimento dos perfis de empresas e meios de comunicação. Segundo Zuckerberg, ler artigos ou ver vídeos pode não ser tão bom para o bem-estar

A rede social Facebook anunciou que dará prioridade aos conteúdos publicados por familiares e amigos em detrimento dos perfis de empresas, marcas ou meios de comunicação social. O anúncio foi feito pelo fundador e presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, que indicou que as mudanças foram tomadas para valorizar as experiências dos usuários da rede.

– Recentemente, temos recebido comentários da nossa comunidade (de usuários) de que o conteúdo público;  posts de empresas, marcas e meios de comunicação; está encobrindo os momentos pessoais; que nos levam a nos conectar mais uns aos outros – afirmou no seu perfil no Facebook.

– É fácil perceber como chegamos aqui. Vídeos e outros conteúdos públicos têm explodido no Facebook nos últimos dois anos. Há mais conteúdos públicos do que posts dos nossos amigos e familiares; o equilíbrio do que aparece no feed de notícias se afastou da coisa mais importante que o Facebook pode fazer; ajudar a nos conectarmos uns aos outros – escreveu Zuckerberg.

Pesquisas

O fundador do Facebook afirmou ainda que estudos acadêmicos sinalizam que esse desequilíbrio não é positivo. “As pesquisas mostram que, quando usamos as redes sociais para nos conectarmos com pessoas com as quais nos importamos, isso pode ser bom para o nosso bem-estar. Podemos nos sentir mais conectados e menos sozinhos, e isso tem uma correlação com os índices de felicidade e saúde em longo prazo”, sustentou. “Por outro lado, ler artigos ou ver vídeos de forma passiva, mesmo que sejam de entretenimento ou informativos, pode não ser tão bom”, acrescentou.

Zuckerberg afirmou que Facebook definiu as mudanças agora anunciadas no ano passado; e adiantou que os usuários da rede social começarão a ver em breve mais publicações no seu mural de familiares, amigos e conhecidos. Segundo os mais recentes dados oficiais; referentes a setembro de 2017, o Facebook contava com uma média de 1,370 bilhão de usuários ativos diariamente.

Via Correio do Brasil

A PMA (Polícia Militar Ambiental) capturou uma jiboia de 1,30 metro, na última quarta-feira (10), na sede do Sinpol (Sindicato da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul). A cobra foi flagrada pelos funcionários do local ‘passeando’ no jardim da entidade, localizada no Bairro José Abrão.

Os policiais ambientais foram até o local, capturaram o animal e levaram ao Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres).

Conforme a PMA, a jiboia é considerada uma cobra pacífica e não é peçonhenta. Raramente passa de três metros de comprimento. Ela passa a maior parte do tempo nas árvores e alimenta-se principalmente de aves, mamíferos pequenos e lagartos grandes.

Midiamax

No início da tarde desta quarta-feira (10), os secretários municipais de Cultura e Turismo (Marcelo Augusto Bezerra) e de Desenvolvimento Econômico (Edvaldo Marinho de Sousa) de Macaíba estiveram visitando as ruínas do maior empório comercial do Rio Grande do Norte no século XIX, o empório de Guarapes, mais conhecido como Casarão dos Guarapes.

A visita teve como objetivo averiguar a situação do local, que necessita de uma atuação urgente dos órgãos de gestão cultural do Estado para que possa ser restaurado e transformado em um atrativo espaço turístico, haja vista a sua importância histórica e cultural para Macaíba e para o próprio Rio Grande do Norte.

O espaço em que o prédio se encontra encravado pertence ao Governo do Estado, uma vez que já foi desapropriado e tombado pelo patrimônio estadual com o intuito de preservar a história e manter viva a saga comercial ali vivida. O empório pertenceu ao notável comerciante paraibano Fabrício Gomes Pedroza, avô dos ilustres: Alberto Maranhão, Pedro Velho e Augusto Severo, entre outros, tendo sido responsável pela fundação da cidade de Macaíba.

Luta pela restauração

Por diversas vezes, a Prefeitura de Macaíba participou de conversas quanto à sua restauração, inclusive sugerindo que o espaço sediasse o Memorial do Comércio Potiguar e fosse entregue a Fecomércio/RN para que a entidade administrasse o Casarão, a exemplo do que ocorreu com o Solar Bela Vista que hoje é administrado pela FIERN.

