O co-fundador da Microsoft prefere investir em empresas que “façam produtos”

© Reuters

A popularidade das criptomoedas como a Bitcoin tem aumentado substancialmente nos últimos tempos, com personalidades como Elon Musk a contribuírem para essa tendência. Porém, Bill Gates não parece ser um dos apoiantes de criptomoeda.

Em conversa na Clubhouse (via TechRadar), o filantropo e co-fundador da Microsoft revelou que ainda não investiu em criptomoeda e, pelo visto, não planeja fazê-lo. Na verdade, Gates adiantou que prefere investir em empresas que “façam produtos” ou até organizações que tenham como objetivo curar doenças.

“O Elon tem muito dinheiro e é muito sofisticado, por isso não me preocupo que a Bitcoin dele valorize ou desvalorize aleatoriamente. Penso que as pessoas aderem a estas obsessões, que podem não ter muito dinheiro para gastar, por isso não estou otimista em relação à Bitcoin e a minha opinião é que, se tiveres menos dinheiro que o Elon, deve ter cuidado”, afirmou Gates.

Fonte: Notícias ao Minuto

A fusão entre animes e games é lugar-comum desde que os primeiros consoles japoneses surgiram no Japão no fim dos anos de 1970

© Shutterstock

A ligação entre animação japonesa, os animes, e o esporte eletrônico sempre foi muito próxima, e nos últimos dias tivemos três novos exemplos disso. Um deles é o meme que misturou os times (fictícios) de vôlei do desenho Haikyuu!! com equipes notórias de e-sports de Valorant no Brasil. Diversas montagens com os uniformes vestidos pelos personagens do desenho animado modificado para aqueles utilizados por equipes reais de e-sports têm feito sucesso na internet.

Outras duas notícias também mostram a força da união dos animescom os games competitivos. A Team Liquid fechou um patrocínio com a Viz Media, empresa americana que licencia franquias famosas dos desenhos animados japoneses, e anunciou uma linha de produtos, com direito a uniformes temáticos – exatamente como fizeram com os heróis da Marvel um tempinho atrás.

Para completar, na semana passada, a Valve revelou um anime baseado no universo DOTA, com estreia prevista para 25 de março, exclusivamente na Netflix. O trailer de DOTA: Dragon´s Blood apresenta personagens bem conhecidos pelos jogadores, como Davon e Princesa Mirana. O objetivo por trás disso é claro: expandir o universo do game por meio de outras mídias, criando novas oportunidades de faturamento, e atrair, paralelamente, uma gama de usuários ainda maior a seus games.

É uma estratégia adotada pela Riot Games, que até pouco tempo atrás só tinha o jogo League of Legends (LoL) e os torneios oficiais como seus únicos produtos. A expansão do universo LoL começou com os quadrinhos publicados pela editora Marvel. Para o ano que vem, a empresa está preparando Arcane, um desenho animado inspirado nas animações japonesas.

A fusão entre animes e games é lugar-comum desde que os primeiros consoles japoneses surgiram no Japão no fim dos anos de 1970. Fato que continua em voga nos dias de hoje, com exemplos que vão muito além de Pokémon. Atualmente, por exemplo, está disponível na plataforma de streaming Crunchyroll uma nova animação baseada em Dragon Quest, um dos jogos mais populares da história.

Mas, curiosamente, o esporte eletrônico ainda não é um tema recorrente em produções japonesas. Exceções são raras. Isso talvez se explique pelo baixo interesse pelo e-sportso, resultado de uma legislação que trata competições esportivas de games como jogos de azar e limita o valor das premiações. Uma exceção, talvez, seja High Score Girl, embora este mangá/anime aborde muito mais o relacionamento entre um casal de adolescentes feras nos fliperamas na década de 90.