Nesse sentido, o secretário de Cultura e Turismo de Macaíba afirmou: “O local é um marco da história de Macaíba e do RN e, portanto, merece uma atenção maior de todas as autoridades que fomentam a cultura de preservação do patrimônio do Estado”.

Assecom-PMM

Reprodução: Instagram

Atriz explicou que o ato mudou sua relação com o próprio corpo

A atriz Bianca Bin, protagonista de ‘O outro lado do paraíso’, dividiu com suas seguidoras do Instagram um hábito mensal que ela tem: regar plantas com o sangue da menstruação diluído em água. Em uma série de posts publicados nesta quarta-feira (3), ela explica que o ritual, chamado ‘Plante sua Lua’, é uma forma de se reconectar com a Terra e agradar a natureza, já que o sangue serviria como fertilizante natural.

O texto explicativo postado pelo atriz de ‘O outro lado do paraíso’ explica que o trata-se de um ato “simples, poderoso, curador e profundo a todas as mulheres” em que elas devem coletar seu sangue menstrual e depositá-lo num jardim, vaso de planta ou diretamente do corpo para a terra.

A terapeuta corporal Morena Cardoso, que aparece no texto divulgado pela atriz, recomenda que o ritual seja feito em silêncio e que a mulher entregue “junto com seu sangue todas as impressões negativas que carrega a respeito de ser mulher: as memórias de abortos, traumas, abusos, violência ou maus tratos contra o seu feminino”.

Em entrevista à revista Glamour, a atriz falou mais sobre o ritual. “Plantar a lua é devolver o sangue para a terra. Uso o coletor menstrual e coloco o sangue nas plantas, diluído em água. É uma forma de fechar o ciclo. Isso mudou minha relação com meu corpo e com me entender mulher. O universo é uma grande potência feminina e é com essa força que busco me conectar sempre”, contou.

Via Midiamax

O número da carteira de identidade poderá ser unificado em todo o território nacional. O projeto que trata do assunto está aguardando a designação de relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Autora da proposta (PLC 172/2017), a deputada licenciada Tia Eron (PRB-BA) diz que objetivo é impedir que o cidadão possa tirar diversos documentos de identidade, em estados diferentes, com vários números. Ela argumenta que a possibilidade de uma pessoa ter diversas identidades facilita o uso do documento de forma fraudulenta, para prejudicar direitos de terceiros ou até mesmo para encobrir a prática de crime.

De acordo com a autora, com a tecnologia disponível atualmente e com o uso de banco de dados que permita a integração entre os diversos órgãos de identificação responsáveis pela emissão dos documentos de identidade, será possível manter o mesmo número em qualquer estado. Desse modo, se uma pessoa se mudar para outro estado e necessitar tirar novo documento de identidade, o número original será mantido, de forma a evitar a pluralidade de carteiras de identidade para a mesma pessoa.

Tia Eron acrescenta que essa medida também facilitará a vida do cidadão, que terá apenas um número para memorizar e utilizar nos negócios jurídicos por ele praticados. Para a deputada, o projeto vai trazer mais comodidade para o cidadão e mais segurança para as relações jurídicas.

Agência Senado

Reforma trabalhista e terceirização foram as matérias que mais mobilizaram os partidos

Em 2017, a Câmara dos Deputados votou, em Plenário, 168 propostas, das quais 49 foram projetos de lei, a maior parte (33) de autoria de deputados, como o projeto que cria procedimentos para depoimento de crianças vítimas de violência (PL 3792/15); a regulamentação das gorjetas (PL 252/07); novas normas para prevenção de acidentes em casas de espetáculos e grandes eventos (PL 2020/07); e transferência automática de multas de trânsito para condutor principal (PL 6376/09).

Entretanto, os projetos de lei da reforma trabalhista (PL 6787/16) e sobre a terceirização em todas as atividades das empresas (PL 4302/98) foram os que mais mobilizaram os partidos, além da Medida Provisória 795/17, que garante incentivos a petroleiras atuantes no Brasil.

PECs
Também foram votadas seis propostas de emenda à Constituição, como a PEC 212/16, do Senado, que prorroga de 2020 para 2024 o regime especial de pagamento de precatórios. Já a PEC 282/16 estabelece uma cláusula de desempenho para o acesso de partidos ao tempo de rádio e TV para campanha eleitoral e a recursos do Fundo Partidário, além de proibir coligações em eleições proporcionais (deputados e vereadores) a partir de 2020.

MPs
Entre as 31 medidas provisórias votadas, podem ser citadas a MP 763/16, que permite o saque de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); a MP 785/17, que reformula o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ao criar a obrigatoriedade de adesão das faculdades a um fundo de garantia e de pagamento das parcelas do financiamento pelo estudante logo após o término do curso; e a MP 759/16, que impõe novas regras para regularização de terras da União ocupadas na Amazônia Legal para áreas contínuas maiores que 1 módulo fiscal e até 2,5 mil hectares (ha).

PLPs
Dos seis projetos de lei complementar aprovados, dois tratam de assuntos ligados aos estados. O PLP 343/17 cria o Regime de Recuperação Fiscal dos Estados e do Distrito Federal para ajudar os estados endividados em troca de contrapartidas como privatizações, restrições ao aumento de despesas contínuas, congelamento de salários, redução de incentivos tributários e negociações com credores. Inicialmente, os principais estados beneficiados são Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

Já o PLP 54/15 legaliza isenções concedidas no âmbito da guerra fiscal entre os estados, permitindo sua continuidade por prazos de 1 a 15 anos.

Por meio do PLP 171/15, micro e pequenas empresas participantes do Simples Nacional (Supersimples) poderão parcelar suas dívidas perante esse regime especial com novas regras.

PDCs
Dentre os 70 projetos de decreto legislativo e os seis projetos de resolução aprovados, um dos mais emblemáticos é o PDC 696/17, com a Convenção de Minamata sobre o Mercúrio.

Ela prevê a eliminação ou redução do uso do mercúrio em determinados produtos e processos industriais, bem como o manejo sustentável de resíduos e o gerenciamento de áreas contaminadas por meio de planos nacionais para a redução de seu uso no garimpo de ouro.

Agência Câmara Notícias

Caso aconteceu no bairro Noroeste

Um servente de pedreiro identificado como Edivânio Teodoro da Silva, 32 anos, morreu na noite da virada do ano, neste domingo (31), após tentar esfaquear mãe e filha que comemoravam a chegada do Ano Novo. A tentativa aconteceu por volta das 21h50, no Jardim Noroeste.

Segundo a Polícia, mãe de 33 anos e a filha de 15 comemoravam o Réveillon no quintal da própria residência, fazendo um churrasco, quando Edivânio, conhecido de ambas, passou pela rua. Por conhecerem o servente, chamaram-no para entrar e participar do jantar. A filha da autora afirmou à polícia que ele parecia alterado e visivelmente “drogado”, e já teria entrado na casa gritando e agredindo as duas. Elas teriam pedido para ele se acalmar, no que ele teria reagido dando um soco no rosto da adolescente de 15 anos.

O servente teria então tirado uma faca da cintura e tentado golpear a filha de 15 anos, que correu para o interior da residência. A mãe teria alcançado uma faca e ido atrás da vítima, que ainda tentava atingir a adolescente.

Na confusão, a mãe, vendo a filha em perigo, tentou golpeá-lo. Ela acabou sendo atingida por uma facada na barriga, totalizando três facadas ao todo. Já ele foi golpeado na altura do pescoço. A vítima teria saído da casa, e as mulheres chamaram socorro.

Quando o Corpo de Bombeiros chegou e socorreu a mãe, o servente foi encontrado a 50 metros do local, ainda com vida, mas não resistiu aos ferimentos. A mulher foi levada para a Santa Casa e se encontra em atendimento, e à princípio não corre riscos.

Via Midiamax

A queima de fogos na virada de ano é tradição em muitas cidades do país. Mas o que é motivo de alegria e deslumbramento entre as pessoas, acaba sendo um momento de desespero para os animais, silvestres e domésticos. É possível, entretanto, criar um ambiente seguro para os animais de estimação, para minimizar os riscos de fuga ou para evitar que eles se machuquem.

“A nossa capacidade humana de perceber o mundo não é a mesma dos animais. A sensibilidade de audição e visão pode ser mais ou menos apurada para cada espécie. Nós temos uma capacidade de um gradiente de cores muito mais complexo que a maioria dos animais, mas a percepção auditiva deles é mais apurada que a nossa”, disse a médica veterinária Vânia Plaza Nunes, diretora técnica do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal e especialista em comportamento e bem-estar animal.