A China, por sua vez, é uma potência nesse quesito. Estima-se que tenha faturado US$ 385 milhões no ano passado (aproximadamente R$ 2 bilhões), muito acima dos US$ 252 milhões (cerca de R$ 1,4 bilhão) esperados para o mercado americano. Com um apoio que se estende até o governo local, não surpreende que o assunto seja abordado em outras mídias. O maior exemplo disso é The King’s Avatar (Quánzhí Gaoshou, no original). O desenho animado de 2017 conta a história de um jogador profissional chamado Ye Xiu e sua jornada em torno da cena esportiva do game fictício Glory. A obra fez tanto sucesso que gerou uma adaptação live-action que atraiu bilhões de visualizações na Tencent Video, plataforma de streaming chinesa.

A presença de animes em e-sports também é bem recorrente. Vale destacar Naruto e Dragon Ball, franquias campeãs em adaptações, algumas delas usadas em competições de renome como o EVO. A animação japonesa é uma fonte de inspiração frequente na criação de personagens e recursos em games como LoLe Fortnite. Conteúdos baseados em franquias famosas dos desenhos japoneses também já marcaram presença no Free Fire, que incluiu personagens de Ataque de Titãs e One-Punch Man no game.

Junto com o lançamento das já citadas produções baseadas em LoL e Dota, não surpreenderia se a simbiose entre animes e games seguisse em uma crescente daqui em diante.

Fonte: Noticias ao Minuto

O edital agora será encaminhado para análise do Tribunal de Contas da União (TCU)

© China diz que EUA mentem sobre 5G e têm histórico sujo em cibersegurança

A tecnologia do 5G estará disponível em todas capitais brasileiras até julho de 2022. O edital para o leilão do 5G foi aprovado ontem (25) pelo Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que também decidiu pela obrigatoriedade da adoção imediata do padrão em formato standalone, o que demanda a implantação de uma rede independente do atual 4G. O edital agora será encaminhado para análise do Tribunal de Contas da União (TCU).

Essa tecnologia permite o tráfego de dados até 100 vezes mais rápido que o padrão de quarta geração (4G), por utilizar um espectro de rádio mais abrangente, o que permite que mais aparelhos móveis se conectem simultaneamente, com mais estabilidade do que as redes atuais.

Além disso, a tecnologia favorece a uso de ferramentas inteligentes, interconexão de equipamentos e máquinas em tempo real e da chamada chamada Internet das Coisas (IoT).

“A tecnologia do 5G é um catalizador de novas tecnologias como inteligência artificial, realidade aumentada e realidade mista”, disse hoje (26) o presidente da Anatel, Leonardo de Morais, durante entrevista coletiva para falar sobre a aprovação do edital. “É um guarda-chuva que potencializa e envolve varias outras tecnologias”, acrescentou.

A expectativa é que o TCU conclua a análise do edital até o fim do primeiro semestre. O edital aprovado prevê a licitação de radiofrequências nas faixas de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz. Segundo a Anatel, a liberação dessas frequências vai proporcionar maior volume de recursos de espectro para que as prestadoras possam expandir suas redes.

A proposta também estabelece obrigações de cobertura para as operadoras que arrematarem os blocos, entre as quais estão a necessidade de investimentos para oferecer a tecnologia 4G ou superior e também backhaul (redes de acesso) em áreas sem ou com pouca cobertura do serviço.

Em municípios com mais de 500 mil habitantes, o prazo limite para implantar o 5G é julho de 2025, nos que têm mais de 200 mil, julho de 2026 e, naqueles com população acima de 100 mil, em julho de 2027.

A previsão é que 60% dos municípios com menos de 30 mil habitantes estejam atendidos até dezembro de 2027, meta que sobe para 90% até dezembro de 2028 e 100% até dezembro de 2029.

A Anatel também determinou que a faixa de 6 gigahertz (GHz) seja totalmente usada para a melhoria dos equipamentos de internet de banda larga sem fio Wi-Fi no Brasil, o chamado Wi-Fi 6E.

Além disso, as operadoras que arrematarem capacidade na faixa de 3,5 GHz, a chamada faixa de ouro do 5G, também serão responsáveis pela migração da TV aberta via satélite (parabólica), que atualmente ocupa a mesma frequência. Pelo edital, as famílias que fazem parte do Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal terão direito à troca gratuita do equipamento de TV parabólica por outro que não será afetado com interferências no sinal.

O edital também contempla recursos para a implementação de redes de transporte em fibra óptica na Região Norte (Programa Amazônia Integrada e Sustentável – Pais). A previsão é sejam implantados 13 mil quilômetros de cabos de fibra óptica nos leitos dos rios da Região Norte.

Outro ponto definido é a construção de uma rede 5G privativa da administração federal, que vai possibilitar o tráfego seguro de informações. A proposta determina que a rede vai ter duas frentes: uma rede fixa de fibra óptica ligando todos os órgãos da União e uma rede móvel apenas no Distrito Federal para atividades de segurança pública, defesa, serviços de emergência e resposta a desastres.

“Isso está sendo feito em vários países. Os Estados Unidos estão fazendo, a Finlândia está fazendo. Isso está sendo muito comum, e os países estão fazendo essas redes”, afirmou o ministro das Comunicações, Fabio Faria.

Fonte: Noticias ao Minutos

Egípcio Saif al-Adel pode unir grupo ao EI para aumentar seu poder e influência, rivalizando com Osama bin Laden

Foto cartaz do FBI

Os rumores da morte do atual líder da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, geraram especulações sobre a possível ascensão do também egípcio Saif al-Adel ao comando do grupo, afirmaram especialistas ao diário britânico “Daily Express” nesta quinta (25).

Com Al-Adel, há risco de a Al-Qaeda se fundir ao EI (Estado Islâmico) a partir do recrutamento de combatentes do grupo jihadista. O EI teve parte de sua base online desmantelada após operação australiana em 2016, mas recuperou espaço durante a pandemia e se espalha pela África.

Se a união ocorrer, a Al-Qaeda pode reganhar parte do poder que teve sob o comando do saudita Osama bin Laden, afirmaram analistas ao jornal de Londres. O responsável pelo ataque do 11 de setembro de 2001 nos EUA foi morto por forças norte-americanas no Paquistão dez anos depois.

Cartaz do FBI em busca do paradeiro do egípcio Saif Al-Adel, possível novo líder da Al-Qaeda (Foto: Reprodução/FBI)

Militares da inteligência britânica classificaram Al-Adel como um “líder mais eficaz” que bin Laden. “É muito respeitado na Al-Qaeda e sobretudo pelos militantes do Estado Islâmico”, disse o coronel Richard Kemp.

Ayman al-Zawahiri teria morrido em setembro de 2020 de causas naturais em sua casa, na cidade paquistanesa de Karachi. A informação veio de Hassan Hassan, jornalista norte-americano e editor da “Newlines Magazine”.

Monitoramento

Segundo Kemp, as inteligências do Reino Unido e dos EUA já monitoram o suposto líder da organização extremista há “muitos anos”. A recompensa por uma informação que leve ao paradeiro do egípcio é de US$ 10 milhões.

Segundo o FBI (Departamento Federal de Investigações dos EUA, em inglês), Saif é procurado por arquitetar os atentados de 1998 às embaixadas dos EUA em Nairóbi, no Quênia, e Dar es Salaam, na Tanzânia. Os ataques mataram 224 pessoas.

Uma semana antes de deixar o cargo, o então secretário de Estado de Donald Trump, Mike Pompeo, afirmou que a Al-Qaeda havia transferido a sua base para o Irã.

“Teerã permitiu que [a organização] arrecadasse fundos e desempenhasse novas funções antes dirigidas do Afeganistão ou do Paquistão”, disse Pompeo em registro da emissora Voice of America.