Os riscos para os animais, segundo Vânia, são vários. A luz e o brilho dos fogos de artifícios podem causar mais impacto nos animais noturnos por exemplo, como os morcegos e os gatos. “Eles têm uma acuidade visual muito grande, então pouca luz já é suficiente. Então aquilo [fogos] causa pânico, porque foge ao padrão normal a que eles estão acostumados”, explicou.

Para o olfato, as bombas e fogos também são prejudiciais, pois liberam pólvora e outras substâncias químicas e metais. Mesmo quando os fogos são disparados de balsas no mar, como no Rio de Janeiro, as substâncias se depositam na água, onde também há muitas espécies de animais.

“Com o som, o problema é mais grave ainda”, disse a especialista, pois eles captam os infrasons e os ultrasons, que não são percebidos pelos humanos. “Os morcegos usam isso para se orientar. Se você solta fogos em área perto de mata, eles vão perder a capacidade de voar, podem cair, entrar na casa das pessoas. Para os cães e gatos aquilo também não faz parte do comportamento normal, eles ficam muito assustados”, explicou Vânia.

Segundo a médica veterinária, nesses momentos, os animais têm o chamado comportamento de luta e fuga, que é o comportamento instintivo que todos os seres vivos têm para tentar se defender. Ela explicou que, assim como os animais, pessoas com autismo e crianças pequenas também se incomodam com os efeitos dos fogos.

Preparando o ambiente

Vânia dá dicas que podem ser adotadas para amenizar o estresse e evitar que os animais fujam ou se machuquem. Nas horas mais próximas à virada, para quem ainda tem aves em gaiola, ela orienta a deixá-las em um ambiente fechado e supervisionar os animais. “Deixar água suficiente apenas para beber, mas sem risco de se afogarem caso sofram uma queda”, disse.

Para cães e gatos não é recomendado administrar calmantes, mas, uma semana antes do Réveillon, eles podem usar florais de Bach, que são extratos naturais que ajudam a acalmar. “E sempre que possível, procurar orientação do veterinário”, disse Vânia.

Segundo ela, com antecedência, é possível preparar um ambiente confortável para o animal de estimação e, aos poucos, ir acostumando-o com esse ambiente. É importante não deixar objetos que ele possa derrubar e não deixar portas ou janelas abertas, mas evitando que o ambiente fique excessivamente aquecido. Também existem os feromônios de apaziguamento, que podem ser colocados no ambiente para deixá-lo mais harmônico. Essas substâncias podem ser encontradas nas boas casas de produtos veterinários.

A especialista recomenda ainda colocar uma música ambiente em uma intensidade que vai competir um pouco com o som externo. “E, se possível, a pessoa pode ficar junto, porque a companhia acalma o animal. Mas tomando cuidado para não reforçar o comportamento de medo para o animal”, explicou.

Existe ainda uma técnica de enfaixar o cachorro, que funciona como um abraço, e pode trazer tranquilidade nos ambientes hostis. Segundo Vânia, a faixa levemente elástica deve passar pelo peito do cão e cruzar e amarrar nas costas.

Mudança de comportamento

Para Vânia, as pessoas poderiam abolir os fogos de artifício como forma de diversão. “Talvez usar os recursos de uma forma melhor, empregar o dinheiro para minimizar os danos ambientais e criar outros mecanismos de celebração social”, disse. “Mesmo estando no século 21, continua-se reforçando esse tipo de prática. Está na hora de mudarmos esse marco civilizatório”.

Segundo a especialista, muitas cidades estão conseguindo avançar em projetos de lei que regulam a comercialização e queima de fogos de artifício, como Campinas, Santos e Sorocaba, todas no interior de São Paulo. “Tem uma minimização, mas não resolve o problema”, disse.

Agência Brasil

Maioria das visitas foi de caravanas escolares

O ano de 2017 chega ao fim revelando um recorde histórico para o Museu Solar Ferreiro Torto, em Macaíba. O local recebeu alcançou pela primeira vez em sua história um número maior do que 10 mil visitas anuais, mais precisamente 10.382 visitantes até a data de ontem, 27 de dezembro, de acordo com dados informados pelo secretário municipal de Cultura e Turismo, Marcelo Augusto Bezerra.