Fonte: A Referência – Notícias Internacionais

Depois de um mês da separação do casal, ele recebeu dessa mulher a notícia de que ela estava grávida e ele seria o pai

Imagem ilustrativa – Foto: Reprodução

Uma decisão dezembro de 2020 da Justiça em São Paulo estabeleceu que um homem precisará pagar pensão alimentícia a uma criança mesmo depois de um exame de DNA que confirmou que ele não é o pai biológico. A decisão é da 4ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), que alegou que o pai já tinha criado um vínculo com a criança e, por isso, haveria uma “paternidade socioafetiva”.

Há alguns anos, o homem teve um relacionamento de duas semanas com a mãe da criança. Depois de um mês da separação do casal, ele recebeu dessa mulher a notícia de que ela estava grávida e ele seria o pai. O homem resolveu assumir a paternidade e começou a pagar uma pensão de R$ 900. Posteriormente, ele desconfiou que não era o pai da criança e fez o teste de DNA, que confirmou a suspeita. Mas, depois de o TJ-SP avaliar alguns aspectos do relacionamento estabelecido, como as visitas frequentes que o homem fazia à criança e o tratamento de neto que a criança recebia dos pais dele, o tribunal concluiu que havia um vínculo socioafetivo entre os dois, e que o pagamento da pensão deveria ser mantido.

“Ele quer continuar tendo o compromisso afetivo com a criança, mas quer se isentar do compromisso financeiro. Simbolicamente, para a criança, não há como separar tão claramente esses aspectos”, disse o relator da decisão, em referência ao homem que foi declarado pai da criança.

Fonte: https://agorarn.com.br/ultimas/mesmo-com-teste-de-dna-negativo-justica-decide-que-homem-e-pai-de-crianca-e-tera-que-pagar-pensao/ | Agora RN

Considerada uma provocação pelo regime cubano, a canção de protesto ‘Patria y Vida’ chegou a quase 2 milhões de visualizações no YouTube em uma semana e inflamou luta cultural na ilha

Em Havana, outdoor com imagem de Fidel Castro mostra o lema ‘Socialismo ou morte’; mais de 60 anos depois de Castro pronunciar a célebre frase ‘Pátria ou morte’, no contexto da Revolução cubana, lema ‘Pátria e vida’ ganha força entre os que pedem fim do regime. Foto: EFE/ Yander Zamora

Uma incisiva canção de protesto de rappers cubanos que viralizou nas redes sociais desencadeou uma enfurecida resposta oficial em Havana e polarizou a luta cultural sobre a situação em Cuba.

A música “Patria y Vida”, que chegou a quase 2 milhões de visualizações no YouTube em uma semana, é considerada uma provocação pelo governo socialista.

Composta por famosos artistas cubanos como Yotuel Romero, Descemer Bueno, a dupla Gente de Zona e os rappers Maykel Osorbo e El Funky, a música ultrapassou 1 milhão de visualizações no YouTube em menos de 72 horas e viralizou em várias redes sociais em Cuba.

Segundo a história oficial cubana, em plena revolução dos anos 1950, “Patria o muerte” foi um dos emblemas de Fidel Castro e de outros guerrilheiros durante a guerra.

Um lema que tem sido repetido milhões de vezes em discursos, estátuas ou propaganda oficial, tão famoso como “Até a vitória sempre.” Mas quase seis décadas depois, um grupo de músicos ousou insultar o logotipo oficial e o Governo de Cuba, que não conseguiu impedir a transmissão digital da canção, respondeu com profunda irritação.

Tudo começou na semana passada, terça-feira, dia 16 de fevereiro, quando os artistas publicaram uma música chamada Patria y vida em várias plataformas.

O Granma, principal jornal do país e meio de comunicação oficial do regime, disse em uma reportagem que se trata de uma “grosseira ingerência política” na soberania nacional. A ponto de desencadear uma resposta do presidente Miguel Díaz-Canel e reações de quase toda a classe política, jornais e noticiários oficiais da ilha.

A música também gerou cisão nas redes sociais, onde muitos viralizaram o lema “Pátria e Vida”, enquanto outros mantêm seu apego à histórica “Pátria ou Morte”.