A maioria dessas visitas deve-se às caravanas escolares vindas de cidades vizinhas, incluindo a capital potiguar – Natal – e de diversas outras partes do Rio Grande do Norte, como o Seridó e a Região Oeste. Em seguida, vem o público da terceira idade. Outra parcela significativa é a dos profissionais de fotografia, relatou o secretário Marcelo.

Para 2018, Marcelo Augusto explicou que a sua pasta pretende ofertar cursos de qualificação para guia turístico, capacitando os funcionários que trabalham no local para atender a crescente demanda de público. Também serão formados guias-mirins em parceria com o 138º grupo de escoteiros Augusto Severo, que tem sede no local.

É importante frisar que, a partir de amanhã (29/12), o Solar Ferreiro Torto entra em recesso para visitações, retornando à sua rotina habitual no próximo dia 09 de janeiro.

“É uma satisfação muito grande para a Prefeitura de Macaíba ter batido esse recorde de mais de 10 mil visitantes no ano de 2017. E para 2018, as ações traçadas e planejadas junto com Dr. Fernando, nós vamos cada vez mais incrementar e, certamente, aumentar esse número. Essa é a tendência, pois sabemos de sua importância, já que ali é um sítio arqueológico, um marco zero da colonização de Macaíba e também o segundo engenho da então capitania do Rio Grande. Então, temos muita história para contar.”, declarou Marcelo Augusto.

Solar Ferreiro Torto

Patrimônio histórico tombado pela Fundação José Augusto, o Museu Solar Ferreiro Torto abriga em seu acervo 250 fotografias de personalidades e momentos da história política, social, econômica e religiosa de Macaíba. O espaço foi reinaugurado como complexo turístico e cultural em 2003, na administração do prefeito Fernando Cunha.

Um dos mais belos espaços públicos do estado, às margens do Rio Jundiaí, o local, que abrigou o segundo engenho da capitania do Rio Grande do Norte, também conta uma rica diversidade de espécies de fauna e flora como aves, crustáceos, palmeiras-imperiais e coités.

O Solar está aberto para visitação das 8h às 16h, de terça a sexta e sábado e domingo, das 9h às 15h. Para agendar uma visita ao local, basta ligar para o número 3271-6524 ou para a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo pelo número 3271-6562.

Assecom-PMM

Zezé di Camargo teria planos de entrar na política, segundo nota da coluna Radar, da revista Veja, publicada na última sexta-feira (22). De acordo com a publicação, o sertanejo pode se filiar ao PSDB para se tornar suplente na chapa do atual governador de Goiás, Marconi Perillo.

Em entrevista à jornalista Leda Nagle, em setembro de 2017, Zezé já tinha anunciado que sofrera assédio de legendas partidárias. “Já tive convite para isso, já conversei com alguns políticos e eles ficaram impressionados com meu conhecimento político do Brasil, mas não tenho vocação para ser [político]. Quero ser politizado para exercer meus direitos e deveres como cidadão, mas não penso isso como profissão”, revelou.

Na mesma ocasião, no entanto, o cantor provocou polêmica ao dizer que não acredita que o Brasil tenha vivido uma ditadura militar entre entre as décadas de 1960 e 1980.

“Vou falar um absurdo para você, as pessoas vão me criticar, jornalistas vão falar de mim, achar que sou um maluco. O Brasil lutou muito pela democracia. Eu fico com pena de como nossos políticos usaram aquela liberdade que conquistamos ao sair do militarismo, e muita gente confunde militarismo com ditadura. Todo mundo falava que vivíamos em uma ditadura, mas nós não vivíamos em uma ditadura, vivíamos no militarismo vigiado. Ditadura é Venezuela, Cuba, Hungria, Coreia do Norte, China, até o Chile com Pinochet. O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura”, disse o cantor.

Via Midiamax

Um vereador de Montadas, na Paraíba, publicou em uma rede social um vídeo dele se masturbando dentro de uma escola pública. O vídeo foi postado na terça-feira (19) e passou pelo menos 2 horas no perfil do parlamentar. O vereador Sebastião da Costa Silva (PSB) alega que não sabe como postou o vídeo e disse que “foi sem querer”.

No vídeo em uma postagem pública no perfil do Facebook dele, o vereador aparece se masturbando em uma sala da escola estadual Maria José de Sousa, que fica na zona urbana de Montadas. O vídeo teve duração de cerca de 30 segundos e foi espalhado em outras redes sociais depois da publicação, mesmo depois do vereador ter apagado a postagem.