O vídeo foi gravado em Havana e Miami, e traz, da Flórida, a dupla Gente de Zona e os compositores Descemer Bueno e Yotuel Romero (do grupo Orixás), e de Cuba, os rappers Maykel Osorbo e El Funky.

Com refrãos de crítica ao governo, a música diz que “o povo se cansou de continuar aguentando” e que espera “um novo amanhecer”.

O vídeo também faz alusão a ícones nacionais como José Martí e o mais recente movimento dissidente de San Isidro, com imagens da manifestação de cerca de 300 artistas independentes, em 27 de novembro em Havana.

Pela quarta vez desde que o vídeo foi lançado, o presidente cubano Miguel Díaz-Canel reagiu no Twitter apelando a outros artistas cubanos uma contraofensiva.

“A tua canção provocadora não me assusta, nem me ameaça; sei que, enquanto irradia o forte sol da dignidade, aqui ninguém se rende, Socialismo, Pátria ou Morte”, diz uma estrofe da décima de Tomasa Quiala, popular poeta repentista elogiada pelo presidente.

Dias antes, o presidente havia invocado outro peso-pesado do patrimônio cultural cubano, Silvio Rodríguez. “É assim que se canta o país”, declarou o presidente.

“Panfleto de baixa categoria”

A relação entre os compositores e o regime passou por vários momentos difíceis em sua história, e nos últimos meses parece ter entrado em outra zona de turbulência.

Segundo María Isabel Alfonso, especialista em cultura cubana do St. Joseph’s College de Nova York, a reação avassaladora do Estado “é uma ratificação de que, até agora, o governo cubano não conseguiu adotar uma postura de tolerância em relação às manifestações artísticas que criticam as falhas do modelo atual”.

Mas, na ilha, muitos criticam a mensagem desse rap de caprichosa edição e produção visual. Para o historiador da música cubana Emir García Meralla, é um “panfleto político de baixa categoria”. Segundo ele, “o orgulho nacional foi ferido” e “nenhum país admite que se ataque seu orgulho”. “Isso nos coloca como Fuenteovejuna [peça teatral de Félix Lope de Vega], todos unidos.”

“Nenhuma música vai produzir uma situação de instabilidade neste país”, diz o cientista político Rafael Hernández, que diz que a música é produto de “uma direita obstinada” em Miami. “O dominó foi bloqueado”.

A música estourou em Cuba em um momento em que as demandas da sociedade civil aumentaram nos últimos meses, devido, em parte, à recente chegada da internet à ilha, popularizada somente em 2018.

“Acabou”, cantam os rappers. “Depois de 60 anos, o dominó foi bloqueado”, concluem, usando a emblemática do jogo de tabuleiro, tão popular entre os cubanos. Eles criticam a dolarização da economia em meio à crise.

Em Miami o vídeo foi recebido com aprovação e entusiasmo, mas na ilha também despertou críticas a artistas que se tornaram famosos em seu país de origem antes de começarem a criticá-lo estando fora de lá .

Eles lembram o show que Gente de Zona, muito popular em Cuba, fez em 2018, em uma então movimentada Cidade Esportiva de Havana, onde os músicos saudaram publicamente a presença de Díaz-Canel.

Quando visitaram Miami depois disso, foram criticados e houve até pedidos de expulsão e cancelamento de shows, o que os motivou a se estabelecerem na Flórida.

“Em suma, a polêmica sobre o vídeo ‘Patria y Vida’ revela que as feridas entre os cubanos que vivem na ilha e no exterior ainda estão abertas”, disse Jorge Duany, diretor do Instituto de Pesquisas de Cuba da Universidade Internacional da Flórida. Ele observa que, embora alguns dos músicos envolvidos tenham se mudado para os EUA, as “fronteiras ideológicas entre Miami e Havana foram restabelecidas”.

Fonte: https://agorarn.com.br/ultimas/como-uma-musica-estourou-em-cuba-e-irritou-a-ditadura-castrista/ | Agora RN

Anti-inflamatório injetável é usado historicamente no tratamento de artrite reumatoide, mas tem reduzido o risco de morte em pacientes graves de Covid-19

Medicamento foi prescrito pelo médico para uso por cinco dias – Foto: José Aldenir / Agora RN

Uma juíza de Natal proferiu uma decisão inédita no último fim de semana e obrigou um plano de saúde da capital potiguar a fornecer para um paciente de 41 anos um medicamento que tem sido apontado em estudos como eficaz no tratamento de casos extremamente graves de Covid-19. Cada dose do remédio tocilizumabe custa mais de R$ 6,7 mil, e o paciente precisa usar o remédio por cinco dias.

A decisão, da juíza Eveline Guedes Lima, do 11º Juizado Especial Cível, já foi cumprida, e o remédio tem sido aplicado no paciente. O Agora RN apurou que, após receber as primeiras doses, ele tem tido melhora importante no quadro de saúde, mas ainda segue internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI).

Segundo a advogada Tatiana de Lima Correa, autora do pedido acatado pela Justiça, o paciente foi diagnosticado com a nova cepa do coronavírus, que tem levado à hospitalização nas últimas semanas pacientes fora do tradicional grupo de risco para a Covid-19. O cliente dela é Alan Gomes Cardim, que tem 41 anos, pratica atividades físicas frequentemente e não tem comorbidades. Ele está internado com mais de 50% dos pulmões comprometidos.

A família decidiu ir à Justiça após o plano de saúde negar o fornecimento do medicamento Tocilizumab por não haver comprovação científica de que serve para o coronavírus.

O anti-inflamatório injetável é usado historicamente no tratamento de artrite reumatoide, mas tem reduzido o risco de morte em pacientes graves de Covid-19, segundo estudos preliminares realizados na Europa.

Diante do quadro grave, o médico de Alan Gomes prescreveu o remédio para uso por cinco dias. Com a negativa do plano de saúde, a família comprou a primeira dose por R$ 6.772,00. Instantaneamente, o paciente teve uma melhora no quadro. As demais doses, após a ordem da Justiça, foram autorizadas pelo plano e estão sendo aplicadas gradativamente, segundo orientação médica.

“Esse medicamento não é para Covid, foi isso que o plano alegou. Mas existem estudos apontando que o medicamento ameniza os quadros graves. Trata-se de um paciente muito grave. A família acabou pagando a primeira dose porque o plano negou. Mas, no domingo, o plano autorizou. Ele melhorou consideravelmente”, diz a advogada, ao Agora RN.

O que decidiu a juíza

Em sua decisão, a juíza Eveline Guedes destacou que a Lei dos Planos de Saúde obriga as empresas a ofertar medicamentos e procedimentos necessários e demais recomendações médicas de emergência e urgência, cuja não realização possa acarretar risco de morte ou lesão irreparável, independente do prazo de carência estipulado contratualmente. Ela enfatizou que há prescrição médica para o uso de Tocilizumab.

O eventual descumprimento da decisão poderia levar ao pagamento de multa de até R$ 50 mil, sob pena de posterior apuração de responsabilidade, se a omissão ou descumprimento acarretasse prejuízo ou risco de morte ao paciente.

Fonte: https://agorarn.com.br/ultimas/em-natal-paciente-em-estado-grave-vai-a-justica-consegue-decisao-inedita-e-tem-acesso-a-remedio-experimental-para-covid-19/ | Agora RN

No rádio, Glorinha fez de tudo, radionovela, programa de humor, também foi locutora e escreveu minis novelas. Seu maior destaque foi no Programa das quintas feiras A Estrela Canta

Glorinha de Oliveira estava internada no Hospital Rio Grande, na zona Leste de Natal, com complicações pulmonares. Foto: Som Sem Plugs

A cantora Glorinha Oliveira, conhecida como o Rouxinol Potiguar, morreu na noite desta terça-feira 23 em Natal. A cantora estava internada no Hospital Rio Grande, na zona Leste de Natal, com complicações pulmonares provocadas pela doença pulmonar obstrutiva crônica, ou DPOC e havia passado por duas cirurgias. A informação foi confirmada ao Agora RN pelo filho da cantora Aécio Queiroz. Ainda não há informações sobre o velório e o sepultamento da cantora.