O vereador Sebastião da Costa Silva assumiu que é ele quem aparece no vídeo e que o ato ocorreu dentro de uma sala da escola, onde estava só. Ele alega que não sabe como o vídeo foi postado e acredita que tenha ocorrido um toque indevido no “touch screen” da tela do aparelho celular dele, onde a rede social fica logada.

Pedido de cassação na Câmara de Vereadores

O presidente da Câmara de Vereadores de Montadas, Cássio Avelino (PSD), disse já foi protocolado um requerimento em repúdio a atitude do vereador e feito um pedido para abertura do processo de cassação do mandato do vereador.

Como o calendário de sessões ordinárias do ano foi encerrado nesta quarta-feira (20), segundo o presidente, as matérias devem ser apreciadas em uma sessão extraordinária até o fim do ano. Caso o contrário, os pedidos só vão entrar em pauta após o recesso da casa, que deve retomar as atividades em fevereiro de 2018.

Via G1/PB

O verão – que começa na próxima quinta-feira (21) – promete ter um regime de chuva regular na maior parte do país, sem grandes extremos como secas ou enchentes.

A previsão é do meteorologista Luiz Cavalcanti, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em Brasília. No Rio de Janeiro, o dia de hoje – último domingo (17) da primavera – foi de sol forte e céu limpo, o que levou milhares de pessoas às praias.

“A perspectiva é de muitas chuvas nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e particularmente na Região Sul. É um período que, essencialmente, é muito chuvoso. Estamos com chuvas bem marcantes e a tendência é que o verão permaneça como está terminando a primavera, com muita chuva nessas regiões”, disse.

Segundo o meteorologista, o fenômeno conhecido como La Niña, quando ocorre o resfriamento das águas do Oceano Pacífico, este ano é predominante, mas com pouca intensidade, o que deve contribuir para garantir uma normalidade climática no Brasil. Inclusive, haverá chuva no semi-árido do Nordeste, que sofre com seca há cinco anos.

“O La Niña tem se manifestado, mas com intensidade fraca, e a tendência é que neste verão seja o fenômeno predominante. Em função do La Niña, a gente prevê chuvas no semi-árido já a partir de dezembro. Já temos bastante chuvas no sul do Maranhão e do Piauí. Nas partes oeste e norte da Bahia e em algumas regiões do Ceará, Pernambuco e Paraíba já ocorreram chuvas. Isto é prenúncio de que teremos uma estação diferente do que foi nos últimos cinco anos, que foi de muito seca”, afirmou Cavalcanti.

Agência Brasil

Por Agora RN – Uma situação no mínimo curiosa aconteceu neste final de semana no município de Lagoa Nova, região do Seridó potiguar. Através de nota, o padre da paróquia lagoanovense, Valdir Valdick de Araújo Dantas, renunciou à sua condição de padre para voltar a viver uma “história de amor” ao lado de sua esposa e de seu filho. No texto, o padre disse que sua renúncia, no entanto, não o impede de continuar seguindo à Igreja Católica, a qual qualifica como sua “mãe e mestra”.

“Sou Grato ao Senhor da missão que me ungiu para este serviço exercido com muita dedicação e zelo que fiz por quase 23 anos (…) tenho um filho e uma mulher que os amo, e quero recomeçar minha vida junto a eles, sem deixar de ser cristão e amar esta Igreja. Acredito que a família é o santuário da vida, eis o motivo da minha decisão. Havia uma inquietação no meu coração e o que vos peço humildemente é que agora rezem por este servo do Senhor”, justificou.

Matéria completa aqui: http://agorarn.com.br/destaques/no-rn-padre-renuncia-batina-para-viver-historia-de-amor-com-mulher-e-filho/

Em mês tradicionalmente marcado por baixas vendas ao mercado externo, o superávit da balança comercial (diferença entre exportações e importações) caiu em novembro. No mês passado, o país exportou US$ 3,54 bilhões a mais do que importou, informou há pouco o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). O saldo positivo é inferior ao superávit de US$ 4,75 bilhões registrado em novembro do ano passado.

Apesar do recuo, a balança comercial atingiu uma marca inédita. Nos 11 primeiros meses do ano, as exportações superaram as importações em US$ 62 bilhões. Esse é o melhor resultado para o período desde o início da série histórica, em 1989. De janeiro a novembro do ano passado, a balança comercial tinha registrado superávit de US$ 43,26 bilhões.

O saldo positivo até novembro supera todo o superávit comercial registrado em 2016: US$ 47,7 bilhões, até então o melhor resultado da série histórica. De acordo com o MDIC, a expectativa é que a balança comercial encerre 2017 com superávit entre US$ 65 bilhões e US$ 70 bilhões.

Exportações e importações

Em novembro, o Brasil exportou US$ 16,68 bilhões, alta de 2,9% sobre o mesmo mês do ano passado pelo critério da média diária. O aumento decorreu principalmente da valorização das commodities (bens primários com cotação internacional) no mercado externo. A recuperação da economia, no entanto, fez as importações subir em ritmo maior. No mês passado, o país comprou US$ 13,14 bilhões do exterior, alta de 14,7% na mesma comparação também pelo critério da média diária.

Em relação às exportações, as vendas de produtos básicos aumentaram 26,5% em relação a novembro do ano passado. As vendas de produtos semimanufaturados subiram 3,1%. No entanto, as exportações de produtos manufaturados caíram 14,2% na mesma comparação. O crescimento das importações foi puxado pelas compras de combustíveis e lubrificantes (+69,2%), de bens de consumo (+20%), de bens de capitais (máquinas e equipamentos para produção), com alta de 10,8%, e de bens intermediários (+6,7%).

De janeiro a novembro, o país exportou US$ 200,15 bilhões, com alta de 18,2% sobre os 11 primeiros meses do ano passado pelo critério da média diária. As importações, por sua vez, totalizaram US$ 138,14 bilhões, crescimento de 9,6% em relação ao mesmo período de 2016, também pela média diária.

Agência Brasil

Segundo o TSE, questões orçamentárias impedem a implantação do modelo nas próximas eleições

O deputado Izalci Lucas (PSDB-DF) vai pedir ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que tome providências para que a Casa cobre do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a implantação do voto impresso como acessório ao eletrônico nas eleições brasileiras o mais rapidamente possível.

Lei 13.165/15 determina essa obrigatoriedade já no pleito de 2018, mas o TSE alega questões orçamentárias para não implantar a medida em todo o território nacional a partir do próximo ano e estima que o processo só terminará em 2026.

Conferência do voto
A Justiça Eleitoral prevê gastos superiores a R$ 2 bilhões na compra de impressoras e na substituição de urnas antigas em todo o País. Conforme a lei, “a urna imprimirá o registro de cada voto, que será depositado, de forma automática e sem contato manual do eleitor, em local previamente lacrado”. O objetivo é permitir ao eleitor a simples conferência de seu voto.

A demora na implantação do sistema foi criticada nesta quinta-feira (30) em audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, realizada a pedido do deputado Izalci.

O parlamentar acredita na viabilidade da implantação completa já em 2018, se forem compradas apenas as impressoras. “A questão orçamentária não é o caso. O orçamento que ele [o TSE] coloca é como se fosse trocar todos os equipamentos. A proposta não é essa. A proposta é que haja apenas a introdução da impressora, que custa no máximo R$ 500 cada uma, o que é totalmente viável”, argumentou.

A advogada especialista em processos eleitorais eletrônicos Maria Aparecida Cortiz calcula que seriam gastos R$ 250 milhões na compra das impressoras. Na opinião dela, há tempo para o TSE implantar a medida no próximo ano. “É só acoplar a impressora, fazer curso, orientar os mesários e a população e implantar”, disse.

Auditoria
Na audiência, também houve a apresentação do relatório da auditoria especial no sistema eleitoral 2014 realizada pelo Comitê Multidisciplinar Independente e pelo Instituto Brasileiro de Peritos, a pedido do PSDB. O auditor Amílcar Brunazo Filho reclamou que o TSE não permitiu fazer auditoria na apuração dos votos nas urnas eletrônicas. “O TSE não deu condições para que a gente pudesse verificar se o resultado estava correto. E a urna eletrônica, como é concebida, não permite essa auditoria. ”

Na avaliação do auditor, o sistema brasileiro não tem transparência suficiente para garantir que não existem fraudes na votação.

O TSE foi convidado para a audiência, mas não compareceu.

Agência Câmara Notícias