Em 29 de janeiro em entrevista ao Agora RN, o neto da cantora, Anderson Queiroz, falou sobre o estado de saúde de Glorinha. “Ela está internada numa área isolada do hospital desde quinta. Já tem um tempo que vovó tem crises da DPOC, daí precisa ser internada, só que dessa vez foi mais forte, tanto que nem conseguia me reconhecer, mas segundo os médicos ela está reagindo bem aos remédios”, relatou.

A doença pulmonar obstrutiva crônica é a obstrução da passagem do ar pelos pulmões provocada geralmente pela fumaça do cigarro ou de outros compostos nocivos.

Carreira

A exatamente 95 anos, no bairro das Rocas em Natal, nascia Maria da Gloria Mendes, mais conhecida como Glorinha, o Rouxinol Potiguar. Entre os trabalhos que mais lhe marcaram, está o LP Cinquenta anos de Glória, lançado em 1993 e que rendeu oito mil cópias.

No rádio, Glorinha fez de tudo, radionovela, programa de humor, também foi locutora e escreveu minis novelas. Seu maior destaque foi no Programa das quintas feiras A Estrela Canta.

Por causa do seu talento com as radionovelas na Rádio Poty e com a música, nos anos 50 Glorinha viajou por quase todo o Brasil, representando o Rio Grande do Norte em inaugurações das emissoras dos Diários e Rádios Associados, ocasiões que lhe permitiram dividir palco com grandes artistas como Agnaldo Rayol, Ademilde as Irmãs Baptistas, Moacyr Franco, Leni Andrade, Miltinho e tantos outros.

A cantora ainda participou das festas de 1º Aniversário das TVS TUPI do Rio e São Paulo.

Fonte: https://agorarn.com.br/ultimas/morre-em-natal-a-cantora-potiguar-glorinha-oliveira-aos-95-anos/ | Agora RN

Dinheiro abandonado por ex-PM brasileiro, segundo as investigações – Imagem: Polícia Judiciária de Portugal/Divulgação

O ex-policial militar do Mato Grosso do Sul, Sérgio Roberto de Carvalho, 62, o Major Carvalho, o maior narcotraficante procurado na Europa, comprou uma empresa aérea em Cascais, a 40 km de Lisboa, e fugiu com destino a Kiev, na Ucrânia, no próprio avião. Em Portugal, ele é conhecido como “Escobar brasileiro”, em referência ao colombiano Pablo Escobar.

Segundo as investigações, antes de fugir, em novembro do ano passado, ele deixou 11 milhões de euros (mais de R$ 73 milhões, na cotação atual) escondidos em malas dentro de uma van na garagem de um prédio onde havia alugado um apartamento, na avenida da Liberdade, em Lisboa, uma das mais famosas da cidade.

“Escobar brasileiro” vivia com identidade falsa em uma luxuosa mansão avaliada em 2,2 milhões de euros (quase R$ 15 milhões), em Marbella, região de Málaga, o mais belo balneário da Andaluzia, na Espanha. E também tinha dois apartamentos em Lisboa e uma empresa em Dubai, nos Emirados Árabes. Os bens foram bloqueados judicialmente.

Avião usado pelo “Escobar brasileiro” Imagem: Polícia Judiciária de Portugal/Divulgação A Polícia Judiciária de Portugal investiga se os 578 kg de cocaína apreendidos no Falcon 900 da empresa Táxi Aéreo Omni Aviação, no último dia 9, no Aeroporto Internacional de Salvador, na Bahia, foram encomendados pelo “Escobar brasileiro”.

A Operação Enterprise, deflagrada no fim do ano passado pela Polícia Federal concluiu que o “Escobar brasileiro” enviou 45 toneladas de cocaína do Brasil para a Europa, via portos brasileiros. A quantidade da droga foi avaliada em R$ 2,25 bilhões.

Segundo as autoridades lusitanas, o “Escobar brasileiro” comprou a Airjetsul, que também opera em Cascais, a partir do aeródromo de Tires, com uma finalidade: usar os jatos da companhia no transporte de droga para a Europa, África e Ásia.

A Polícia Judiciária também apura se o Major Carvalho está comprando a Omni, usando lobistas brasileiros e “cartolas” ligados ao futebol português. Segundo a imprensa portuguesa, um dos suspeitos de intermediar a negociação é o empresário João Loureiro, ex-presidente do Boavista, time da primeira divisão, campeão português em 2000/2001. À rede de televisão SIC, ele garantiu não ter qualquer envolvimento neste caso.

Depoimento à PF

João Loureiro embarcou no Falcon 900 com destino ao Brasil no dia 28 de janeiro deste ano. Além dele estavam na aeronave três tripulantes e o espanhol Mansur Mohamed Heredia. O carro desse último foi apreendido no aeródromo de Tires para ser periciado.

O avião pousou em Salvador e seguiu para o aeroporto de Jundiaí (SP), mesma cidade onde a quadrilha de “Escobar brasileiro” usava um hangar para o transporte de drogas. Alguns dias depois, no início de fevereiro, no retorno a Salvador, o piloto detectou problemas no trem de pouso e comunicou a torre de controle.

Mecânicos, policiais federais e civis de Salvador encontraram os 578 kg da droga escondidos na fuselagem da aeronave. A cocaína estava em pacotes com marcas de materiais esportivos famosos.

O depoimento de João Loureiro à Polícia Federal durou quatro horas. O telefone celular dele foi apreendido para análise e depois devolvido.

Empresa sediada em SP

O UOL teve acesso a documentos com a lista de sete passageiros que embarcariam no jato com destino a Cascais. A maioria é ligada ao futebol português. Um deles, Bruno Carvalho, participou das negociações do retorno do técnico Jorge Jesus ao Benfica. Já Bruno Macedo é o agente que levou o treinador Abel Ferreira ao Palmeiras.

Outra documentação obtida pelo UOL traz os nomes de uma pessoa e da empresa responsável pelo fretamento do jato da Omni. O custo foi de 130 mil euros (R$ 870 mil).

A empresa era sediada na Vila Santa Maria, bairro da zona norte de São Paulo, e um dos sócios é advogado. A reportagem não conseguiu falar com ele.

A Polícia Federal não quis se manifestar sobre o fretamento da aeronave portuguesa e explicou que as investigações continuam em andamento, mas são sigilosas.

Fonte: Josmar Jozino – http://noticias.uol.com.br/colunas/josmar-jozino/

Com mais este campeonato Flamengo torna-se octacampeão brasileiro

Imagem: Dejackson

Era a 38º rodada, a última, foi uma derrota de 2×1 para o São Paulo, mas mesmo derrotado e com o empate do Internacional em 0x0 contra o Conrinthians, jogos estes realizados ontem a noite (25/02), o Flamengo tornou-se campeão brasileiro do ano de 2020 tornando-se octacampeão brasileiro e sagrando-se o maior campeão brasileiro desde o ano de 1971, deixando para trás o paulistano Corinthians, com 07 títulos.

Imagem: Dejackson

O Flamengo ganhou nos anos de 1980, 1982, 1983, 1987, 1992, 2009, 2019 e agora 2020, tornando-se octacampeão brasileiro e pela segunda vez consecutiva ( 1982/1983 e 2019/2020). A campanha de 2020 foi difícil para o mengão, onde por algumas vezes perdeu para times pequenos e só assumiu a liderança na penúltima rodada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagem: Dejackson